Nadar no cocô e tomar banho com ele

Ontem, uma amiga compartilhou comigo esta matéria sobre a qualidade (zero) da água dos chuverinhos das praias cariocas:

Nenhuma das amostras, coletadas no último dia 3, indicou a presença de cloro — isso deixa claro que a água não é tratada

Cibelle Britto, O Globo

Verão no Rio, com termômetros da orla marcando quase 40 graus. Numa cena tipicamente carioca, banhistas fazem filas diante dos muitos chuveirinhos instalados por barraqueiros na orla. Porém, tirar o sal ou o excesso de areia do corpo pode representar graves riscos à saúde.

O GLOBO-Zona Sul contratou um laboratório de análises químicas para checar a qualidade da água que sai de dez duchas improvisadas nas praias do Leblon, de Ipanema, do Arpoador, de Copacabana, do Leme e do Flamengo. O resultado não poderia ser pior: todas as amostras apresentaram indícios de contaminação por esgoto.

Nenhuma das amostras, coletadas no último dia 3, indicou a presença de cloro — isso deixa claro que a água não é tratada; ou seja, não sai de reservatórios da Cedae. Ignorados há anos pelo poder público, apesar de estarem em praias que são cartões-postais de uma das cidades mais conhecidas do mundo, os chuveirinhos não contam com fiscalização e fazem de um simples banho uma situação propícia para o surgimento de doenças como hepatite A.

Segundo a microbiologista responsável pelas análises, Fernanda Drumond de Paula, do laboratório Baktron Microbiologia, nenhum dos pontos checados se adequam aos padrões estabelecidos pela Portaria n 518 do Ministério da Saúde, publicada em 25 de março de 2004. Nela, o governo federal estabelece os procedimentos e as responsabilidades sobre o controle da qualidade da água para o consumo humano no país.

— A quantidade de bactérias encontradas em três amostras está acima de três mil unidades formadoras de colônias por mililitro, um volume tão alto que, a partir dele, não conseguimos mais fazer a contagem — diz a microbiologista.

Entre as análises com maior índice de contaminação está um chuveirinho do chamado Baixo Bebê, na Praia do Leblon. É comum os barraqueiros da área utilizarem a água que sai de suas duchas para encher piscinas de plástico que são alugadas para famílias e utilizadas por crianças.

— A presença, em sete pontos de coleta, de coliformes termotolerantes, que se desenvolvem em fezes humanas, indica a possibilidade de contágio por vírus como o da hepatite A, rotavírus e salmonela, que pode provocar diarreia, gastroenterite e febre tifóide — explica Fernanda.

De acordo com Daniele Bila, chefe do Departamento de Engenharia Sanitária da Uerj e especialista em qualidade da água, os resultados dos exames são preocupantes.

— Todas as amostras possuem indícios de esgoto. Imagine os riscos para quem está com sistema imunológico menos eficiente — alerta.

fonte

Pois é, pode parecer realmente algo absurdo, e de fato é, que a cidade que está gastando os TUBOS DO DINHEIRO para fazer propaganda de suas vantagens, belezas naturais e atrativos ao mundo, na esperança de alavancar mais ainda um dos MAIORES centros turísticos do PAÍS, oferece água contaminada com COCÔ aos banhistas. E me causa ainda mais indignação que esse COCÔ seja ainda mais presente, justamente no “baixo bebê”, onde as madames levam seus filhos para brincar e muitas dão banho neles ali.

Eu penso que este seria o caso do Ministério Publico processar e o Juiz condenar à PRISÃO toda a cadeia de responsabilidade que deu no que deu. Do fiscal que não fiscaliza, ao presidente da CEDAE, o Secretario de meio Ambiente e o prefeito, quiçá o governador. Só assim pra nego tomar o que precisa. Banho? Não, VERGONHA NA CARA!

Mas eu ficaria feliz se eu soubesse que a ÁGUA DE COCÔ está somente nos chuveirinhos. Ocorre, meu amigo que a verdade, é como minha vó diz: O buraco é mais embaixo… E a julgar pelo que você verá aqui, o buraco é bem sujinho.

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Quando você mergulha, lépida e faceira nas águas das mundialmente famosas praias do Rio, pode se achar ” A tal”, mas todo o glamour vai por água abaixo se eu te disser que você está fazendo mergulho no cocô!

Incrível que em época de eleição, ninguém pega esta MERDA como bandeira… Incrível como com todo o investimento para vender a imagem do Rio como “a bola da vez” – o que é claramente um mecanismo bem safado para explodir (como de fato ocorreu) os preços dos imóveis, beneficiando uma parcela seleta de investidores que haviam praticamente LOTEADO a cidade antes do anuncio dos grandes eventos mundiais- não se importa com uma coisa fundamental como saneamento básico. Pois é, meu amigo, aqui no Brasil tem coisas bem estranhas que ocorrem. Mas vamos deixar de lero-lero e vamos aos fatos.

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Quem olha a praia de Ipanema num dia de sol, não poderia imaginar que suas águas azuis repletas de mulheres bonitas e caras saradões, está com cocô. Infelizmente, tudo que se joga num vaso sanitário da zona sul carioca vai parar ali. Na água que você, eu e os turistas mergulham.

É bizarro e difícil de acreditar, né? Confira aí esta imagem de satélite. Observe bem o círculo vermelho:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Dessa altura, poderia passar batido… E é o que as autoridades esperavam. Mas olhando mais de perto, podemos ver que são 8000 litros por segundo de COCÔ sendo lançado entre a praia e o monumento natural das Ilhas Cagarras. (nome apropriado, mas o nome das ilhas vem do guano, o cocô das aves marítimas, que tinge as pedras de branco)

Nadar no cocô e tomar banho com ele

São 1.500.000 pessoas dando sua “contribuição”.

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Isso tudo vai para a mesma tubulação, o “emissário Submarino” de Ipanema:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Qualquer pessoa mais ou menos esclarecida, pode parar para pensar num duto enorme onde corre um rio de dejetos de todos os tipos sendo lançado IN NATURA no mar, como uma excrescência. Mas estranhamente, as autoridades deixaram rolar, na esperança que o mar leve para longe os cardumes de camisinhas, seringas, fezes, óleo de cozinha, lixo de todo tipo, incluindo resíduos tóxicos e metais pesados.

