Estrada da agonia

Estrada da agonia

Nesse fim de semana estive na abertura do Festival de Inverno de Campos do Jordão, para conhecer a tal “Suíça Brasileira” que todo mundo fala, o Amaury Junior badala e etc e tal, lugar caviar, que eu só conhecia de ouvir falar.

Hotel sensacional nas ilhas Maldivas (pega o babador!)

Então você está no trabalho vendo emails, aquele monte de spam idiota. Você escuta o telefone tocando, vê seus colegas andando de um lado para o outro na sala e consulta o relógio para saber que horas será finalmente o almoço, e você terá um minuto de tranquilidade. Mas seus pensamentos são interrompidos por mais compromissos, reuniões atrasaram e tudo parece odiosamente lento hoje. Você respira fundo, olha pela janela. A cidade cinza, com chuva e a feiura de sempre até seria vista, se não fosse a sujeira na janela do prédio que te faz sentir ainda mais enclausurado, um prisioneiro de sua própria vida. Tudo que você queria era estar na praia, longe dessa merda toda.

O video lisérgico que te faz ficar zoado sem usar drogas

O video lisérgico que te faz ficar zoado sem usar drogas

O meu irmão André mandou o link de um video que diz que consegue te deixar doidão sem usar drogas. Você vê o vídeo em tela cheia e pronto. São alguns segundos de puuuura viagem.

Eu tenho grande dificuldade de acreditar nessas coisas e sempre que me deparo com essas alegações sensacionais acho que se trata de algum gênio do mal que resolveu usar esse caô para aumentar seus views do youtube. Mas como foi meu irmão que indicou, levei fé e… Porra, funciona!

O mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni

O mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni

Estou com este post sobre um dos lugares mais incríveis do planeta agarrado na lista de posts a terminar faz tempo. Então, aqui está:

O mundo de sal

 

O sol se ergue sobre a vasta planície desolada. Ao longe, perto do horizonte que se estende infinito, como uma divindade onipresente, as vastas plataformas de pedra se iluminam, esquecendo a noite de frio cortante que poucas horas antes castigaram ferozmente o relevo.  O céu, antes dominado pelas estrelas, é agora  inundado com os primeiros raios de luz que mergulham sobre os montes de pedra e sal. A luz representando o renascimento da vida. As sombras que se contorcem lentamente sobre montículos brancos e brilhantes como infinitas estrelas, antes penduradas no firmamento e agora caídas pelo chão, surgem como a vida, desenhando contornos fantasmagóricos e estranhos, que nos remetem à aurora da existência humana.

Grandes platôs perdidos na bruma pálida que vagueia perto do chão descrevem uma cena fantástica, interrompida por raros e fugazes sinais da vida moderna. Um jipe, um caminhão que estala suas rodas sobre placas endurecidas de sal, uma placa solitária que balança ao sabor do vento, a poeira que flutua no ar e a tênue camada de água que recobre milímetros da superfície em certas épocas do ano…

Estamos no Salar de Uyuni, um lugar tão selvagem quanto perigoso, tão belo quanto assustador. A altura faz seu peito arder, mas não tanto quanto seus olhos, castigados pela intensa luminosidade, que quatro minutos antes, saía de explosões violentas, na velocidade de 300.000 quilômetros por segundo da colossal bola flamejante que chamamos de Sol.

Leia maisO mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni