Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Arquiteto que dá uma pirada e sai inventando coisas que parecem ter saído de filmes é o que não falta por aí. Mas se liga só na estupenda viagem na maionese belga de Vincent Callebaut!

0_1823d8_f27960b2_orig

Callebaut é reconhecido por seu projeto ambiental corajoso em projetos de cidades do futuro. Desta vez, ele introduziu o conceito de cidade no oceano bem na costa aqui do Rio de Janeiro. Seu projeto foi batizado Aequorea.

Um condomínio nos braços do mar

0_1823d9_d11cd9ad_orig

O material básico das construções será um material composto feito a partir de resíduos de plástico reciclado e algas (algoplast). Esse compósito ecológico seria usado diretamente para a construção das estruturas que parecem saídas de Star Wars, e seriam feitos por impressora 3d de proporções magníficas.

0_1823da_1144add0_orig

O condomínio e suas estruturas residenciais tem inspiração em águas-vivas bioluminescentes. Fodaço.

0_1823df_633a0a7b_orig

0_1823e1_8e4d66f6_origSuspeito que use esses longos braços para gerar energia com a ondulatória e as correntes.

0_1823e2_5d55431a_orig

0_1823e4_8acda871_orig

0_1823dc_abe79daf_orig

0_1823db_de4005e4_orig
Cada estrutura residencial de diâmetro é de aproximadamente 500 metros. Toda a “cidade” sobre a água será capaz de acomodar até 20.000 moradores. Eles seriam quase que novos bairros da Zona Sul.

0_1823e5_3fd648b3_orig
Afim de solucionar o problema de fornecer alimentos, Vincent Callebaut oferece a ajuda das “Farmscrapers” que permitiriam cultivos hidropônicos em fazendas flutuantes. Aequorea, segundo ele, é um conceito que chama a atenção para o inevitável declínio dos recursos naturais na terra e também no fundo do oceano, cada vez mais contaminado com resíduos de plástico contaminados.

0_1823e3_9057b177_orig

0_1823dd_3daae078_orig

0_1823de_df97c757_orig

0_1823e0_531d7e69_orig

 

Mas a verdade é que isso é tudo muito bonito, muito espetaculoso e chance de realização = 0! Ainda mais num país que ta falido igual o nosso, com juros monstruosos e toda a iniciativa privada resolvendo apostar em lucrar no mercado financeiro.
Mas talvez algo daí pudesse realmente ser mais desenvolvido, talvez para um hotel flutuante, algo menos megalomaníaco…

(nem vou mencionar esse mar cristalino onde na verdade tem muito é cocô, porque nem precisa)

 

 

Mas não deixa de ser legal ver esses desenhos e imaginar como poderia ser incrível viver numa parada dessas, né?

Arquiteto solta a imaginação e cria condomínios futuristas para a enseada do Rio. Baba aí!

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

5 ideias sobre “Arquiteto solta a imaginação e cria condomínios futuristas para a enseada do Rio. Baba aí!

  • 29 de dezembro de 2015 em 4:34
    Permalink

    Li o texto inteiro soh pra ver qdo q vc ia falar do coco. Nao me decepcionei.
    Imagina a beleza da sala de jantar submarina com camisinha, coco e outras coisas piores boiando e batendo na janela…

    Resposta
    • 29 de dezembro de 2015 em 11:13
      Permalink

      Sou muito previsível, hahaha.

      Resposta
    • 29 de dezembro de 2015 em 16:06
      Permalink

      Pensa você lá tomando um café, e passa uma tartaruga se afogando numa sacola…

      Resposta
      • 1 de fevereiro de 2016 em 7:35
        Permalink

        Mas o legal é que voce nao vai ver isso, só um mar de lama amarronzado.

        Resposta
  • 26 de março de 2016 em 14:17
    Permalink

    Cara, me lembro de ver esses bairros flutuantes num livro de ficção chamado Rio 2054, só os ricaços moravam em bairros assim.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.