Mãe dá a luz ao bebê na privada – E aperta a descarga!

Puts, meu… Só podia ser na China.

Uma mulher de 36 anos acidentalmente pariu uma criança enquanto estava no banheiro de um trem, viajando de Tai Dong para Tai Pei. A mulher que estava gravida de nove meses entrou em trabalho de parto, não percebeu o que estava havendo, teve o bebê no vaso sanitário do trem e apertou instintivamente a descarga. O nenezinho foi chupado para o reservatório de dejetos químicos do vagão.

Só quando o trem chegou na estação, uma hora e meia depois, o resgate apareceu para trabalhar. Eles imediatamente levaram a mãe para o hospital mais próximo e começaram a puxar o bebê pelo cano do vaso sanitário.

250

O bebê já estava entre a vida e a morte quando os caras da equipe de resgate resolveram serrar o cano ao meio e finalmente tiraram o bebê. Inacreditavelmente, o bebê não morreu. Está em condições estáveis e nasceu com 2 kg e 900g.

Fonte Weird Asia News

Sinceramente, eu não sei como alguém pode confundir um parto com fazer cocô. Não sei também como alguém faz cocô num trem e nem olha antes de dar descarga.

Se o bebê for menina eu apostaria minhas fichas em infanticídio. Pode ser que a mulher teve o bebê no banheiro e vendo que era uma menina, decidiu assassiná-la. Mas logo após teve uma crise de consciência e resolveu pedir socorro. Ocorre que meninas na China são péssimamente consideradas porque “tem pouca serventia” na família.
Em 1979, a China adotou a política do filho único, que admite apenas um filho por casal. No campo, a mulher casa e vai morar com os sogros e o marido, já o filho homem casa e traz a mulher para morar com ele, aumentando a produtividade e a renda familiar. Isso condenou e ainda condena milhares de meninas recém nascidas ao abandono e à morte. Há oito anos atrás, um grupo de repórteres foi à China e visitou orfanatos onde meninas eram abandonadas pelo simples fato de terem nascido mulher. Igual destino não tiveram outras tantas, afogadas ao nascer, abandonadas ao relento em caixinhas de sapato e condenadas a serem devoradas por predadores. Mas não pensem que aquelas destinadas aos orfanatos tiveram melhor destino. Durante a reportagem foi constatado que as pequenas eram amarradas em bancos e colocados penicos sob suas pernas, condenadas a um mundo de silêncio, imobilidade e dor. Pior, descobriram um “quarto da Morte” onde as meninas doentes eram abandonadas, sem água ou cuidados, para morrer de inanição. Essas crianças não tem nome, não existem, não fazem parte da estrutura social chinesa. Não tem valor algum…

Atualmente existe uma campanha internacional para adotá-las, algumas tem a sorte de serem carregadas por braços estranhos para, quem sabe, terem destino melhor, isso pela quantia de três mil dólares a adoção. Isso é o que vale para o governo chinês a vida dessas pequenas mulheres!

E hoje em dia, o governo descobriu que, ao crescer, elas são mão-de-obra e as condena a uma vida de trabalho forçado, mantidas em fábricas com música a todo volume para que não durmam à noite e produzam mais…

É triste saber que no nosso planeta ainda existam sacanagens assim contra os direitos humanos.

18 Comentários

  1. Roceiro 17 de dezembro de 2007
  2. Yako 19 de dezembro de 2007
  3. ivan di simoni 20 de dezembro de 2007
  4. Philipe 20 de dezembro de 2007
  5. Hunteriunn 15 de abril de 2008
  6. karieny 11 de junho de 2008
  7. Philipe 11 de junho de 2008
  8. Dominio Feminino 10 de julho de 2008
  9. Philipe 10 de julho de 2008
  10. Kiki 17 de julho de 2008
  11. Chris 30 de julho de 2008
  12. donkey 3 de agosto de 2008
  13. Philipe 4 de agosto de 2008
  14. jean 28 de agosto de 2008
  15. Philipe 28 de agosto de 2008
  16. Arthur 18 de agosto de 2009
  17. Edunando7 10 de novembro de 2011
  18. Aly Orientale 28 de março de 2012


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *