fbpx

Textos

A menina do poste

Escrito por Philipe Kling David · 1 Minutos de leitura >

Na esquina tem uma menina
Nem é menina nem tão pouco feminina
Vive encostada no poste
Esperando alguém que goste
do que ela tem a oferecer

A menina do poste só pensa em dinheiro
Pra comprar um brinco, levar um cordão
A menina do poste frequentava puteiro
Mas brigou com o cafetão

Que resultou numa navalhada
Fria cortante gelada
E uma jugular rompida
A menina do poste foi perseguida

Sem embrenhou no mato, viajou, deu uma sumida
A menina do poste é bem resolvida
A menina do poste já teve mil homens
A menina do poste tem muitos nomes
Os criados por ela, os nomes de dia, os nomes da noite
A menina do poste, meretriz do açoite

Um carro que vem na escuridão pisca o farol
è o sinal que ela está esperando
Larga o poste e num caminhar sensual
A menina do poste vai rebolando

Pelo carrão ela faz o seu preço
A menina do poste não tem endereço
O cliente chora mas topa pagar
A menina do poste resolve aceitar
A porta se abre e ela entra
A menina do poste desejos concentra

O carro some, sai por aí
Quando o dia amanhece o galo acorda o bem-te-vi
A menina do poste não voltou pro quartinho
Essa mulher se carinho, sem vida, sem pai  nem padrinho
se perdeu no caminho
Enquanto o povo leva sua vida normal
Tem um corpo caído no matagal
A menina do poste se deu mal

O poste ficou sozinho naquele breu
A esquina não tinha mais a menina
Os carros passaram e ninguém percebeu
a falta daquela figura franzina

Na madrugada seguinte tudo estava igual
O poste, a escuridão
a rua e o matagal
Mas sob o raio do luar
Quem passava podia enxergar
Uma outra menina ocupando aquele lugar

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Rapper implanta dreads de ouro

em bizarro, Textos
  ·   2 Minutos de leitura

Nosso feed mudou

em mundo gump
  ·   9 segundos de leitura

Estamos de volta

em Textos
  ·   2 Minutos de leitura

10 respostas para “A menina do poste”

  1. Olá Philipe,

    Gostaria de parebeniza-lo pelo exelente trabalho que vc faz aqui no Mundo Gump, sem duvida é um dos meus blogs favoritos.
    Agora, sobre o texto, meus parabens, usou um assunto super sério de uma forma super bem feita, chega a ser emocionante nota 1000.

    Abraço hermano philipe, e parabens novamente.

  2. Kling, esse ficou phoda. Não curto muito poema/poesia, mas o texto ficou excelente. Sucinto e bem resolvido. Vc tá ficando bom nisso, já pensou em montar um blog? rss

  3. aí eu li e adorei philip..é show..parece uma reportagem sobre esse tipo de pesoas q ganham a vida dessa forma com uma junçao de poesia.é bemreal mesmo a situaçao dessa vida tao sofrida dessas mulheres.
    valeu mesmo…vou copiar pra mim.o MUNDO GUMP merece um OSCAR :lol2:

  4. Poema espetacular! Você está de parabens…. assunto delicado, que foi muito bem abordado, até me deixou inspirado….

    Para mim poesia boa é que passa alguma mensagem, essa compriu maravilhosamente bem esssa função. Ainda não caiu a ficha de quem fez esse poema…. (heheheh) estou até agora procurando O Autor no rodapé…. de tão bom que ficou… parabens!

  5. bonito o poema.

    Ja tentei fazer alguns mas fico horas olhando para o papel e nada sai….

    como surgiu a inspiração para esse poema? foi algum noticia que você viu?

    abraço

  6. [quote comment=”37530″]bonito o poema.

    Ja tentei fazer alguns mas fico horas olhando para o papel e nada sai….

    como surgiu a inspiração para esse poema? foi algum noticia que você viu?

    abraço[/quote]

    Na verdade eu só peguei e comecei a escrever direto. Não tinha nenhuma idéia pré concebida do que sairia. Só uma idéia central de que seria sobre prostituição. O assunto foi escolhido aleatoriamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.