Pizza! Pizza! Pizza! Conheça o cara que está comendo SÓ pizza há 25 anos!

É difícil encontrar alguém que não goste de uma boa e suculenta Pizza! 

A pizza é sem sombra de dúvida, um dos alimentos mais consumidos no planeta Terra. Todos os dias, milhões e milhões de pizzas saem de fornos de todos os tipos. A Pizza é um dos pratos mais apreciados, com mais variedades e também é um dos alimentos mais antigos que temos por aí. 

Se eu te perguntar que país inventou a Pizza, há uma boa chance de você arriscar a Itália. Se eu perguntasse quem inventou o macarrão, igualmente haveria chance de que você também apostaria suas fichas na terra do Berlusconi.

Quem não gosta disso é dodói.
Quem não gosta disso é dodói.

Mas erraria nas duas respostas miseravelmente.

A Pizza foi inventada no Egito. E a propósito, o macarrão vem da China. Quer dizer, hoje, há uma disputa ferrenha pela criação da “pasta”, entre os chineses, os árabes ou os italianos. Mas por que diabos estou falando de macarrão num post sobre pizza?

Vamos falar da Pizza

De acordo com a Wikipedia, a pré-história daquele tipo de comida que hoje chamamos de pizza começou com os egípcios. Os babilônios, hebreus e egípcios já misturavam o trigo e amido e a água para assar em fornos rústicos há mais de 5 000 anos. A massa era chamada de “pão de abraão”, era muito parecida com os pães árabes atuais e recebia o nome de piscea.

Acredita-se que os egípcios foram os primeiros a misturar farinha com água. Claro, como em toda história de alimento, há quem discorde e atribua sua origem aos gregos, que faziam massas a base de farinha de trigo, arroz ou grão-de-bico e as assavam em tijolos quentes. Seja como for, aquela novidade gostosa foi parar na Etrúria, na Itália.

history-of-pizza

Os fenícios, três séculos antes de Cristo, costumavam acrescentar coberturas de carne e cebola ao pão; os turcos muçulmanos adotavam esse costume durante a Idade Média e, por causa das cruzadas, essa prática chegou à Itália pelo porto de Nápoles, sendo, em seguida, incrementada, dando origem à pizza que conhecemos hoje. No início de sua existência, somente as ervas regionais e o azeite de oliva, comuns no cotidiano da região, eram os ingredientes típicos da pizza. Os italianos foram os que acrescentaram o tomate. Já falamos do tomate aqui antes. Ele foi descoberto na América e levado à Europa pelos conquistadores espanhóis. Porém, nessa época, a pizza ainda não tinha a sua forma característica, redonda, como a conhecemos hoje, mas sim dobrada ao meio, feito um sanduíche ou um calzone.

A pizza era comida de pobre! Tratava-se de um alimento de pessoas humildes do sul da Itália, quando, próximo do início do primeiro milênio, surgiu o termo picea, na cidade de Nápoles, considerada o berço da pizza. “Picea” indicava um disco de massa assada com ingredientes por cima. Servida com ingredientes baratos, por ambulantes, a receita objetivava “matar a fome”, principalmente a da parte mais pobre da população. Normalmente, a massa de pão recebia, como sua cobertura,toucinho, peixes fritos e queijo.

É engraçado que a pizza tenha começado sua vida como comida de gente pobre quando hoje há restaurantes cobrando nada menos que MIL DÓLARES numa pizza.

A pizza de U$ 1000

O dono da pizzaria Bellissima, de Nova Iorque, EUA, Nino Selimaj, acredita que tem gente por aí disposta a desembolsar essa grana pela massa e criou a pizza mais cara do mundo. Ele teve a ideia para esta pizza em 2007, depois de passar um ano pesquisando ingredientes. Por fim, se decidiu por uma base de creme fraiche, quatro tipos de caviar, rabo de lagosta fatiado, salmão e wasabi. Cada fatia custa US$ 250 (cerca de R$ 351) e contém um tipo de caviar diferente. Selimaj diz que sua receita não é para qualquer um, mas acredita que muita gente pode bancar a iguaria. Contudo, ele disse que a crise acabou afetando suas vendas.

 

Atualmente, o mercado mundial de pizza bate na casa dos 32 bilhões de dólares. A cada segundo são vendidas cerca de 350 fatias no mundo. Ou seja, no tempo em que você leu até aqui, já dava para encher quase uma piscina só de fatias de pizza consumidas. Só nos EUA, o maior mercado de consumo de pizza do mundo, são 70.000 pizzarias. O numero é assutador, mas realmente impactante é saber que a cada ano, 5 bilhões de pizzas são consumidas, sendo que os EUA sozinho abocanha 3 bilhões delas!

Com um mercado deste tamanho, é natural que acabemos encontrando alguém que gosta tanto de pizza, mas tanto, que ESTÁ COMENDO APENAS PIZZA HÁ 25 ANOS! 

select-2-copy-copy

Conheça Dan Janssen. Segundo o site Vice, Dan é um carpinteiro de Maryland, que tem 38 anos de idade.

Dan é exigente com a pizza que come. Orégano é o único tempero envolvido. É a única coisa que ele vai colocar em cima de sua pizza.

Todo mundo que conhece Dan pergunta como ele ainda está vivo. Além do fato de que sua dieta é completamente gump, Dan é diabético, e freqüentemente fica com pouco açúcar no sangue.

Quando acontece da glicose do cara baixar, ele acaba desmaiando. Dan tem muitos problemas com a baixa de açúcar, e certa vez bateu seu carro novinho em folha quando desmaiou no volante devido a uma baixa de glicose. Talvez em função de seus estranhos problemas de saúde, sua dieta exclusiva de pizza parece estar ajudando ele.

Dan diz que ele vem comendo somente pizza de mussarela há 25 anos e não enjoa, porque cada lugar tem uma pizza bem diferente da outra, e embora ele só coma o mesmo sabor de pizza, é como comer uma totalmente diferente em cada restaurante que vai. Assim, ao invés de variar o sabor, ele varia o restaurante.
Após conquistar sua reputação de “rei da pizza”, Dan Jenssen elegeu seu restaurante preferido, que é o Pontillo, ao norte do estado de Nova York. Ao que parece, a Pintillo é uma cadeia com sede em Rochester, com 20 restaurantes na região.
Dan diz que seu fascínio pela pizza começou cedo. “Eu costumava comer “comida normal” como qualquer americano comum, mas quando eu tinha 15 ou 16 anos, eu tomei a decisão de me tornar um vegetariano com base no raciocínio ético. Eu ainda amava o sabor da carne, e eu ainda amo ela até hoje, mas devido às minhas convicções, eu desisti. Isso foi cerca de 23 anos atrás. Eu também odeio legumes.” Assim, Dan acabou virando um comedor voraz de pizzas.

Dan diz que não vê sua dieta afetando sua doença, a despeito do que os médicos sugerem. “Quando comecei a ter problemas de diabetes, meu endocrinologista disse que eu deveria ir a um nutricionista”. Segundo o médico, ele comia “horrivelmente.”
Dan seguiu o conselho e foi a um nutricionista. Segundo ele, aquilo se revelou uma bela perda de tempo.

“Eles basicamente só me deram uma lista de coisas para experimentar, dizendo: Oh, você é um vegetariano, você deve tentar fazer isso, isso e isso.”

Dan disse que ignorou o papo furado, e já que ele realmente gostava de comer pizza, caiu de boca nelas.

“Eu nunca tive uma reação negativa com exceção do meu primeiro endocrinologista. Mas todos os outros médicos disseram: Seu colesterol está bem. Você parece saudável. Assim, continue fazendo o que você está fazendo.”

Dan diz que as pessoas tem preconceito ao ouvirem sobre alguém que só vive à base de pizza. Ele chegou a ir a um terapeuta para tratar de sua suposta aversão aos demais alimentos. “Nós temos explorado a razão pelo qual eu tenho uma dieta tão limitada.”

O terapeuta ajudou a Dan a recordar certas passagens traumáticas de sua vida, que estavam ligadas aos outros alimentos, como quando ele ficou de castigo um dia inteiro por não querer comer um cozido, que era servido todos os dias em sua escola. Ele ficou horas gritado e chorando trancado num armário até que seus pais o buscaram. Outro episódio triste envolvendo comida foi quando ele era criancinha e estava no quintal com sua irmã. Ela fez “comidinha” com cogumelos do jardim e deu para ele comer. Os cogumelos eram venenosos e ele passou um mal ferrado e foi parar no Hospital.

Ele conta que uma das grandes vantagens de seu terapeuta é que ele fica no centro da cidade, perto de uma pizzaria muito boa, a Joe Squared.
Embora curta uma pizza, Dan não é chegado a cozinhar e sua cozinha se resume a apenas alguns pratos e um microondas.

Dan comenta que seu amor pela pizza não tem provocado estragos visíveis em seu organismo. “Eu sou magro. Tenho toneladas de energia, e eu me sinto ótimo todos os dias, por isso, não vejo problemas na minha dieta exclusiva de pizza”.

Dan diz que espera que no futuro, com a terapia, ele possa realmente ir a um restaurante que não venda pizza, algo que ele ainda não se vê capaz de fazer. Segundo ele, comer uma pizza é como fazer sexo:

Até quando é ruim é bom.

fonte fonte fonte

 

7 comentários em “Pizza! Pizza! Pizza! Conheça o cara que está comendo SÓ pizza há 25 anos!”

  1. Bah, muito bom Post Philipe…. Pizza é o “ó do borogodó”. Tchê, não sei se esse é o melhor lugar para sugerir Posts mas esses dias andei lendo e vendo alguns vídeos sobre Chernobyl novamente. Tu já andou postando algumas coisas também (faz um tempinho). Pois bem, a minha sugestão é tu fazer um Post sobre a nova cúpula que estão fazendo para cobrir a parte onde está o reator 4 da usina. Parece que a obra está prevista para terminar em 2015.

    Responder
  2. Com certeza ele é subnutrido e deve ter um sistema imunológico fraco. Ter bons níveis de colesterol, glicose e triglicerídeos não significa necessariamente que a pessoa é saudável já que o organismo não se resume apenas a isso. O problema não é ele comer SÓ pizza mas sim não variar os sabores. Ele poderia incluir pizzas com frutas, verduras, legumes e cereais para suprir a necessidade de vitaminas e minerais.

    Responder
  3. “Mas por que diabos estou falando de macarrão num post sobre pizza?” Bom, Phillip, deve ser porque os dois são massas. Eu também amo pizza, principalmente se vier com muito queijo, mas todo dia é demais. Ah, e obrigada por me contar a origem da pizza. Sobre o macarrão ser de origem chinesa eu sabia, mas nunca imaginei que a pizza tivesse surgido no Egito

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares