Um objeto misterioso

Compartilhe

Certamente que o mundo está repleto de objetos estranhos e misteriosos, que não parecem fazer sentido. Mas por mais estranhos que certas descobertas sejam, algumas descobertas arqueológicas são tão intrigantes e curiosas que nos fazem questionar o mundo em que vivemos. A Misteriosa cunha da Romênia é um deles.

aiud2 tm Um objeto misterioso

A misteriosa cunha da Romênia é esta estranha peça da foto, que foi encontrada em 1974 numa das margens do rio Mures, a dois km de Aiud. O misterioso objeto foi descoberto numa escavação, enterrado a dez metros de profundidade, ao lado de dois ossos de mastodontes. O mastodonte é um mamífero de grandes dimensões, também chamado de mamute, extinto a pelo menos 10.000 anos.

Em termos de morfologia o estranho objeto se assemelha a cabeça de um martelo, mas sua função real nunca foi determinada. A descoberta teria sido levada para o Instituto Arqueológico de Cluj-Napoca para ser examinado. Foi lá que os arqueólogos confirmaram algo bastante estranho:  O objeto era feito de alumínio, recoberto com uma fina camada de óxido. A liga foi examinada e foram detectados 12 elementos diferentes.

A cunha, como o objeto passou a ser chamado por falta de um nome melhor, parecia ser fabricada por fundição, mas o problema é que não existia alumínio na Terra até em meados de 1800. O material não foi produzido industrialmente até 1885. Foi  Friedrich Wöhler que conseguiu isolar o alumínio, em 1827.

Apesar do alumínio ser um metal encontrado em abundância na crosta terrestre (8,1%) raramente é encontrado livre. Suas aplicações industriais são relativamente recentes, sendo produzido em escala industrial a partir do final do século XIX. Quando foi descoberto verificou-se que a sua separação das rochas que o continham era extremamente difícil. Como consequência, durante algum tempo, foi considerado um metal precioso, mais valioso que o ouro. O processo ordinário de obtenção do alumínio ocorre em duas etapas: a obtenção da alumina pelo processo Bayer e, posteriormente, a eletrólise do óxido para obter o alumínio.O processo de eletrólise necessário consome grandes quantidades de energia, o que explica o fato das fabricas de alumínio possuírem suas próprias estações hidroelétricas.

A elevada reatividade do alumínio impede extraí-lo da alumina mediante a redução, sendo necessário obtê-lo através da eletrólise do óxido, o que exige este composto no estado líquido. A alumina possui um ponto de fusão extremamente alto, na faixa dos 2000 °C, tornando inviável de forma econômica a extração do metal.

aiud2 Um objeto misteriosoComo algo assim poderia estar na mesma camada geológica de ossos de mamute datados de 11.000 anos de idade?

Até o momento não foi possível estabelecer a origem da peça. Muitas pessoas sugeriram que esta poderia ser uma das melhores evidências da existência de civilizações alienígenas visitando o nosso planeta desde os mais remotos tempos.

A cunha foi levada para ser examinada num laboratório em Lausanne, na Suíça, e obteve o mesmo resultado na análise metalúrgica:

89% de alumínio, 6,2% de cobre, 2,84% de silício, 1,81% de Zinco, 0,41% de chumbo, 0,33% de estanho, 0,2% de zircônio, 0,11% de cádmio, 0,0024% de níquel, 0,0023% de cobalto, 0,0003% de bismuto, e um pequeno traço de gálio.

A análise da espessura da camada de óxido que recobre todo objeto de alumínio deu uma precisa referência de idade. De acordo com a camada de óxido, estabeleceu-se a idade do material em cerca de 300 anos, algo por si já insólito, pois a oxidação indica que o alumio descoberto na margem do rio é anterior a sua descoberta na Terra.

Várias pessoas se debruçaram sobre o misterioso objeto e um especialista da aeronáutica sugeriu que poderia se tratar de uma sapata de aterrissagem, pela forma bastante similar das sapatas usadas em veículos da ápoca, porém era bem menor. Não tardou a muitas pessoas começarem a construir hipóteses sobre a misteriosa cunha ser uma peça que teria se desprendido de um ufo.

Devido a limitada quantidade de informações acerca do estranho objeto, nunca foi possível a precisa determinação de sua origem. A misteriosa cunha de alumínio nunca foi exibida ao público.  Posteriormente as análises, o artefato foi doado para o Museu de História da cidade de Transilvânia, em Cluj. Em 1995 os editores da revista RUFOR, uma revista Romênia de estudos ufológicos visitaram a reserva técnica do museu e atestaram que o objeto se encontra lá.

fonte

Artigos relacionados

17 comentários em “Um objeto misterioso”

  1. :gasp: minha hipótese: ets, ou como vc já havia dito em alguns contos, quem sabe isso veio de um mundo paralelo, da toalha xadrez, do site da morte, etc… hehehhe… mto interessante esse post… :]
    bjus

      • Eu assinei e mantenho um blog lá. O legal do site é que você pode comentar e discutir com o autor. Outro site que eu gosto é http://www.alemdaimaginaçao.com, que também têm várias coisas legais. Aliás juntamente com site mundo gump são meus favoritos.

  2. Pareçe uma enchada de capinar jardim. hehehe

    Sapata de aterrissagem quando fui no museu de aviação aqui de Recife, o cara falou sobre algo assim e mostrou, mas o treco era bem maior do que esse ai aparenta ser.

  3. A classificação de Camadas Geológicas vale para terrenos estáveis, e não para a margem de rios, onde a erosão, o transporte proporcionado pela corrente do rio, mudança de vazantes, ação do homem (como dragagem), etc, podem alterar em muito o posicionamento vertical de objetos sólidos pesados.

    E é exatamente isso (a profundidade onde foi encontrado) que está sendo usado como referência para classificar esse objeto como “misterioso”.

    Ele me parece mais uma peça naval, como um passante para cordoamento, do que suporte para os pedais de um suposto OVNI. Mas, entrando na onda da “presença alienígena”, quero lembrar que a maioria dos objetos de Alumínio encontrados, com real e embasada suspeita de origem alinígena, tem uma característica comum: A “pureza” do Alumínio, ou seja, o fato de a liga conter raros e mínimos traços de outros metais. O contrário desse objeto!

  4. Talvez os povos antigos (quem sabe antes do babilônios?) tiveram um período de intensa produção tecnológica, intensa troca de informações mais ou menos como acontece hoje, e por alguns motivo não tão difícil de se imaginar, acabaram sumindo do planeta.

    Uma infinidade de evidências arqueológicas surpreende os estudiosos, como as linhas de Nazca, moais das ilhas de Páscoa, os vestígios maias ou as construções de Machu Picchu.

    Mas é importante mencionar que pra alguns, tudo isso já tem uma explicação bem mais convencional que extraterrestres, seres de outra dimensão ou coisas do gênero. x_x

  5. Digamos que houvesse uma praga que assolasse toda a terra e só restasse uma tribo indígena bem inacessível que nunca se envolveu com nossa civilização, os milênios passam e eles encontram restos de nossa tecnologia e imaginam “Esse povo deve ter tido influência extraterrestre”, sei que não é tão simples assim, mas isso me veio a mente nós nos consideramos mais inteligentes que nossos ancestrais, mas será que conhecemos toda a história?

    :B

  6. Acho que consigo ler uma inscrição ali do lado do negócio… deixa ver… “quem empunhar esse martelo, se for digno, possuirá o poder de (…)” o resto é indecifrável. Bom, pra mim é um calço de porta.

  7. para entende melho vou explica minha imaginação:1-(parece uma enchada de corta ou cabeça de martelo) na verdade todo mundo conhece os primatas humanos como gorilas,macacos,hominídeos e 200 mil e 150 mil anos atrás e claro que os hominídeos que viviam em varias partes do mundo usavam esse objeto e eles usaram para ataca os animais – e que não foi indentificado ate agora)2-poderia ser os pés de um disco-voado da aeronave espacial ou de um meteorito que caiu na terra ou osso de algum animal.

  8. Quando li “Enorme energia” para “criar” o alumínio, poderia um raio descarregar essa energia no “minério” e forjar o alumínio? Se sim, o que deu a forma não tenho a menor idéia.

    Outra que poderia ter ido afundando com o tempo, pela movimentação das águas e areia, etc. Mas acho muito difícil também.

    UFO? Prefiro povos antigos, mas muito improvável. Participação dos ET com povos? Um pouco mais provável que a anterior, mas mesmo assim.

    Ótima matéria como sempre =)

    • O processo de produção do aluminio envolve bauxita, eletrólise e ácidos específicos. Creio que não se forma naturalmente. O que existe muito na superfície da Terra é óxido de aluminio. Na época do Dom Pedro II, o aluminio custava mais que o ouro! Tanto que os grandes barões tiravam onda com faqueiros de aluminio.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.