Sobre Philipe Kling David

Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar.
Saiba mais...

21 Comentários

  1. Eduardo Marques

    É deprimente o que os chineses fazem com as pessoas lá. Sinceramente, eu odeio chineses, japoneses e afins. Eles parecem que querem agradar o tempo todo, são de uma servilidade odiosa. No fundo, só querem lucro, lucro, lucro… Estou muito feliz de ser um latino livre, mal-educado e indisciplinado.

    Você bem que podia ter mostrado aquele meninozinho que tocava violino cujo vídeo eu enviei uma vez.

    http://www.youtube.com/watch?v=Hf1qCfh_Mo0

    Só para manifestar minha latinidade: VAI TOMAR NO CÚ!!! Obrigado.

    Responder
    1. Leonardo

      Com essa mensagem a única generalização que você provou foi que você é definitivamente um idiota.

      Responder

      1. Calma aí. Vamos manter o nivel aqui. O cara generalizou mas é comum a gente generalizar quando fica com raiva de alguma coisa. Eu mesmo, volta tenho que me policiar por causa de generalizações. A mais comum é que todo político é ladrão.

        Responder
      2. Eduardo Marques

        É, calma. Foi uma generalização, mesmo. Eu reconheço os grandes avanços culturais dos chineses e dos japoneses.

        A China só foi conquistada no séc. XIX porque se fechou ao mundo, tal era seu avanço, a boa “moral” que creditava a seus habitantes e a sua auto-suficiência. Achava que não valia a pena sair de lá. Os governantes passaram a investir mais na área social, e não em navios e armas.

        O Japão é outro que é triste de se ver hoje em dia, com a cultura completamente decaída. Na minha opinião, o que chamamos de “cultura japonesa”, hoje em dia, não é senão reconstituição dos bons tempos, pura fantasia de mangá. Minha opinião, claro, sujeita ao meu modo de pensar e o meu conhecimento sobre o assunto.

        Philipe, desculpe ter mandado a sugestão duas vezes, foi sem querer.

        Responder
  2. Marcos

    Cara… de todos aí, quem realmente cativa é a garotinha do Tico Tico… haushuashuashuas!!! Todos os outros tocam os instrumentos de maneira sisuda, mas ela parece esta brincando com o teclado…

    E o lance das mãozinhas então?! Hehehehe!!!

    Responder
  3. Isabella Brito

    Pra mim, quem mais me impressiona é uma garotinha japonesa chamada Aimi Kobayashi, tocando coisas absurdas no piano com 6 anos de idade… eu comecei com 8, ver esse tipo de coisa me faz pensar no quão importante realmente é começar cedo com o instrumento.
    Para o Eduardo Marques: se você acha que só asiáticos são assim, é porque não conhece esse mundo mesmo. Eu que participo de concursos de piano desde pequena vejo esse tipo de coisa o tempo todo, com BRASILEIROS. Isso acontece no mundo todo, por as pessoas encararem a música como um tipo de esporte, quem é o melhor, quem toca mais rápido, quem é mais jovem. Lamentável.

    Responder
    1. Eduardo Marques

      Pois é, eu me manifestei daquela forma porque eu acho triste fazerem isso com as crianças. Eu tenho a séria convicção de que a sociedade, as suas instituições, é que devem servir às pessoas, e estas devem fazer o que podem por aquela, seguindo sua natureza e capacidade. Um governo não pode criar crianças como se fossem gado, quando a razão de toda estrutura organizada para elas deve ser só o bem-estar delas.

      Responder

  4. E o pessoal aqui acha a menininha do silvio santos um prodigio huahua.

    Realmente essas crianças não podem ser humanas além de tocarem com uma técnica absurda, da pra perceber que elas sentem o que estão tocando…a banda de jazz é o cúmulo, aquilo foi avacalhação hauha ( no ótimo sentido )

    Responder
  5. Lucas Nula

    Gostei do post, principalmente do último vídeo e o da vietnamita, que estava bem animada. Acho que ficaria mais surpreso com uma molecada integrando/derivando, ahahaha, não se vê muitos.

    Responder
  6. Pedro

    O guri de 8 anos é old pacas, mas o post não é de news, então passa… e tipo, ele começou a tocar com 4 anos. Se eu tivesse começado a tocar com 4 anos, eu solaria todas as músicas do Steve Vai de punho quebrado.

    Responder
  7. Igor A.

    Li um artigo uma vez qye afirma que é natural do ser humano manifestr aptidões logo cedo. O que ocorre é que não nos damos conta disso e mesmo quando damos, não “estimulamos”. Isso acontece em todos os lugares. Se no Japão, na China ou em qualquer outro país de fora eles dão um baita incentivo pra música e tal, mas pra outras coisas não é da mesma forma.
    O que tiramos disso é, se a escola não reconhece e não ajuda, cabe aos pais intervir (o que deveria ser feito em primeira instância, na minha opinião). E intervir não é simplesmente botar o filho na tv pra ganhar alguns trocados. Deixe o filho rabiscar as paredes de casa, se isso o for fazer uma obra prima, deixe ele pegar seu violão caro e batucar … deixe ele rasgar seus livros se for pra aprender a ler cedo … o importante é sempre motivar. Isso com certeza faz despertar o talento em qualquer um. Mesmo quem não nasceu num berço de ouro ou foi considerado gênio, pode vir a ser um pequeno notável se dermos um empurãozinho. O resto meus amigos, é história !!!!

    Responder
  8. Bruno Costa Vitorino

    Cara, eu achei o post interessante, mas só tem comentários sobre crianças que tocam instrumentos musicais, sei que não é fácil, mas existem outros talentos, como Mark Zuckerberg, programador do Facebook, ele aprendeu a programar computadores com 6 anos de idade

    Responder

  9. Sabe, eu acho que qualquer um pode escrever, dançar, cantar, tocar baste ser ensinado e conseguir aprendder ma há pessoas que cosneguem isso com mais rapidez( que o caso das crianças acima) mas outros que demoram mais tempo!
    a href=”” title=””>

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>