Nadar no cocô e tomar banho com ele

São as nossas “oferendas da pós-modernidade”, meu amigo. Nós torcemos para que Imemanjá fique com elas, mas de acordo com o vento, isso volta para a praia…

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Para o meio ambiente, isso é um claro sinal de desastre. A imagem a seguir, fala por si:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Os políticos gostam sempre de ressaltar as belezas do Rio, mas nunca vejo um político falando abertamente sobre isso, a não ser para colocar a culpa no que veio antes. Isso quando falam em poluição… Atualmente, este é um assunto que “não convém” ao momento… Sabe como é.

Mas é uma questão GRAVE de saúde pública e descaso total. Pra piorar, ninguém pode alegar desconhecimento, ignorância, já que os aspectos biologicos dessa tragédia ambiental ja foram exaustivamente estudados e até publicados no Brasil e exterior.

Nadar no cocô e tomar banho com ele

 

A coisa é séria:

 

Nadar no cocô e tomar banho com eleAs bactérias dos géneros Aeromonas e Plesiomonas isolam-se frequentemente em ambientes aquáticos e são consideradas agentes patogénicos de peixes, anfíbios e diferentes mamíferos, entre eles o Homem. Espécies de Aeromonas e Plesiomonas foram descritas em sistemas de distribuição de água para consumo humano, tanto tratadas como não tratadas e a sua quantidade parece relacionada com a qualidade da água.

Aeromonas já foi declarado um patogénico emergente pela FDA, e é um microrganismo controlado pela normativa de águas no Canadá, Itália e Holanda. Ambos os microrganismos produzem gastroenterites em humanos e também estão associados a uma ampla variedade de doenças sistémicas. Desde o ponto de vista da aquicultura, Aeromonas pode originar um grave problema devido a que a espécie Aeromonas salmonicida causa uma doença nos peixes salmonados, furunculoses e úlceras musculares, que provoca a morte conduzindo a um notável desastre económico da exploração onde haja ocorrência de uma epidemia. As outras espécies adaptaram-se a ambientes mesófilos (podem viver a temperaturas de 37ºC ou mais) conseguindo colonizar animais de sangue quente. Além disso, tanto Aeromonas spp. como Plesiomonas shigelloides (única espécie do género), segregam várias toxinas e outros factores de virulência que podem contribuir para o desenvolvimento de uma infecção, em muitos casos gastrites agudas que precisam de uma atenção clínica hospitalar que às vezes se prolonga até duas semanas. fonte

Muita gente se alimenta dos peixes da costa do Rio, e pra piorar, dos da Baía da Guanabara!

 

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Resultado? Estamos comendo peixes que vivem e se alimentam no meio do cocô.

Chega a ser difícil de acreditar que alguém em sã consciência, propôs algo deste tipo num dos maiores cartões postais do mundo.  E pior ainda: Aceitaram a ideia e construíram. Para entender isso, temos que voltar ao passado, há mais de 30 anos atrás, quando o emissário foi concebido. Eram os anos 70, e ninguém tinha a mínima noção de aspectos ecológicos e ambientais como hoje.

 

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Era um tempo mais simples, onde não havia necessidade de licenciamento ambiental, normas, porra nenhuma que existe hoje (e que não raro, são contornadas com propinoduto).

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Naquele tempo, a resolução 357 do CONAMA não existia. Ela veio depois, e diz claramente:

“[…]Os efluentes de qualquer fonte poluidora somente poderão ser lançados, direta ou indiretamente, nos corpos de água, após o devido tratamento. […]”

Nos anos 70 não havia nem política ambiental, nem norma e muito menos órgãos como tem hoje. Órgãos que tinham a OBRIGAÇÃO de fazer alguma coisa, mas preferem ficar como se diz na minha terra: “No mocó”.

Não tinha CONAMA, Minstério do Meio Ambiente, Política Nacional de Meio Ambiente, Protocolo de Anáppolis, Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, Eco 92, desenvolvimento sustentável, Rio +20, nada disso. Era um oba-oba do caramba. Aliás, nos anos 70 nem sequer tinha democracia nessa joça aqui!

Nadar no cocô e tomar banho com ele

O passado era meio tosco, mas a questão que se coloca é que se a lei mudou, as posturas mudaram desde os anos 70, tudo evoluiu;

POR QUE DIABOS ESTAMOS OBRIGANDO AS CRIANÇAS A NADAREM NA MERDA ATÉ HOJE?

Descaso e burrice. Não sei qual dos dois é pior. Ambos são terríveis, mas essa combinação quando somada ao descaramento, gera uma situação muitas vezes pior. Isso porque a coisa se multiplica. Quer ver? Estou marretando aqui o emissário de Ipanema, mas se eu te falar que ele é apenas UM DOS VÁRIOS que existem na costa da Cidade Maravilhosa, você diria o que?

É verdade mesmo. Existem outros. Emissários na Barra, e em Icaraí, em Niterói… (aliás, ainda tenho que contar aqui do dia em que eu achei um DEFUNTO HUMANO boiando na Praia de Icaraí) Veja só que coisa horrenda esta imagem a seguir. Ela mostra como a contaminação de bactérias e coliformes se espalha e lambe toda a zona de mar onde os banhistas mergulha e as crianças invariavelmente acabam ingerindo água:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

 

Este é o grafico de dispersão e decaimento colimétrico ao longo de míseros seis dias.

Quem mora aqui em Niterói e não está alienado, sabe da briga que está rolando porque a Petrobrás quer jogar o ESGOTO DO COMPERJ NAS PRAIAS. Isso mesmo, os dejetos de um complexo petroquímico inteiro sendo jogadas no mar.

 A ideia dos caras é fazer mais um emissário, e o mesmo vai ameaçar com esgoto petroquímico não apenas o litoral de Itaipuaçu, suas ilhas, demais praias de Maricá e vida marinha, mas também a área marinha do Parque Estadual da Serra da Tiririca, as praias de Itaipu, Itacoatiara, Camboinhas, Sossego e Piratininga e ilhas oceânicas de Niterói. Isso certamente trará prejuízos para os habitantes das cidades afetadas e para os modos de vida que dependem da pesca, do lazer, da prática de esporte e do turismo na região. Como se não bastasse, a composição dos efluentes (óleos, graxas, fenóis, cianetos e outros venenos de características cumulativas e conservativas) que a Petrobras planeja descartar na Praia de Itaipuaçu não é suficientemente conhecida pelo INEA (Instituto Estadual do Ambiente) nem pela CEPEMAR, empresa contratada pela Petrobras, que elaborou o incompleto e falho Estudo de Impacto ambiental (EIA) do empreendimento. (há uma abaixo assinado contra o emissario do Comperj aqui)

Triste né? Mas o pior nem é isso. O pior é que à reboque dos emissários do Rio, e os que planejam fazer em Itaipuaçu, há muitas outras cidades jogando seus esgotos in natura no mar:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Os caras nem se envergonham de jogar cocô no mar. Cocô que vai parar nas praias e nos peixes que nós COMEMOS. Aliás, eles se orgulham ao ponto de colocarem placas com seus nomes nas obras:

Nadar no cocô e tomar banho com ele

Este é o país em que nós vivemos e vendemos para o resto do mundo como sendo a última bolacha do pacote, a “bola da vez”. Aumenta o som aí.

 

fonte fonte

Related Post

89 comentários em “Nadar no cocô e tomar banho com ele”

      • Philipe, uns tempos atrás converti p/ DVD umas fitas VHS de uma amiga que tinha alguns programas do Casseta & Planeta dos anos 90 gravados, e alguns deles falavam de um tal de “emissário submarino” que deu problema e foi a maior m*rda (literalmente), eles tiraram o maior sarro, claro. Será que por acaso tem alguma coisa a ver com esse post?

        • É esse dos anos 70. Nos anos 90, ele partiu com uma ressaca e jogou muito mais merda na praia que o de costume. Aí o Garotinho consertou o cano, e até hoje ele continua a jogar a merda no mar.

  1. Salve Jovem,
    deixa te contar uma legal… estive a uns meses atrás eu uma palestra de um português que veio a Alagoas falar sobre uma região lagunar que eles revitalizaram lá no alem-mar.
    aqui em Alagoas temos um puta complexo lagunar gigante que usamos pra despejar todo esgoto e aterramos boa parte do mangue, enfim, tratamos a laguna como não se deveria.
    Bem, lá pelas tantas, o cara abre pra perguntas e eu levanto e pergunto o que eles fizeram com o esgoto das cidades no entorno da laguna.
    aí o cara me olha como se tivesse visto um ET e pede pra eu repetir a pergunta porque ele tinha entendido mal.
    eu afastei um pouco o microfone, empostei a voz e enunciei claramente: o que fizeram com o esgoto?
    o cara continuou com cara de ué…
    subitamente o rosto dele se ilumina e ele responde como se estivesse falando pra uma criança:
    ah, pois pá! na Europa não costumamos jogar esgoto nos corpos d´agua!
    eu, com cara de trouxa, agradeci a resposta e sentei, né…

      • Disse tudo.
        Ás vezes penso que o Brasil é um país de brincadeira, como se toda essa putaria tivesse hora pra acabar. Não consigo, na boa, ver nenhum lado que não seja podre nesse país. É eu sou radical e infeliz nesse sentido mesmo. Pq a hora que vejo que esse país não é uma brincadeira, td acontece DE VERDADE…
        E eu escolhi ser bióloga aqui. Pq, né?

  2. É uma desgraça mesmo hein, mas infelizmente tacar cloro seria pior ainda, o cloro, é classificado como um de alta toxicidade pro meio ambiente, além do mais ele não elimina microorganismos que deveriam ser eliminados, e em contato com matéria orgânica ele pode liberar gazes carcinogênicos.

    Eu tenho a solução, pega tudo e desemboca em brasilia…afinal, boa parte do excremento ja ta por lá mesmo

    • E já não basta toda a merda que mandam pra cá a cada eleição?
      Vale lembrar que dos 513 cocôs presentes na Câmara dos Deputados, só 8 são do Distrito Federal… Todo o resto foi despejado aqui pelo restante do país! 46 só do Rio de Janeiro…

      Tá de bom tamanho, né?
      O resto da merda pode ficar por aí com vocês, que só esses já dão trabalho por demais!

  3. WHAT? CADÊ RECIFE? Aqui a turma caga diretamente no mar sem necessidade de nem ir num banheiro! Fora que aqui na minha cidade (que é zona rural mas faz parte da região metropolitana, segundo o governo – não me perguntem como!) tem um bairro inteiro que soca o esgoto completo na água, tanto que só você chegar na beira do mar, vai ver os pedacinhos de bosta que o mar trás. Já Recife, tem até um vídeo que circula aí pela net que mostra uma “senhora” defecando no mar (sem tirar o maiô) e logo depois chega um defunto completo na beira do mar. Beleza que melhoraram um pouco do ano do vídeo pra cá, mas ainda assim a labrojeira ainda é muita.

  4. Philipe,

    Vi um documentário há alguns anos chamado Mar Sem Fim ( http://www.marsemfim.com.br/). Eles fizeram uma expoedição de barco por todo o litoral brasileiro e junto das cidades sempre há poluição. É uma pena.

  5. Putz, e eu tenho ás vezes saudades de ir à praia, deve fazer uns 15 anos que não piso em uma, quando criança ia todo ano… Só que acho que hoje em dia não conseguiria curtir. E o pior é que me lembro de quando íamos a Ubatuba, Caraguatatuba, aqui no litoral de SP, nas praias sempre tinha um ou dois canos gigantes liberando o que eu pensava ser “riozinhos” ao longo da areia até o mar… Jesus, só de pensar já dá dor de barriga.
    E o pior é que não é só o caso de “ficar sem entrar no mar”, a própria areia das praias brasileiras é campeã mundial de concentração de coliformes fecais, do Oiapoque ao Chuí.

  6. aff, que vergonha sinceramente , o meu maior desejo é o q o mundo acabe logo pra essa merda d espécie humana acabar logo , meu deus não concordo quando falam que somos mais evoluidos , evoluidos sao os outros animais que conseguem viver sem destruir a natureza , que n precisam de nenhum dinheiro pra serem felizes e que sentem amor sem precisar de objetos . Tomata q um dia algum fdp que deixa jogarem merda no mar , vá comer cocô na falta de comida , quando os filhinhos deles tiverem doentes a beira da morte quero ver que medicozinho caro q vá curá-lo , Esses caras não tem noção ? Eles n sabem pensar no próximo ? Os peixes tão morrendo , pessoas estão morrendo , e eles só querem saber de dinheiro , eu só tenho 13 anos de idade nem quero imaginar como vai ser meu futuro , tomara q o mundo acabe msm em dezembro desse ano , pq realmente a única merda mais nojento do q cocô é o próprio ser humano .

  7. Ariela, infelizmente estamos fazendo isso com vocês jovens. A era da informação faz com que você que tem apenas 13 anos já pense como eu que tenho 47. Mas mude seu pensamento pessimista pois estou tentando mudar o meu. E olhe que acho que já vivi tudo que tinha que viver. Você, ao contrário, tem toda uma vida pela frente. Assim, comece a ver, ler e assistir somente coisas boas, e assim, passando a ter pensamentos otimistas tente achar maneiras de corrigir os erros que nós mais velhos cometemos contra vocês. Fé na vida garotinha por que, se não, chega o dia em que queremos nos suicidar ou querer que o mundo realmente acabe.

    • 47 anos de idade e não percebeu que uma criança de 13 anos não consegue ser articulada desse jeito??? Por mais que nossas crianças estejam precocemente tendo acesso a informação e notícias, certas coisas levam tempo para acontecer… e olhe que pode muito bem nem ser “ela”…..

      • Crianças de 13 anos podem ser muito bem articuladas assim, sim, basta que estudem em boas escolas e tenham boa educação. Obviamente isso é TÃO distante da média da população que se você não esta acostumado ao meio você acha que isso não existe. Mais uma das grandes desigualdades do país.

        • Pode ser uma criança de 13 anos sim e não!Existem pré adolescentes muito inteligentes e preparados em interpretação de texto e argumentos, além de boa educação familiar (fruto de ótimos colégios e cursos e excelente condição social).Também pode ser um adulto que usando do artificio “13 anos” fortalece uma opinião de meio ambiente ecologicamente correto sensibilizando os demais a reflexão (O que serão dos nossos filhinhos!! ….) Não foi somente a natureza ecológica que mudou com a poluição,nossas crianças não tem mais infância se tornam adultos mirins incentivados pelos Pais!Um dia desses perguntei a uma criança de 9 anos;O que ela queria ser quando crescer, frase clichê? respondeu a “criança” Eu vou fazer Petróleo e gás!!Isso explica porque da poluição em nossos rios e mares,nosso planeta se tornou extremamente capitalista e ninguém nem a próxima geração se importa com ecologia, temos que provar lucros líquidos em conservar a natureza, a chamada Bio sustentabilidade!!

  8. Todas as praias (brasileiras, pelo menos) tem seu emissário de efluentes que lança os dejetos da comunidade diretamente no oceano. E não importa o quão longe o cocô seja descartado, a maré o trás de volta á praia… ou seja, você nada, engole e se lava em…. m*rd* cada vez que vai na praia… simples assim!

  9. John é o único inteligente aqui, ou quando tinha 13 anos enfiava sorvete na testa, tenho uma prima de 14 e outra de 17 que já trabalham em uma montadora e ganham o que muita gente ainda sonha em ganhar, não se menospreza quem não se conhece : )

  10. Aqui no rio de janeiro tem ainda muitos outros pontos de esgoto. A baía de sepetiba é um dos exemplos mais tristes, pois o que antes era uma praia com água clara e pontos de lama usados com objetivos medicinais virou uma espécie de mangue de esgoto.
    Como a lama ficou com muitos pontos verdes e um mal cheiro insuportável, jogaram uma areia clara que nem se parece com a areia local por uma grande extensão da praia de sepetiba (uma das praias apenas, a que mais tem lama). Mas não retiraram o ponto que joga esgoto direto para o mar formando um caminho de cocô na areia. (nas outras praias também tem esse caminho de cocô). Claramente não é propícia para o banho, mas as pessoas ainda entram, embora não tantas como na zona sul.

  11. Gente!!! alguem já pensou em estudar saneamento aqui??
    O emissário submarino (tubulação que joga esgoto no mar) é a forma de tratamento de esgoto IDEAL, o mar tem alto potencial de diluição e as aguas salgadas são perfeitas para neutralizar a grande maioria das bactérias do esgoto doméstico.
    O esgoto doméstico é matéria orgânica, quem disse que não existe peixes por ali?? tem e muitos!
    O esgoto não volta do emissário (que boato ridiculo). Estudos de correntes marítimas são feitos para comprovar.
    O rio tem um baita problema de saneamento sim! por lançar dejetos em corpos d’agua, rios, ou na baia de guanabara. É por isso que as praias ficam sujas, principalmente depois que chove bastante, ninguem nunca percebeu isto?
    Isso acontece pela negligencia de muitos que ligam sua rede de esgoto na rede pluvial e também por falta de rede de esgotos da CEDAE e manutenção destas. Porque não dá voto , não é político.
    O RIO TEM UM GRAVE PROBLEMA DE SANEAMENTO, MAS NÃO TEM NADA A VER COM OQUE FOI ESCRITO NO TEXTO. POR FAVOR É FACIL FALAR, MAS NÃO É SÓ FALAR DE COISAS QUE NAO SABE E SE ACHAR O SUPER CRITICO INTELIGENTE

    • Amigo, vc pode me provar cientificamente e sem esse seu blablabla ad hominem que um emissario joga toneladas de esgoto in natura de uma região com densidade populacional superior a do Japão, e que inclui ali o esgoto de bares, restaurantes, lojas e até empresas é mais ecologico do que uma estação de tratamento que vai descartar água limpa? E pode me provar tb que as correntes marinhas assumiram em cartório que jamais vão se alterar e jogar merda nas praias?

    • Cara, parece que você tem algumas ideias ultrapassadas de saneamento, lançamento de esgoto in natura em concentrações não controladas em qualquer corpo d’água está longe de ser tratamento de esgoto.
      Primeiro que cada ambiente tem um limite para lançamento de matéria orgânica, que depende das formas de vida e dos usos daquele corpo d’água, o que não posso dizer que tenho plenamente e não vejo isso em suas palavras também.
      Segundo que para se poder hipotetizar tal lançamento, há de ter garantias de que a contaminação microbiológica não terá contato direto ou com o alimento do ser humano (no caso qualquer fruto do mar e eu diria que principalmente o peixe que você recomendou como a solução para nosso efluente).
      Numa situação hipotética em que temos a concentração do efluente controlada na baia, como o corpo hídrico é usado para recreação, o efluente deveria primeiramente passar por tratamento microbiológico (e talvez outros que só se pode especificar analisando o efluente) e somente depois disso poderia ser lançado no meio.
      Para usar sua ideia de lançar para os peixes, in natura, o efluente teria que ser necessariamente livre de tóxicos e metais pesados (afinal ninguém garante a inexistência de efluente industrial no efluente), além disso, não se deve ter contato direto com o alimento humano -há pesquisas feitas com excremento de porcos e constatado altos índices microbiológicos- mas poderia talvez ser usado de maneira controlada como adubo das plantas com que tais peixes seriam alimentados. Uma solução que nada têm a ver com lançar no mar, então descartamos-a
      Basicamente, o que você disse deveria ser repensado

      • Meu amigo isso é uma longa discussão.. o esgoto industrial assim como outros resíduos sólidos que não deveriam ser descartados no esgoto não deveriam estar conectado ao esgoto doméstico, isso é um outro problema de concientização,
        Não estou falando que o emissário de nada impacta no ambiente, claro que impacta. A vida numa cidade densa igual o Rio de Janeiro impacta e muito o ambiente.
        Mas TODAS as outras formas de tratamento de esgoto também tem seus impactos, por exemplo o descarte do Lodo que é gerado na estação de tratamento, coisa que ninguém mostra.
        Minha resposta é que o emissário submarino é uma boa forma de tratamento e não apenas um descaso de jogar merda no mar.
        A merda de porco não tem nada a ver com a questão pois a coleta de esgoto da rede pública é apenas doméstica.Até as estações de esgoto estão preparadas para tratar apenas o esgoto doméstico,o dejeto de animais tem tratamento a parte.

    • Temos que ter é redes de esgoto na baixada fluminense e nos munícipios próximos, que despejam grande quantidade de esgoto nos rios da região, que vão desaguar na baía de guanabara.
      Além de ter uma grande fiscalização das residências aplicando multas a quem destina o esgoto a rios ou a rede pluvial em locais que a rede de esgoto existe.
      Outro controle deveria ser feito para controlar o despejo de produtos químicos das indústrias nos rios sem tratamento prévio (oque acontece muito).
      É por isso que temos uma grande baía de guanabara imunda, tanto por esgotos domésticos quanto industriais.

  12. O negócio está cada vez pior e com o crescimento populacional, eu não sei onde isto vai parar, se é que pode-se parar um dia. Espero que não venha parar na porta da minha casa aqui em Arraial, que já está começando pelo mesmo caminho… Infelizmente.

  13. Realmente, a região costeira do Rio de Janeiro está em alto e rápido processo de degradação. Faço parte de um projeto que está estudando algumas propriedades físico-químicas da Baía de Guanabara. A situação está crítica!!! Existem inúmeros emissários espalhados por todo o entorno da Baía. Regiões como o Caju, Porto de Rio de Janeiro, Porto de Niterói e arredores da Ilha do Fundão estão são verdadeiros esgotos a ceu aberto. O problema é que não são pequenos canais, é muuuuita merda. Lamentável! Esses dias estávamos coletando material na região da Baía que eu considero a mais poluída (o Caju) e, pasmem, tinha um pescador com rede ali, no canal, na merda… Isso sem contra os inúmeros cercos (armadilhas para pegar peixe) que existem lá na parte de trás da Baía. Florações de microalgas (potencialmente tóxicas) são ”normais”… E os rios (São João do Meriti, Rio Estrela, etc), completamente poluídos e deságuam tuuudo na Baía de Guanabara… Lembrem-se que somados a esses emissários oficiais, ainda existe o descarte da pluma de água e sedimento da Baía de Guanabara que, certamente, ajuda a comprometer a qualidade das águas das praias do Rio de Janeiro e Niterói… E quais são as providências tomadas pelos órgãos competentes??? Eu não vejo naaada!!!

  14. PHoda-se. è assim mesmo, me dizem. Voce nao esta na Inglaterra.
    Entao, DANEM-SE. Ninguem diz nada quando estacionam nas calçadas, jogam lixo nas ruas, dirigem apos beber alcool, avançam sinais de transito, dao propina para o corrupto policial, etc…
    Entao, estao a reclamar do que? è assim mesmo.
    Ou se reclama e age certo em todos, ou em, pelo menos, 90 % dos casos, ou PHODA(M)-SE.

    • Tb penso assim, a maioria do pessoal q vem reclamar dessas coisas acham q vivem em uma sociedade alternativa! Bom, se vc vive no Brasil, a culpa disso tudo é sua tb!!! É fácil jogar a culpa nos outros….

  15. Lamentavel E nesses dias em qu vemos a luta do Japão com emissões radioativas em suas aguas, contaminando todo o planeta, causa uma grande tristeza saber que alem de contaminarmos as pessoas nosso pais, ainda contribuimos para a toxidez alimentar a toda população mundial.

  16. eu não sou nada expert neste assunto mas sempre me incomodou. o esgoto caseiro é o que menos me importa pois como disse um expert aqui, é material orgânico como os dejetos dos proprios peixes. Acabei de voltar das ILhas Galápagos, um santuário natural onde Darwin se inspirou para suas teorias da evolução das espécies. As águas lá são densas por micro organismos, algas, fezes e corpos de tantos animais marinhos que tem lá uma população avantajada. Nossas fezes caem direto dos barcos para o mar, in natura até de transatlânticos com mais de 60 passageiros e não vemos sequer um boiando… como vejo em Copacabana
    Nada tenho contra emissários entretanto, tenho contra inumeros canais e dejetos químicos jogados aos montes nas nossas águas que matam a flora e fauna , isto sim, o maior problema. Quem ja passou pelas Reducs, favelas do complexo da Maré sabe que ali é O FIM DO MUNDO em termos sanitários. Uma vez filmando na Maré, eu sentia o cheiro de merda como se alguém tivesse acabado de fazer nos meus pés, incrível, onde vc andava o cheira estava lá, fresquinho e me perguntei como tantas pessoas podem viver naquelas condições, achando normal, sem nunca terem reinvidicado nada???? isto sim, para mim, é um grande miste’rio… OUTRO: como disse o gajo postado por aqui que eu NUNCA entendi é PORQUE SENDO UMA COLONIA DE PAIS EUROPEU TODO E QUALQUER RIO E LAGOA LÁ SÃO LIMPOS E OS NOSSO IMUNDOS???? PORQUE ISTO NÀO ACONTECE NEM NA AUSTRÁLIA OU EUA???
    portanto, estamos entrando meus amigos no sec XXI com mais de 500 aos de civilização pelos europeus e ainda achamos que rios e lagos são latrinas e lixeiras. Já convivi com indios no Xingu e nunca vi nem menos um coco ainda que suas casas nào possuam banheiros…
    Jogamos descaradamente lixo nas areias e nos terrenos baldios, esperando que um ser um dia o recolha tá mais que na hora de começarmos antes em casa educando nossos filhos e afilhados para acabar com esta praga terceiro mundista de vez. Educação independe de classes sociais, ja frequentei uma mansão em Buzios onde os donos colocavam seus lixos no terreno baldio do vizinho…
    portanto os temas de ORDEM são:
    EDUCACÃO E SANEAMENTO: um é da SUA conta o outro, dos políticos que VC ELEGE. Vc já votou em algum politico que estaja minimamente engajado na causa ambiental???
    Sem isto, nunca, nem indo todo ano a Disney e comprando a ultima TV HD seremos uma nação minimamente civilizada.

  17. Philipe, a reportagem é boa, porém partindo da Rede Roubo de TV merece ser bem analisada. Quando fala-se em gastos com muita propaganda para elevar a imagem da Cidade Maravilhosa, teria que mencionar que nesses últimos 8 anos de PMDB no Governo na pessoa do Cabral e de quase 6 com o Paes, dinheiro não tem faltado a Globo e a outros meios de comunicações para blindá-los (vergonhoso). Não sou do tipo que defenda políticos mas, a última foto com o nome de um Ex-Governador associado ao merdelê no litoral carioca e, que sabemos, é odiado pelas Organizações Globo foi muito bem plantado por eles na reportagem. Quanto a toda essa sujeira, digo que o único culpado é o próprio Homem com sua ganância. Vejamos o que acontece na Região dos Lagos: Até a construção da Ponte e a Niterói-Manilha, nós que morávamos desse lado podíamos ir a qualquer praia entre Piratininga a Araruama que não havia o merdelê e desordem que existe hoje. É insuportável frequentar essas praias nos finais de semana. A especulação imobiliária, que em sua maioria é incentivada e apoiada de forma oculta pelos Governantes que ganham sempre alguma coisa dos grupos de investidores é o ponto a ser tratado. Sempre, infelizmente, sempre o poder do dinheiro falará mais alto. O atual secretário do meio ambiente, Minc, é um maior sabão quando se trata com os poderosos, mas quando apanha pescadores, trabalhadores de olarias, faz um maior salseiro diante das câmeras de TV. O que deveríamos falar desses homens? A Globo é ardil com seus adversários e benevolente com os que se dobram diante de seu arsenal de dossiês. A reportagem é boa, porém não é nova e nem atual. Foi oportuna, pois estamos em ano de eleições e os adversários tem que ser linchados. Reportagem puramente política.

  18. Mais de 30 anos emitindo esgoto no mar, vários pontos de emissão espalhados pelos litorais brasileiros. No meu curso eu não aprendo a jogar ESGOTO no mar. Eu aprendo a tratar esse esgoto! Envergonhada.

  19. Que tristeza, gente!! Hoje mesmo tomei banho em Ipanema e agora estou lendo isso. Vamos fazer um abaixo assinado, alguma coisa para pressionar o prefeito e o governador a iniciarem obras para mudar isso já.

    • Tem todo o meu apoio. O problema desse rolo todo é que a zona sul está completamente lotada. Estamos num período de híper-valorização do espaço, e uma estação de tratamento requer uma área grande, e pra conseguir esta área ali eu não sei como nem onde eles vão conseguir resolver. Emissário deveria ser uma solução paliativa enquanto se constrói uma estação de tratamento… Mas pelo visto o Brasil é a terra das soluções paliativas eternas.

  20. Parabéns pela reportagem Philipe.
    Tenho uma dúvida, a questão da “falta de vida” ao redor do emissário deve-se ao esgoto doméstico ou seria decorrente de dejetos industriais?

    • É impossível garantir que haja apenas esgoto domestico sendo derramado ali. Existem inúmeras empresas, restaurantes, bares, postos de gasolina, de toda a zona sul jogando seus dejetos no esgoto. Por isso, há um volume enorme de óleo que desce para aquele esgoto, além de outros contaminantes.Toda esta contaminação irá ter um efeito direto sobre a biologia da região. De fato, existe na costa do Brasil muita diversidade, e o fato de encontrarem cardumes passando naquela área não significa, obviamente que aquela vida se originou ali.

  21. Curti o post, traz informações que são sistematicamente negligenciadas na grande mídia quando estão falando sobre o assunto ‘Limpeza’ das praias do Rio. Ultimamente tá saindo matéria atrás de matéria em jornal televisivo tentando ‘desalarmar’ a população falando que as espumas e manchas que aparecem são fenômenos ‘naturais’… Avá…
    Grande post, keep it up!!

    • Realmente, a espuma que surge nessa época é produto da decomposição das algas que ploriferam devido a muitos fatores, entre eles a luz solar e a (o que os amigos do Prefeitinho não dizem) OFERTA DE ALIMENTO (cocô). Que é o que estamos jogando na água.

  22. Eh apenas um reflexo do comportamento do Carioca ,aonde o visual, o externo eh sempre mais importante, dai as mulheres saradas ,porem muitas delas burras , os Homens saradoes quase em sua maiorias com merda na cabeca …. agora eu entendi.. deve ter sido de tanto beber agua na praia !!! Agora ja temos o novo vilao da ignorancia que atormenta os cariocas !! tomem muito banho de coco !

  23. Eu adoro mergulha na BOSTA dos outros! alias, na minha também hmmmmm QUE DELICIA o que me preocupa é a quantidade de PIMENTA que nego ta usando na comida! POR FAVOR GENTE !Isso doí a garganta caralho. Seja gentil com as pessoas que pensam que Praia de Ipanema é o lugar maravilhoso.E UMA BOSTA TOTAL E TA ISSO A MUITO TEMPO!!

