O drama no elevador

Existem poucos lugares no mundo em que o ser humano se sente tão ameaçado quanto num elevador. Quer um exemplo? Veja que muitas pessoas ficam em silêncio quando pegam o elevador. Repare só.

Elas vem falando animadamente. Tão logo entram na caixa de aço, ficam em silêncio. E durante aqueles longos minutos em que sua bexiga clama por um vaso sanitário, tudo que você pode se perguntar é se elas pararam de falar com medo de alguém notar o bafo (um problema sério em ambientes confinados) ou se você tem cara de fofoqueiro e elas não querem que você saiba o que aconteceu na noite anterior.

O elevador é considerado pelos especialistas em transporte como o equipamento de transporte mais seguro do mundo dada a quantidade de viagens divididas pela quantidades de acidentes. De fato, muitos problemas decorrentes de elevadores não estão associados a uma queda livre, o terror de todo mundo que tem “medo de elevador”. Os filmes tripudiam sobre isso, mostrando caixas de madeira sendo puxadas por cordas que arrebentam, jogando aqueles infelizes atores de segundo escalão num tenebroso lugar chamado “poço”.

Um meio de transporte que se preze como seguro jamais poderia ter uma parte dele chamada “poço”. Eu fico só imaginando que ali em baixo, entre as escuras molas que brilham sob a fraca luz que entra pela janelinha, está Samara…

%name O drama no elevador

Sim senhor, a samara do Poço. Aquela que sai do seu monitor se você assitir ao tenebroso video que mais parece um grafismo de intervalo da MTV…

Mas voltando aos elevadores e seu fascínio e mistério, quem nunca teve uma fantasia sexual num elevador aí levanta o dedo.

O DEDO!!!!! O DEDO!!!! EU DISSE O D-E-D-O!

Eu já.  E confesso que já passei por maus momentos tentando realizar isso com namoradas anteriores.  Só estou mencionando esta peculiaridade porque a senhora Gump jamais iria topar uma sandice dessas. Mas são aquela coisas que a gente faz com 17/18 anos achando que nada vai acontecer até que… PQP! O botão da emergência destravou e uma velha do bloco B viu algo que há muito ela já não sabia o que era. (calculo isso pela reação) Achei que ficaria broxa para sempre depois do que aconteceu.

As fantasias de putaria no elevador, sobretudo quando são aqueles totalmente espelhados, são um clássico dos pensamentos mais onanistas. Essas fantasias funcionam com uma certa metodologia equacional que é quase sempre bastante precisa. A receita envolve uma vizinha BEM gostosa, uma amiga da vizinha mais gostosa ainda e uma pane convenientemente ocorrida entre dois andares. Some a isso um calor dos diabos, que faz as moças livrarem-se de suas roupas de ginástica.  Some a esta idéia o fato de que você tem todo o tempo livre de que precisa, ninguém tem celular, a meia-luz de emergência acende dando aquela penumbra demotel e nenhum vizinho precisará usar aquele elevador nas próximas 48 horas. Ah… E inclua a gosto a câmera, afinal, alguém tem que saber que você é O CARA. Nem que seja o “seu Genival”.

Enquanto elemento excitante para os exibiocinistas, a câmera do elevador é um problema sério para os menos interessados em aparecer. Eu acho que poderia inclusive elencar a câmera do elevador como uma das três coisas mais broxantes dos últimos tempos. As outras duas seriam: Banheiros de avião apertados demais para dois e carros com bancos com defeito que não reclinam (tipo o meu).

Mas a câmera do elevador ganha disparado. Um dia eu peguei o elevador com uma Big Brother que havia ACABADO de posar nua.

%name O drama no elevador

Sim, meu amigo, ali, naquela caixa de aço com menos de três metros quadrados, estivemos separados por menos de 22 centímetros o Sr. Gump aqui e a eterna lolita do big brother, Thaís. Eu sozinho com aquela gata. Bem, quer dizer, veja bem…

Ok, tinha mais alguém.

Era o “seu João”, o porteiro mais maluco do universo. Mas ele acompanhava tudo via câmera de segurança.   Sim, é o Big Fucking Elevator Brother, também conhecido como “porteiro show”. Thaís, já acostumada ao BBB Global não estava nem aí pra mim, muito menos para seu João e sua câmera erótica.  Virou-se ostensivamente com os “dotes” para a câmera e começou a se maquiar no espelho.

Com aquele monumento de mulher do lado, -veja você que lástima – eu só pensava no seu João.

Eu não conseguia me concentrar na situação porque sabia, eu tinha absoluta certeza, de que aquela câmera estava apontada diretamente para aquela bundinha. Bundinha que eu não vi, diga-se de passagem, porque o seu João estava olhando e sabe como é.

Além do mais, ele era impertinente e louco o suficiente para interfonar lá pra minha casa só para avisar a Nivea que me viu comendo a Big Sister no elevador. Sem falar que eu não queria ficar falado como “o tal marido da dona Nivea que fica tarando bundinha de big brother no elevador”, né?

Tenha você fantasias sexuais envolvendo elevadores ou não, o fato é que um elevador pode gerar um sem número de situações bizarras na vida de um ser urbano.  Eles são cada vez mais comuns, já que dependemos mais e mais dessas caixas com botões. Sendo assim, é inevitável que cada vez aconteçam mais situações estranhas envolvendo isso.

Eu mesmo já passei por algumas situações estranhas em elevadores.  Uma delas correu recentemente.

Eu estava indo pegar a primeira dama na faculdade onde ela dá aula quando notei que o elevador estava demorado pra danar. Fiquei ali batucando na parede e nada. Desisti do elevador social praguejando contra o fedepê desgraçado que segura o elevador para conversar. Deui a volta no corredor e peguei o elevador de serviço.

Pra minha sorte, este veio rápido.

Mal eu entrei no elevador, morrendo de pressa, a Nivea já me ligando pra saber onde que eu estava quando notei.

Alguém havia soltado um peido tão nasueabundo naquele elevador que parecia que havia um cadáver recheado com ovo cozido esquecido no sol e depois guardado ali durante dois meses.

Mal a porta se fechou e aquela caixa começou a descer lentamente, eu comecei a rezar. Eu rezava para que aquela corrente arrebentasse e o elevador decesse a 9,8 metros por segundo para o poço. Não dava para respirar. Entre aquele cheiro e a Samara do poço, eu preferia a Samara. Tentei segurar o quanto pude minha respiração. Eu estava a ponto de explodir quando…

O elevador reduziu a velocidade e parou. Eu achei que estava realmente ferrado porque no início da freeiada, temi que fosse algum tipo de pane, mas o meu desespero aumentou ainda mais de  ver que o elevador parou e a porta se abriu.

E menos de um segundo, a minha mente elaborou todo o cenário desastroso que se descortinaria nos segundos seguintes. E entrou um homem negro, forte, usando um daqueles macacões de borracha de motoboy. Capacete pendurado no braço. Pintado no ombro estava a marca da pizzaria.  Mal o cara entrou, porta se fechou, ele olhou pra minha cara com cara de:

“PEIDOU MAL HEIN MEU FILHO?”

O cara não parava de me olhar com aquela butuca de olho que mais parecia uma azeitona. Eu tentei disfarçar, mas estava ofegante por ter tentado segurar a respiração. Comecei a notar que o cara estava me avaliando. Ele devia estar pensando como uma coisa insignificante como eu consegue soltar tão escabroso gás. Minha respiração ofegante estava me incriminando. Certamente o entregador de pizza sabia que para soltar um pum tão poderoso seria necessário fazer uma força sobre-humana.

O elevador descia e o sujeito me olhava com aquela expressão acusatória. Eu sabia, eu podia praticamente ler a mente dele. Ele devia estar pensando se eu estava com algum tipo de câncer intestinal grave ou o que eu teria comido para produzir um cehiro de feto de urubú com gorgonzola à vinagrete.   Pensei em virar pra ele e falar:

“Moço, não fui eu quem peidou!”

Mas isso não surtiria efeito algum além de me incriminar ainda mais. O cara certamente pensaria que se eu estava falando aquilo é porque naturalmente tinha culpa no cartório. Tentei então abstrair e disfarçar.

Eu me senti pior ainda disfarçando, pois aquela seria a atitude do mais deslavado dos peidões.

O momento da redenção chegou pra mim quando o elevador parou mais uma vez. A porta se abriu e uma velha do sexto andar entrou.

Quando a porta se fechou a velha olhou bem pra minha cara e para a cara do pobre negão. E então passou a encarar o negão como ele estava me encarando antes. Eu tive vontade de rir, mas segurei. O negão vendo que a velha olhava pra ele, começou a olhar sério pra mim, tentando direcionar em silêncio a atenção da idosa, como quem diz:

“Foi ele alí ó.”

Mas eu  fiquei firme. Saquei meu celular último tipo (na época) e comecei a mexer. A velha voltou-se para o entregador com certeza ainda maior de que era ele que tinha soltado o flato da morte. Até porque, na cabeça dela, a Xuxa, o Padre Marcelo Rossi e qualquer um que tenha um celular tão caro e bonito não pode provocar tamanho cogumelo piroclástico fecal no ar.

Quando o elevador chegou ao térreo, o entregador desceu rápido. Queria livrar-se do olhar acusatório da velhinha do sexto andar. Eu fiquei para trás, deixando ela sair primeiro. O cara desceu correndo as escadas e subiu na moto como um raio. Assim que ele saiu com aquela motoquinha a velha se virou pra mim e disse:

-Ele se cagou. Não se cagou?

Eu fiquei constrangido de dizer qualquer coisa pra ela e apenas sorri. Mas ela continuou um monólogo digno da Dercy.

-Ah, meu filho. Eu conheço. Eu sei como é “esta gente”. Ele se cagou. Você viu o macacão? Tava até estufado! (ênfase) -A velha ilustrou com os bracinhos magrelos cheios de veias verdes um volume que mais parecia o pânceps do Tim Maia.

-Que coisa, né? -Comentei, querendo encurtar o papo.

-Ele saiu que nem uma bala. Viu? Vai correr pro banheiro coitado. Vai cagar até amanha de manhã! Cruz credo. Quase vomitei. Como que pode alguém podre assim, meu filho? Você já sentiu um peido desse na vida? Olha, eu tenho 82 anos de idade e nunca senti um cheiro de merda assim. Merda não. É ovo. É ovo!

Eu já ia saindo pra pegar o carro quando ela me interrompeu:

-Filho…

-Sinhora?

-Que marca de pizzaria era?

-Hummm. Não sei. Acho que era o Mister Pizza.

-Essa eu não peço nunca mais! -Disse ela. E completou: – Dá caganeira!

Artigos relacionados

Comments

comments

57 comentários em “O drama no elevador”

  1. xDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    euu ja riiio mto facil e vc tb naaao perdoaa!!!
    xDDD
    omG
    rii que baaaabei aki [nussa q comentario eh esse?!] heheheh
    :*( :B

  2. mas bah!haha
    A velhinha ali ficou apavorada com o cheiro.hehe
    Eu sei como é esse lance de elevadores. AS vezes fica um silencio, mas o que eu acho pior ainda: sempre tem um engraçado que em vez de calar a boca, fica fazendo piadinhas do tpo: “ó, o elevador vai cair. ó, ó”

    Tirando isso ta tranquilo. 😀

  3. imagine eu com a THAÍS? :love: ??ah meu irmão…eu ia dá um ataque de tara em cima dela..e ia rasgar a roupa dela toda…e nem ia ligar pra camera e muito menos pro cara q estaria vendo tudo!!uuuuuaaaaaaaaauuuuuuuu!!!

  4. uhauhauhhuahuauhahuuhauhahuauhauhhuahuauha
    ahuahuahuahuahuauhauhahuahuuhaha
    auhauhahuauhuha
    Eu é que qause me caguei de tanto rir, muito bom! [2]

    Baseando pela conversa dessa senhora… de graças a Deus que você só foi incriminado pelos olhos do entregador, e ele ainda levou a culpa.
    Imagine se ele não estivesse lá. Ela iria espalhar a sua fama de cagão por todo o seu prédio.

  5. [quote comment="33798"]imagine eu com a THAÍS? :love: ??ah meu irmão…eu ia dá um ataque de tara em cima dela..e ia rasgar a roupa dela toda…e nem ia ligar pra camera e muito menos pro cara q estaria vendo tudo!!uuuuuaaaaaaaaauuuuuuuu!!![/quote]

    Rapá, se eu fizer isso a primeira dama faz um BME pain olympics em mim, hahahaha

  6. Pra mim o negão q peido antes de sair pra entregar a pizza pra n empestiar o corredor e volto rapido o bastante pra sentir o cheiro… [2]

    Muito bom philipe, rachei o bico aqui. hahahahahha :B

  7. lembrou a tia avó de um amigo meu o dudu, era dona jurila, que Deus a tenha, rapaiz essa senhora soltou uma bufa tão grande , que acabou um forró bixo, o povo la da cidade dela tava inalgurando uma casa, a véa sultou uma bomba , que o sanfoneiro saio pela janela bixo. quem é la de pareias no interior da paraiba ja deve ter ouvido falar dessa historia

  8. pois é Philipe vc nao pode fazer isso mas eu posso huahuahuahuahauhauhauhauahauhauhauhuhauhauahuahauhauhauhauahuahauhauhauhauhauhauahuahauhauhauhauhahauahuahu EU POSSO huahuahuahuahauhauahuahahauhaua :lol2:

  9. Ai… como eu ri….

    Como em parênteses, estou participando da campanha de vacinação de rubéola no metrô aqui de São Paulo. Hoje tive que aturar um ser com o papinho de que a vacina é uma estratégia pra esterilizar a população..

    Como eu já tinha ficado sabendo do e-mail que está rolando através do Mundo Gump, pude dar para o rapaz meu melhor olhar de desprezo… rrsr

    Beijos

  10. Me espoquei de rir!!!
    E as retomadas á tua mulher?
    senhora gump,
    dona nivea,
    primeira dama!!! ótemas!!

    Só achei sacanagem a foto da Samara num texto tão legal!!
    Fiquei com medinho, posso te contar???

  11. Po aquela thais era linda né? dizem q tá até hj com o piao que ganhou o negocio… hauahuahuah agora sua historia tá show de bola! li sem piscar, mó engraçado, parabens!

  12. Ri tanto na minha salinha do computador que atraí minha velha e outros familiares pra frente do computador,eles olhavam pra tela e não entendiam nada,acharam que eu estava passando mal,e o pior é que eu queria contar que era por causa de uma piada sobre peido no elevador mas não conseguia dizer nada,era só a rizada que saia…..

  13. “Alguém havia soltado um peido tão nasueabundo naquele elevador que parecia que havia um cadáver recheado com ovo cozido esquecido no sol e depois guardado ali durante dois meses.”

    Você tem o dom cara, o dom. 😀

  14. kkkkkkkkkkkkkkk
    Não sei se fico com pena do entregador de pizza ou de você :$
    “um cadáver recheado com ovo cozido esquecido no sol e depois guardado ali durante dois meses” Caramba, como você arranja esses termos?? :omg:
    Meu, a sua vida dava um livro… Chorei de rir com a solitária e o hotel em três rios…
    Cumprimentos a senhora Gump! 😛

  15. Realmente, elevador é um terrooor! Quem nunca passou por uma situação constrangedora?
    Imagina eu que me mudei a pouco tempo pra esse predio e no dia infeliz que eu desço na garagem, de pantufa, todos os moradores resolvem chegar e subir no mesmo elevador que eu! Eu nao sabia onde enfiar a minha cara com a minha pantufa de abelha! rsrsrs

    adoro seu blog! Estou lendo toodas as histórias!
    Beijaao

  16. Em locais fechados é assim. Como nos Bus por exemplo.Já topei cenas dessas. Mas das melhores, e que deu para a gargalhda, foi numa missa de 7.º dia, só que saiu a todo gás e com um estrondo o caraças.
    Esta passou-se comigo e com o meu irmão, estava a igreja com pouca gente, nós cá ao fundo, os dois sozinhos, qundo ele deu uma “farpa” dop caraças. Tivemos que sair de gás, pois desatamos os dois á gargalhada…e numa missa de 7.º dia, imagina.

  17. Muito bom esse, Phillipe, acabei de descobrir teu site!
    “Ele devia estar pensando se eu estava com algum tipo de câncer intestinal grave ou o que eu teria comido para produzir um cheiro de feto de urubú com gorgonzola à vinagrete.”
    Hahahahahaha!!!

  18. provocar tamanho cogumelo piroclástico fecal
    a frase do seculo
    haja criatividade hein philipe
    com toda essa criatividade imagina se voce criasse as historias

  19. tava tão boa que eu não estava conseguindo ler… SW TANTO RIR, VC TEM UM DOM!!!!! AVELHA ERA MUITO ENGRAÇADA COITADO DO NEGÃO!!!!!!! E ELA… ” É OVO!” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK EU RI DEMAAAAAAAAAAAAAAAAAIS VOU MOSTRAR PARA TODO MUNDO ESSA SUA HISTÓRI.. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

  20. Até hoje só li as historias que estão em O melhor do mundo Gump, e noto q são todas antigas, recentemente vc tem postado mais notícias e curiosidades.Você parou de contar dessas historias que me fazem rir demais?Estou perguntando por que estou na ordem do blog e só faltam 8 pra terminar o melhor, nas outras vou conseguir rir assim tbem???

    • Oi Lela. As aventuras eu não tenho um cronograma para escrever, elas “baixam” quando eu estou inspirado… Tem muita aventura pra contar, mas nem sempre estou na vibração certa. Acho que até semana que vem eu posto mais uma.

  21. hahahahahahahahaha!!! Nunca mais me tinha rido assim na vida!!!!! até chorar!!!!!! meeeeeeeeeesssssssssmo!!!!!!!!!!!!! (mentira, ri do mesmo jeito quando li “o dia em que me caguei 2”) 

  22. «Saquei meu celular último tipo (na época) e comecei a mexer. A velha voltou-se para o entregador com certeza ainda maior de que era ele que tinha soltado o flato da morte. Até porque, na cabeça dela, a Xuxa, o Padre Marcelo Rossi e qualquer um que tenha um celular tão caro e bonito não pode provocar tamanho cogumelo piroclástico fecal no ar.» ahahahhahahahahhahahahahha!!!! PEIDOU MAL, HEIN FILHO?! HHAHAHHAHAHAHAHA!!!DEMAAAAAAIS!!!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.