Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Aqui vamos nós em mais uma sessão de post onde eu começo sem saber onde vou parar.

Sempre que eu estou num lugar com amigos e o papo ameaça esfriar eu lanço mão de minha “arma fatal” para atiçar conversa:

-Gente, eu acho que o Michael Jackson está vivo.

E então eu espero a confusão. Nunca falhou.

Metade das pessoas começa a rir. Outra metade diz que “sabe” que ele está vivo. E claro, uma boa parcela começa a me zoar. Alguns dizem que ele deve estar no inferno. Outros falam que Michael Jackson morreu mesmo e que acreditar que ele está vivo é coisa para doido, que acredita que o Paul McCartney é um impostor ou que o Elvis está vivo e morando na Argentina.

O mais curioso é lançar a “bomba Michael está vivo” e me afastar, deixando o pau comer. É quase como jogar uma garrafa de álcool no meio de uma fogueira. Não tarda, pode começar até uma briguinha.

É verdade que eu nem sempre acredito na teoria da conspiração da morte forjada do MJ… Mas tem algo nessas teorias loucas que parece irresistível.

Gosto de ver como as pessoas reagem ao Michael Jackson, o que só me confirma que mais que o “rei do Pop”, esse cara foi (ou talvez ainda seja) uma figura absolutamente espetacular. Não é todo mundo que gera polêmica acalorada depois de morto – talvez mais do que quando estava vivo. Entre os poucos que conseguiram tal façanha, destaco Jesus Cristo.

Não, não estou comparando Michael Jackson ao Jesus Cristo, mas se você parar para pensar, e descolar Jesus do papel dele de filho de Deus, (vamos respeitar todos os que acreditam) veremos que mais que somente o “messias”, Jesus teve um importante arquétipo social e histórico, marcando a espécie humana de uma forma significativa nos últimos dois milênios (o que é pouco, e torna quase uma blasfêmia dizer que Jesus afetou algo na Humanidade, onde só o homem erectus tem 300.000 anos por aqui).

Vamos botar algumas coisas em perspectiva, como o fato de Jesus ser inovador, desde sua mais jovem idade, demonstrar ser diferente, com grande potencial. Michael foi chamado de menino prodígio. E tal qual aconteceu Jesus, destacou-se tanto ao ponto de praticamente sua fama engolir a existência de seus irmãos.

Michael Jackson desafiava a gravidade
Michael Jackson desafiava a gravidade

Jesus era produto dos planos de seu PAI, que é DEUS, e o mandou ao mundo com uma missão de trazer a luz para a humanidade.
Michael é produto das surras e espancamentos de seu pai covarde, que praticava assédio moral, pois havia encasquetado com um plano, de tornar-se rico através de seus filhos, onde Michael era o “Escolhido por ele” para brilhar.

Michael foi idolatrado por multidões. Deslizou pelo chão como se não tivesse gravidade (num passo copiado, mas foda-se). Jesus foi idolatrado, seguido por multidões. Supostamente andou sobre as águas, como se não tivesse gravidade e nunca saberemos se ele copiou isso de alguém (sim, antes e durante a vida de Jesus a palestina estava cheio de outros messias que faziam milagres, levitação e o caramba).

Jesus demonstrava grande afeição com as criancinhas… Não preciso dizer nada sobre Michael… Hehehe.

Jesus fez diversos milagres, tornou água em vinho.
Michael Jackson, seja por doença ou não, conseguiu algo estranho que foi mudar completamente sua aparência e inclusive a cor de sua pele.

Jesus pregava a igualdade e o amor.
Algumas letras de Michael Jackson “pregam” exatamente a mesma coisa.

Jesus defendia os fracos, os oprimidos, era um líder social, levando consigo doze apóstolos para viajar pelos lugares mais pobres e ajudar as pessoas.

Michael Jackson, junto com Lionel Richie compôs “We Are The World” e arregimentou 45 cantores famosos, para juntos fazerem um disco cuja renda seria revertida para ajudar a combater a fome na Somália na década de 80. O projeto que gerou 55 milhões de dólares foi um sucesso, graças a vendagem que atingiu 7 milhões de cópias só nos Estados Unidos, tornando-se um dos singles mais vendidos de todos os tempos.

b9ac2fe979721a85c36cacbb6b576c73

Jesus pregou no monte das oliveiras para uma multidão atenta. Michael fez shows pelo mundo no alto do palco para milhares de pessoas.

Jesus foi traído por seu discípulo preferido, uma pessoa em quem ele confiava. Michael morreu por confiar excessivamente em seu médico particular que não soube administrar um remédio, que supostamente o matou.

Jesus foi torturado, crucificado, sofreu, e enfim morreu diante de seus entes queridos.
Michael foi duramente criticado, atacado, sofreu toda sorte de bulling, perseguições judiciais, e morreu em sua casa. Imediatamente, o mundo em choque testemunhava sua “morte”.

Tempos depois de sua morte, Jesus reapareceu para uns poucos conhecidos.
Michael também supostamente reapareceu após sua morte e seu enterro. E isso deixa as coisas bem estranhas.

Se pararmos para pensar na estrutura da vida de Michael, podemos ver que ele segue – claro, não exatamente igual – um arquétipo similar ao de Jesus. A ideia de alguém diferenciado, capaz de mudar o mundo. Óbvio que é um exagero, até peço desculpas antecipadamente aos leitores que vêem nisso algo que os desagrade. Mas por pior que eu tenha mandado, você deve reconhecer que Michael Jackson parece ter uma vida muito mais pro lado de um ROTEIRO do que uma vida de verdade, né?

Foi preciso um tempo para que a sociedade se recuperasse do choque. E imediatamente após sua morte, o que parece é que as pessoas passaram a ver um outro Michael. Já não estava mais ali o pedófilo bizarro de comportamento infantilizado e playboyzado pelo excesso de dinheiro e poder. Ali estava somente o “rei do pop”, uma figura que revolucionou a musica em diversos níveis, cujos fãs choram e sofrem por sua partida até hoje…

E tal como acontece com os fãs, fiéis e seguidores de Jesus Cristo, o que é a grande esperança?

Se você chutou “que ele volte”, acertou em cheio.

Assim, quando eu me pego pensando de vez em quando: “será que aquele sacana está vivo rindo do povo?” Talvez eu só esteja preso a este mecanismo irresistível. Mas seria apenas um desejo se não fosse o gigantesco conjunto de elementos que podem apontar a verdade.

Michael Jackson não morreu?

Para entender por que diabos Michael Jackson pode não ter morrido, é preciso observar com cuidado certos aspectos inusitados da personalidade dele. Eu já disse aqui que ele não era qualquer um e que sua vida mais parece um grande roteiro do que uma vida simples. Michael sabia disso, e parecia atraído por esta ideia. Não por acaso, ele certa vez tentou comprar a Marvel apenas para fazer um filme onde ele seria o Homem Aranha.

Ao mesmo tempo que sua vida foi cercada de situações bizarras e polêmicas, como a queimadura durante a propaganda da Pepsi nos anos 80, sua morte é cercada de inúmeros elementos “mal contados” para dizer o mínimo.

Por exemplo, pouca gente sabe que Michael Jackson era literalmente obcecado pela ideia de forjar sua própria morte. Ele era fã do Elvis (que muitos sustentam que também forjou a própria morte), e chegou a casar com a filha do Rei do Rock.
Ele guardava recortes de jornais de casos assim, como John Stonehouse, Lord Timoyhy Dexter, Graham Cardwell, Steve Fossett, Dorothy Johnson, Ken Kesey, Ace Baker, Marcus Schrenker, que forjaram deslavadamente suas próprias mortes. Mihcael Jackson parecia atraído também por casos fictícios de mortes forjadas, como a de Sherlock Holmes e James Bond. Michael Jackson era tão fã de Bond (que falsifica sua morte em 007 – O espião que me amava) ao ponto de querer colocar a musica do filme em um de seus shows, tamanha identificação. De acordo com a lendária diva James Bond Shirley Bassey, Michael Jackson queria cobrir a sua interpretação de Goldfinger, a faixa-título do filme de James Bond com o mesmo nome.

A cultura Norte americana POP está repleta de casos envolvendo mortes forjadas. Em 24 horas, Jack Bauer frauda sua morte, Monk também frauda sua morte ao fim da sexta temporada,e também Gilda (o filme) a personagem frauda a própria morte, entre outros inumerosos casos, como nos quadrinhos e literatura diversa que Michael curtia. Aliás, a prova que Michael se inspirava em Gilda é que a obra, de 1946, foi usado por Michael como base para uma nova performance de “Smooth Criminal”.

Então, podemos dizer que Michael estava HABITUADO com a ideia de pessoas forjando sua própria morte. Mas isso não quer dizer rigorosamente nada. Do mesmo modo, o fato dele planejar uma música chamada curiosamente de “ressurreição”, não garante que ele esteja vivo.

Michael já vinha usando um expediente criminoso há algum tempo. Ele estava realmente viciado em drogas, e usava nomes falsos para conseguir a medicação. Muitas vezes ele se utilizou de expedientes engenhosos para despistar paparazzi, como vestir-se de mulher, usar manequins e treinar sósias. Diante dessa progressiva tendência ao blefe, creio que forjar a própria morte seria uma evolução natural para ele.

Mas há coisas que são inegavelmente estranhas. Uma é que Michael Jackson assinou um contrato de 50 shows “pensando” que eram 10.

Gente, não é o funkeiro analfabeto da esquina. É um cara que tinha bilhões no banco, (e que também estava cheio de dívidas) com um séquito de asseclas, entre médicos, advogados, baba-ovos e produtores de todos os tipos. COMO isso é possível? Não sei. Mas o fato é que o cara assina um contrato de 50 shows. E aí morre.
Estranhamente ele teria dado declarações dizendo que não sabia “se conseguiria fazer aquilo tudo.” Mas Michael estava afundado em dividas milionárias e foi persuadido a topar. Os ingressos imediatamente foram vendidos, e se espalharam no mercado negro por até 1000 dólares cada. No fim, a expectativa dos 50 shows de Michael gerou uma montanha colossal de grana. Havia muito dinheiro em jogo e isso é um detalhe que não pode nos escapar do radar, já que é uma ótima motivação, mais à frente eu explico o porquê.

Depois, no dia em que ele “morre” de overdose de tranquilizante, vai pro hospital (detalhe: O médico pessoal dele não vai junto) e a ambulância não vai com as sirenes ligadas.

Aí o corpo chega ao hospital. Tempos depois, um helicóptero busca o “corpo”. Aí a imprensa já estava mais em cima, com outros helicópteros, e aquelas teleobjetivas cavalas. E nessas filmagens, o que vemos? Segundo muitos, provavelmente seria o Michael se levantando! Seria um erro? Uma ilusão de ótica? Veja aí:

Então veio o enterro. O enterro pareceu mais um show do que outra coisa. Não mostraram o corpo. Nem os irmãos dele viram o corpo. Há uma foto circulando na Net faz tempo do Michael Jackson no caixão que se provou ser uma montagem. A verdade mesmo é que ninguém viu o corpo. Apesar disso, há videos na internet que mostram em muitos momentos do velório, alguns de seus irmãos rindo, como se estivessem o tempo todo tentando segurar a gargalhada e se esforçando para manter a seriedade na cerimônia.

Não obstante a isso, o caso estava cercado de muitos rumores envolvendo questões financeiras. Disseram que Michael tinha um caixa dois polpudo no exterior (o que eu não duvido, sabendo que ele tinha aquele pai lá de olho na grana dele) e nos EUA, sonegar imposto te leva pra cadeia, seja você quem for. Paralelamente, ele tinha a questão dos 50 shows, estava falindo e cheio (lotado mesmo) de processos nas costas. Nos seis meses que antecederam sua morte, o povo tava fazendo fila pra processar ele com exigências de somas do naipe de UM BILHÃO DE DÓLARES! E isso só Num dos casos. Até um príncipe da Arábia tava processando o cara:  em janeiro/09, O diretor de Thriler; Em fevereiro/09, um cantor africano; Em março/09, o Príncipe do Bahrein; Em abril/09, a tal da Billie Jean em pessoa , depois a Atriz de Thriller ; Em maio/09, o ex-publicitário e Porta-voz; Em junho/09 um promotor de shows. fonte

Com toda essa merda em cima, acho que até eu fugia.

Mas há um fator ainda mais estranho no caso Michael Jackson, que é o fato dele ter gravado com qualidade absurda um ensaio. Eu nunca tinha ouvido falar de ensaios sendo gravados com qualidade até o Michael gravar o seu ensaio do Show This is it com a (caríssima e complicadíssima) tecnologia IMAX cujos custos e dificuldade de produção são absurdamente desanimadores, sendo evitado mesmo em muitas das maiores produções cinematográficas já vistas. Mas no caso de MJ, Tudo isso foi usado para gravar um ensaio. Claro, podemos argumentar que Michael poderia ser esbanjador e sem noção até nisso, gravando o ensaio com qualidade final para fazer ajustes e “prever” sua obra. Mas, sei lá… Tudo é suspeito no caso. Até porque, após sua morte, o registro do ensaio (em IMAX) vira filme, arrecada milhões…

No fim, vende-se um show inexistente inúmeras vezes.

 

O filme, foi um estrondoso sucesso, pegando carona no apelo da morte do astro, e faturou mundialmente US$ 20,1 milhões apenas entre a pré-estréia e o primeiro dia de exibição. Nada mal para um registro de “ensaio”, hein? no exterior o resultado foi melhor ainda, mordendo US$ 68,5 milhões em bilheterias internacionais em seus cinco primeiros dias de exibição. Ou seja, não está incluído aí licenciamento, venda para Tv, dvds, bluray, nada disso.  “Não poderíamos estar mais satisfeitos – o resultado foi tremendo”, disse Rory Bruer, presidente mundial de distribuição no grupo Sony, ao ver os números.

Some a isso tudo a seguinte ( e curiosa) informação: O FBI tinha uma “pasta” do Michael Jackson, que ao que tudo indica, vinha sendo investigado há anos pelo órgão. Esse tal dossiê mostraria e confirmaria inúmeras informações sobre essa figura quase folclórica, como o fato dele realmente NÃO abusar de crianças como sempre alegou. E uma das coisas que o material posteriormente liberado mostra, é que ele vinha sofrendo extorsões e ameaças (inclusive de morte) constantes, principalmente  por parte de Frank Jones.

Curiosamente, Michael “morreu” num estado que permite que se forje a própria morte se você puder provar que sofria ameaças de morte. Conveniente, hein?

Aí depois da presepada do enterro e tudo mais, (onde parentes bem chegados a ele apareceram rindo nos bastidores)  e onde posteriormente se soube que as mensagens das pessoas que discursaram no velório eram pré-produzidas e dadas aos artistas para eles lerem, e onde o caixão do velório era diferente do caixão do enterro (algo que sempre vi as pessoas comentando) ele foi colocado numa cripta sem identificação onde nunca nenhum parente foi visto visitando. Em seguida,  veio o rolo do testamento.

O testamento deixado por Michael Jackson vem sendo contestado sistematicamente pela própria família: Ao que parece, as alegações são de que a assinatura não é dele e pra piorar, na data de assinatura do testamento, comprovadamente, ele estava em Nova York, como foi amplamente divulgado pela imprensa. A menos que Michael Jackson tivesse “onipesença”, tem merda aí! Segundo Randy Jackson: a assinatura é falsa no Testamento de Michael Jackson. Uma vez que a suposta data da assinatura, Michael Jackson estava em New York e não em Los Angeles onde foi lavrado o documento. Isso levanta a suspeita da utilização de pessoas interpostas (Sósias) do cantor.

Veja a assinatura do testamento:

Michael Jackson's will

 

 

 

Compare com as assinaturas de MJ que se podem achar aos milhares na internet (já que ele dava autógrafos a cada dois minutos)

michael-jackson-personalized-signature-2012md

Outra evidência ainda mais impressionante, é que o Michael ja vinha falando em tomar chá de sumiço bem antes do ano de sua morte. Pelo menos seis anos antes! Numa série de gravações liberadas bem depois que ele morreu, Michael aparece falando coisas impressionantes. Uma delas é que ele diz com todas as letras que achou “um lugar melhor onde ele gostaria de estar”. Veja a transcrição de uma de suas ligações:

É Michael. É muito importante, eu quero os 150 em conta pra mim, por que … eu estou muito preocupado com minha vida. Estou ouvindo um monte de histórias que (nome não revelado) ainda está tentando me sabotar… (não dá para entender) e eu quero estar em um ambiente diferente e, hum, eu encontrei um lugar que eu gosto e quero estar agora…(não dá para entender). Eu quero ser sumir por um tempo onde eles não podem me encontrar. Então, por favor me ajude, me ajude… (não dá para entender) me ajude, e,hum, mais importante do que… (não dá para entender). Nós somos irmãos.

Enquanto nesta primeira ligação para um amigo desconhecido, que passou as gravações para o jornalista Daphne Barak, Michael parece decidido a “se afastar”. Na segunda, mais assustadora, Michael crê que está sendo perseguido e ameaçado por alguém da máfia italiana. (o que talvez explique o interesse do FBI nele e talvez explique e justifique sua fraude)

“É Michael. Ahh, é 4:30 da manhã aqui é por isso que eu estou com sono, muito sono (risos) e eu estou muito cansado… Mas, por favor, verifique a mensagem que deixei um ou dois dias atrás. Eu estou muito preocupado. Eu não confio naquele homem. Achamos que ele é ruim, nós pensamos que ele é da máfia italiana. Por favor… temos de ser mais esperto do que ele. Então, por favor, me ajude com isso. Eu preciso conseguir isso, os fundos para que eu possa fazer isso, eu quero ficar longe… Eu não quero estar em Neverland agora. “

Então, depois, o astro pede algo incomum ao amigo:

“Se você recebeu está mensagem me ligue imediatamente no número 805 *** ****. Eu quero falar com você é importante, top secret … Eu preciso de um banco alemão ou suíço …”

Creio que o plano de fuga estava se materializando ali. O fato é que Michael estava parecendo desesperado querendo colocar dinheiro em contas no exterior, dizendo textualmente que estava sendo ameaçado e perseguido.

“Estou muito envergonhado. Mas, hum, eu devo ter algum financiamento em breve em Janeiro, ou 02 de fevereiro, e hum… É por isso que, nós precisamos ter um “Sun Screen” para a conta de 150. Por favor, não fique bravo comigo por… (não dá para entender) É algo que é muito importante para mim e minha família, porque eu estou… (não dá para entender) sendo perseguido, e eu acho que é (nome não revelado).”

Bom, é tudo muito “teoria da conspiração” realmente, mas temos que separar as hipóteses dos fatos. O que é fato confirmado é que Michael tava quebrado de grana (na grana declarada) e estava sendo processado por uma penca de pessoas. Também estava com a faca no pescoço para honrar empréstimos diversos, tinha medo de alguém da máfia e estava viciado em medicamentos. É fato também que há um rolo no testamento, e que há uma confusão dos diabos na investigação de sua morte. Depoimentos que não batem, versões controversas de pessoas envolvidas, aquele médico lá que não queria colaborar com as investigações. Há informações confusas e desencontradas sobre a autópsia, a morte jamais teve uma comunicação oficial do Hospital da UCLA, só da família, enfim…

E o melhor de tudo: Ele virou o astro mais lucrativo depois de morto. O faturamento anual do falecido astro pop foi de US$ 140 milhões de dólares, segundo a revista Forbes

O espólio do astro pop faturou mais que o dobro do cantor Elvis Presley, que morreu em 1977 e ficou em segundo lugar com US$ 55 milhões, e três vezes mais que Charles Schulz, cartunista criador do personagem Snoopy, terceiro colocado com US$ 40 milhões. “Poucas celebridades provam que existe uma vida financeira após a morte melhor que Michael Jackson”, afirmou a publicação.  fonte

Esses são os fatos, e em cima deles, se construiu diversas hipóteses em todos estes anos. A coisa ficou estranha de vez mesmo foi quando surgiu, em 25 de junho de 2011, uns turistas perdidos na noite de Paris, que vinham filmando a rua e deram de cara com alguém magro, pálido, usando máscara, e com bolsas da grife (Majesté Couture), cercado de seguranças, que pode ser o próprio MJ. Tire suas conclusões:

Pessoalmente, isso me parece mais um viral. (Quem ta se escondendo não dá mole na rua, mesmo de noite. Sai direto da loja para dentro do carro.)  A marca Majéstic Couture  aparece muito, e não imagino o Michael carregando bolsas. O video estava bem feito demais e em alguns momentos soa até coreografado. Seja como for, viral ou não, o video bombou. Acaba assim, sem pé nem cabeça, sem explicações, com os seguranças saíram na porrada com os turistas tentando tomar o Iphone.

Se foi viral, foi uma boa ideia, apesar de brincar com quem “está morto”.  O E-farsas também aposta que é um viral. 

Há quem diga que Michael está oculto lá em Dubai, e teria fugido pelos problemas financeiros, e também para se tratar da dependência química de remédios para a dor, que teria começado como consequência do tratamento das graves queimaduras do acidente com os fogos no comercial da Pepsi. Fugir assim e deixar o médico dele (que estava falido) se foder na prisão? Teria que rolar MUITA grana pro cara aceitar entrar nessa.

Eu não sei, não posso dizer nem que sim, ou que não. Se há uma pessoa que seria capaz disso, eu acho que é o Michael. MJ teve a vida marcada por ser uma “metamorfose ambulante”. Gostava de se disfarçar, pregar peças, era hábil em enganar paparazzi… Tinha grana, tava sendo pressionado,  e era muito amigo de magnatas do petróleo nos Emirados, de modo que nada impede que realmente ele esteja por lá, vivendo oculto e longe do assédio, controlando seu dinheiro através de um engenhoso e bem planejado sistema de laranjas e contas em paraísos fiscais.

A conspiração MJ é gigantesca e eu mal arranhei a superfície dela aqui. Há quem alegue que o Michael Jackson num golpe de ousadia supremo estava no próprio velório, maquiado e vestido como mulher loura. Não creio que ele se arriscaria tanto. Há quem diga que ele teria sido visto fazendo compras numa joalheria em Dubai… Nada disso pode ser provado irrefutavelmente.

Se Michael Jackson conseguiu seu sonho de fraudar a própria morte, é e talvez será sempre um mistério. (a menos que ele apareça, lógico)

Mesmo se Michael realmente tiver morrido, é fato que muitas pessoas já usaram este expediente de falsificar a própria morte, ao ponto de ter um verbete na wikipedia só disso. É claro que esses foram os que se deram mal e foram descobertos. Sem dúvida existem milhares de pessoas no mundo que “vazaram” e ninguém jamais descobriu.

Pra você ter uma ideia, existem até livros ensinando como fazer isso. 

How_to_Disappear_Completely

Será que Michael Jackson leu este livro?

Seja como for. Há uma legião de fãs ardorosos se agarrando a esperança que Michael um dia “retorne dos mortos”. Sob este aspecto, é irresistível não comprar o eterno “Rei do Pop” ao divino “Rei dos reis”.

 

 

Por que eu acho que Michael Jackson está vivo

Comments

comments

Aqui vamos nós em mais uma sessão de post onde eu começo sem saber onde vou parar.

