Minha irmã roubou minha vida

“A vida imita a arte”.
É como dizia o ditado. Não pude evitar de me lembrar das cenas, algumas até toscas, em que gêmeas de novela desempenhadas por uma única atriz, passam-se umas pelas outras. É lugar comum nas novelas da Globo aquelas temáticas onde uma irmã boazinha (Ruth ou Paula) se vê em belos rolos criados por sua irmã gêmea, nem sempre um bastião da moral e honestidade (Raquel ou Taís). Eu sempre achei isso meio “forçada de barra”, mas li uma notícia e percebi que quase nada pode ser pior que um irmão canalha com más intenções.

Isso aconteceu no mundo real. A história parece até cena de novela do Gilberto Braga.
Vou resumir a notícia, que poderá ser lida em sua versão original aqui.

Linda Cowan estava atônita. ela havia recebido uma ligação de uma concessionária onde o vendedor reclamava do atraso no pagamento de um carro esporte conversível de última geração.
Linda não podia compreender o que significava aquilo, afinal vivia uma vida espartana ao lado do marido, numa pequena casa de dois quartos no interior dos EUA.
O vendedor pareceu desconfiar de Linda e suas alegações de que nunca comprou aquele carro. O vendendo disse que ele mesmo havia vendido o carro pra ela, e que se lembrava inclusive que ela parcelou uma parte do pagamento do veículo no cartão de crédito.
Linda gelou na hora. Alguém estava usando o nome dela para aplicar golpes na praça. Seguindo informações do vendedor, Linda passou a buscar informações com as empresas e financeiras dos Estados Unidos.
Para sua surpresa, Linda Cowan descobriu que “ela” havia comprado sem saber (e em muitos casos sem pagar) por nove carros, cinco celulares, TVs de plasma – e uma casa de quatro quartos avaliada em £250,000.
Linda, que nunca teve um cartão de crédito se viu envolta numa dívida impagável em várias operadoras de cartão de crédito.
Ao investigar o ocorrido, ela descobriu que a autora era sua própria irmã mais velha, Elaine, que havia conseguido criar identidade falsa, passaporte, documentos de todos os tipos e que havia assumido a identidade de Linda.

Elaine e Linda Cowan na adolescência

 

Elaine sempre fora uma menina mais feia e mais trambiqueira que Linda.
Elaine passou-se por Linda para conseguir emprego e comprar luxos. Aparentemente, Elaine Cowan era uma maluca que desejava viver a vida da irmã. A loucura chegou ao ponto em que Elaine se apossou por completo da identidade da irmã. Por não se darem bem desde a infância, elas viviam distanciadas. Sempre que Elaine entrava em contato com Linda, era pra esfregar na cara da irmã que ela tinha um emprego melhor, uma casa maior e etc…
Linda tentava não esquentar a cabeça, mas nunca poderia imaginar que a irmã maluca passaria a assumir a identidade dela. Sendo uma pessoa da família, foi fácil pra ela obter dados pessoais da irmã, como duplicatas de documentos e atestados federais de nascimento, seguro social, etc. Com isso Elaine aplicou vários golpes na praça. A maior parte em cartões de crédito. O objetivo não era desfrutar da boa vida e mordomias, mas para poder dizer à irmã que tinha mais que ela.
Resultado, LInda está na lista negra nos EUA. A lista negra é algo como o SPC.
Elaine foi processada e presa.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertismentspot_img

Últimos artigos