Como acessar sites bloqueados

Compartilhe

Eu acho que a internet tem que ser livre. Se seu funcionário fica no orkut e não trabalha, demita-o, mas pelo amor de Deus, não seja um mongol de bloquear cada site que o maluco vai. Tem um monte de gente que não pode ler o Mundo Gump no trabalho por causa desses bloqueios escrotos. ( como se adiantasse alguma coisa) mas o efeito é inverso. Acaba virando uma maquininha de gerar micro hackers na empresa.
Quem sabe se deve acessar um site ou não, tem que ser o usuário. Se o usuário não sabe se comportar, cabe a empresa usar seu método de pressão. A internet foi criada para NÃO SER CONTROLADA. Uma boa quantidade de Administradores de sistema alegam que bloqueiam para prevenir violações de segurança. Balela!
O A.S. faz isso porque pimenta no cú dos outros é refresco. Ele pode acessar o que bem entender. O resto? Quem liga para o resto?
Vírus. Eles alegam que o sistema fica vulnerável a virus. Assim eles bloqueiam todo e qualquer download, tornando o dia a dia num abinete de trabalho que depende de downloads de material de clientes, um verdadeiro martírio. Na verdade isso encobre uma puta duma PREGUIÇA dele de ter que manter o antivirus e firewall atualizado nas máquinas todas da empresa e ensinar as pessoas a se comportarem na internet.
Sem bons argumentos, só sobra o bom e velho “aumento da produtividade”. Ah, sim. Isso sempre cola. Quem em sã consciência iria questionar o sacrossanto “aumento da produtividade”?
O problema é que isso é uma ação inócua. A produtividade não aumenta porque o cara que conversava no MSN no trabalho não pode mais fazer isso. Ele vai levantar a bunda da cadeira e vai conversar na maquina de café. Ele vai andar por aí. A verdade é que quando a pessoa não quer trabalhar, não há santo, macumba ou energia cósmica que o faça mudar de idéia.
A outra justificativa é ainda mais tacanha: para proteger o usuário.

Imagina só, as empresas que bloqueiam a internet assim funcionam como o pai do Siddartha (Buda) que construiu uma espécie de “Show de Truman” para que ele não soubesse de nada ruim. Assim ele cresceu num mundo perfeito, sem saber da morte, das doenças e do envelhecimento.
Um dia, ao sair pelo cenário criado pelo próprio pai para iludí-lo, o jovem príncipe deu de cara com um velho doente que espiava por uma fresta. Teve um choque.
É aí que eu pergunto: A proteção do pai por toda a vida do garoto teve algum efeito?
Não adiantou nada. Imagina só se os pais de um bebê tivessem que fazer obra na casa suspendendo as tomadas à medida em que a criança crescia, para que ela inadvertidamente não colocasse o dedo na tomada. Alguém faz isso? Não. Mas no mundo corporativo, todos os administradores do sistema fazem. E se acham muito espertos!
Não é mais fácil explicar? E se a criança teimar em meter o dedo na tomada ( ou no meu caso, lambê-la) dar logo uma palmadinha?
Mas as empresas se acham tão espertas com “administradores do sistema”… Um cargo de tanto poder, né? Vão bloqueando download de drivers, sites importantes e até emails…

Mudei de idéia. Durante o dia inteiro hoje eu refleti sobre este texto e acho que eu estava errado.
Na verdade, continuo achando que o ideal seria que a internet fosse livre. Mas este é um mundo ideal. Utópico.
O mundo real está infestado de pessoas inescrupulosas e pessoas inocentes. A informática teve uma evolução extremamente rápida, pegando uma geração completamente de surpresa. E é justamente esta geração que está na cadeia produtiva atual. É natural que milhares de pessoas cometam erros graves que podem comprometer empresas e milhares de dólares.
O ideal seria que cada pessoa tivesse discernimento e comprometimento o suficiente para fazer um uso racional dos benefícios da rede. Porém, isso é uma coisa muito difícil de acontecer (para não repetir o termo “utópico”)
O uso que a massa faz é como se fossem macacos pilotando Ferraris. Você não coloca macacos para dirigir Ferraris porque eles irão bater. Assim entra em cena o A.S. tentando colocar um mínimo de ordem na balbúrdia. O A.S. coloca travas nas Ferraris para que elas não possam acelerar ou virar o volante. No máximo abrir o vidro. E assim o mundo segue seu trajeto intranqüilo apesar do fato de que isso não faz com que os macacos aprendam a dirigir. Aliás, isso deve fazer com que eles relaxem pensando que todo carro é como aquela Ferrari. E isso sim, pode ser um grande perigo.

Mas então é isso. Estou alterando a mensagem original para mostrar que não sou infalível e mudo de idéia como todo mundo. Outra coisa, nem sempre estas dicas irão funcionar. É provável que funcionem por algum tempo ainda, porém mais cedo ou mais tarde, cada um desses buracos será tampado.

Eu achei um texto excelente. Ele foi inicialmente publicado no blog GULP e reproduzido no Blog Meio Amargo. Muito útil sem dúvida.

Um verdadeiro serviço de utilidade pública. Então faço a minha parte pela liberdade de acesso, reproduzindo aqui também.

Com vocês, o texto:

Orkut bloqueado? Aquele Web Messenger pai d’egua foi bloqueado? Ou você tava querendo ver aquele site de sacanagem que também foi bloqueado?

Muita gente passa por esses aperreios… eu e meu amigo Harry Sujo podemos contar inúmeras histórias pelas quais passamos, tentando de mil e uma formas acessar a essas páginas… lutando contra o controle do maldito e desprezível Administrador do Sistema… Eu tenho o seguinte raciocínio: bloqueio só frustra o usuário… pego como exemplo o trabalho, onde sabemos que não é possível se concentrar 100% do expediente durante o trabalho… acredito que qualquer pessoa deva ter o direito de acessar o que quer, quando quer, mas preparado para assumir as consequências… mas existe o porém de que o bloquei faz com que você se torne mais produtivo… mas se querem produtividade total, então, coloquem máquinas para trabalhar no lugar … Mas vamos parar por aqui, pois não quero entrar em uma discussão ética do que é certo ou não, fazer… Segue as dicas de como vencer os bloqueios de seu trabalho/faculdade/sei lá o que mais:

1 – Acesse pelo IP:

Esta é a maneira mais simples de burlar bloqueios apenas por url. Ao invés de digitar por exemplo, youtube.com, você digitaria 208.65.153.242. Uma ferramenta online que lhe mostra o IP de um site você encontra aqui.

2 – Utilize o cache do Google:

Se o site que deseja acessar não é tão atualizado, ou a informação que procurada não é a mais recente, você pode tentar a imagem que está armazenada no Google. É só clicar no “Em cache” nos resultados do Google. Ou digitar o comando “cache:site” na pesquisa do Google. Exemplo: cache:http://gulp.com.br

3 – Tente um Anonymizer:

Por este método você acessa através de um terceiro servidor. São serviços oferecidos muitas vezes gratuitamente, onde você acessa o site que deseja, mas não sai deste outro site, que busca as informações que você quer. O problema acontece quando alguns desses serviços já estão bloqueados, ai deve-se tentar outra maneira. Para ver bons serviços, procure aqueles que encriptam a url, experimente utilizar o Proxify e o Block Stop, já famoso Anonymouse não oculta a url, então fica mais fácil ser descoberto pelos serviços de filtro.

4 – Utilize os tradutores online:

Esse método funciona quase igual ao descrito acima, como um web proxy. Você pode tentar o Babel fish do altavista e o Google Translate.

5 – Utilize o Google Mobile Search:

Não é a melhor maneira de ver o resultado, mas funciona, também similar a utilizar um web proxy. Link para o serviço.

6 – Utilize um servidor Proxy gratuito:

Existem diversos servidores proxies gratuitos. Por este método você deverá mudar sua configuração da internet, o que se faz facilmente em qualquer browser. Aqui segue uma lista deles. Os que iniciam com 200 correspondem a proxies no Brasil e podem ser mais rápidos.

7 – Receba páginas por e-mail:

Dessa maneira você receberá uma página de cada vez. Obviamente, não é possível acessar uma grande quantidade de informações. Alguns serviços; você utiliza SEND http://www.yahoo.com/ no corpo da mensagem e envia para [email protected] para receber a página. Serviços semelhantes ao web2mail. G.E Boyd tem uma grande lista de servidores, mas muitos já não estão funcionando.

8 – Tenha seu próprio servidor proxy:

Esta é uma técnica mais avançada e possivelmente a melhor. Ela necessita de um servidor que pode estar em sua casa ou um host. Você pode habilitar encriptação SSL e prevenir o roubo de conteúdo. Também coloque algum controle de acesso, mas sempre tenha em mente que alguém poderá encontrar e burlar sua segurança. Utilize o servidor Apache como servidor proxy, seguindo estes procedimentos (um pouco complexo) Com o Privoxy – mais recomendado – basta seguir as instruções desta página. Ou utilize o PHPProxy como seu servidor proxy. Você pode usar PHPProxy e fazer sua configuração.

9 – Use um proxy distribuído Tor:

Tor é um servidor proxy avançado que utiliza múltiplos servidores anônimos para um único request. Este necessita que você baixe e instale este aplicativo.

10 – Utilize um serviço alternativo:

Quando tudo acima falhar, você pode tentar trocar os serviços. Se o Gmail é bloqueado, você pegar qualquer outro serviço de e-mail mais desconhecido e habilitar o encaminhamento de mensagem no Gmail para este.

É isso aí. Para quem tem preguiça tem um outro jeito. Entre no Mundo Gump: www.mundogump.com.br e escolha entrar via proxy. Ali no campo que avi abrir escolha o site que você quer ir e boa viagem.
Para acessar o mundo gump em empresa com bloqueio, faça isso e coloque www.mundogump.blogspot.com lá no campo que vai entrar.
Como você não digitou um proxy ou digitou um tunnel na URL não tem como ser incriminado. O Mundo Gump abre o caminho pra você.

Artigos relacionados

20 comentários em “Como acessar sites bloqueados”

  1. infelizmente nada funcionou onde trabalho… mas pelo menos o Mundo Gump não é bloqueado!!!!
    Mas aproveitando a mensagem,eu tava olhando o video no site do Terra sobre a velocidade do avião que se acidentou… é impressão minha ou as luzes no fundo estão piscando de forma acelerada na hora em que o avião passa rápido pela pista?

  2. Gostaria de falar que gosto muito do seu blog e o conheci através do Papo de Homem, e sempre volto aqui. Mas, apesar de o funcionário que não quer trabalhar não ser melhorado bloqueando sites e concordar que esse fulano tem que ser despedido, na questão da segurança vc está completamente errado. Quando assumi a informática de uma empresa onde trabalhava não havia bloqueio algum na internet.

    E qual minha constação? Todos os computadores possuíam inúmeros vírus, trojan, etc. Os computadores viviam parando de bootar ou perdendo arquivos, e sabe de quem era a responsabilidade de colocá-los em operação novamente? Quem tinha a obrigação de recuperar documentos perdidos? Eu.

    Demorei um dois meses pra acabar com os problemas, mas voltaram a acontecer de novo. Solução? Servidor de Proxy Squid bloqueando tudo. Nunca mais tive problemas.

    O usuário final (aquele que não entende nada de computador mas o usa para trabalhar) não se importa em clicar em tudo que vê pra abrir cartõezinhos de natal com extensão “.exe” ou receber arquivos da Cicareli dando pro Dado Dolabela em copacabana via messenger, entrar em sites de totalmente inseguros, afinal, se algo der errado, ele chama o pessoal da TI e o problema é deles.

    O A.S não tenta proteger somente a empresa com o bloqueio, mas tenta tbm proteger A SI MESMO.

    Desculpe o texto gigante, mas me senti na obrigação de comentar esse post, espero que vc veja que nem tudo são flores nos ideais de liberdade absoluta.

  3. Olá Phillipe
    Esse post embora esteja ajudando alguns com certeza estará atrapalhando e prejudicando outros, tirando a “causa da liberdade” do assunto, infelizmente não é assim que as coisas funcionam no mundo real. Sou Administrador de Redes e trabalho fazendo projetos, instalações e manutenção de redes e computadores em ambiente corporativo, e você não acredita nas coisas que usuários leigos são capazes de fazer.
    A segurança de uma rede sem controle, que dá ampla liberdade ao funcionário para acessar, navegar e baixar o que vier pela frente irá indiscutivelmente cair por terra, comprometendo seriamente a segurança de outros pontos que necessitam de um ambiente seguro e confiável para transações comerciais e bancárias, além da possibilidade de roubo e destruição de dados confidenciais e prejuízo financeiro.
    Incontáveis vezes ví empresas terem prejuízos operacionais e financeiros por conta de vírus, trojans, cavalos de tróia, fraude bancária, e na maioria das vezes os problemas eram originados em micros de funcionários que tinham acesso irrestrito a internet e baixavam filmes pornô, fotos de mulheres peladas, episódios de séries de TV, enviavam e recebiam fotos por email, cartões virtuais, orkut e todo tipo de quinquilharia.
    Costumo aliviar e bater um papo com a pessoa da primeira vez, mas na reincidência o ocorrido é comunicado ao superior.
    Não existe Antivirus e Firewall infalível, ainda mais quando o problema vem de dentro para fora, eu mesmo submeto aos principais fabricantes de Antivirus semanalmente cerca de 10 a 20 arquivos suspeitos não reconhecidos por seus programas, e na maioria das vezes sou contactado para confirmar que eram variantes de vírus os arquivos submetidos e me avisando a partir de quando as atualizações de vacinas irão detectá-los. Não é tão simples como “Instale o Antivirus e pronto” o buraco é bem mais em baixo, e o barato hoje nem é mais prejudicar os dados do micro e sim roubá-los para obter vantagem financeira.
    Além de perder boa parte do seu tempo de trabalho nessas atividades o funcioáario, ainda causa o prejuízo operacional (com micros com problemas e rede congestionada) e financeiro (manutenções e visitas técnicas e roubo de dinheiro por via eletrônica)
    Até nas empresas mais liberais que atendo, algumas poucas páginas são permitidas aos funcionários, mas com monitoramento e acompanhamento devido para que surpresas nao aconteçam.
    Finalizando já que o assunto é longo e já escrevi um livro aqui, essas dicas mencionadas acima só terão resultado numa rede administrada por um Admin relapso ou mal preparado (talvez este tipo de admin vc veja fazendo o que ele não permita aos outros façam), mas se o sistema for configurado corretamente de nada adiantará os macetinhos mencionados acima.
    Ao funcionário cabe cumprir com sua obrigação, para isso é pago, não para ficar no msn, lendo blogs, baixando arquivos, navegar pelo orkut e aceitar todo tipo de coisa sem avaliar que consequências trarão ao seu ambiente de trabalho. Tempo livre todos temos em algum momento, em algumas empresas isso é aceito e o uso responsável da internet é permitido, mas sempre com restrições que resguardem o sistema.

  4. a philipe, eu concordo em partes com os rapazes ai de cima…
    eu pretendo trabalhar na area de computaçao tbm, e se eh ra ler blogs, orkuts e usar msn td bem, mas faça isso em casa po…

  5. Eh kr… dessa vez você falou como um user revoltado, e tenho que descordar. Quem trabalha no Helpdesk tmb é gente viu, assim como o pessoal do suporte, os Administradores de Sistema, os Gerente de Redes… se a bagaça ta bloqueada tem um ‘porque’, nem todos os usuarios tem uma mentalidade racional suficiente para fazer bom uso da internet, e mesmo com todos esses bloqueios, tem pessoas que passam noites em claro e dão a vida para manter o ‘sistema’ funcionando.
    Um brinde pra todos que cuidam da segurança de dados e pra todos da Ti.

  6. Phillipe
    Isso acontece, a gente as vezes se pega numa idéia e depois para pra pensar e vê que a coisa talvez não seja bem assim. Não esquente, poderíamos ficar aqui enumerando dezenas de motivos e citando vários exemplos, mas o que importa realmente é que a galera entendeu o porque dessas medidas serem tomadas e quais os seus objetivos.
    A internet é e continuará livre, apenas em ambientes sensíveis ela deve ser controlada e monitorada para cumprir o seu papel de ferramenta de trabalho, e não de diversão em hora inapropriada.
    Hoje após escrever o comentário acima, coisa de uns 45 minutos depois fui chamado por um cliente que estava relutando em instalar um sistema de controle de domínio e firewall em sua rede, o motivo da visita era a internet que não funcionava, e mais uma vez o motivo rapidamente veio a tona, o rapaz que opera o micro baixou somente na parte da tarde 3 filmes pornôs em sites pra lá de manjados, para entrar no site ele tinha que instalar um “inofensivo” controle active-x que alterou todas as configurações de rede da máquina e passou a enviar tudo que saia dela para um servidor deles, como o servidor deveria estar bastante congestionado por outros incautos infectados a conexão expirava e não se conseguia fazer nada, como o micro dele era o servidor de internet da rede (outro erro do cliente) a rede toda ficou sem internet por mais ou menos 2 horas e meia até que tudo fosse resolvido.

    SALDO DO DIA: Um servidor dedicado com controle de domínio e Firewall serão implementados, a conta do serviço de hoje vai ser descontada do salário do cara, e ele só não foi mandado embora pq é sobrinho do dono.

  7. Philipe, me dá uma dica. Faz tempo que tento acessar o Pandora, excelente site de música que foi bloqueado recentemente. Proxies não adiantam, pois são reconhecidos. Sabe alguma coisa que eu posso tentar?

  8. Vc tentou o esquema lá de digitar o ip do pandora e não entrou?

    Quem pode te ajudar nisso é a galera de TI que lê o blog aqui.
    Eu tb peno com tudo bloqueado no INT.
    Existe uma solução, que é deixar sua máquina de casa conectada e ligada o tempo todo e usar VNC para controlar ela e entrar através dela no Pandora.

  9. Assim você tecnicamente está dentro das regras, bonitinho. Quem está acessando é a sua máquina, em casa. Você simplesmente está capturando o sinal de video dela e enviando para seu trabalho, de onde você controla o mouse e o teclado virtualmente. È como estar em 2 lugares ao mesmo tempo. (mas avise em casa, senão sua mãe vai achar que há um fantasma usando o computador)

  10. [quote comment=""]por favor expliquem melhor pq nao dá pra entende nada[/quote]

    Imagina um programa que te permite controlar o computador completamente de qualquer lugar. È isso.

    Você pega o sinal de video da maquina da sua casa e opera ela lá do seu trabalho. Usando este programa você usa o orkut em casa, só que vê a tela no seu trabalho. (seu computador de casa fica como um zumbi, escravizado pelo seu computador do trabalho, sacou?)

    Como a rede bloqueia os acessos ao orkut da rede do seu trabalho, mas não da sua casa, você pode (em tese) acessar o orkut lá na sua casa e graças a este programa, ver ele no trabalho.

    Isso só é possível porque os dados de acesso ao site serão contabilizados pela sua conexão de casa. Para o firewall do seu trabalho sua maquina não esta acessando o orkut, mas sim um computador remoto. (o seu de casa)

  11. [quote comment=""][quote comment=""]por favor expliquem melhor pq nao dá pra entende nada[/quote]

    Imagina um programa que te permite controlar o computador completamente de qualquer lugar. È isso.

    Você pega o sinal de video da maquina da sua casa e opera ela lá do seu trabalho. Usando este programa você usa o orkut em casa, só que vê a tela no seu trabalho. (seu computador de casa fica como um zumbi, escravizado pelo seu computador do trabalho, sacou?)

    Como a rede bloqueia os acessos ao orkut da rede do seu trabalho, mas não da sua casa, você pode (em tese) acessar o orkut lá na sua casa e graças a este programa, ver ele no trabalho.

    Isso só é possível porque os dados de acesso ao site serão contabilizados pela sua conexão de casa. Para o firewall do seu trabalho sua maquina não esta acessando o orkut, mas sim um computador remoto. (o seu de casa)[/quote]

  12. [quote comment=""][quote comment=""][quote comment=""]por favor expliquem melhor pq nao dá pra entende nada[/quote]

    Imagina um programa que te permite controlar o computador completamente de qualquer lugar. È isso.

    Você pega o sinal de video da maquina da sua casa e opera ela lá do seu trabalho. Usando este programa você usa o orkut em casa, só que vê a tela no seu trabalho. (seu computador de casa fica como um zumbi, escravizado pelo seu computador do trabalho, sacou?)

    Como a rede bloqueia os acessos ao orkut da rede do seu trabalho, mas não da sua casa, você pode (em tese) acessar o orkut lá na sua casa e graças a este programa, ver ele no trabalho.

    Isso só é possível porque os dados de acesso ao site serão contabilizados pela sua conexão de casa. Para o firewall do seu trabalho sua maquina não esta acessando o orkut, mas sim um computador remoto. (o seu de casa)[/quote][/quote]

  13. [quote comment=""][quote comment=""][quote comment=""][quote comment=""]por favor expliquem melhor pq nao dá pra entende nada[/quote]

    Imagina um programa que te permite controlar o computador completamente de qualquer lugar. È isso.

    Você pega o sinal de video da maquina da sua casa e opera ela lá do seu trabalho. Usando este programa você usa o orkut em casa, só que vê a tela no seu trabalho. (seu computador de casa fica como um zumbi, escravizado pelo seu computador do trabalho, sacou?)

    Como a rede bloqueia os acessos ao orkut da rede do seu trabalho, mas não da sua casa, você pode (em tese) acessar o orkut lá na sua casa e graças a este programa, ver ele no trabalho.

    Isso só é possível porque os dados de acesso ao site serão contabilizados pela sua conexão de casa. Para o firewall do seu trabalho sua maquina não esta acessando o orkut, mas sim um computador remoto. (o seu de casa)[/quote][/quote][/quote]

  14. Esse foi um post que não deveria fazer parte de um blog sério. Esse tipo de conteúdo só demonstra o quanto a cultura da anarquia e da subversão ainda é presente no Brasil. O que vc disse basicamente é que nem dentro da minha casa eu devo ser respeitado. A partir do momento que eu sou dono de uma empresa, sou dono também de todos os recursos presentes nela. Os computadores e a rede são meus. Seria razoável que eu desejasse ser respeitado na minha vontade de não ver meus equipamentos utilizados para proveito próprio de outrem. Se funcionário quer acessar orkut que o faça em casa, numa lan house ou no horário de folga. Na hora do trabalho quero ver meus equipamentos utilizados em prol da produtividade da empresa.
    Trabalho em uma empresa que tem funcionários inescrupulosos que pensam estar em casa. Fazem miséria com os computadores e sobra pra mim a tarefa de consertar tudo. Aí vem alguém e me diz que é pra isso que sou pago. Errado. Sou pago pra manter a rede funcionando. Não sendo escravo de usuário mau caráter que fica visitando sites de jogos e pornografia que vão infestar o computador com pragas.
    No Brasil ainda estamops engatinhando nesse assunto. Aqui o usuário quer transformar o pc numa extensão da sua própria casa. Colocam papéis de paredes, esquemas de som, protetores de tela e tudo mais que puder fazer para empiriquitar a máquina. Depois ligam pro help desk reclamando que o pc tá pesado, travando.
    É triste ver que a cultura da gente ainda é a de burlar as regras. É de dar um jeitinho. Quando uso a rede da minha empresa em meu benefício próprio é o equivalente a trabalhar em uma oficina e usar as ferramentas e equipamentos pra consertar o meu carro.
    Um dia ainda teremos gente séria pregando não a transgressão, mas a educação, os bons costumes, a decência…
    Nota zero pra esse post.

  15. [quote comment=""]Esse foi um post que não deveria fazer parte de um blog sério. [/quote]

    Obrigado. esta frase salvou seu comentário. Veja, você discorda do teor do texto (espero que não tenha lido o texto tachado e sim a nova versão do mesmo, quando eu refleti e vi que estava errado)
    Então digamos que você concorda que o Mundo Gump é um blog sério. Aqui não tem putaria nem vírus. Então deve saber também que muitas empresas tem uma relação extremamente preconceituosa com relação aos blogs, boqueando-os todos por consideraer tudo como lixo. E outra, existem bloqueios completamente idiotas, como uma empresa que bloqueou acredite se quiser, o GOOGLE!
    E nesse pacote de estupidez empresarial vão os lixos, as sacanagens e também os blogs úteis e informações que poderiam ajudar as empresas.
    A finalidade de ensinar os macetes para evitar os bloqueios é dar a chance do cara que quer fazer seu trabalho de maneira séria de conseguir obter a informação que quer de um jeito menos “burrocrático”. Agora o uso que as pessoas farão dessas informações cabe apenas a elas e sua consciência, bem como suas conseqüências.
    90% dos bloqueios justificam sua existência baseado em uma idéia de que o usuário é um idiota que clica em tudo que vê pela frente, instala qualquer merda e pronto. Ou seja, os admins nivelam usuários por baixo.

    Em uma certa parcela, este ponto de vista é real. Mas convenhamos que é muito mais fácil bloquear tudo do que filtrar o que presta ou não na net ou ensinar ao usuário como ele deve se comportar na internet.
    Eu acho que se a política da empresa é taxativa com certos usos da NET, tudo bem. A coisa deve ser contratual. O empregado deve SABER disso e entender que a empresa NÃO CONFIA NELE e que ela vai BLOQUEAR o acesso dele. Ele trabalha lá se aceitar isso.
    Mas este não é o comportamento de todas as empresas. Para as pessoas que se sentem sacaneadas, o post é útil.

    São maneiras diferentes de lidar com o empregado. O comportamento de uma empresa para com os funcionários parece um pouco com o comportamento de certos pais na educação dos filhos.
    Existem pais que conversam e apresentam os pontos de risco na vida para os filhos. Usam exemplos do que acontece na mídia para educá-los. Essas pessoas crescem sabendo que o mundo não é perfeito.
    Outros pais preferem proibir os filhos e mantê-los em uma redoma com medo do mundo exterior.

    Geralmente, são esses que despirocam.

    A verdade é que se fosse investido mais tempo e dinheiro na formação e no discernimento do usuário, não haveria a ploriferação de mini hackers nas empresas.

    Este post não prega a transgressão – a menos que a política da empresa seja clara com relação ao uso de proxys. Do contrário, ele prega justamente a educação. Os admins devem descer do salto alto e reconhecer que SÃO PAGOS MESMO para manter tudo funcionando, mas sem inviabilizar o trabalho alheio, como acontece em muitas empresas.
    E os usuários tem que abrir os olhos e perceber que existe uma maneira de se comportar na internet com bom senso.

  16. Minha opinião é que a empresa tem que ser assim: Ao ser contratado o cara tem que assinar um contrato comprometendo-se a ter discernimento no uso do computador.

    Não teve, fez um monte de merda, entrou em site proibido no contrato, demissão.
    Foda-se mijou fora do penico é rua e tá acabado. Seja ele quem for.
    Agora se o cara instalou wallpaper, se colocou programinha trial que ferrou a maquina, a empresa conserta e debita o custo do salário dele.
    Isso é educar.
    Depois que dói no bolso, o uso da rede passa a ser mais inteligente.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.