Sempre que eu estou num lugar com amigos e o papo ameaça esfriar eu lanço mão de minha “arma fatal” para atiçar conversa:

-Gente, eu acho que o Michael Jackson está vivo.

E então eu espero a confusão. Nunca falhou.

Metade das pessoas começa a rir. Outra metade diz que “sabe” que ele está vivo. E claro, uma boa parcela começa a me zoar. Alguns dizem que ele deve estar no inferno. Outros falam que Michael Jackson morreu mesmo e que acreditar que ele está vivo é coisa para doido, que acredita que o Paul McCartney é um impostor ou que o Elvis está vivo e morando na Argentina.

O mais curioso é lançar a “bomba Michael está vivo” e me afastar, deixando o pau comer. É quase como jogar uma garrafa de álcool no meio de uma fogueira. Não tarda, pode começar até uma briguinha.

É verdade que eu nem sempre acredito na teoria da conspiração da morte forjada do MJ… Mas tem algo nessas teorias loucas que parece irresistível.

Gosto de ver como as pessoas reagem ao Michael Jackson, o que só me confirma que mais que o “rei do Pop”, esse cara foi (ou talvez ainda seja) uma figura absolutamente espetacular. Não é todo mundo que gera polêmica acalorada depois de morto – talvez mais do que quando estava vivo. Entre os poucos que conseguiram tal façanha, destaco Jesus Cristo.

Não, não estou comparando Michael Jackson ao Jesus Cristo, mas se você parar para pensar, e descolar Jesus do papel dele de filho de Deus, (vamos respeitar todos os que acreditam) veremos que mais que somente o “messias”, Jesus teve um importante arquétipo social e histórico, marcando a espécie humana de uma forma significativa nos últimos dois milênios (o que é pouco, e torna quase uma blasfêmia dizer que Jesus afetou algo na Humanidade, onde só o homem erectus tem 300.000 anos por aqui).

Vamos botar algumas coisas em perspectiva, como o fato de Jesus ser inovador, desde sua mais jovem idade, demonstrar ser diferente, com grande potencial. Michael foi chamado de menino prodígio. E tal qual aconteceu Jesus, destacou-se tanto ao ponto de praticamente sua fama engolir a existência de seus irmãos.

Michael Jackson desafiava a gravidade
Michael Jackson desafiava a gravidade

Jesus era produto dos planos de seu PAI, que é DEUS, e o mandou ao mundo com uma missão de trazer a luz para a humanidade.
Michael é produto das surras e espancamentos de seu pai covarde, que praticava assédio moral, pois havia encasquetado com um plano, de tornar-se rico através de seus filhos, onde Michael era o “Escolhido por ele” para brilhar.

Michael foi idolatrado por multidões. Deslizou pelo chão como se não tivesse gravidade (num passo copiado, mas foda-se). Jesus foi idolatrado, seguido por multidões. Supostamente andou sobre as águas, como se não tivesse gravidade e nunca saberemos se ele copiou isso de alguém (sim, antes e durante a vida de Jesus a palestina estava cheio de outros messias que faziam milagres, levitação e o caramba).

Jesus demonstrava grande afeição com as criancinhas… Não preciso dizer nada sobre Michael… Hehehe.

Jesus fez diversos milagres, tornou água em vinho.
Michael Jackson, seja por doença ou não, conseguiu algo estranho que foi mudar completamente sua aparência e inclusive a cor de sua pele.

Jesus pregava a igualdade e o amor.
Algumas letras de Michael Jackson “pregam” exatamente a mesma coisa.

Jesus defendia os fracos, os oprimidos, era um líder social, levando consigo doze apóstolos para viajar pelos lugares mais pobres e ajudar as pessoas.

Michael Jackson, junto com Lionel Richie compôs “We Are The World” e arregimentou 45 cantores famosos, para juntos fazerem um disco cuja renda seria revertida para ajudar a combater a fome na Somália na década de 80. O projeto que gerou 55 milhões de dólares foi um sucesso, graças a vendagem que atingiu 7 milhões de cópias só nos Estados Unidos, tornando-se um dos singles mais vendidos de todos os tempos.

b9ac2fe979721a85c36cacbb6b576c73

Jesus pregou no monte das oliveiras para uma multidão atenta. Michael fez shows pelo mundo no alto do palco para milhares de pessoas.

Jesus foi traído por seu discípulo preferido, uma pessoa em quem ele confiava. Michael morreu por confiar excessivamente em seu médico particular que não soube administrar um remédio, que supostamente o matou.

Jesus foi torturado, crucificado, sofreu, e enfim morreu diante de seus entes queridos.
Michael foi duramente criticado, atacado, sofreu toda sorte de bulling, perseguições judiciais, e morreu em sua casa. Imediatamente, o mundo em choque testemunhava sua “morte”.

Tempos depois de sua morte, Jesus reapareceu para uns poucos conhecidos.
Michael também supostamente reapareceu após sua morte e seu enterro. E isso deixa as coisas bem estranhas.

Se pararmos para pensar na estrutura da vida de Michael, podemos ver que ele segue – claro, não exatamente igual – um arquétipo similar ao de Jesus. A ideia de alguém diferenciado, capaz de mudar o mundo. Óbvio que é um exagero, até peço desculpas antecipadamente aos leitores que vêem nisso algo que os desagrade. Mas por pior que eu tenha mandado, você deve reconhecer que Michael Jackson parece ter uma vida muito mais pro lado de um ROTEIRO do que uma vida de verdade, né?

Foi preciso um tempo para que a sociedade se recuperasse do choque. E imediatamente após sua morte, o que parece é que as pessoas passaram a ver um outro Michael. Já não estava mais ali o pedófilo bizarro de comportamento infantilizado e playboyzado pelo excesso de dinheiro e poder. Ali estava somente o “rei do pop”, uma figura que revolucionou a musica em diversos níveis, cujos fãs choram e sofrem por sua partida até hoje…

E tal como acontece com os fãs, fiéis e seguidores de Jesus Cristo, o que é a grande esperança?

Se você chutou “que ele volte”, acertou em cheio.

Assim, quando eu me pego pensando de vez em quando: “será que aquele sacana está vivo rindo do povo?” Talvez eu só esteja preso a este mecanismo irresistível. Mas seria apenas um desejo se não fosse o gigantesco conjunto de elementos que podem apontar a verdade.

Michael Jackson não morreu?

Para entender por que diabos Michael Jackson pode não ter morrido, é preciso observar com cuidado certos aspectos inusitados da personalidade dele. Eu já disse aqui que ele não era qualquer um e que sua vida mais parece um grande roteiro do que uma vida simples. Michael sabia disso, e parecia atraído por esta ideia. Não por acaso, ele certa vez tentou comprar a Marvel apenas para fazer um filme onde ele seria o Homem Aranha.

Ao mesmo tempo que sua vida foi cercada de situações bizarras e polêmicas, como a queimadura durante a propaganda da Pepsi nos anos 80, sua morte é cercada de inúmeros elementos “mal contados” para dizer o mínimo.

Por exemplo, pouca gente sabe que Michael Jackson era literalmente obcecado pela ideia de forjar sua própria morte. Ele era fã do Elvis (que muitos sustentam que também forjou a própria morte), e chegou a casar com a filha do Rei do Rock.
Ele guardava recortes de jornais de casos assim, como John Stonehouse, Lord Timoyhy Dexter, Graham Cardwell, Steve Fossett, Dorothy Johnson, Ken Kesey, Ace Baker, Marcus Schrenker, que forjaram deslavadamente suas próprias mortes. Mihcael Jackson parecia atraído também por casos fictícios de mortes forjadas, como a de Sherlock Holmes e James Bond. Michael Jackson era tão fã de Bond (que falsifica sua morte em 007 – O espião que me amava) ao ponto de querer colocar a musica do filme em um de seus shows, tamanha identificação. De acordo com a lendária diva James Bond Shirley Bassey, Michael Jackson queria cobrir a sua interpretação de Goldfinger, a faixa-título do filme de James Bond com o mesmo nome.

A cultura Norte americana POP está repleta de casos envolvendo mortes forjadas. Em 24 horas, Jack Bauer frauda sua morte, Monk também frauda sua morte ao fim da sexta temporada,e também Gilda (o filme) a personagem frauda a própria morte, entre outros inumerosos casos, como nos quadrinhos e literatura diversa que Michael curtia. Aliás, a prova que Michael se inspirava em Gilda é que a obra, de 1946, foi usado por Michael como base para uma nova performance de “Smooth Criminal”.

Então, podemos dizer que Michael estava HABITUADO com a ideia de pessoas forjando sua própria morte. Mas isso não quer dizer rigorosamente nada. Do mesmo modo, o fato dele planejar uma música chamada curiosamente de “ressurreição”, não garante que ele esteja vivo.

Michael já vinha usando um expediente criminoso há algum tempo. Ele estava realmente viciado em drogas, e usava nomes falsos para conseguir a medicação. Muitas vezes ele se utilizou de expedientes engenhosos para despistar paparazzi, como vestir-se de mulher, usar manequins e treinar sósias. Diante dessa progressiva tendência ao blefe, creio que forjar a própria morte seria uma evolução natural para ele.

Mas há coisas que são inegavelmente estranhas. Uma é que Michael Jackson assinou um contrato de 50 shows “pensando” que eram 10.

Gente, não é o funkeiro analfabeto da esquina. É um cara que tinha bilhões no banco, (e que também estava cheio de dívidas) com um séquito de asseclas, entre médicos, advogados, baba-ovos e produtores de todos os tipos. COMO isso é possível? Não sei. Mas o fato é que o cara assina um contrato de 50 shows. E aí morre.
Estranhamente ele teria dado declarações dizendo que não sabia “se conseguiria fazer aquilo tudo.” Mas Michael estava afundado em dividas milionárias e foi persuadido a topar. Os ingressos imediatamente foram vendidos, e se espalharam no mercado negro por até 1000 dólares cada. No fim, a expectativa dos 50 shows de Michael gerou uma montanha colossal de grana. Havia muito dinheiro em jogo e isso é um detalhe que não pode nos escapar do radar, já que é uma ótima motivação, mais à frente eu explico o porquê.

Depois, no dia em que ele “morre” de overdose de tranquilizante, vai pro hospital (detalhe: O médico pessoal dele não vai junto) e a ambulância não vai com as sirenes ligadas.

Aí o corpo chega ao hospital. Tempos depois, um helicóptero busca o “corpo”. Aí a imprensa já estava mais em cima, com outros helicópteros, e aquelas teleobjetivas cavalas. E nessas filmagens, o que vemos? Segundo muitos, provavelmente seria o Michael se levantando! Seria um erro? Uma ilusão de ótica? Veja aí:

Então veio o enterro. O enterro pareceu mais um show do que outra coisa. Não mostraram o corpo. Nem os irmãos dele viram o corpo. Há uma foto circulando na Net faz tempo do Michael Jackson no caixão que se provou ser uma montagem. A verdade mesmo é que ninguém viu o corpo. Apesar disso, há videos na internet que mostram em muitos momentos do velório, alguns de seus irmãos rindo, como se estivessem o tempo todo tentando segurar a gargalhada e se esforçando para manter a seriedade na cerimônia.

Não obstante a isso, o caso estava cercado de muitos rumores envolvendo questões financeiras. Disseram que Michael tinha um caixa dois polpudo no exterior (o que eu não duvido, sabendo que ele tinha aquele pai lá de olho na grana dele) e nos EUA, sonegar imposto te leva pra cadeia, seja você quem for. Paralelamente, ele tinha a questão dos 50 shows, estava falindo e cheio (lotado mesmo) de processos nas costas. Nos seis meses que antecederam sua morte, o povo tava fazendo fila pra processar ele com exigências de somas do naipe de UM BILHÃO DE DÓLARES! E isso só Num dos casos. Até um príncipe da Arábia tava processando o cara:  em janeiro/09, O diretor de Thriler; Em fevereiro/09, um cantor africano; Em março/09, o Príncipe do Bahrein; Em abril/09, a tal da Billie Jean em pessoa , depois a Atriz de Thriller ; Em maio/09, o ex-publicitário e Porta-voz; Em junho/09 um promotor de shows. fonte

Com toda essa merda em cima, acho que até eu fugia.

Mas há um fator ainda mais estranho no caso Michael Jackson, que é o fato dele ter gravado com qualidade absurda um ensaio. Eu nunca tinha ouvido falar de ensaios sendo gravados com qualidade até o Michael gravar o seu ensaio do Show This is it com a (caríssima e complicadíssima) tecnologia IMAX cujos custos e dificuldade de produção são absurdamente desanimadores, sendo evitado mesmo em muitas das maiores produções cinematográficas já vistas. Mas no caso de MJ, Tudo isso foi usado para gravar um ensaio. Claro, podemos argumentar que Michael poderia ser esbanjador e sem noção até nisso, gravando o ensaio com qualidade final para fazer ajustes e “prever” sua obra. Mas, sei lá… Tudo é suspeito no caso. Até porque, após sua morte, o registro do ensaio (em IMAX) vira filme, arrecada milhões…

No fim, vende-se um show inexistente inúmeras vezes.

 

O filme, foi um estrondoso sucesso, pegando carona no apelo da morte do astro, e faturou mundialmente US$ 20,1 milhões apenas entre a pré-estréia e o primeiro dia de exibição. Nada mal para um registro de “ensaio”, hein? no exterior o resultado foi melhor ainda, mordendo US$ 68,5 milhões em bilheterias internacionais em seus cinco primeiros dias de exibição. Ou seja, não está incluído aí licenciamento, venda para Tv, dvds, bluray, nada disso.  “Não poderíamos estar mais satisfeitos – o resultado foi tremendo”, disse Rory Bruer, presidente mundial de distribuição no grupo Sony, ao ver os números.

Some a isso tudo a seguinte ( e curiosa) informação: O FBI tinha uma “pasta” do Michael Jackson, que ao que tudo indica, vinha sendo investigado há anos pelo órgão. Esse tal dossiê mostraria e confirmaria inúmeras informações sobre essa figura quase folclórica, como o fato dele realmente NÃO abusar de crianças como sempre alegou. E uma das coisas que o material posteriormente liberado mostra, é que ele vinha sofrendo extorsões e ameaças (inclusive de morte) constantes, principalmente  por parte de Frank Jones.

Curiosamente, Michael “morreu” num estado que permite que se forje a própria morte se você puder provar que sofria ameaças de morte. Conveniente, hein?

Aí depois da presepada do enterro e tudo mais, (onde parentes bem chegados a ele apareceram rindo nos bastidores)  e onde posteriormente se soube que as mensagens das pessoas que discursaram no velório eram pré-produzidas e dadas aos artistas para eles lerem, e onde o caixão do velório era diferente do caixão do enterro (algo que sempre vi as pessoas comentando) ele foi colocado numa cripta sem identificação onde nunca nenhum parente foi visto visitando. Em seguida,  veio o rolo do testamento.

O testamento deixado por Michael Jackson vem sendo contestado sistematicamente pela própria família: Ao que parece, as alegações são de que a assinatura não é dele e pra piorar, na data de assinatura do testamento, comprovadamente, ele estava em Nova York, como foi amplamente divulgado pela imprensa. A menos que Michael Jackson tivesse “onipesença”, tem merda aí! Segundo Randy Jackson: a assinatura é falsa no Testamento de Michael Jackson. Uma vez que a suposta data da assinatura, Michael Jackson estava em New York e não em Los Angeles onde foi lavrado o documento. Isso levanta a suspeita da utilização de pessoas interpostas (Sósias) do cantor.

Veja a assinatura do testamento:

Michael Jackson's will

 

 

 

Compare com as assinaturas de MJ que se podem achar aos milhares na internet (já que ele dava autógrafos a cada dois minutos)

michael-jackson-personalized-signature-2012md

Outra evidência ainda mais impressionante, é que o Michael ja vinha falando em tomar chá de sumiço bem antes do ano de sua morte. Pelo menos seis anos antes! Numa série de gravações liberadas bem depois que ele morreu, Michael aparece falando coisas impressionantes. Uma delas é que ele diz com todas as letras que achou “um lugar melhor onde ele gostaria de estar”. Veja a transcrição de uma de suas ligações:

É Michael. É muito importante, eu quero os 150 em conta pra mim, por que … eu estou muito preocupado com minha vida. Estou ouvindo um monte de histórias que (nome não revelado) ainda está tentando me sabotar… (não dá para entender) e eu quero estar em um ambiente diferente e, hum, eu encontrei um lugar que eu gosto e quero estar agora…(não dá para entender). Eu quero ser sumir por um tempo onde eles não podem me encontrar. Então, por favor me ajude, me ajude… (não dá para entender) me ajude, e,hum, mais importante do que… (não dá para entender). Nós somos irmãos.

Enquanto nesta primeira ligação para um amigo desconhecido, que passou as gravações para o jornalista Daphne Barak, Michael parece decidido a “se afastar”. Na segunda, mais assustadora, Michael crê que está sendo perseguido e ameaçado por alguém da máfia italiana. (o que talvez explique o interesse do FBI nele e talvez explique e justifique sua fraude)

“É Michael. Ahh, é 4:30 da manhã aqui é por isso que eu estou com sono, muito sono (risos) e eu estou muito cansado… Mas, por favor, verifique a mensagem que deixei um ou dois dias atrás. Eu estou muito preocupado. Eu não confio naquele homem. Achamos que ele é ruim, nós pensamos que ele é da máfia italiana. Por favor… temos de ser mais esperto do que ele. Então, por favor, me ajude com isso. Eu preciso conseguir isso, os fundos para que eu possa fazer isso, eu quero ficar longe… Eu não quero estar em Neverland agora. “

Então, depois, o astro pede algo incomum ao amigo:

“Se você recebeu está mensagem me ligue imediatamente no número 805 *** ****. Eu quero falar com você é importante, top secret … Eu preciso de um banco alemão ou suíço …”

Creio que o plano de fuga estava se materializando ali. O fato é que Michael estava parecendo desesperado querendo colocar dinheiro em contas no exterior, dizendo textualmente que estava sendo ameaçado e perseguido.

“Estou muito envergonhado. Mas, hum, eu devo ter algum financiamento em breve em Janeiro, ou 02 de fevereiro, e hum… É por isso que, nós precisamos ter um “Sun Screen” para a conta de 150. Por favor, não fique bravo comigo por… (não dá para entender) É algo que é muito importante para mim e minha família, porque eu estou… (não dá para entender) sendo perseguido, e eu acho que é (nome não revelado).”

Bom, é tudo muito “teoria da conspiração” realmente, mas temos que separar as hipóteses dos fatos. O que é fato confirmado é que Michael tava quebrado de grana (na grana declarada) e estava sendo processado por uma penca de pessoas. Também estava com a faca no pescoço para honrar empréstimos diversos, tinha medo de alguém da máfia e estava viciado em medicamentos. É fato também que há um rolo no testamento, e que há uma confusão dos diabos na investigação de sua morte. Depoimentos que não batem, versões controversas de pessoas envolvidas, aquele médico lá que não queria colaborar com as investigações. Há informações confusas e desencontradas sobre a autópsia, a morte jamais teve uma comunicação oficial do Hospital da UCLA, só da família, enfim…

E o melhor de tudo: Ele virou o astro mais lucrativo depois de morto. O faturamento anual do falecido astro pop foi de US$ 140 milhões de dólares, segundo a revista Forbes

O espólio do astro pop faturou mais que o dobro do cantor Elvis Presley, que morreu em 1977 e ficou em segundo lugar com US$ 55 milhões, e três vezes mais que Charles Schulz, cartunista criador do personagem Snoopy, terceiro colocado com US$ 40 milhões. “Poucas celebridades provam que existe uma vida financeira após a morte melhor que Michael Jackson”, afirmou a publicação.  fonte

Esses são os fatos, e em cima deles, se construiu diversas hipóteses em todos estes anos. A coisa ficou estranha de vez mesmo foi quando surgiu, em 25 de junho de 2011, uns turistas perdidos na noite de Paris, que vinham filmando a rua e deram de cara com alguém magro, pálido, usando máscara, e com bolsas da grife (Majesté Couture), cercado de seguranças, que pode ser o próprio MJ. Tire suas conclusões:

Pessoalmente, isso me parece mais um viral. (Quem ta se escondendo não dá mole na rua, mesmo de noite. Sai direto da loja para dentro do carro.)  A marca Majéstic Couture  aparece muito, e não imagino o Michael carregando bolsas. O video estava bem feito demais e em alguns momentos soa até coreografado. Seja como for, viral ou não, o video bombou. Acaba assim, sem pé nem cabeça, sem explicações, com os seguranças saíram na porrada com os turistas tentando tomar o Iphone.

Se foi viral, foi uma boa ideia, apesar de brincar com quem “está morto”.  O E-farsas também aposta que é um viral. 

Há quem diga que Michael está oculto lá em Dubai, e teria fugido pelos problemas financeiros, e também para se tratar da dependência química de remédios para a dor, que teria começado como consequência do tratamento das graves queimaduras do acidente com os fogos no comercial da Pepsi. Fugir assim e deixar o médico dele (que estava falido) se foder na prisão? Teria que rolar MUITA grana pro cara aceitar entrar nessa.

Eu não sei, não posso dizer nem que sim, ou que não. Se há uma pessoa que seria capaz disso, eu acho que é o Michael. MJ teve a vida marcada por ser uma “metamorfose ambulante”. Gostava de se disfarçar, pregar peças, era hábil em enganar paparazzi… Tinha grana, tava sendo pressionado,  e era muito amigo de magnatas do petróleo nos Emirados, de modo que nada impede que realmente ele esteja por lá, vivendo oculto e longe do assédio, controlando seu dinheiro através de um engenhoso e bem planejado sistema de laranjas e contas em paraísos fiscais.

A conspiração MJ é gigantesca e eu mal arranhei a superfície dela aqui. Há quem alegue que o Michael Jackson num golpe de ousadia supremo estava no próprio velório, maquiado e vestido como mulher loura. Não creio que ele se arriscaria tanto. Há quem diga que ele teria sido visto fazendo compras numa joalheria em Dubai… Nada disso pode ser provado irrefutavelmente.

Se Michael Jackson conseguiu seu sonho de fraudar a própria morte, é e talvez será sempre um mistério. (a menos que ele apareça, lógico)

Mesmo se Michael realmente tiver morrido, é fato que muitas pessoas já usaram este expediente de falsificar a própria morte, ao ponto de ter um verbete na wikipedia só disso. É claro que esses foram os que se deram mal e foram descobertos. Sem dúvida existem milhares de pessoas no mundo que “vazaram” e ninguém jamais descobriu.

Pra você ter uma ideia, existem até livros ensinando como fazer isso. 

How_to_Disappear_Completely

Será que Michael Jackson leu este livro?

Seja como for. Há uma legião de fãs ardorosos se agarrando a esperança que Michael um dia “retorne dos mortos”. Sob este aspecto, é irresistível não comprar o eterno “Rei do Pop” ao divino “Rei dos reis”.

 

 

Por que eu acho que Michael Jackson está vivo

Comments

comments

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

error: Alerta: Conteúdo protegido !!