Asas

Desde sempre o homem quis voar, mas foi só com a invenção das aeronaves, graças à compreensão dos conceitos básicos da aerodinâmica que isso se tornou possível. Antes que o avião fosse inventado, os pioneiros da aviação tentaram toda sorte de engenhos malucos para tentar sair do chão e habitar os céus, como os pássaros. Obviamente, a maioria era mal sucedida e isso resultava em acidentes cômicos e também trágicos. Muitos pioneiros acabaram se matando ao jogar-se de penhascos na tentativa de dar uma forcinha ao seu invento.

Seguidores do design de Dédalus, pai de Ícaro, a grande maioria começava seus projetos já numa premissa considerada errada, pois observavam os pássaros e por isso tentavam máquinas que batiam asas. Dá pra ver bem nitidamente isso com o conceito de R.J. Spalding:
Asas
O próprio Leonardo DaVinci projetou, ainda no século XV um sem número de maquinas voadoras, mas não se sabe ao certo se ele tentou realizar e construir algumas dessas invenções. Já no século XIX, alguns pioneiros fizeram maquinas que funcionavam como adaptações com asas para seus corpos. Isso mais tarde conduziria o engenho aéreo humano nos conceito da asa delta e do ultraleve.
Asas

Um dos mais famosos loucos a saltar de penhascos com essas traquitanas de pano, madeira e cordas foi Otto Lilienthal.
Asas

Nem a modernidade dos aviões a jato, controles por computador e aeronaves que ultrapassam a barreira do som deixou para trás o sonho de Lilienthal.
Asas

Mas com duas turbinas é mais fácil. Difícil é fazer uma traquitana que decole batendo asa.Durante décadas, todo mundo achou que isso fosse realmente impossível…

Agora, um grupo de sujeitos que vinham tentando obsessivamente construir algo do tipo, alegam ter conseguido:
Asas

 

Criado pelo inventor alemão Jarno Smeets, o equipamento que você vê aí em cima é uma espécie de asa delta que bate asas.

Em parte, a energia do aparelho provém do “piloto”, as asas presas ao corpo do corajoso (ou louco) sujeito funcionam como as asas de um grande pássaro, como o Albatroz.  Ele usou o mesmo material projetado para fazer velame de Kitesurf, um tipo de tecido super leve e resistente. Para auxiliar na decolagem, ele diz que usou dois controle de Wii modificados e também acelerômetros de smartfones, além de pequenos motores. Enquanto os braços provém 5% da energia necessária para o vôo, os outros 95% provém desses motores, que juntos dão 2000 watts de energia.  Em seu primeiro teste funcional, o aparelho permitiu ao inventor um vôo de um minuto.Tdo o sistema de controle é háptico, sem fios, usando o controle do Wii.

O vídeo é bem impressionante e nesses tempos de fakes cada vez mais elaborados, é difícil dizer se é falso ou verdadeiro. O que eu posso dizer é que se for fake, é um troll mundial com superprodução, sendo noticiado em sites de renome, como o Wired, o TechCrunch e Engadget. Embora uma grande parcela aceite a possibilidade de ser real, ainda existe muita discussão se o video é fake ou não. O próprio site de caçar fraudes, o Snopes.com diz que o caso não pôde ser determinado se ele se trata de uma fraude bem elaborada, ou se é um video real de uma incrível realização da aeronáutica individual.
Geralmente, videos fakes costumam ser postados por usuários anônimos, e praticamente não tem muitos dados de contato, o que alimentaria a discussão. Neste caso aqui, o cara tem nome e endereço, e há inclusive, um press release com ops contatos deles aqui. E os caras apareceram até mesmo no famoso e respeitado FINANCIAL TIMES.
Não sendo possível apontar um fake ou corroborar a veracidade do video, deixo com os leitores a missão de formar sua própria opinião sobre ele. O site do projeto tem mais informações para você construir sua opinião a respeito. A minha é que tem muita cara de caô. Não pelo video em si, que é muito bom mesmo, mas pela questão das baterias para alimentar esses motores. Sei lá… Seja fake ou não, é totalmente Gump esse negócio.

fonte

ATUALIZANDO: O troço é fake mesmo. O Felipe Pinho mandou o video em que o próprio autor assume que tudo se trata de um “experimento” na WWW.

Related Post

11 comentários em “Asas”

  1. Eu acho que se você vai documentar um feito “incrível” desses, eu usaria pelo menos a MELHOR Câmera possível… E não uma câmera com uma resolução tosca, pior que a GO PRO que o cara carrega no capacete.
    Eu filmaria a “decolagem” com a GoPro e de perto.

    Aos 30 segundos, justamente quando o cara vai decolar, os malucos entram na frente da câmera, e quando eles saem da frente acontece uma coisa curiosa… repare na sombra que o aparato faz no gramado. A sombra some! E o aparato perde nitidez.
    Na hora da “aterrissagem” acontece o oposto:
    O aparato vem chegando sem definição, passa o mesmo maluco na frente e quando ele sai de cena o aparato já está no chão bem mais definido.

    Essa técnica de colocar uma “figura real” na frente do “objeto fake” para fazer a transição entre o objeto fake e um objeto real é muito antiga e usada em larga escala em Hollywood.
    Um exemplo: 
    http://www.youtube.com/watch?v=d68yRIE9OvQ#t=37s

    Pra mim é um fake mal feito. Não sei como os blogs conceituados “caíram” nessa. Eu acho que é um viral e esses blogs/Financial Times SABEM que a parada é falsa, mas estão divulgando porque devem ter recebido uma grana de publicidade pro vídeo espalhar melhor.

    Só ainda não consegui pescar o que o vídeo quer viralizar.

    • Se o cara aparecesse tomando redbull… “redbul te dá asas!” Mas isso não aceontece, então, eu tb gostaria de entender, se no caso de um viral, que merda de viral é este que ninguém atenta para o produto. Tudo que o cara usa para fazer seu aparato é produto que já está anos no mercado, alguns em fim de linha…
      Há muita gente periciando este video, mas até agora contundentemente, ninguém PROVOU ser falso. A tentativa mais eficiente que eu vi foi deste cara:
      http://www.wired.com/wiredscience/2012/03/analysis-of-the-human-birdwings/
      E no fim ele diz que não pode garantir que seja falso.
      O fato de muitas pessoas apontarem o dedo dizedo que é fake assim de cara, acho questionável. A começar pela classica conversa fiada de chamar especialista de 3d e efetois especiais para opinar. Porra, o ganha-pão do cara é fazer 3d, você acha que um cara que faz 3d vai perder a chance de tirar uma onda dizendo que faz melhor? Se a gente fizer um teste, pegar uma coisa real escalafobética e perguntar para alguém da ilm o que ele pensa ele vai dizer que é 3d e ainda por cima que é mal feito.
      Agora, como eu disse no texto, eu penso que é uma fraude, mais pelo fato de que motores tão potentes necessitam de baterias bem potentes e fazer isso com baixo peso é um desafio. Não impossível, já que ele poderia estar usando uma bateria química de aplicação laboratiorial, mas é muito improvável correr daquele jeito com um pacote de baterias, dois motores e um monte de equipamento.
      Também acho que a asa sobe e desce pouco. Se olharmos um condor, ou um urubu, animais que tem asas grandes, eles precisam de um esforço ferrado na decolagem, e é neste momento em que a asa do animal se desloca muito verticalmente. As asas do aparelho do cara batem, mas é uma batida que lembra a de um urubu na térmica, quando ele precisa de pouco esforço pois pode planar e se aproveitar do vento ascendente…
      Eu não sei, há muita gente que fala que qualquer coisa que vê é fake (nos dias de hoje as chances deles acertarem é maior) mas enquanto não for transposto o campo das evidências, e surgirem provas de que é real ou falso, fico com a opinião do Snopes: Ainda Indefinido. Seja como for, isso custa caro. Alguém esta pagando por tudo isso… Não sei quem nem como, o que eu sei é que isso é conteúdo, e conteúdo pelo menos pra mim, dá dindim!

  2. Fake. O cara sempre aparecendo na frente na hora do pouso e da decolagem ficou muito na cara. A sombra também na hora da decolagem ficou esquisita. Ai eles cortam direto para o cara já em voo que poderia ser uma asa delta qualquer.

  3. Pra mim, que sou fissurado em animação 3d, isso é MUITO fake.  A decolagem, parece ser claramente feita no computador

    primeiro – os movimentos são estranhos, parece aquelas borboletas feitas em programas basicos de animação 3d

    segundo – para alçar voo, ele deveria estar numa velocidade bem maior. Na decolagem, ele está quase parado, quase que apenas subindo na vertical

    terceiro – o fato das asas estarem presas acima dos ombros, não permitiria ele ficar na vertical, por causa do centro de gravidade

    e tbm, a imagem da camera do capacete não balança conforme o corpo dele

  4. Acredito ser um falso bem feito. Esse papo de ter pessoas na frente antes da decolagem e depois na aterrisagem não cola. A oclusão tem que ser total para justificar a troca por um efeito especial. Ter pessoas na frente obstruindo parte do objeto aumenta a veracidade, pq é muito dificil passar um recorte da silhueta de um objeto em deslocamento no primeiro plano sobre outro em segundo palno sem que não se perceba o truque. A sombra não diz nada, pq o terreno é ondulado e pode oculta-la num nível mais baixo. É o mesmo papo do homem na lua, onde a sombra parece contrariar a direção do sol. O que me chamou a atenção foi um making off pobre sem demais explicações e imagens na parede que ilustram, enfeitam o cenário, apenas para justificar, mas não corresponde a um experimento com alto grau de seriedade. Não mostram outras tentativas, parece que foi de primeira. Outra coisa que me chamou a atenção foi a imagem de perfil durante o alcance de pontência necessário para dar sustentabilidade ao voo e ao piloto. É muito rápido, parece acelerado,  inverossímel. A câmera só pega o céu. Não se tem referência de nada no solo para determinar a velocidade que me pareceu quase nula ali naquele momento. Arf! O pior é se for verdadeiro e eu aqui só no bla bla bla.

    • É verdade mesmo, trata-se de um fake bem elaborado. Os caras deram uns moles em algumas coisas, mas é realmente muito trabalhoso fazer uma coisa dessas. Eu só não entendo bem o porque de fazer isso, mas creio que tenha a ver com obter grana de anuncios no youtube, ja que ele poderia fazer um video de 15 minutos, mas dividiu em 14 videos de pouco mais de um minuto. Pra mim isso deixa claro que há pelo menos um interesse em faturar com publicidade, independente de o vôo ser real ou não. Minha opinião é que é um video fake… Agora a Wired também está dizendo isso. Eles foram atras das referências do cara e não acharam nada que indicasse que ele é quem diz ser (Bob Lazar feelings): http://www.wired.com/wiredscience/2012/03/human-bird-wings-hoax/

  5. Correção: no voo de perfil mostra-se o fundo e percebe-se que não ha quase nenhuma velocidade no equipamento. Quanta força necessária pra isso. Será que as longas asas funcionaram como alavanca dando mais sustentabilidade e menos força?  Sera que o cara voou mesmo?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares