fbpx

Curiosidades, diversão, incrível

Vuvuzela Doom

Escrito por Philipe Kling David · 1 segundos de leitura >


Hahahaha. Quem será que inventa essas coisas?

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Hackers atacam a radio misteriosa UVB 76

em Curiosidades
  ·   33 segundos de leitura

7 respostas para “Vuvuzela Doom”

  1. Phellip (nao lembro como escreve).
    Seria interessante se voce fizesse um artigo sobre o The Hum (http://en.wikipedia.org/wiki/The_Hum). Me interesso muito por esses eventos e acho a matéria a cara do blog! Bem gump! Se você ja fez um artigo falando sobre isso desconsidere esse pedido. Abraço!

    1. Ótima dica, Guilherme. Eu não falei explicitamete no blog sobre estes fenômenos, mas eu coloquei isso na história do Mib. No encontro com o homem anônimo que apenas se identificou como Coronel, mas que ao que tudo indicava não era da ativa, ele me contava que que estes fenômenos vinham sendo estudados e catalogados há muitos anos e a origem deles era uma espécie de sinal de comunicação entre as bases alienígenas, que estavam enterradas cerca de 10km de profundidade, no leito dos oceanos. Na oportunidade ele falou do “bloop” e do “easy in, easy out”.
      Na história, era graças ao som do hum que eles conseguiram gradualmente fechar o perímetro e detectar a origem das criaturas que controlavam o Juca.

  2. Muito engraçado esse video.Eu achava Doom meio chato qundo eu jogava no meu play 1 mais com a vuvuzela é bem mais legal.

    1. Hahahaha muito bizarro. Agora a vuvuzela é o nome “hitler hit”. Falando nisso, tem um daqueles videos do hitler reclamando das vuvuzelas na copa, hahaha, esses caras não perdem tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.