  24. É difícil algum político assumir esse problema atualmente, pelo simples motivo de não haver apelo político suficiente, quer dizer, algo que "atinja" as grandes massas geradoras de votos.

    Aliás, esse não é o único lugar onde esse tipo de problema acontece. Em escalas menores, praticamente todos os lugares com algum córrego, rio ou lagoa por perto também despejam esgoto puro fora. Desde os morros cariocas (todos têm pequenos córregos artesanais, que embocam em algum córrego/rio natural), passando por residências comuns com córregos/rios por perto (aqui na Tijuca tem alguns, por ex o Rio Trapicheiro, onde todas as casas com fundos pra ele possuem fielmente seu caninho despejando coisas ali), até a Lagoa Rodrigo de Freitas (sim, ali muitos condomínios de alto luxo despejam, ainda hoje, esgoto puro diretamente na água) e, outro exemplo, a Lagoa da Tijuca, aquela atrás da "península" na Barra. Até menos de 5 anos atrás não havia sequer esgoto lá. TODOS os condomínios despejavam esgoto diretamente na lagoa. Soube disso porque trabalhei ali ao lado, na Estácio de Sá, atrás do Barra Shopping, em 2009, quando COMEÇARAM as obras das PRIMEIRAS tubulações. Não sei como está hoje, mas acredito que não tenha mudado muito. Pelo Google Maps ainda dá pra ver claramente pelo menos 3 saídas de esgoto ( http://goo.gl/maps/qYYOT).

    Em resumo, ao meu ver esse é um problema cultural profundo (mais um) do Brasil e, claro, também do Rio de Janeiro. Começa na ausência do Estado (que também tem origens culturais) em questões básicas de infra-estrutura e vai até o individualismo do brasileiro/carioca: da porta da minha casa pra fora, foda-se, não é mais problema meu. Dá pra desdobrar muito esse raciocínio, mas aí é outro assunto.

  25. Que absurdo eu moro em Itaipuaçu e fiquei indignada com essa informação, não sei se os projetos avançaram ou não, mas é preocupante saber que querem fazer do nosso mar um lixão. Realmente o Brasil está largado a própria sorte, daqui a pouco em qualquer praia do país só conseguiremos ir para admirar e não para nos banhar.

  26. Ninguem merece nadar nessa merda de mar.. mas só por curiosidade.. fale também sobre possíveis solução pra isso. ou pelo menos na possível formação de grupos para tratar de pensar sobre algum caminho que nos livre de tanta merda, e se esse grupo já existe onde esta? .. Sei que só mostrar ess M toda não resolverá o problema.. afinal fazer cocô ainda é necessidade fisiológica e tomar banho de mar é opcional… embora seja muito bom ter um mar só pra vc e a torcida do flamengo.. nadar naquela M de fato ninguém merece.. rss. Bora falar mais sobre soluções.. e divulga-las na mesma proporção.. tamo junto.

  27. a pessoa começa a matéria falando em processar o governo e a CEDAE pela agua contaminada nos chuveirinhos das praias do Rio, e nem sabe do que esta falando, pois essa agua vem de poços artesianos feitos por barraqueiros e não tem nada a ver com a agua fornecida pela CEDAE. É preciso se informar melhor antes de escrever besteira. kkkk

  28. Estava conversando sobre isso com uma amiga hoje. Isso tudo acontece por conta da ganância humana, fazer o que se ganhar dinheiro é mais importante que preservar a natureza. O que importa é encher o bolso, não importa a forma e que se dane as consequências… Vergonhoso…

  29. Parabéns pelo artigo! Reuniu muita informação acerca desse problema e eu que sou curitibano, não imaginava que a “cidade maravilhosa” do país, jogava grande parte de seus escrementos em alto mar sem tratamento!
    Isso é absurdo e precisa ser modificado!
    Talvez se usassem o dinheiro investido nas obras da copa do mundo, pudessem resolver isso.
    Brasilidades.

  30. Moro em uma praia linda em SC….estes dias tive a oportunidade de uma viagem ao RJ., que vou dizendo que só conheço pela TV……passagem comprada…5 dias pra embarcar….DAI COMEÇOU…….arrastões, assalto a rodo, praias com coco, preços abusivos em hoteis, restaurantes e afins, enchentes, balas perdidas, lixo por todo lado…e eu vendo isso na midia…..sei que isso não é particularidade desta linda (imagino) cidade…pensei comigo que vou fazer lá se sou obrigado a ficar em estado de alerta 24hs por dia esteja onde estiver resultado…passagem trocada (Floripa-Montevidéu)……Me diverti pra caramba, curtindo do bom e do melhor, e voltei vivinho da silva …..Desejo tudo de bom pro RJ…Parabéns pela brilhante matéria…..(talvez seja por isso que só vimos o RJ na TV através de lindas imagens aéreas)……

  31. Bem oportuna …então olha isso …….

    http://gizmodo.com/shocking-photos-from-the-water-sports-site-of-the-rio-o-1506442186?utm_campaign=socialflow_gizmodo_facebook&utm_source=gizmodo_facebook&utm_medium=socialflow

  32. PREZADOS;

    FELIZMENTE OU INFELIZMENTE o texto apresentado e por demais repetido na internet esta cheio de ERROS CRASSOS E DE DESINFORMAÇÃO TÉCNICA [ ignorância ou má-fé ?????] ….. não estudarsam saneamento básico nem meio ambiente marinho e isto é um problema pois fica a divulgar informações errôneas, xiitas e terroristas na internet sendo repetidas por desavisados ….

    Até na WIKIPEDIA está claro :
    Emissário submarino (“marine outfall” em inglês) é uma tubulação utilizada para lançamento de esgotos sanitários ou industriais no mar, aproveitando-se a elevada capacidade de auto-depuração das águas marinhas que promovem a diluição, a dispersão e o decaimento de cargas poluentes a elas lançadas.
    A emissão de dejetos líquidos no ambiente foi regulamentada pelo Protocolo de Annapolis da mesma forma que a emissão de gases foi regulamentada pelo Protocolo de Quioto.

    O funcionamento de um emissário é extremamente simples e eficiente no tratamento dos esgotos. Geralmente é precedido por um interceptor de esgotos e por um emissário terrestre.
    OS EMISSARIOS SUBMARINOS SAO UTILIZADOS NO MUNDO INTEIRO E NAO APRESENTAM NENHUM PROBLEMA DESDE QUE CORRETAMENTE PROJETADOS, conforme o Protocolo de ANNAPOLIS.

    ASSISTAM minha AULA / PALESTRA no meu BLOG antes de escreverem ASNEIRAS AQUI E QQ. LUGAR
    http://prof-rios.blogspot.com.br/2013/03/videos-das-palestras-do-clube-de.html
    .
    SDS. FLUVIO-MARÍTIMAS;
    PROF. JORGE PAES RIOS –
    Engenheiro Sanitarista e Perito Concursado do Min. Publico da União [MPU]
    ===
    Bibliografia
    Rios, Jorge L. Paes – “Estudo de um Lançamento Subfluvial.Metodologia de Projeto e Aspectos Construtivos do Emissário de Manaus” – Congresso Interamericano de AIDIS – Panamá, 1982.

    Gonçalves, Fernando B. e Souza, Amarílio P. – “Disposição Oceânica de Esgotos” – ABES – Rio de Janeiro, 1997.
    ===============

  33. Continua o mesmo problema, pois é responsabilidade do governo fiscalizar. Mas vale lembrar que o governo é o representante do povo. No fim a responsabilidade sempre vai recair sobre o povo, sua cultura, seu modo de vida e a sua posição diante dos impasses da civilização. E na minha opinião, o povo brasileiro contribui muito pouco para esses impasses.

  34. No gráfico de dispersão e decaimento colimétrico ao longo de míseros seis dias, mostra claramente como o ser humano nao tem condicoes de afetar o meio ambiente. O mar come tudo!!! O problema é que o emissario é muito curto, pois nao foi calculado para a quantidade de esgoto que é lançado hoje em dia. Pare de fazer matérias extravagantes, nao leva a nada!

    • De fato, não apenas a qualidade do esgoto vem decaindo gravemente, como toda sorte de lançamentos como óleo e produtos petroquimicos no esgoto como o volume aumentou bizonhamente ao longo dos anos.

  35. Segue o link da apresentação original, montada pleo Biologo Marinho Ricardo Zaluar: http://www.authorstream.com/player/player.swf?p=467906_634172192792872500

  36. Segue o link da apresentação original, montada pleo Biologo Marinho Ricardo Zaluar: http://www.authorstream.com/player/player.swf?p=467906_634172192792872500

  37. Boa tarde:

    Meu nome é Rodrigo e escrevo da CAPITAL GAÚCHA.
    Oportuno mesmo este site!
    O encontrei pela sinistra imagem de uma ‘possível poluição nas ILHAS CAGARRAS’…
    Confesso que achei que fosse algum SER DESTRUTIVO; alias sei de cada história relacionada a tais ilhas – que nesta teriam COBRAS (e de uns amigos de familiares meus que foram nadando em pranchas da praia (talvez de IPANEMA) e NUNCA FORAM ENCONTRADOS…Me parece ser na década de 60 isso).
    Também sou do RJ, só que resido no sul há tempos. Quando jovem, ía a PRAIA DO LEBLON: onde morei muito tempo. E via quando as ÁGUAS ERAM POLUIDAS.
    Achava interessante o tal EMISSÁRIO SUBMARINO (quem não se lembra dos problemas deste e as praias ficarem poluídas?)… E me parece que as águas estão mais limpas do que tempos remotos.
    Também curtia os tais CANAIS que ainda existem (esses devam poluir até mais).
    Outro . que me preocupa seria a BAÍA DE GUANABARA… Talvez exista projetos de despoluícão antes de eu nascer!
    Aqui no RS há planos para isso (o famoso RIO GUAÍBA passa por problemas há tempos). Há “praias” neste aqui na cidade… e a única própria uma chamada LAMI (longe mesmo. Onde se diz ZONA SUL). E há bairros aqui de nomes daí do RJ (IPANEMA, JB: e inclusive ruas). Essas praias poderiam ser usadas, pois o calor daqui passa MUITAS CIDADES BRASILEIRAS (até do RJ): e as chuvas recentes amenizam.
    E que possamos viver num mundo mais LIMPO.

    Tchau,
    Rodrigo O Rosa

  38. Vão te chamar de comunista retrógrado por, veja só, não apoiar o "progresso do capital" e defender a preservação ambiental. Baita progresso nadar na merda.

  39. Excelente Post sou de Niterói!!Não foi somente a natureza ecológica que mudou com a poluição,nossas crianças não tem mais infância se tornam adultos mirins incentivados pelos Pais!Um dia desses perguntei a uma criança de 9 anos;O que ela queria ser quando crescer, frase clichê? respondeu a “criança” Eu vou fazer Petróleo e gás!!Isso explica porque da poluição em nossos rios e mares,nosso planeta se tornou extremamente capitalista e ninguém nem a próxima geração se importa com ecologia ou meio ambiente, temos que provar lucros líquidos para o governo em conservar a natureza, a chamada Bio sustentabilidade!!

  40. PARA APRENDER ALGO SEM FALAR MUITA BESTEIRA AQUI NA INTERNET …….

    Assista a minha PALESTRA / AULA ===>>>
    http://portalclubedeengenharia.org.br/info/palestra-emissarios-modelos-fisicos-e-matematicos-para-lancamento-de-efluentes

    Jorge Rios abordou problemas e questionamentos sobre o lançamento de efluentes, resíduos produzidos por indústrias ou resultantes de esgotos domésticos urbanos, lançados no meio ambiente (tratados ou não). Mostrando modelos físicos e matemáticos caso a caso, Jorge RIOS apontou e justificou a utilização de cada um deles. “Hoje em dia, afirmou, muitos dizem que se resolve tudo através do modelo matemático, descartando a necessidade do modelo físico. Essa afirmação está errada, já que os modelos precisam ser testados antes de funcionarem efetivamente. Além dos modelos meramente conceituais, que facilitam e norteiam a compreensão e a visualização dos fenômenos, os dois métodos de simulação – modelos físicos e matemáticos – podem servir de instrumento para o estudo da qualidade das águas. A aplicação de um método não exclui o outro”.

    SDS, FLUVIAIS;
    PROF. JORGE PAES RIOS – Perito Concursado do MPU
    Diretor da ABES – RIO

    ==================================

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares