Encontrada a maior quantidade de nada

Encontrada a maior quantidade de nada
Talvez só na astronomia que alguém consegue procurar nada. E encontrar!

A maior quantidade de NADA, absolutamente NADA MESMO jamais encontrada foi descoberta recentemente numa área do espaço.
Vamos entender o que é nada:
Nada é ausência absoluta de qualquer coisa. Nesse aspecto, trata-se de um buracão de cem mil milhões de anos luz no meio do espaço, onde não há gás, não há estrelas, nem galáxias, nem matéria escura. Não tem nada.
Num ponto de vista criacionista, poderíamos supor que Deus teve um “bloqueio imaginativo” quando estava trabalhando no espaço.

Ainda não se sabe qual a explicação para um buraco não conter nada no meio do espaço.
Usando um equipamento que analisa as radiofreqüências fósseis do tempo do big bang, o buraco mostra sinais de temperaturas ultra-baixas. (essa área escura aí)

Encontrada a maior quantidade de nada
A partir da constação do gigantesco nada, os cientistas surgiram com 4 hipóteses para explicá-lo.
1- È um vazio real. Ausencia de matéria na região
2- Onde não vemos nada está algum desconhecido objeto que está alterando os fótoons e seu comportamento, afetando as leituras.
3 – É fruto de um erro na medição ou um erro nas teorias.

A hipótese menos provável é a do erro na medição, já que testes mostraram que a margem de erro é mínima.

A análise daquele setor do espaço foi refeita usando varias bandas de espectro.
Na banda do visível não havia nehuma galáxia na região;
Na banda do rádio, também nada foi encontrado. O radiotelescópio usado foi o Very Large Array (aqueles do filme “contato”);

Com multiplas leituras, a suposição mais provável é que de fato não haja nada lá. Praticamente nenhuma matéria ou mesmo nehum buraco negro supermassivo ( a tal coisa capaz de afetar os fótons).
O problema de se encontrar um vazio desta escala é que isso afeta diretamente as teorias da gênese do universo, pelo qual acredita-se que houve uma violenta expansão a partir de um ponto único do cosmos. Se de fato essa expansão se deu de modo esférico, como uma gigantesca bomba, não deveria haver uma distribuição irregular a ponto de gerar buracos dessa magnitude no espaço.

Minha hipótese é a de que uma área do cosmos encontrou-se com sua contraparte antimatéria, anulando-se e sumindo. E aí? Colou?
Leia mais

10 comentários em “Encontrada a maior quantidade de nada”

  1. impressionante.
    realmente, um monte de nada .. eu nao consigo nem imaginar direito o que seria isso( ou não seria né, por ser ‘nada’)

    muito interessante a matéria
    aliás, o blog está muito legal, continue assim!

    Responder
  2. Tá na cara o que é isso aí. É uma tessitura na estrutura do espaço-tempo causada por um zéfiro.
    É tudo culpa desses viajantes do tempo, que tem gente que insiste em chamar de OVNIs. Acho que devíamos começar uma campanha: “Viajantes do tempo – go home!” antes que essa tessitura fique pior…

    Responder
  3. De certa forma, talvez não seja um “nada”.
    Se os astrônomos conseguem mensurar seu tamanho, é porque conseguem estimar onde esse vazio começa e onde termina.
    Se eles conseguem informação sobre algo que está “depois do nada”, significa que essa informação (ondas sejam-lá-de-que-natureza) chegou aos sensores terrestres (sejam eles telescópios, radiotelescópios, etc).
    Portanto… essa informação teve que atravessar o vazio para chegar até nós. Então o vazio não é vazio. É apenas um lugar que contém elementos “passageiros”.

    E aí? Acredito nessa hipótese.

    Responder
  4. Na verdade, o “nada” é calculado por exclusão.

    O radiotelescópio varre o céu captando uma fraca radiação que vem do princío de tudo. è a radiação do Big Bang.
    Existe uma área que não emite esta radiação. Esta área surge como um buraco na representação grafica das ondas. Então não é que eles saibam onde começa e onde termina. Eles sabem onde não há nenhuma emissão de radiação fóssil.
    É mais ou menos quando a gente bate à porta de um amigo e como não há nenhuma luz acesa e ninguém responde à camapaínha, não há som, inferimos que a casa está vazia.

    Responder
  5. Pôxa que interessante

    Se entendi sua teoria teriam achado o fim do mundo?
    Será que não existe ali algo que não conheçamos de fato ou não sejamos capazes de detectar com nossa tecnologia?
    Astronomia sempre foi algo que me deixou intrigado, igual fica difícil imaginar algo infinito, também é o oposto, imaginar o “nada”.

    Se o universo esta em constante expansão desde o início como que depois de tanto tempo conseguimos vislumbrar um lugar onde esta expansão ainda não chegou?? viajaram para o futuro? pegaram algum atalho para detectar esta região que deveria estar a bilhões de anos daqui? :omg:

    Pra mim é mais intrigante encontrar o Nada do que encontrar algo vivo lá fora

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares