Ultrageek – Caso Varginha

Participei do famoso podcast Ultrageek sobre o caso Varginha. Foi bem divertido. Aqui está.

Ultrageek 255 – Caso Varginha

Muito legal o Ultrageek. Assina lá véio.
Deixo meu abraço e agradecimento ao meu brother Tato e ao Prof. Maury. Em breve tem mais.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. me pergunto porque os radialistas, hj em dia, falam dessa maneira, uma hiperatividade vocal.. que coisa patetica…ate gostaria de escutar mas infelizmente isso é muito idiota…..

    • É um problema decorrente do tempo. Os editores do audio precisam encurtar o tempo e com isso eles tiram os espaços entre as palavras. O resultado fica parecendo a locução de um premio do Jockey. Mas não há muito como evitar. Se o programa fosse no tempo em que foi gravado teria duas horas e meia.

  2. Show de bola demais esse áudio. E realmente o Philipe fala muito e rápido, mas como perder uma palavra sequer? O assunto é por demais interessante e as informações valiosíssimas. Nem Roswell teve tantos eventos e implicações. No fim dá pena constatar que a vaidade contamina até mesmo os “paracientistas” e estraga a troca de informações. De todo jeito, parabéns pelo áudio, já ouvi duas vezes e ouviria mais, tranquilamente.

    • Eu não falo tão rapido, mas eu falo muito e para o programa não ficar com duas horas e meia, o editor corta os intervalos entre as palavras e parece que eu fico meio locutor do Jockey hahahaha.

  3. Ouvindo esse audio agora, passou pela cabeça, é bizarro que até hoje nunca tenham aproveitado tudo isso pra fazer um filme ou série, fora que tudo é muito rico em detalhes. Cinema americano extraiu ao maximo do caso Roswell

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimos artigos

Gripado

O dia da minha quase-morte

Palavras têm poder?