férias, aleluia.

pois √©… Antes mesmo de come√ßar, j√° preciso ir me desculpando com voc√™s pelo fato de n√£o ter conseguido manter minha meta de tr√™s posts di√°rios aqui no blog. A principal raz√£o disso √© que eu finalmente entrei de f√©rias. Entenda que quando eu digo f√©rias, estou falando em passear por a√≠ sem obriga√ß√Ķes, e …

Leia maisférias, aleluia.

Como escolher uma c√Ęmera de video?

Como escolher uma c√Ęmera de video?

O natal est√° a√≠ e este post, reconhe√ßo, est√° saindo meio tarde. Em todo caso, melhor tarde do que nunca. Um amigo meu me mandou email perguntando se eu achava uma boa id√©ia criar um post para ajudar as pessoas a escolher uma boa c√Ęmera de video.

Eu n√£o sei se sou a pessoa mais indicada para falar sobre isso, mas pelo que me consta, com a profus√£o de possibilidades tecnol√≥gicas e modelos de equipamento dispon√≠veis no mercado hoje, comprar um equipamento novo est√° se tornando uma decis√£o t√£o arbitrariamente t√©cnica que chega a assustar. Algumas c√Ęmeras oferecem tantos recursos, esbanjam tamanha sofistica√ß√£o que a ampla maioria dos potenciais compradores come√ßa a se julgar incapaz de discernir corretamente qual seria o modelo mais indicado pra ele. Perguntar ao vendedor, seria a solu√ß√£o mais simples e banal, por√©m, em muitos casos, a sanha louca pela comiss√£o sobre as vendas impede que muitos vendedores hajam eticamente e assim, eles v√£o dizer que a melhor √© -adivinha? – A mais cara.

Isso sem falar no fato mais básico: O desconhecimento técnico sobre o produto.

Ainda n√£o chegamos numa era em que as grandes empresas especializadas ou n√£o em eletr√īnicos d√£o o treinamento necess√°rio aos vendedores para agirem como consultores de venda e n√£o como simples tiradores de nota.

O que está em jogo é não apenas a imagem da empresa, como também o dinheiro, o rico dinheirinho suado do comprador.

Um fato bem simpels sobre c√Ęmeras de video √© este: A tecnologia das camcorders muda rapidamente e vem evoluindo numa tal velocidade que chega a ser dif√≠cil para as publica√ß√Ķes especializadas estabelecerem um ranking de qualidade.

Como as c√Ęmeras s√£o muitas com pre√ßos, estilos, caracter√≠sticas t√©cnicas e tecnologias diferentes, vamos come√ßar n√£o pela c√Ęmera, mas pelo usu√°rio, que chamaremos apenas de: “Voc√™”.

Existem três tipos de usuários (é bem provável que você seja um deles):

1- O Videomaker

2- O Registrador

3-O misto

O videomaker √© aquele cara que poder√≠amos chamar de “profissional”. Ele sabe o que sigifica ter 3CCds numa c√Ęmera, sabe que quer uma c√Ęmera que filme em 24 sabe que marcas deve comprar, o que √© parasol, e muitas outras terminologias complexas, como DvCam, Hdv, beta digital, etc. Este cara provavelmente vai pegar o equipamento e usar o mesmo para ganhar dinheiro – Isso envolve desde filmar batizados e casamentos at√© fazer filmes de verdade, para concorrer a festivais, disputar selos de lei do audio-visual, etc.

Para este cara, uma c√Ęmera profissional √© o ideal. Veja, √© at√© poss√≠vel que um profissional use uma c√Ęmera amadora com resultados incr√≠veis, uma vez que a qualidade de um trabalho em v√≠deo n√£o est√° limitada ao meio. Existem √≥timos v√≠deos feitos em VHS. Por√©m, muitas vezes as c√Ęmeras voltadas para o segmento familiar de baixo custo n√£o v√£o atender √†s necessidades espec√≠ficas deste tipo de usu√°rio, porque ele precisa de: RESOLU√á√ÉO ALTA + HOMOGENEIDADE CROM√ĀTICA + ADAPTA√á√ēES PARA LENTES EXTERNAS e outras coisinhas mais que certamente v√£o jogar o pre√ßo desta c√Ęmera para algo bem acima dos 10 mil reais. Encarando pelo vi√©s que a c√Ęmera para um profissional √© um instrumento de trabalho, podemos encarar isso como algo bem vi√°vel, j√° que n√£o √© gasto, e sim investimento.

Uma c√Ęmera profissional parece com isso:

Como escolher uma c√Ęmera de video?

Este modelo acima é a Canon XH-A1 3CCD HDV Camcorder, 1080i, 16:9, 20x Lens, 24f Mode e custa na base de uns 3.000 dólares.

O Registrador √© aquele cara que quer uma c√Ęmera porque pra ele apenas tirar fotos de seus filhos brincando, um passeio ou viagem de fam√≠lia n√£o basta. Ele quer v√≠deos, de prefer√™ncia longos -j√° que as c√Ęmeras fotogr√°ficas digitais de hoje fazem videozinhos curtos – com qualidade aceit√°vel para ver na televis√£o. O Registrador n√£o est√° nem a√≠ se a c√Ęmera filma com resolu√ß√£o 2K, se ela filma em 24p, nada disso. Ele quer uma c√Ęmera que voc√™ aponta, aperta o bot√£o e pronto.O registrador difere fundamentalmente do videomaker n√£o s√≥ no aspecto do conhecimento acerca do universo das possibilidades t√©cnicas neste segmento, mas tamb√©m porque ele n√£o faz investimento. Ele tem gasto.

O que eu quero dizer com isso, √© que o registrador n√£o compra a c√Ęmera para ganhar dinheiro com ela. Ele compra para ter algo com que possa registrar momentos de sua vida atual que ver√° anos depois. No mundo de hoje, usar a palavra “gasto” pode soar pejorativo, mas a verdade √© esta. A menos que ele filme uma celebridade transando pelada numa praia semi-deserta, ele n√£o vai conseguir vender videos de seus filhos ou daquela tia gorda e transformar a grana colocada na c√Ęmera em mais grana. (excetuando-se as videocassetadas ou os registros de sorte, como um inc√™ndio, um assassinato, um assalto vendidos com direitos de exclusividade para o Jornal Nacional por uma bela grana. Mas isso √© raro como ganhar na loteria.)

O Misto √© o cara que est√° entre a leiguice do registrador e tem as ambi√ß√Ķes de faturar algum com seu equipamento novinho como o videomaker. O Misto est√° -n√£o raro, pensando em colocar videos seus no you tube e talvez al√ßar ao estrelato, como a Malu Magalh√£es, os Melhores do mundo, o dan√ßarino e tantos outros. Provavelmente o Misto √© um cara que n√£o vai ter receio de adquirir uma c√Ęmera que tenha um pre√ßo bom quando a ela est√£o somados recursos que transformem o equipamento na melhor maquina que o dinheiro pode pagar sem ser uma c√Ęmera pr√≥ (quero dizer, com o custo de uma c√Ęmera pr√≥).

Enquanto o videomaker precisa de uma c√Ęmera realmente cabulosa -e cara – at√© mesmo para impressionar quem o contrata e fazer jus ao valor que cobra para filmar casamentos, o registrador quer uma c√Ęmera de custo bom que ele possa registrar o netinho comendo papinha e se esgormitando todo, o misto quer algo barato, bom e principalmente, algo que resista a obsolesc√™ncia inerente √† tecnologia.

Eu digo isso porque rapidamente equipamentos eletr√īnicos se tornam obsoletos. basta surgir uma sigla nova para outra cair no esquecimento. Duvida? VHS j√° foi sin√īnimo de alta qualidade. E SVHS j√° foi sin√īnimo de mais qualidade ainda. Bem como o Betamax.

Como a tecnologia avan√ßa r√°pido, as 4 dicas importantes para se saber na hora de escolher uma boa c√Ęmera s√£o:

1- Saiba qual seu perfil. A pior burrice que você pode cometer é negligenciar a si mesmo e as suas necessidades e comprar algo empurrado por um vendedor canalha focado em faturar apenas a comissão.

2- Compre a c√Ęmera na categoria indicada para seu perfil com a MELHOR QUALIDADE DE IMAGEM QUE VOC√ä PUDER PAGAR.

3- Fuja de formatos bizarros, propriet√°rios de determinada marca e coisas pouco conhecidas. Neste setor arriscar √© um perigo. Para ter mais chances de conseguir ver seu material daqui a 20 ou 30 anos, quando as c√Ęmeras de hoje estiverem em museus, capture num formato largamente difundido.

4- N√£o fa√ßa economia porca justamente na m√≠dia. Use m√≠dias de qualidade comprovada. O mercado est√° inundado de m√≠dias piratas de baix√≠ssimo custo. Pode parecer uma boa id√©ia logo de cara, mas o risco de se estrepar e perder seu material √© t√£o grande ou talvez at√© maior que o beneficio do baixo custo. Isso porque as m√≠dias de baixa qualidade usam materiais mais baratos para poder ter pre√ßo menor, n√£o oferecem um controle de qualidade e em alguns casos s√£o t√£o safados que praticam a pirataria, que √© tentar fazer um produto de origem paralela passar como um “original”.

Outra coisa importante a se saber antes de chegarmos nas c√Ęmeras √© que o material obtido por elas ter√° de ser visto em algum lugar e (salvo casos excepcionais) este lugar ser√° numa TV. √Č importante saber que seu material de HD -Alta defini√ß√£o s√≥ ser√° visto efetivamente em alta defini√ß√£o quando exibido numa TV capaz de exibir imagens de alta defini√ß√£o. Eu sei que parece √≥bvio, mas n√£o duvide: Tem gente que √© t√£o apatetada com tecnologias que situa√ß√Ķes como a da dona que ligou para o SAC do videocassete reclamando que n√£o conseguia ver o filme. O atendente tentou tudo. O aparelho estava ligado na tomada. A fita estava dentro do videocassete. Mas quando ele perguntou se o video estava ligado corretamente na Tv…

-Televis√£o?

-Sim senhora. O video est√° ligado corretamente na televis√£o?

-Uai, s√ī… Eu vendi a televis√£o pra comprar o videocassete!

O pior √© que isso n√£o √© uma piada. Ent√£o √© bom lembrar que se voc√™ n√£o tem, nem planeja ter uma Tv de alta defini√ß√£o, comprar uma c√Ęmera que s√≥ filma em HD n√£o vai te trazer tanto benef√≠cio. Por√©m, como as tvs tamb√©m n√£o escapam da sina da obsolesc√™ncia dos eletr√īnicos, √© natural que em algum momento futuro sua nova tv ofere√ßa este tipo de resolu√ß√£o.

Com rela√ß√£o as aspectos da alta defini√ß√£o (High definition/HD) s√£o 2 os principais formatos de v√≠deo nas c√Ęmeras de uso familiar de pre√ßo mais acess√≠vel (conhecidas tamb√©m como amadoras):

HDV – Formato que surgiu em 2004 e usa o mesmo tipo de fitinhas MiniDV do formato DV original; (uma tecnologia madura, bastante consolidada e segundo alguns, atualmente no final de sua era)

AVCHD Р(Ou  Advanced Vídeo Codec High Definition), um formato ainda imaturo que surgiu em meados de 2006 e que pode ser gravado em mídias como DVD, disco rígido e memória flash.

Comparando as duas tecnologias, podemos ver que o AVCHD tem grandes vantagens sobre o sistema HDV. A maior delas est√° no algoritmo de compacta√ß√£o, que consegue guardar mais video em menos espa√ßo. A transfer√™ncia de arquivos da c√Ęmera para o PC atrav√©s de arrastar e soltar e midia de acesso aleat√≥rio, o que significa nunca mais na vida ter que rebobinar uma fita.

Além disso, o sistema AVCHD usa a mesma compressão MPEG-4, que é também a usada no Blu-ray. Assim,  você poderá tocar os discos AVCHD em tocadores Blu-ray sem necessidade de recodificá-los, o que é uma mão na roda.

Considerando estes elementos o AVCHD parece extremamente promissor para o futuro, embora o formato HDV não tenha acabado e  ser considerado uma escolha mais adequada até agora pelos grandes escpecialistas. Isso porque o HDV tem mais qualidade.

Claro que o AVCHD est√° melhorando gradativamente e em algum tempo ir√° chegar na mesma qualidade – e ent√£o ultrapassar o HDV, mas n√£o sabemos quando ser√° isso. Pra se ter uma id√©ia, o sistema profissional ainda usa o HDV e c√Ęmeras profissionais no sistema AVCHD est√£o aparecendo s√≥ agora.

Al√©m disso, a c√Ęmera HDV usa as fitas para armazenar os dados e as pr√≥prias fitas s√£o os formatos ideais de aramazenamento de longo prazo. Al√©m de serem midias baratas. Uma fita de 60 minutos custa cerca de 15 reais.

Em todo caso, a tecnologia do AVCHD exige que se use discos ópticos para armazenamento, o que não é uma má idéia. Em caso de guardar os arquivos em formato digital, prepare-se para sofrer, pois video Рsobretudo descompactado Рcome MUITO espaço, tipo um Hd de 1 Tera vai guardar apenas 125horas de video em AVCHD.

Se voc√™ quer uma c√Ęmera para viajar, minha dica √© ficar com o HDV, j√° que fitas s√£o f√°ceis de achar, s√£o baratas, ocupam pouco espa√ßo e armazenam por anos a fio seu material numa boa, mas voc√™ passar√° o maior perrengue da sua vida tentando guardar o material da sua c√Ęmera AVCHD em cart√Ķes de mem√≥ria durante a viagem.

Isso em falar que as c√Ęmeras AVCHD como ainda est√£o em uma escalada evolucion√°ria em termos de tecnologia, mudam da noite para o dia.

Uma boa raz√£o para adiar a compra de uma camcorder AVCHD, por enquanto ‚Äď √© a imaturidade do formato AVCHD. A maioria dos softwares de v√≠deo para amadores s√≥ agora come√ßa a ser compat√≠vel com o AVCHD, e mesmo esses podem n√£o tirar total proveito do potencial de sua c√Ęmera e dos modos de filmagem.

Por exemplo, um programa pode lidar com AVCHD a 1.440×1.080 pontos a 60 frames entrela√ßados por segundo (60i), mas ignorar as varia√ß√Ķes, como a nova resolu√ß√£o de 1.920×1.080 pontos ou o frame rate de 24p (progressive scan).

Um amigo meu me mostrou a c√Ęmera sensacional que ele comprou nos EUA. Realmente a c√Ęmera √© uma linda AVCHD e segundo ele, filma em full Hd, ou 1080 pixels. O problema √© que o cara n√£o consegue usar NENHUM (eu disse NENHUM) programa de edi√ß√£o para abrir os videos dela e editar.¬† A situa√ß√£o decorre do fato de que ele comprou o estado da arte em HVCHD e o sistema dele √© t√£o novo que os fabricantes de software ainda n√£o atualizaram as vers√Ķes para suporte ao formato. Da√≠ eu digo: Cuidado, n√£o pense s√≥ na c√Ęmera.

Para voc√™ poder usar o sistema AVCHD na vers√£o atual do Windows Movie Maker, ser√° preciso convert√™-lo primeiro, o que resulta em perda de qualidade da imagem. E como j√° dissemos anteriormente, o formato AVCHD ainda n√£o chegou em seu √°pice de qualidade e talvez ainda leve alguns anos para chegar a tal. Com este panorama, talvez a op√ß√£o mais sensata seja aderir √† tecnologia madura do sistema HD e esperar um pouco at√© que o formato AVCHD esteja suficientemente difundido e amparado pela evolu√ß√£o tecnologica (Hds mais rapidos, mais espa√ßosos e mais baratos, cart√Ķes de mem√≥ria de 1 TB ou mais).

Outra coisa, fique ligado com relação à Propaganda Enganosa.

Muitas c√Ęmeras AVCHD s√£o oferecidas como capazes de executar taxas de bits de at√© 24 Mb/s por√©m, a verdade √© que o m√°ximo que voc√™ vai obter √© 15 a 17 Mb/s e praticamente nenhuma c√Ęmera de video AVCHD vai te dar um verdadeiro sinal de 1080p que √© a resolu√ß√£o de alta defini√ß√£o das Tvs modernas.

Para escolher uma boa c√Ęmera de video do formato HDV, que grava em fita e usa sistema de compacta√ß√£o MPEG 2, as escolhas s√£o mais faceis. Isso porque o formato de arquivamento praticamente igual pra todo mundo, com as mesmas resolu√ß√Ķes e bit rates, os recursos que devem ser levados em conta s√£o aqueles que aumentam a qualidade da imagem em qualquer camcorder, tais como:

  • boas lentes
  • um potente zoom √≥ptico
  • um (ou mais) grandes sensores de imagem (CCD),
  • recurso de estabiliza√ß√£o de imagem
  • sensibilidade sob pouca luz.

Eu dispensaria da lista itens “papagaiados” como zoom digital (lixo feito com interpola√ß√£o de imagem, o que significa uma ilus√£o de zoom) colocar bordinhas, inserir frescuragens como desenhinhos bonitinhos, efeitinhos de transi√ß√£o e aquelas babaquices de preto e branco, s√©pia, tons past√©is, cores vibrantes e todo este monte de merda criado para encher os olhos de leigos ot√°rios.

Tudo isso voc√™ faz facilmente em p√≥s, quando for editar seu video. 90% dos programas mais safados oferecem recursos que superam qualquer efeitinho semi-pronto e “batido” de c√Ęmera. Al√©m disso nada √© mais amador, mais tosco, mais rid√≠culo, do que usar estes recursos (sem falar no excesso de zoom)

Duas boas c√Ęmeras do tipo HDV √© a Canon Vixia HV30 e a Sony HDR-HC9, lan√ßadas recentemente. Elas lideram atualmente o ranking de qualidade¬† da revista PC world e prometem zoom √≥ptico de 10x e portas HDMI para conex√£o e reprodu√ß√£o direta na HDTV.

Canon Vixia HV30:

Como escolher uma c√Ęmera de video?

Sony HDR-HC9:

Como escolher uma c√Ęmera de video?

Já na escolha do sistema AVCHD, o buraco é (bem) mais em baixo.

Com um monte de trique-trique, fica dif√≠cil saber que c√Ęmera comprar. Pra voc√™ ter uma id√©ia do rolo de tecnologias dispon√≠veis, vamos pegar apenas um fabricante, a Sony. Ela tem ao seu dispor nada menos que dez modelos: quatro com disco r√≠gido, cinco com DVD, e um que grava apenas em cart√Ķes Memory Stick.

Se seu objetivo √© s√≥ fazer video para colocar no you tube e similares, talvez o AVCHD seja pra voc√™. Digo isso porque o sistema HDV exige que voc√™ conecte a c√Ęmera numa porta firewire (algumas dizem suportar USB – mas o video raramente presta, ficando um lixo total em 99% dos casos) num computador minimamente bom¬† (ou perder√° muito frame) com entrada firewire para poder capturar os videos gravados nas fitas em formato digital. Quer dizer, se seu foco √© publicar on line os videos, a HDV, embora d√™ mais qualidade, vai gerar mais trabalho pra voc√™.

Gra√ßas ao meu trabalho, j√° usei todos estes tipos de c√Ęmera. Voc√™ n√£o precisa seguir o meu conselho, mas caso esteja interessado em conhecer minha opini√£o pessoal sobre estas c√Ęmeras:

C√Ęmera com HD embutido – Legal. Dentro das varia√ß√Ķes do sistema AVCHD √© o mais promissor. Com o avan√ßo da tecnologia, mais e mais espa√ßo ser√° oferecido. Por√©m, sabe como √©. Lotou, acabou. Voc√™ vai ter que descarregar tudo do HD interno dela para voltar a filmar. Enquanto numa HDV qualquer voc√™ troca a fita e aperta o “rec”.¬† (eu tive muitos problemas com a quest√£o de drivers pra usar isso a√≠. N√£o sei se foi s√≥ no meu caso)

C√Ęmera que grava em mini discos de DVD – FURADAAAA! Cara, fuja disso. Esconda-se sob o balc√£o se o vendedor aparecer com isso pra cima de voc√™. Em ultimo caso, finja um desmaio. c√Ęmera que grava em mini DVd √© a maior merda do universo. N√£o sei como uma pessoa pode comprar algo deste tipo sem ser iludida com falsas promessas. O tro√ßo √© um mar de problemas e aporrinha√ß√Ķes. Perdi trabalho usando este monumental lixo tecnologico porque (olha a tosqueira): Voc√™ precisa queimar o disco todo antes de trocar o disco em uso. Caso n√£o fa√ßa isso, caso esque√ßa ou esbarre no bot√£o de abrir o compartimento, suas chances de se ferrar s√£o em bem mais de 50%. Al√©m disso, este bagulhinho desgra√ßado grava coisas (sobretudo trechos curtos) que n√£o tocam NEM PELO CACETE no computador. (provavelmente por algum tipo de provblema de acesso ao disco ou cabe√ßalho de dados) Sem falar que um mini disco de DVD √© mais dif√≠cil de achar, ocupa menos tempo e custa mais caro que a fita de mini Dv. Nenhum modelo de minidvd oferece bit rates m√°ximos equivalentes aos modelos com mem√≥ria flash e disco r√≠gido. Al√©m disso, para guardar os v√≠deos por longos per√≠odos, voc√™ precisar√° copi√°-los para outro drive ou usar o gravador Blu-ray ou DVD de seu PC para arquiv√°-los.

C√Ęmera que grava em cart√£o memory Stick – Se eu fose o Homem Aranha, diria que meu “sentido aranha” toca quando penso neste treco. Me parece uma promessa muito fr√°gil para algo t√£o caro. Isso funciona bem para c√Ęmeras fotogr√°ficas, mas n√£o sei como reagir√° com o tempo numa c√Ęmera de video. Com qualidade abaixo do padr√£o “ideal” de 1.920 x 1.080 pontos e bit rate m√°ximo de 16 Mb/s. Geralmente este tipo de camera √© meio “caf√© com leite” entre seus pares, sendo focada num segmento de usu√°rio iniciante/amador/entusaista-de-cosinhas-pequenas-com-acabamento-black-piano-escrito-made-in-japan-em-baixo. Em termos de custo-benef√≠cio ela perde (nos dois quesitos) para uma HDV.

Os seguintes modelos N√ÉO S√ÉO UMA RECOMENDA√á√ÉO. S√£o apenas para ilustrar os modelos em AVCHD que atendem as qualidades de um padr√£o “ideal”.

SONY HD SR12

Como escolher uma c√Ęmera de video?

CANON HF10

Como escolher uma c√Ęmera de video?

PANASONIC HDC SD9

Como escolher uma c√Ęmera de video?

Todas estas em sistema de Hd (padrão ou HD de estado sólido)

A quest√£o da cor √© o seguinte: Se voc√™ tiver uma TV moderna, poer√° tirar proveito da tecnologia (l√° vem mais siglas!) xvYCC.¬† Esta tecnologia permite 1,8 vezes mais vermelhos, verdes e azuis que as cores sRGB padr√£o. Com o xvYCC, as cores tornam-se mais fi√©is e t√™m grada√ß√Ķes mais suaves, ou seja, seu video sai mais bonito.

Como era de se esperar, os fabricantes deram apelidos diferentes para estas tecnologias. A Panasonic batizou esse padr√£o de Digital Cinema Color; a Sony, por sua vez, o chama de ‚Äúx.v.Color‚ÄĚ.

Como √© um padr√£o, isso deveria independer de marca, mas os fabricantes (numa poss√≠vel jogada de marketing ou n√£o) dizem para voc√™ comprar c√Ęmera sony se tiver uma HDTV sony. E comprar camera panasonic se tiver uma HDTV Panasonic. S√≥ assim eles garantem a qualidade. Mesmo que vc n√£o tenha dindim para uma tv HDTV que aceite formatos e perdigotos do √ļltimo arroto tecnol√≥gico, n√£o tem galho. Sua Tv vagabunda dos tempos da brilhantina vai desconsiderar estes canais do xvYCC numa boa. Da√≠ quando voc√™ ganhar finalmente na loteria, poder√° finalmente ver todo o esplendor das cores xvYCC.

Tá aí a dica. Uma dica extra está aqui.

Leia maisComo escolher uma c√Ęmera de video?

Top 10 malucos que resolveram se auto-operar

Top 10 malucos que resolveram se auto-operar

Não me causa estranheza que alguém se submeta a uma cirurgia, afinal a Medicina está aí com grandes avanços para nos ajudar e salvar. Mas você acreditaria se eu dissesse que algumas pessoas, por motivos diversos, resolveram deixar os médicos de lado e operar a si próprias? Pois é. Vamos ver os malucos:

Leia maisTop 10 malucos que resolveram se auto-operar

El Matador

Caetano de Jesus Para√Īos olhou fixamente para sua imagem no espelho. Ele ficava naquela situa√ß√£o durante intermin√°veis minutos toda vez que ia para o trabalho. Era um momento de ficar sozinho, de refletir e se concentrar. Caetano repassava mentalmente cada um dos movimentos treinados arduamente ao longo de 12 anos de profiss√£o. Assim como seu …

Leia maisEl Matador

Anéis de bolhas

Os golfinhos s√£o animais surpreendentes. Veja que interessante este video onde dois golfinhos brincam com an√©is de bolhas. Algumas pessoas podem nem acreditar que os golfinhos conseguem produzir estes an√©is, que utilizam como se fossem bambol√™s. Eles tentam atravessar os an√©is sem destru√≠-los. A brincadeira parece ser divertida. Os an√©is de bolhas podem ser produzidos …

Leia maisAnéis de bolhas

Se o Popeye existisse ele seria assim?

Lembra do marinheiro popeye? Pois √©… Eu tenho uma FOTO do popeye aqui na minha maquina, e hoje achei a foto do Brutus. O popeye, pelo que sei √© um cosplay. Pra mim esse cosplay do popeye √© um dos mais bem feitos do mundo. Popeye Brutus Olivia palito

Tr√™s grandes decep√ß√Ķes da minha vida

A vida da gente √© uma esp√©cie de sopa onde entram v√°rios ingredientes. Felicidade, amigos, brigas, situa√ß√Ķes engra√ßadas, tristes, rela√ß√Ķes sociais de todos os tipos, sexo e decep√ß√Ķes entre dezenas de outros ingredientes. A mistura desses ingredientes em propor√ß√Ķes aleat√≥rias conduz para uma percep√ß√£o de que a vida de um n√£o √© igual a do …

Leia maisTr√™s grandes decep√ß√Ķes da minha vida