Ford Fiesta fail

Tem umas propagandas de carro que me dão raiva. Não sei exatamente o porque. Mas é algo que sempre foi assim. Tipo, eu gosto muito de propaganda de carro. Mas uma ou outra chega a dar vontade de dar um tiro na cabeça do publicitário que a inventou.

Tem certas coisas que me deixam muito intrigado, tipo, qual é a dificuldade de pegar o carro, dar um belo brilho nele e levar para algumas paisagens exuberantes, mostrar o cara passeando, as folhas voando ao vendo, ao som de uma musica show? Simples e direto?

-Ah, mas isso não é criativo! – Sempre vai ter alguém pra dizer.

-Não? Tem certeza? – É o que eu pergunto de volta. E em seguida completo: – Mas este é o desafio, uai! Se fosse fácil, pra que a agência cobraria caro? E qual seria a diferença entre contratar uma boa agência ou pedir uma ideia pro porteiro ou pro ascensorista?
Quer ver uma propaganda que eu acho simplesmente perfeita pra vender um carro? Esta antiga, feita em 1987 do opala Diplomata:

Veja, mostrar um carro e exibir seu lindo design, opcionais, e características é algo que sempre vai envolver a criatividade. Como fazer isso sem apelar é o desafio. Não precisa botar um macaco dirigindo o carro, não precisa dizer que o carro é “carro design”, não precisa colocar o carro na Lua nem andando na parede pra ele vender. Isso que o publicitário pensa que é “criatividade”  eu chamo de papagaiada, chamo de pegar o caminho mais fácil. Chamo de jogar água fora da bacia.

Propaganda é pra vender. E deveria ser inclusive pra vender o produto, preferencialmente. Mas em muitos casos, não é isso que acontece.

Não tô aqui pra dizer como a publicidade deve ser feita. Não é meu ramo, não estudei pra isso, não ganho pra isso, mas eu como consumidor e como alguém que vê tv e está sujeito a publicidade, sei reconhecer uma jumentice quando a vejo.

Um exemplo do que eu estou dizendo é a propaganda do Ford Fiesta.

Me dá raiva porque eu quase comprei um Ford Fiesta. Eu já fui um pré-consumidor do carro. Em função disso, eu tinha noção exatamente do que me agradava naquele carro.  O Ford Fiesta é um carro super legal, que tem um público certo. Não precisa fazer marola nem papagaiada pra vender o Fiesta, pô. Mas ao invés de mostrar o carro, enfatizar o produto, a segurança, o design, a facilidade de usar, até o preço, que é um elemento fundamental… Os caras resolvem comparar o Ford Fiesta com UMA LAMBOGHINI PRETA!

Porra, meu. Tá de sacanagem. Só pode ser.

Isso é tipo querer vender um apartamento de dois quartos na Rocinha e pra isso comparar com uma cobertura duplex na Vieira Souto.

Essa propaganda me soa como “Você é duro e não pode comprar um Lamborghini? Então compre esse Fiesta e diga que comprou porque o porta-malas é espaçoso. O nome disso é “A raposa e as uvas”.
Eu posso estar errado, assumo. Talvez até funcione, já que a mente humana tem muitos mistérios, mas sinceramente, eu vejo o comercial e termino pensando: “Dane-se o Fiesta e suas curvas apertadas e porta-malas que cabe um kit gás. Eu prefiro a Lamborghini!”

Related Post

33 comentários em “Ford Fiesta fail”

  1. Sacanear os outros e chamar de pobre fodido é pau. Meu, essa pegou pesado.

    Pô, se fosse comprar contra um Opala SS ou Comodoro ou Diplomata até ia por que um Fiesta 1.6 consegue ser mais rapido que os Opalas que chagavam no maximo a 174 KM/h.

    Mas comprar essa coisa é como comprar um Gol Quadrado a um Mustang ou Camaro.

    Essa foi pior que a rural Willys Tunada, o Soul.

  2. Teste de curva o Fiesta ganha???
    Hoje mesmo vi uma Lambo entrando numa rotatória na minha frente e digo, se algum Fiesta no mundo entrar naquela rotatória numa velocidade próxima a da Lamborguini ai sim podem dizer que a propaganda é válida.
    Claro que essa hipótese é impossível até mesmo em sonho…

    • Não é velocidade em curva, e sim diâmetro da curva. O Fiesta clama que consegue fazer curvas mais fechadas. Ou seja, a sua direção tem mais jogo. Bom para manobras na cidade, estacionar, etc.

      Achei muito tosco. E engraçado.

  3. Tchê. tu mesmo matou a charada.
    Tu falas em público fiel e praticamente decidido.
    Esse tipo de vídeo é certamente pra atingir o público que já tem o carro. No intúito de provocar o upgrade pra nova versão.

    E não me parece que querem “comparar” os dois carros. Obviamente esses dois carros tem públicos totalmente diferentes e o vídeo quer simplesmente acentuar o estilo descontraído do produto que, provavelmente por meio de pesquisas, se descobriu ser o estido dos consumidores.

  4. Olha… na minha opinião essa propaganda é pra vender o Fiesta para mulheres.

    A moça mesmo diz “onde vou colocar minhas coisas?” quando abre atrás o carro. Um homem já diria que o motor é potente, vai a 300 Km por hora e etc. Mas ela não, e ainda diz “você é tão legal de dirigir” como se estivesse falando com o cachorrinho.

  5. Concordo com o SaM…
    A propaganda é tipo assim: “Não entendo nada de carro, vou comprar um Fiesta pra poder transportar minhas tranqueiras… rrsrsrs”

    Mas eu prefiro a Lamborghini, mesmo porque, não vou ficar andando com ela num estacionamento cheio de cones…hauhuahauhua!!!!

    • Foi-se o tempo em que mulheres não entendiam de carros, meninos! Mas, voltando ao post… Eu achei o comercial muito inteligente, ainda que ele te reduza a mera classe dos fudidos que não podem ter uma lamborghini. :sly:

  6. o comercial é ótimo.

    mostra que cada carro tem seu ponto forte e ponto fraco, mostra que uma lamborghini pode não ser perfeita para voce, não em todas as ocasiões.

    e o comercial atinge o publico alvo certo, aquele que entende a mensagem, pois para entender é preciso ter inteligencia, e normalmente quem é inteligente tem grana para comprar um fiesta zero KM.

    a ford não está preocupada com os burros, estes normalmente não tem grana para comprar um carro zero, ou se são burros-ricos (herdeiros e ganhadores da loteria) andam de lamborghini 24 horas, inclusive para levar a familia no supermercado.

  7. Cara isso funciona sim, faz as pesssoas pensarem da mesma forma de que quando seu time do coração perde a final do campeonato o que o comercial faz é nada mais do que incentivar o conformismo.

    O cara pensa “ja que nunca vou poder ter um lamborghini melhor comprar o fiesta mesmo, é a vida ne”

    Na minha opinião é uma estratégia de comunicação sádica.
    E caramba não tinha uma mulherzinha no minimo bonitinha não, essa dai me lembra aquele BM do philipinas got talent, tava vendo a hora ela relinchar.

  8. a intenção desse tipo de campanha é exatamente essa que vc causou aqui: gerar barulho e atenção para o carro.

    todo mundo sabe que o fiesta não está na mesma categoria que uma lamborghini, mas ninguém ia estar aqui comentando se no lugar da lamborghini tivesse um vectra gt, por exemplo.

    vc criticou a campanha, mas caiu diretinho nela! ;]

    • “…mas ninguém ia estar aqui comentando se no lugar da lamborghini tivesse um vectra gt, por exemplo.”

      Eu ia. Eu prefiro a lamborghini a qualquer outro carro existente, incluindo ferrari, hummer e até o batmovel. (ok, ok, eu admito, o batmovel não)

  9. Sinceramente, a propaganda não é tão tosca assim (a modelo dentuça sim), tem pior: as propagandas de margarina, de listerine, e agora aquela ridícula com os meninos da vila imitando a Bionce, que eu nem sei que produto que tão anunciando (alguém sabe). Afinal aquela propaganda parecia que era pro Dunga. Ainda bem que não colou.

  10. hehehehe

    Phillipe que me desculpe, mas zoando, o pessoal consegue mostrar as qualidades do carro. Aliás lindo carro esse Fiesta, não fiquei nem um pouco interessado numa Lamborghini ; potencia e preço não é tudo.
    O importante num comercial é criar assunto, se vc assiste e acha legal mas segundos depois nem se lembra mais, não presta. Qualquer um q assistir este comercial vai comentar em conversa de bar.

  11. FAIL mesmo é o Fiesta mutante apresentado atualmente.. Uma falta de respeito com o consumidor brasileiro ( que babaca como é, continua comprando).. Muda o capô, lanternas, etc… e já era. “NOVO FORD FIESTA” … a traseira,praticamente igual a antiga e todo mundo engole…

  12. Concordo com o Pedro Lopes e o Roberto, A lamborghini é foda sim mas nos dias de hoje com excesso de carros (rush) cidades apertadas rodovias com limite de velocidade e radares a curta distancia etc. o carro seria somente a titulo de status pra curtir ao maximo só se alugar um autodromo e olhe lá…
    A tecnologia dos carros de hoje são muito superiores a de dez anos atras aproveitando a deixa do Opala já tive um de luxo ano 79 e sinceramente não aceitaria uma barca daquela mais nem de graça mesmo sendo SS 6 cilindros banco de couro etc. como foi o meu, não se compara a um carro 1.0 de hoje acredite…
    O comercial foi inteligente a unica parte infeliz foi em falar do porta malas afinal quem tem poder aquisitivo para comprar uma lamborghini não faz compra em supermercado tem a sua dispensa do tamanho de um em sua propria mansão e mesmo assim não a frequenta, o carro é status e ponto… :B

    • Exatamente. Eu concordo totalmente com você. Não vejo muito sentido em ter uma lamborghini no Brasil, porque aqui é uma esculhambação danada. Primeiro que as ruas e até (acredite se puder!) estradas federais tem quebra-molas. A quantidade de pardais (uma desculpa para aumentar o faturamento municipal) é astronômica, e as taxas de velocidade, somadas aos projetos de construção das estradas faz com que todo mundo tenha que andar quase parado.
      O único lugar onde uma lamborghini realmente se justifica para correr, é na Autoban alemã. Eu gosto muito do carro, mas pelo desenho, pela estética e pela história da marca. Sou fã do estilo desse carro desde molequinho. Não pelo motor, velocidade, retomada, taxa de aceleração, consumo, suspensão ativa e essas outras coisas que deixa tanta gente alucinado. Eu nem gosto de correr. Geralmente tenho problemas no trânsito porque eu pego meu Honda fit e ando na velocidade que tá na placa (velocidade máxima permitida) na pista da esquerda.

  13. Se bem que o Fiesta tem aqueles lance do motor Zetec Rocam, é um carro bem avançado. Eu queria um Fiesta ou Ka nem que fosse de presente. Mas quer ver propaganda idiota é só ligar na hora do Jornal Nacional, são as piores. Tem aquela da cerveja que o cara pega na mão e pergunta: “Nossa!Mas porquê essa cerveja é tão refrescante?” – sem nem ter experimentado…

  14. Só falta agora fazerem esse fiesta apostar corrida com a lamborghini. Mas para andar no transito caotico de São Paulo por exemplo éemlhor o fiesta mesmo fora que não chama tanta atenção de ladrão.

  15. Entendi… Então se eu quiser dar um passeio na Av do Estado no domingo ás 5:00 da madruga eh melhor pegar o Lamborghini, pois posso ir curtindo a pista vazia… Agoga, se vou no Shopping D tenho que subir a rampa com o Fiesta… o.O

  16. 1- comparar carro com tração dianteira com um de tração traseira.
    2- um carro com o entreeixo metade do tamanho do outro( se não fizesse curva melhor em baixa, era melhor bater com a cabeça na parede)porem, em alta velocidade vemos muitos mil trepados nas muretas das serras:pq será? acertou quem respondeu suspensão melhor trabalhada e bitola maior dos pneus..hehehehehehe

    3 – por fazer curva melhor por ter um entreeixo melhor, a ford entra em contradição (fudeu!!!!) quer dizer que o Ford Edge ou Fusion por exemplo são ruins por terem entreeixo maior e consequentemente fazerem a mesma curva que o Ford fiesta?kkkkk

    4- mesmo assim em muitas curvas o fiesta parece ter usado freio de mao para compensar as curvas em alta…….

    Abração Philipe

    • Esse cara entende da parada! pessoal, aqui está o Rubem Floriani, o cara que mais entende de carro que eu conheço, e meu grande companheiro de trabalho no dpt de design do Maglev. É o Rubem o “culpado” pelo visual do veículo.

  17. Essa achei mais legal,  ou menos babaca,  que a do Vectra GT subindo paredes. Quer dizer, se eu comprar o carro e ele não subir as paredes, quero reebolso e vou processar a GM por propaganda enganosa.

  18. Philipe,
    Desculpe comentar uma matéria com mais de três anos de vida, mas me sinto na obrigação de fazer certa defesa da estratégia utilizada para promover o Fiesta.
    Primeiro, a pontuação do óbvio: comparar um Fiesta com uma Lamborghini é como comparar laranjas e maçãs. São automóveis de propósitos completamente distintos. Se por um lado parece sem noção compará-los por esta exata razão, por outro é de uma sacada brilhante pois, como comparativo completamente anacrônico que é, chama a atenção. Veicular comercial tem por premissa chamar a atenção. Se fosse publicado um panfleto com as qualidades do carro, qual o público que isto viria a tingir? Veja que o objeto antagônico de um comercial não é exatamente sua crítica, mas a indiferença do público. Fale bem ou fale mal, mas fale de mim. O comercial é tão excêntrico e distinto que veio parar até no seu site, que nada tem a ver com carros afinal. Ponto para o comercial.
    Segundo, por mais que o desejo sempre recaia sobre a Lambo, todos nós sabemos que este é um sonho inatingível para a imensa maioria do mercado, e portanto não sentimos falta por não ter uma Lamborghini a disposição. O Fiesta, por sua vez, é algo atingível. Da mesma forma que não choramos por não ter a Olivia Wilde na cama todas as noites, mas podemos nos debulhar de tristeza por uma moça mundana qualquer pela qual venhamos a criar afeição, as qualidades do pequeno Ford nos saltam aos olhos, ainda mais com o contraste gerado pelo esportivo italiano, pois aquilo podemos ter. Trata-se de demonstrar o carro atingível com o contraste do panorama certo, que causa desejo, através da própria Lambo. Ponto para o Fiesta.
    Quer um exemplo disso? Procure um comercial da BMW em que a marca coloca Ferraris correndo em um circuito, evoca toda a aura mitológica acerca dos esportivos de Maranello e cria todo um ambiente que parece ser pura propaganda das vermelhinhas. Mas no final, quando fecha o box após os testes, o piloto entra em uma BMW série 3, e vai embora. Achei de genialidade tremenda, pois demonstra que por mais que a adoração absoluta recaia sobre algo que é essencialmente irracional e visceral, a racionalidade do uso diário pode muito bem encontrar banco dentro de uma M3, por mais que o cara deseje, de fato, as Ferraris. O mesmo, em menor escala, se aplica ao Fiesta.
    Convenhamos, quando você vê aquele carro no seu comercial ideal descrito, tal qual é a propaganda do Diplomata (carro do qual gosto muito, diga-se), você não o vê como o seu objeto último de desejo, mas você talvez o veja como um objeto extremamente desejável pela acessibilidade que dele se espere para a sua condição. Você pode querer o Diplomata, mas trocaria dez deles por um Cadillac. É esse o comercial direcionado ao público certo, pois de nada adianta apenas deslumbrar o público, mas sim atrair o comprador.
    No fundo, a certeza que fica é uma só: que você viu de cabo a rabo o que o Fiesta tem a oferecer, que ele é um carro puta legal tanto quanto você imaginava que fosse, e que ele tem uma praticidade e agilidade invejáveis. E de quebra, ainda tem diâmetro de giro bem menor do que um carro esporte puro sangue (hehe). Você, no final, prefere a Lambo, mas não vai deixar de ter outro carro só porque a Lambo você não pode ter (e, diga-se, estes superesportivos são carros horríveis para se usar de forma prática)
    Enfim, em alguns aspectos não adianta racionalizar, e o mercado está aí para nos provar isso, com uma profusão de crossoveres e SUVs de tração dianteira que são, sobretudo, inferiores a seus antagônicos sedans e peruas, mas que sobrem ao altar do consumo com enorme vantagem justamente por apelar mais fortemente a boa parcela do público.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares