31 Comentários

  1. Jackie

    Eu tive aula de Basic I mas não aprendi nada. Acho que a linguagem era muito sofisticada (para a época) para crianças aprenderem. Eu me recordei da apostila e da réguinha cheia de figuras geométricas que a gente usava para os exercícios. Pode? Que coisa moderna! Computador mesmo, na prática só dava merda e eu nunca consegui fazer uma senteça que não desse erro no Dos. E eu ainda sonhava em aprender a linguagem Gobal e aprender a usar os diquetões. Mas eu nunca consegui aprender a linguagem Basic I (o II nem pensar!). Mas o professor o Marcos acho que deveria ser parecdo com o Estácio e eu fui apaixonada por ele por meses. Eu li suas memórias e me lembrei das minhas…sabe que eu estou com lágrimas nos olhos? Sério, é uma coisa meio besta, lembrar dos anos 80. Mas, que história é essa da minhoquinha? kkkk

    Responder
    1. AARAORICARDO

      Eu acho que todo mundo chora, com um relatos destes, que com certeza, nos faz lembrar dos nossos!!!
      Me lembro que meu primeiro computador, foi um tk85, era apenas uma caixinha preta que ligávamos na tv, pois a tv era a tela.
      Depois lançaram o tk 90, NOOOSA quanto diferença e evolução… a diferença apenas era que um era preto e branco e o tk90 era colorido rsrsrs.
      Lembro da GAROTA, que entrou no meio do ano, na minha 5ª série, que anos mais tarde seria minha esposa, e mãe do meu filho, e que infelizmente, anos depois me abandonaria e levaria o meu amado filho, para longe de mim…
      Quantas lembranças, muito obrigado pelo seu texto !!!

      Responder
  2. Bruno

    Eu ri muito com a história da minhoquinha…

    Sinto te dizer, Philipe, mas vc se queimou com todos os leitores do blog com esse comentário .-.

    Responder

    1. Hahaha, cara eu tava NA QUINTA SÉRIE, meu. O moleque que não tem uma minhoquinha dentro da cueca na quinta série é porque é doente, ou uma aberração.

      Responder
  3. João Vítor

    Muito boa essas histórias.Eu tb adoro me lembrar da minha infancia.Bons tempos

    Responder
  4. Rodrigo

    acho muito legal lembrar das historias de infancia, principalmente da escola, tambem me sentia o et da escola uahuaha

    Responder
  5. Milton Mauad

    Bah, essa sensação de mudança de temperatura é bem tensa. Lembro quando cheguei aqui em Curitiba [há uns 5 meses], vindo de Sinop-MT, achei que fosse morrer congelado! kkkkk

    E relembrar essas memórias ‘simplórias’ é uma coisa muito interessante mesmo! Dá pra ficar um bom tempo se divertindo [enquanto ensaia pra levantar numa manhã congelante! kkk]

    Responder

    1. concordo esses são os melhores tipos de post
      ja li todos desses tipos
      e outro dia eu liguei no telecine e assisti forrest gump
      agora eu entendi e foto e tudo mais
      e tb adorei o filme

      Responder
  6. Fernanda

    temperatura intensa é aqui em manaus, com o sol torrando os neurônios… :/ eu gosto da minha cidade, mas odeio o calor…

    no ensino fundamental zuavam que só de mim…mas eu fui daquelas nerds chatas, que se tirasse um 9, ficava com ódio. com o tempo descobri que a vida tinha mais coisas a oferecer.

    eu estudava numa escola só de meninas, onde uma parte do assunto era justamente…meninos! era engraçado ver aqueles grupos olhando os meninos da escola em frente e qnd tinha feira de ciências então, parte da mulherada enlouquecia. rs

    Responder

  7. nerds chatos que choram se tirarem 9
    minha namorada tirou a maior nota da sala e reclamou por que ñ era a nota maxima
    tudo bem que fui eu que respondi tudo
    ela só escreveu
    mas ela tirou a nota maxima

    Responder
  8. Luck

    Bacana o post… a memória é algo misterioso mesmo, basta imaginar quantos assuntos já foram estudados por nós durante a vida, alguns conhecimentos adquiridos assim logo vão pro ralo, outros se fixam e passam a fazer parte de nossa bagagem cultural…
    Faltou só vc comentar a memória mais antiga que conseguiu reter ou recuperar… a minha foi quando vi um mamão cortado pela primeira vez… morri de medo daquelas sementinhas pretas e saí gritando…rsrs… segundo minha mãe eu tinha por volta de dois anos de idade… faz tempo,viu…rsrsr
    Soçarba…

    Responder

    1. Sabe que eu não parei pra pensar nisso até vc escrever? Não sei qual é a minha memória mais antiga. Eu me lembro de coisas bastante antigas mesmo… EU me lembro de uma coisa que aconteceu quando eu tinha um ano de idade, que era deitar na barriga do meu pai. Lembro do padrão de um tapete que tinha na sala da minha mãe. Acho que essa é a lembrança mais antiga que eu tenho. Pelo menos é a que me ocorre agora.

      Responder
  9. fidega

    É Philipe, os anos 80 não voltam mais.
    Eu também relembrei meus tempos aqui em Minas Gerais.
    Cidade pequena, criançada chegando pra aula, indo embora na hora do almoço, camihando de volta pra casa com uma amiguinha por quem éramos apaixonados secretamente…
    Ahhh… bons tempos…
    Também fiquei a recordar.
    O engraçado é que também tinha esses tipos de amigos, a biblioteca municipal com o mesmo sistema de assinaturas na contracapa (meu lugar preferido, aliás) onde pegava emprestado livros da série “Para Gostar de Ler”.
    Você é demais, cara.

    Responder
  10. Bruno

    Muito legal. Gosto muito de recordar tambem e isso me dá uma nostalgia mt grande… Saudades de amigos que nunca mais vimos, pessoas que passaram por nós e hj nem sabemos mais delas.. A vida é interessante, talvez nunca entenderemos algumas coisas pelas quais passamos. Gostaria de poder rever muita gente dessas épocas de ouro e gastar horas conversando… Acho que isso tudo serve pra aprendermos aproveitar ao máximo cada momento, pois o q passou ficará apenas na memória…

    Responder
  11. Alice

    Oi! Meu nome é Alice e sou noiva do Estácio, o filho da Dona Maren…rs Sabe quando a gente põe o nosso nome no Google para ver o que aparece? Acho que todo mundo faz isso, esperando um dia achar alguma coisa interessante, mesmo que ainda nem tenha chegado até nós… Pois é, foi isso que estávamos fazendo.. colocamos o nome da Maninha (a D. Maren) e ficamos estasiados com o que encontramos. O seu post sobre ela e o Estácio foi uma surpresa muito legal!! Ela está muito bem, uma senhorinha muito carinhosa… Ele está aqui, ao meu lado, tocando violão, forte como um touro e cheio de tatuagens… mas agora está bem carequinha!! rsrs Bom, um abraço pra você e muito obrigada por descrevê-los com tanto carinho.

    Responder
      1. Marenhagge1

        Meu nome e Maren, sou sobrinha da Maren e prima do Estacio, fiquei muito feliz em ver os seus comentários e como Alice falou estava procurando meu nome na net e encontrei estes comentarios, obrigada pela carinho com minha família, eu moro em Brasília atualmente mas sempre que posso vou a Três Rios para ver todos

        Responder
    1. MARENHAGGE1

      Meu nome e Maren, sou sobrinha da Maren e prima do Estacio, fiquei muito feliz em ver os seus comentários e como Alice falou estava procurando meu nome na net e encontrei estes comentarios, obrigada pela carinho com minha família, eu moro em Brasília atualmente mas sempre que posso vou a Três Rios para ver todos

      Responder
    2. MARENHAGGE1

      Meu nome e Maren, sou sobrinha da Maren e prima do Estacio, fiquei muito feliz em ver os seus comentários e como Alice falou estava procurando meu nome na net e encontrei estes comentarios, obrigada pela carinho com minha família, eu moro em Brasília atualmente mas sempre que posso vou a Três Rios para ver todos

      Responder
  12. DANIEL

    saudade vda minha 5ª serie, eu tinha 10 anos e já era um pervertido (imagina hoje 4 anos dpois), era meu primeiro ano em colégio novo, no início do ano eu era quieto, sentava na frente e fazia tudo certinho, do meio do em diante, minha inocência foi deslanchando, eu tacava elástico nos outros (eu fazia isso do paredão lá trás), eu brincava de q bicho vai dar, eu falava cada coisa beeeeesta. me lembro da prof Magali (o capeta em forma d professora) além de ser uma bruxa era maluca tbm, me deixou de castigo pq eu pedi uma borracha, di ela q eu tava conversando (2 anos dpois ela cai do ônibus e kebra perna)

    Responder
  13. Elaine

    Poxa, vc conta essas histórias tão bem, que fazem a gente se transportar pra dentro delas. Parece que estamos na sua memória. Mto bom mesmo. E o melhor é recordar a nossa própria história, me lembro que eu era a cdf que ficava puta qdo tirava 9,5 (rsrs)!!! Cara, já sou sua fã!!!
    Ahhh, fiquei sabendo de vc vendo o Jô!!! Bj.

    Responder
  14. bilu

    Eu estudei no Colégio Entre rios, e tenho muita tristeza quando passo na frente dele e vejo que serve de depósito para um super mercado, Fui muito feliz lá.

    Responder
  15. Rogerio

    Philipe , eu sou o cara que postou um video no You Tube de Cabo Frio na decada de 70, lembro de vc ter mencionado que ficava no apartamento do Waldir Medeiros e Dona Neusa,lembra?…
    O Waldir tá firme e forte, Dona Neusa infelismente faleceu.
    Se quiser ver fotos de Três Rios, postei varias no google earth.
    Um Abraço, Rogerio
    *Vi sua entrevista no Jô, parabens!!

    Responder

    1. OI Rogerio. Eu tô ligado. Minha vó dá sempre notícias deles. Aliás, provavelmente vc deve conhecer os meus avós, hein?

      Responder
  16. Li

    Mneumósine…que coisa incrível !
    A memória é algo maravilhoso.
    Também lembrei da minha infância.

    Responder
  17. Cinara Jorge

    Quem foi aluno de Joel Monnerat jamais vai se esquecer de alguns preceitos. Que pena que o nosso Colégio Entre Rios acabou. Sou dos anos 70 e lá no Colégio minha grande amiga era…sua tia Marilene. Saudades…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.