Sonhos e previsões desconcertantes

O Hermínio sugeriu que eu postasse sobre um episodio Gump que aconteceu comigo lá no Facebook. Eu estava de cama, deitadão e me lembrei que havia sonhado a mesma coisa dois dias seguidos. Tal qual aquele outro sonho que eu previ o terremoto do Chile, nesse eu via uma grande fábrica ou usina pegando fogo. Labaredas enormes. Como raramente sonho a mesma coisa em dois dias seguidos, comentei isso no facebook.
%name Sonhos e previsões desconcertantes

Para meu espanto, apenas alguns minutos após eu postar isso, começou um incêndio de grandes proporções em São Paulo.

%name Sonhos e previsões desconcertantes

Como quando essas coisas acontecem, logo a galera começou a dizer coisas do tipo:
%name Sonhos e previsões desconcertantes

Daí só podemos extrair três possibilidades:

  1. Eu tive um sonho premonitório realmente.
  2. Foi uma escrota coincidência de nivel GUMP.
  3. Incêndio dá o tempo todo e sonhar com incêndio é garantia de previsão de sucesso.

Eu sou mais inclinado a acreditar que a hipótese 3 é a verdadeira, muito embora as três hipóteses podem não ser necessariamente excludentes. Coincidências acontecem. E na hipótese 3, seria mais ou menos como dizer: Sonhei que uma pessoa morria.

Ora bolas, pessoas morrem a cada minuto. Até menos. Isso não é previsão. Uma previsão tem seu grau de respeitabilidade ligado a improbabilidade do acerto. Por exemplo, o cara sonha sete dias seguidos com a sequencia de números da loteria. As chances são de 50.000 para 1. Ele joga os números do sonho, acerta sozinho na cabeça! Respeitável, hein? E acredite se puder, acontece! Outro caso, Outro caso -ganhou duas vezes!  Outro caso, outros casos

Infelizmente, não aconteceu ainda comigo, hahahaha.

Mas veja, embora incêndios aconteçam a cada dia pelo mundo, um incêndio em fábrica de grandes proporções não é algo desprezível e nem corriqueiro. Ainda mais com alguém citando a previsão horas antes dele começar.  E o que dizer de acertar um terremoto, ocorrido em 17 de setembro do ano passado? E veja,  foi DO MESMO JEITO. Sonhos recorrentes. E como sempre faço publico no face para a internet inteira ver.  Não estou dizendo que previ o troço depois que acontece. Há o que parece ser um padrão aqui. Será? No dia 16 de setembro eu postei:

%name Sonhos e previsões desconcertantes

No dia seguinte dá um terremoto que foi sentido até no Brasil.

Novamente, um sonho que parece ficar batendo na mesma tecla como um alerta até a véspera do incidente.

Muitas pessoas vêem nisso uma prova concreta que a mente humana é capaz de sintonizar algum tipo de sinal desconhecido que permite antecipar riscos ou catástrofes, ou simplesmente o futuro. Eu sonhei com uma inundação/enchente na véspera da tragédia da Barragem de Minas também. Eu não sei realmente se posso explicar como isso funciona. Nem se de fato há algo mais aqui além de pura e simples coincidência de elementos.

Acertar o futuro é uma coisa ilógica? Fico pensando sobre isso e em alguns momentos tendo a pensar que sim. O futuro é o emaranhado de possibilidades que estão para acontecer. O que se concretiza como real é apenas uma determinada sequencia de infinitas microsituações e microvariáveis que podem colocar o futuro completamente diferente de qualquer previsão. Seria como acertar a bola oito na caçapa do canto sendo que só há uma caçapa na mesa e ela não está fixa, mas girando na mesa na velocidade da luz. Assim, seria muito mais lógico que qualquer previsão de futuro desse fundamentalmente errada. Mas… Como algumas dão certo?

Quem poderia se esquecer daquela cena bizarra dos Mamonas Assassinas? Júlio Rasec, o tecladista da banda, que em companhia de seu amigo e cabeleleiro,Nelson Da Silva Lima,declarou ter tido um pesadelo que um avião caia, esse sonho, ocorrido numa sexta feira, um dia antes do acidente que vitimou os Mamonas. Como era de costume, a conversa foi gravada em vídeo, o dialogo hilário, é interrompido por uma expressão de preocupação do músico, após uma piada ele vira de costas para a câmera, e volta novamente e diz: ”Não sei…Esta noite sonhei com um negocio assim…parece que o avião caia…não sei”.

Previsões de tragédias

No dia 5 de setembro de 2001, o médium irlandês Zak Martin descreveu uma visão assustadora: “Na última semana, tive uma premonição muito nítida de um avião – parecido com uma aeronave comercial de passageiros – colidindo num arranha-céu e explodindo em chamas. Acho que é nos Estados Unidos – possivelmente Chicago”. O relato de Martin foi enviado para o Registro de Premonições Psíquicas, uma entidade de parapsicologia do Reino Unido. Seis dias depois, não apenas um, mas dois aviões comerciais foram jogados contra as torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York. Como se sabe, ambos explodiram e cobriram de fogo e fumaça os prédios mais altos daquele país, que acabaram ruindo e virando uma pilha de vidro, concreto e aço. fonte

Segundo o Padre Quevedo, aquele mesmo do “Esso Non exziste”, todas as pessoas possuem faculdades de precognição, mas ninguém as dominam realmente. O mecanismo pelo qual isso funciona ainda permanece no lado obscuro do conhecimento científico. Pessoas como a Mãe Dinah, podem até conseguir fazer previsões, mas em geral são estelionatários especializados em falar tão vagamente que qualquer coisa pode acontecer. Por exemplo, Mãe Dinah dizia que previra a morte dos Mamonas, mas na verdade ela apenas dizia ver um manto negro sobre a banda. É diferente dela dizer que dia tal eles vão cair de avião! Ou sequer dizer que sonhou que o avião caía, como ocorreu com Julio Rasec.

Outro caso bastante famoso da precognição em sonho se deu no Titanic. Na verdade, um dos mais emblemáticos dos casos de precognição.  O empresário inglês J. Connon Middleton havia reservado passagens para ele e a família. Dez dias antes do embarque, ele sonhou com um navio de quilha para o ar, rodeado por passageiros e bagagem boiando. Para não assustar os parentes, ficou quieto. Mas o sonho se repetiu na noite seguinte. Middleton resolveu adiar a passagem, pois a viagem não era urgente, e contou tudo para três amigos. Na fatídica noite de 14 de abril de 1912, o Titanic bateu num iceberg e afundou no Atlântico Norte, matando 1500 pessoas, entre passageiros e tripulantes. Middleton relatou o caso para a Sociedade de Parapsicologia de Londres, acompanhado dos passaportes, das reservas e de uma carta com o testemunho assinado dos amigos. Dias depois, novos registros foram aparecendo. O marinheiro Colin MacDonald, por exemplo, recusou a função de subchefe de máquinas do Titanic por causa de um presságio de desastre.

Mas nem sempre as previsões são de tragédias. Escrevendo este post eu me lembrei de uma outra precognição minha, uma que eu nunca contei a ninguém. Uma vez, na escola na véspera de uma prova eu sonhei com ela. Eu li a prova no sonho, e memorizei todas as perguntas. Naquela manhã, na aula antes da prova eu estudei cada uma das perguntas que havia anotado mentalmente do sonho, mas por puro interesse mesmo. Pra mim aquilo era só um sonho. O professor fazia as provas em três grupos. Prova A, B e C. Isso evitava um pouco a cola na sala. Ao receber a prova, eu simplesmente petrifiquei. Ela era uma COPIA EXATA do que eu havia visto no sonho. Não era parecida. Era a MESMA prova. E como eu havia estudado, eu que sempre fui um aluno de mediano para ruim, tirei dez. Uma nota que surpreendeu o professor e até alguns amigos. Eu nunca entendi aquilo. 

As tragédias são úteis no estudo da precognição pois são marcos, e quanto maior a tragédia, mais e mais pessoas surgem com comprovações de que teriam sido avisadas de alguma forma. O atentado de onze de setembro em Nova York, por exemplo, tem diversos casos. Um dos mais intrigantes é o de um cara que trabalhava no World Trade Center, que sonhou com o pai falecido dizendo para ele não ir trabalhar. Ele acorda com aquilo na cabeça. Acaba que não vai e…  Você sabe no que deu.

A lei dos números muito grandes

Embora existam bons e intrigantes casos de precognição, os céticos tem também boas hipóteses para explicar tudo isso. No site Dicionário do Cético (brazil.skepdic.com), o americano Robert Todd Carroll cita a lei dos números muito grandes. Essa lei diz que, numa amostra suficientemente grande, muitas coisas estranhas demais para parecerem coincidências são prováveis e nada estranhas. “Digamos que a possibilidade de uma pessoa sonhar com a queda de um avião, e um cair no dia seguinte, seja de 1 para 1 milhão. Com 6 bilhões de pessoas tendo em média 250 temas de sonho por noite, devem existir 1,5 milhão de pessoas por dia tendo sonhos que parecem clarividência”, escreve Carroll. A análise cética utiliza também a regra do efeito Forer – quanto mais vagos forem o sonho, a premonição ou a predição, mais exatos eles parecerão.

Eu não sei. As hipóteses parecem todas viáveis e ao mesmo tempo, por acontecer justamente comigo, casos como o da prova… Como explicar via lei dos números muito grandes?

O sonho com o morto

Ao longo de décadas pesquisando e colecionando casos estranhos, eu me deparei com muita coisa realmente intrigante. Um deles envolvendo sonhos e algum tipo de precognição está relatado na página 391 do Grande Livro Do Maravilhoso e do Fantástico. O livro conta o caso misterioso de Shaun Cott, no século XIX, que desapareceu do distrito de Maitland, em Nova Gales do Sul. Todos presumiram que ele teria partido com outros exploradores em busca de ouro. Até que um dia, um homem recém-chegado à cidade, que não conhecia ninguém teve um sonho super estranho com um assassinato. Ele contou o sonho ao delegado que imediatamente levou os outros oficiais a escavarem a parte da fazenda em que Cott trabalhava. Exatamente como descrito no sonho do forasteiro, Cott estava lá, enterrado, com o crânio despedaçado. O patrão de Cott foi interrogado e assumiu a morte. Terminou enforcado. Um assassinato que nunca teria sido descoberto se não fosse pelo sonho de um desconhecido.

%name Sonhos e previsões desconcertantes

Outro caso de arrepiar é o de Abraham, Lincoln, que não obstante sonhar com o futuro, seu sonho profetizaria sua própria morte. O presidente contou seu sonho para Ward Hill Lamon, que o transcreveu. Lincoln conta que havia se deitado tarde e acordou com um lamúrio estranho na residência presidencial de Washington, mas não sabia de onde vinha. Ele desceu as escadas e foi de cômodo em cômodo, em busca de descobrir quem chorava. Finalmente achou um cômodo cheio.  Uma fila de soldados guardava um caixão. Era um velório onde algumas pessoas olhavam tristes. Ele não via o morto que estava com um lençol cobrindo seu rosto. Então, o presidete foi até um dos guardas e perguntou quem era o morto. O guarda lhe disse: É o presidente. Ele foi morto por um assassino. 

Lincoln ouvindo aquilo, percebeu que quem estava no caixão era ele e em seguida, acordou assustado. Apenas cinco dias depois de relatar o caso a Ward, ele morreu. Assassinado. O corpo de Lincoln foi velado no mesmo cômodo do seu tenebroso sonho, na Casa Branca.

 

E você? Acredita em previsões ou sonhos precognitivos? Já passou por algo assim? Conte aí!

Artigos relacionados

Comments

comments

30 comentários em “Sonhos e previsões desconcertantes”

  1. Aconteceram duas coisas engraçadas/estranhas comigo. Uma vez, fim de tarde, estava observando os beija-flores bebendo água num daqueles bebedouros com flores de plástico e pensei em como seria legal ver um beija-flor e um morcego bebendo água ao mesmo tempo, uns 2 segundos depois de pensar nisso foi exatamente o que aconteceu, sendo que nunca tinha visto ou ouvido falar disso. Em outra ocasião, vinha eu por um caminho que já tinha feito várias vezes e nunca tinha acontecido nada demais antes, e nesse dia antes de dobrar uma esquina pensei no que deveria fazer caso desse de cara com um cachorrão. Bom, pensei que o melhor seria fingir que não o vi e passar direto, aí dobrando a esquina dou de cara com um cachorrão. Fingi que não vi e passei direto. Não são sonhos premonitórios, mas… rsrs

  2. Nunca acreditei em sonhos, premonições ou algo do tipo. Mas claro que comigo houve casos “interessantes”. Certa manhã estava indo trabalhar, quando passou por mim um carro. Um carro qualquer. Fiquei olhando pra ele e pensei comigo “até amanhã, vou conhecer quem estava dirigindo esse carro”. No dia seguinte, atendi um cliente que fiquei conversando com ele. E me deu vontade de perguntar se tal hora do dia anterior, ele estava dirigindo um carro de determinada cor e modelo e a rua que ele estava passando. Na mesma hora ele disse “Era meu carro sim. E estava indo trabalhar. Como você sabe?” Expliquei que foi um pressentimento meu. Ele ficou pensando que eu estava brincando com ele.

    E um último porém. Sou cético. Cético cabeça dura. E ai? O que acham?

  3. Philipe, um curioso caso meu acerca deste assunto foi o seguinte: eu toco bateria desde meus 15 anos aproximadame, mas nós primórdios enquanto eu ainda estava aprendendo, procurava prestar muita atenção na bateria para conseguir reproduzir alguma batida. E havia uma música do Metallica (bow to leper messiah) em que eu não conseguia compreender exatamente o que o Lars fazia nos tambores bem na introdução… Eu não tinha ainda o ouvido afinado para tal, e tão pouco havia internet em casa pra eu pesquisar. Uma noite sonhei com o Lars tocando essa música na minha frente, encima de uma pick-up em alta velocidade numa estrada escura. Tirando a estranheza da situação, eu vi perfeitamente o que ele fez ali, e foi dessa forma que aprendi a tocar a introdução dessa música.

  4. Cara isso é muito interessante. Acho que exitem pessoas mais “iluminadas” (the shining), que possuem sim certas sensibilidades que elas mesmos não podem controlar.

    Minha esposa é um desses casos. Ela nunca previu nada grande, mas acerta direto em coisas corriqueiras do dia a dia.

    Meu irmão também tem uns casos muito bizarros. Quando criança ele sonhou que ele e um amigo acharam uma passagem pra um bueiro e começaram a guardas as coisas lá. Hoje com mais de quarenta anos de idade, ele sonhou a alguns dias atrás que o filho dele caiu num bueiro e quando ele foi pegar o menino, o lugar era exatamente o do sonho quando criança, incluindo brinquedos que ele nem se lembrava de ter tido que ficaram guardados lá por todo esse tempo.

    Outro sonho sinistro do meu irmão é o que ele esta na rua de casa e o Capeta, isso mesmo, o capiroto, o convida pra tomar um café num terreno onde ante o meu pai tinha uma horta. Mas há uma construção lá, e meu irmão que é pedreiro reparou em todo a arquitetura da casa do Diabo, descrevendo corredores, iluminação e os salões internos com precisão. O Capeta muito atencioso o serviu um café e depois o acompanhou até a saída soltando um gentil “volte sempre”!
    Ocorre que 2 semanas depois em um estudo bíblico na igreja ele se depara com uma coisa que o deixou arrepiado: A Planta do templo de salomão (o original, não a do Edir Macedo)! A porra da planta era idêntica a construção em que ele tomou café com o tinhoso!

    Tem muito mais, mas não lembro de todos e se lembra-se ficaria grande meu comentário. rs

    Um abraço e boa recuperação pelo seu problema no Sul.

  5. Minha mãe foi ver o que tinha acontecido com minha irmã mais nova que acordou assustada e chorando. Disse para minha mãe: “A senhora é uma mentirosa porque disse que seríamos uma família para sempre e alguém daqui de casa vai morrer.” Com uma semana meu pai morreu. Coincidência? Lei dos números grandes? Precognição? Jamais saberemos.

  6. Minha cunhada acordou assustada, disse que havia sonhado com dois caixões. A tia dela morre na mesma manhã e, ao receber a notícia, a avó sofre um ataque cardíaco e também morre, os dois caixões foram velados exatamente como minha cunhada havia sonhado naquela noite.

  7. Acho que tudo é energia… E alguns tem mais habilidades de acesso que outros. A questão é que muita gente perde tempo com coisas irrelevantes e se apequenam, no sentindo de conhecimento do próprio corpo e mente. Outros, como parece ser você meu amigo Philipe, tem a mente mais aberta, estuda muito, raciocina bastante….. E, acho, é mais suscetível a essa ‘energia’ que ronda por ai….

  8. No período do ginásio, marcamos uma viagem de formatura entre os colegas (cerca de 12 horas de viagem de ônibus), com uma pequena empresa de viagens. Ocorreu que após duas tentativas de suicídio do dono da empresa, preferimos cancelar a viagem e organizar por nossa própria conta. Ao avaliarmos o ônibus que haviam nos reservado, descobriram um veiculo pouco cuidado e com sérios riscos de acidente… mudamos também a companhia de transporte, tudo a menos de uma semana antes da data marcada. Após encontrar com mais 4 colegas, comentei que me sentia melhor com a mudança, pois andava muito tristonha e chorona sem qualquer motivo, como se algo me dissesse que eram meus últimos dias (foi um sentimento forte, como uma TPM fora de época). A segunda colega comentou que tb se viu chorando sem motivo, desesperada por sua mãe. A terceira disse que sonhou com um acidente de transito, e estava aflita antes da mudança. A quarta disse que a mãe sonhara no dia anterior com o enterro de muitas pessoas na beira da estrada, e acordou dizendo que “a viagem não ia rolar!”. Ficamos assustadas com a idéia, e ao chegar em casa contei para minha mãe…. Ela me olhou lacrimejando e disse “Eu também sonhei com morte!”. Nos abraçamos e fiquei pensativa, se não teria sido aquele o aviso de que quase morremos todos…

  9. Uma amiga possuí sonhos cabulosos. Desde fatos corriqueiros, como por exemplo dizer que eu mudaria de emprego no dia que recebi o telegrama de aprovação em um concurso até eventos mais mórbidos como um sonho onde ele via seu namorado com um celular na mão que, ao virar para ela, mostrava fotos de uma pessoas e ela respondia qual sobreviveria ou morreria (Obs: ela nunca tinha visto as pessoas antes), e logo depois um acidente de carro aconteceu e bateu morbidamente com o presságio…

  10. Eu acredito que o ambiente é cheio de “informações”, vinda muitas vezes das outras pessoas ou possíveis acontecimentos futuros, e algumas pessoas tem maior sensibilidade para captar e interpreta-las.
    Comigo volta e meia acontece essas pequenas “premonições”. Por exemplo, um dia estava voltando do mercado a pé e cheio de compras e pensei “bem que algum conhecido podia estar passando por aqui e me dar uma carona”, segundos depois minha mãe parou o carro do meu lado. Muitas vezes alguém esta me contando algo e eu sei exatamente o que essa pessoa vai me falar, ou eu penso sobre algum assunto e momentos depois alguém vem falar comigo sobre aquilo. Tudo bem que pode ser só coincidências mas acontecem com tanta frequência que acredito ter certa sensibilidade para essas coisas…

  11. Nossa, uma vez sonhei com uma menina que estudava comigo (só colega mesmo): ela chegava na sala de aula e tentava dar oi pros amigos dela mas ninguém respondia, era como se ninguém além de mim pudesse enxergá-la, então calmamente fui até ela e expliquei que ela havia morrido. 2 dias depois, na aula de educação física estávamos jogando futsal até que olhei pra ela bem nos olhos e tive que me sentar no banquinho e fiquei chorando, olhava pra ela e chorava… Acabou a ed física e retornamos à sala para aula de gramática, passou um tempinho e uma tia dela a buscou antes das aulas acabarem, nisso a diretora nos contou que a mãe da menina tinha acabado de morrer. Esse foi o único sonho tenso que tive.
    Já aconteceu comigo também de surgir um pensamento na minha cabeça e a coisa acontecer, mas são coisinhas bobas. Por exemplo: morro de medo de baratas, uma vez entrou uma em casa à noite e meu vizinho matou e jogou ela no lixo, aí pensei “imagina que loucura se amanhã cedo ela não ta mais no lugar que ele jogou”. Dito e feito, de manhã olhei e ela não tava mais lá rs.

  12. Poucos dias antes de começarem a falar intensamente sobre os naufrágios dos imigrantes árabes (eu ainda nem estava por dentro dos acontecimentos) sonhei com uma espécia de navio cargueiro, lotado de pessoas, bagagens e contêineres, virando no mar a noite…lembro intensamente da sensação de estar já a muitos metros embaixo da água com pessoas e coisas caindo ao meu redor, vendo somente um pequeno lampejo de luz tremulante sobre a água. Acordei com falta de ar.

  13. Eu uma vez sonhei com dois velórios em um. Um deles, era uma família de negros, que cantava umas musicas estranhas, eu não entendia nada, e o outro, bem ao lado, era o velório de alguém da minha família. Meu pai estava no sonho, meus cabelos estavam bagunçados, tinha MUITA gente amontoada no sonho. Eu não conseguia ver quem era que estava sendo velado, em nenhum dos dois velórios, só lembro das pessoas, da música em alguma língua diferente que eu não conhecia sendo cantada pelos poucos que velavam o corpo da pessoa morta da outra família, das pessoas se revezando pra sair do velório pra não sei o que.
    Eu acordei desnorteada e contei o sonho pra minha mãe, e na hora ela disse: vai ver a sua vó. Eu respondi que iria depois do almoço, mas, antes mesmo de começar a preparar o almoço, minhas tias começaram a gritar da casa da minha avó, que ficava um pouco a frente da que eu morava, falando que ela estava morrendo. O desespero foi enorme, levaram ela correndo pro hospital… Mas não aguentou até chegar lá, morreu.
    O velório foi exatamente como eu sonhei… Ou foi um pesadelo? A única diferença era que o velório ao lado do da minha avó era de uma família japonesa, e não de pessoas morenas/negras, e cantavam algumas cantigas em japonês. Meu cabelo estava bagunçado, pois tinha lavado ele às pressa e nem arrumei ele direito. Meu pai, quando tive esse sonho/pesadelo, estava em outro estado, mas ele viajou durante 18 horas de estrada pra comparecer ao velório, e foi ele que ajudava a fazer revezamento na hora de almoçar, levava algumas pessoas, voltava pro velório, levava outras… O sonho foi idêntico. Nunca me arrependi tanto de não ter ir visto minha avó pela última vez. Eu “previ” o velório dela, mas achei que seria besteira, mas realmente aconteceu.

    Outro fato estranho aconteceu com minha mãe. Quando ela estava vindo pra mato grosso, estado onde moro, ela me contou que sonhou com três sonhos estranhos em que ela se envolvia em acidentes, os três parecidos. Uma hora o carro dela simplesmente pifou, ela encostou o carro numa borracharia no meio do nada, segundo ela, e viu um acidente acontecer a alguns metros a frente dela segundos depois. A outra vez, o carro deu problema novamente…. Outro acidente alguns minutos depois, mas este foi mais pra frente… O terceiro não me recordo bem, só lembro dela ter dito que deu um problema com o motor do carro, e logo alguns metros a frente ocorreu outro acidente. Fico imaginando se ela insistisse pro carro pegar, será que seria ela no acidente? Ela foi contando os sonhos em cada parada dela, e os acidentes aconteceram nos intervalos de cada um….. Eu acho coisas assim intrigantes demais. Ela passou a viagem afobada por causa dessa “premonição”, ou sei lá como posso chamar isso.

    Enfim, posso estar comentando atrasada, mas queria compartilhar isso. Eu sempre leio o Mundo Gump, na verdade faz alguns anos, eu acho, mas nunca cheguei a comentar, pois sou dessas que apenas lê e pronto, hábito ruim que adquiri não sei por que… Mas tentarei interagir mais com o que for do meu interesse.
    Parabéns pelo site/blog, ele é um dos poucos que sempre estou abrindo pra ver se tem novidades, enfim… Abraços e sucesso! 😀

  14. Ano passado sonhei por duas noites seguidas que ganhava em alguma loteria, resolvi jogar (sendo que raramente jogo) pois realmente tava sentindo uma coceira danada que eu deveria fazer isso. Joguei na dupla-sena e pra meu azar todos os números que joguei foram sorteados com a diferença de 1, contando parece lorota eu tinha até tirado uma foto pra comprovar a história, mas toda vez que eu via me lembrava que quase tinha ganhado 5 milhões e resolvi apagar. Foi o mais perto de uma premonição que já tive.

      • Na verdade você só ganha na dupla sena, acertando 4, 5 ou 6 números. O meu problema é não ter acertado nenhum, não lembro os números que joguei na ocasião, mas digamos que eu joguei o número 15 e saiu 14, joguei 20 e saiu 19, foi assim com todos os meus números. Aí não tem jeito, não ganha nada mesmo…

  15. Uma vez, quando eu era criança aconteceu algo muito estranho…uma amiga da minha mãe foi em casa e trouxe os filhos dela pra brincar comigo e meu irmão, na hora de ir embora, o mais novo juntou os brinquedos dele, mas não achou um brinquedo que ele gostava muito, aí eu falei que íamos procurar no dia seguinte e devolveríamos pra ele… Acontece que eu não brinquei muito com ele, pq eu era mais velha e não fazia ideia de onde poderia estar o tal brinquedo…Na mesma noite sonhei que eu abria uma gaveta na sala e o brinquedo estava lá….acordei e fui direto olhar na tal gaveta…estava lá mesmo!! Nunca entendi como isso foi possível…..eu não podia saber “inconscientemente” onde estava, pq não estávamos brincando no mesmo cômodo da casa…

    • Comigo tb acontece de eu ir ligar o radio e um segundo antes meio que saber o que vai estar tocando. Quando liga, tá tocando ou é a próxima musica. Acontece pra caralho isso. Outra classica é o tel tocar e eu ja saber quem é. Volta e meia dou susto nas pessoas porque ja atendo assim: “Oi minha sogra!” Ela fica BOLADA

  16. Já tive experiências desse tipo tb… Mas a que mais me marcou foi numa vez que peguei um avião e dei uma cochilada… Lembro-me de ter tido um sonho super realista com a Amy Winehouse cantando pra mim, no próprio avião, como se apenas nós dois estivéssemos à bordo. Quando desembarquei, saí do aeroporto e entrei no ônibus que me levaria ao meu destino, fui dar aquele confere básico nos portais de notícia. A Amy tinha acabado e morrer… Fiquei em choque por alguns dias tentando entender aquilo.

  17. Já dizia D. Juan… a vida é infinitamente mais louca do que nossos sonhos mais loucos. Desde a infância eu sinto e percebo todo o tipo de coisa maluca, quando fiquei adulto tentei ignorar, tentei me convencer que eram falhas de percepção, erros de interpretação, etc. Hoje, como já passei por muita, muita coisa mesmo, resolvi deixar de ser burro e aceitar. Definitivamente a vida não cabe na caixinha em que tentam coloca-la.

  18. Olha! Eu até tenho sonhos meio premonitorios, mas eles são sempre simbólicos! Tipo, uma vez eu falei algo perto de minha sobrinha e ela foi falar a minha mãe o que eu havia dito, só que de forma distorcida! Quando fui dormir, sonhei com abelhas me perseguindo, mas elas não chegaram a me ferroar! No dia seguinte, soube que minha mãe havia chorado devido ao equívoco causado por minha sobrinha! Antes que todos se virassem contra mim (as abelhas do sonho), consegui desfazer o imenso quiproquó causado por minha sobrinha, evitando algo destruidoramente pior, o que eu liguei o fato de eu ter escapado das abelhas do sonho!

  19. Já leu o livro de Carl G. Jung “memórias-sonhos-reflexões”? Jung, que foi o pai da psicologia analítica descreve casos emblemáticos onde constatou que o Ser humano possui a capacidade de escutar o inconsciente e, até mesmo, prever eventos futuros. No livro ele descreve, também, suas próprias experiências inconscientes.
    Se pensarmos que o nosso espaço físico funciona por vibrações, interessante a hipótese de que muitas destas são captadas inconscientemente, porém, temos dificuldades em acessa-la, a não ser por meio do sonho ou dos níveis mais altos da meditação.
    Poderíamos até pensar que animais, como o caso dos elefantes que preveem catástrofes, seriam evidência da captação destas vibrações inconscientes, porém, neste caso, com a habilidade de acessa-las conscientemente.
    Sonhos são eventos interessantes, os meus nunca foram sensatos, mas notei uma semelhança em todos eles, o sentimento que aquele sonho me trazia, inúmeras vezes, previam sentimentos futuros que viria a passar, como morte, angustia, traição – porém, me preparando inconscientemente para um evento consciente e futuro.

  20. Eu tinha 9 anos e havia sonhado que o meu professor da 4ª série usava uma peruca verde feita de garrafa pet cortada, algumas semanas depois, estávamos fazendo árvore de natal usando garrafas pet, e o professor, como era bem palhaço, havia acabado de cortar a garrafa e botou na cabeça. Outras vezes, eu sonhei com lugares onde eu nunca havia ido, como: Quando eu era criança, devia ter uns 10 ou 11 anos, sonhei com uma cidade abandonada cheia de areia, e alguns anos depois, vi aqui no Mundo Gump uma lista de cidades abandonadas, e quando eu vi Kolmanskop, eu logo lembrei do sonho e vi que era a mesma cidade com a qual eu havia sonhado.

  21. OLÁ!ADOREI SEU CANAL\SITE.APRENDI MUITO COM ELE.CONTINUE POSTANDO NELE COISAS EDUCATIVAS,INSTRUTIVAS E EDIFICANTES,POIS SOMOS SEDENTOS DESSAS COISAS.PARABÉNS E OBRIGADO.

  22. Tive dois sonhos premonitórios bastante intrigantes.
    O primeiro foi a morte de Ayrton Senna. Na noite anterior eu sonhei que escutava a notícia de sua morte pelo rádio, exatamente como aconteceu pela manhã.
    Mas a mais interessante diz respeito à queda do avião da TAM, na cidade de São Paulo, em 1996, se não me engano.
    Há duas coincidências no caso. Desde 1987 moro na cidade de Marília, cidade de nascimento DA TAM (Taxi Aéreo Marília, na época). Mas antes de mudar pra cá, quando criança, morava naquele bairro onde o avião da TAM caiu.
    Bom, o sonho foi o seguinte: eu estava no telhado da minha casa, sei lá por que motivo, com meu melhor amigo, observando o céu.
    De repente, passou um avião da TAM bem perto da gente e até aí tudo bem.
    Acontece que a cena dele passando se repetia continuamente… Como se tivessem rebobinando o filme dezena de vezes….
    Eu comecei a me sentir estranho, pois durante o sonho não sabemos que aquilo não é real. Então fiquei meio desesperado com aquela cena se repetindo infinitamente. Foi quando esse amigo, percebendo meu mal-estar, me disse: “Ele quer que você preste atenção em algo”. Eu olhei com atenção a cena e respondi: “É que o avião é da TAM?”. Ele me respondeu : “Sim… Então agora ele pode continuar seguindo”.
    Nisso, a cena do avião parou de se repetir e ele continuou a seguir o caminho que originalmente seguia antes de entrar no “looping” que mencionei.
    A cidade onde moro fica a 450km de São Paulo, mas no meu sonho, do telhado da minha casa, eu conseguia enxergar uma cidade ao longe que, por aquelas coisas que acontecem em sonho e não sabemos explicar, eu sabia que era São Paulo.
    Comentei com meu amigo: “Shoei, aquele avião vai cair em São Paulo!!”… E não deu outra, vimos ele cair naquela cidade.
    Lembro que ficamos desesperados e precisávamos ajudar. Na época, éramos menores de idade, mas esse amigo já sabia dirigir. Falei pra ele pegar o carro da minha mãe e corrermos pra São Paulo pra ajudar. Não lembro se o sonho teve continuidade.
    Bom, acordei e continuei com o sonho bem nítido na cabeça.
    Naquele mesmo dia, pela manhã, eu fui pra escola de carona com esse mesmo amigo que estava no meu sonho e, durante o trajeto, contei o sonho pra ele e pro pai dele, primeiro porque o sonho estava bem nítido e me incomodava. Segundo porque ele participava do sonho, exercendo uma função de “guru”, “xamã”, me explicando o que o sonho queria me dizer a cada momento.
    O acidente com o avião foi pela manhã, durante o período de aula,então não ficamos sabendo de nada na hora em que aconteceu.
    Mas quando acabou a aula, meu pai veio buscar a gente (eu e esse amigo, que também era meu vizinho) e disse que havia caído um avião da TAM naquela manhã, no bairro em que a gente morava em São Paulo.
    Eu fiquei mudo na hora e me achando um profeta com poderes sobrenaturais. Meu amigo ficou assustado e contou sobre meu sonho para meu pai e meu irmão. Até hoje essa história me marca.
    Certamente se, na época, já existisse o Facebook, eu poderia comprovar essa minha história de uma forma inequívoca. Talvez tivesse até ganhado notoriedade, pela riqueza de detalhes do sonho, inclusive indicando a companhia aérea envolvida.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.