Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Até hoje não existe um consenso sobre como a Lua apareceu. Sabemos por medidas astronômicas feitas com raios laser, que ela está lentamente se afastando, o que sugere que no passado a Lua já esteve bem mais perto do que está hoje, com efeitos diretos sobre as marés e conseqüentemente o clima do nosso planeta. A lua encontra-se a cerca de 356.800 km e 406.400 km da Terra.
Astrônomos estimam que a Lua esteja em órbita da Terra a cerca de 4,5 bilhões de anos. Mas de onde efetivamente ela veio? Para tentar elucidar a questão, grupos de astrônomos têm feito simulações em computador para tentar encontrar a resposta. Mas, por enquanto, nada há de conclusivo. “Há várias teorias, mas nenhuma delas é suficiente”, revela Roberto Boczko, pesquisador do Instituto Astronômico e Geofísico (IAG) da USP. “Na verdade, sobram perguntas e faltam respostas.” Segundo Boczko, quatro hipóteses são as mais prováveis. Primeira: a Lua teria sido formada, depois do Sol, a partir de material remanescente da gigantesca nebulosa primordial que originou os planetas, satélites, cometas e asteróides do Sistema Solar. Segunda: o satélite se desgarrou da própria Terra. Terceira: a Lua se formou longe da Terra e foi capturada pelo planeta. Quarta, a mais catastrófica de todas: nosso único satélite natural se formou a partir de uma violenta trombada espacial, onde um asteróide, do tamanho de Marte, com diâmetro mais ou menos equivalente à metade da Terra, chocou-se com nosso planeta e lançou violentamente no espaço uma nuvem de fumaça e matéria incandescente, que se fundiu originando a Lua.


Caso a última hipótese seja a correta, a paulada entre os dois planetas deve ter sido uma coisa absurda de violenta, para ejetar tamanha quantidade de material, que foi aprisionado na órbita do planeta maior, que depois deu origem a Terra. Pensando neste aspecto, não é difícil imaginar que a Terra, em seu início de processo de formação já possuiu anéis como saturno possui.
Outro dia eu vi no Discovery algo sobre isso e se não me falha a memória, um cientista dizia que o outro corpo celeste, que atingiu a Terra devia ter a massa equivalente a Marte e viajava pelo espaço a 40 mil km/h. O cara propõe que o outro planeta ou mega-asteróide não atingiu a Terra em cheio, mas sim de quina, como um jogo de sinuca. Foi isso que evitou a destruição completa dos dois corpos, levantou um volume incomensurável de detritos de rocha e de quebra, deu origem à Lua.

A composição mineralógica na Lua, é similar a da Terra, com pequenas variações. Inúmeras missões tripuladas e não tripuladas à Lua feitas pela Rússia e pelos EUA mostraram que a Lua é formada de rocha Ígnea (a mesma que formou o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro) que é obtida através do esfriamento da lava vulcânica.
Muitos investigadores do espaço especulam que o choque se deu num período tão remoto que a Terra ainda era mole e quente.
Seja isso verdade ou não, é bastante provável que em algum momento próximo da sua gênese, a Terra tivesse anéis. Pensando em como seria a Terra se ela possuísse anéis como saturno, Um animador 3d chamado Roy Prol criou este video, feito em 3d que mostra o nosso planeta com anéis. Muito legal.


fonte fonte

Os anéis da Terra e a formação da Lua

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

15 ideias sobre “Os anéis da Terra e a formação da Lua

  • 21 de novembro de 2009 em 12:26
    Permalink

    Legal essa animação. Ficaria bem interessante a paisagem se os anéis realmente existissem…heheheheh

    Uma curiosidade: a formação dos anéis seria por detritos de rocha ígnea, também?

    Resposta
    • 21 de novembro de 2009 em 19:28
      Permalink

      Provavelmente sim. Caso um cometa passasse na região, poderia deixar uma grande quantidade de gelo tb.

      Resposta
  • 21 de novembro de 2009 em 18:00
    Permalink

    cara..eu NUNCA tinha parado pra pensar em como seriam os aneis visto do proprio planeta..MUITO bonito seria.

    que legal..

    Resposta
  • 21 de novembro de 2009 em 18:31
    Permalink

    E pensando por outro lado.., se tivesse mesmo, não teríamos a luz, troca boa?
    E quais serim as interferências nas comunicações, satélites seriam possíveis?
    isso nunca vamos saber, hehe, a nãos er que explodam a luz, como no filme The time machine. 😛

    😉

    Resposta
    • 21 de novembro de 2009 em 18:32
      Permalink

      corrigindo “não teríamos a lua” 😉

      Resposta
    • 21 de novembro de 2009 em 18:32
      Permalink

      corrigindo: “luz”=lua
      😛

      Resposta
  • 21 de novembro de 2009 em 20:17
    Permalink

    Caralho[1] :omg: ! Eu já estava de passagem comprada para morar na Lua, esse pequeno empecilho de a qualquer momento ser bombardeado por asteróides ainda passa, mais saber que Bill Gates (que é que tem haver com o assunto?) vai ser meu visinho, ah isso não dá!!! :X

    AbLua’s

    Eu-EuMesmoE_Irene

    [1] – http://desciclo.pedia.ws/wiki/Caralho

    Resposta
  • 22 de novembro de 2009 em 15:55
    Permalink

    um ponto interessante a se pensar é que na epoca da formaçao da lua ela estava beeeeem mais proxima…

    as marés que ela gerava eram incriveis.
    por dois fatores..

    alem de serem muito maiores que hoje (coisa de uns 200-300 metros de variaçao) tambem nao era agua que a força graitacional da lua puxava pis na epoca a terra era uma bolinha fumegante de magma.

    isso nos leva a marés de lava.

    deve ter sido muito divertido.

    UmPonto

    Resposta
    • 22 de novembro de 2009 em 18:56
      Permalink

      Caracoles. É isso mesmo, meu. Marés de lava. Que coisa! Nem tinha me ligado.

      Resposta
  • 26 de novembro de 2011 em 22:24
    Permalink

    pra mim o planeta terra nao ia ser omesmo que antes ja perdemos a metade do planeta tem paises que ja nao tem mais agua , todo mundo tao com prigissa de plantar , e conomisar  nos   gastos de agua e tomara que marte nao tenha vida pq estamos estragando1   planeta e vamos estraga outro .vai ser sim  muito bom  sim ter outro planeta  mais se for pra estragar e bom que nao tenha  estudei e achei a minha RESPOSTA  vai chegar 1 serta hora que tudo vai alundar de agua eo unico pais que sobreviver ea africa  pq a africa pq eles sao pobres mais valorisam o que tem tem sim muito puco mais mesmo nao tendo agua para alimentar seus filhos mais si esforsam para valorirar o pouco que tem  ass raissa  bjs

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2012 em 19:20
    Permalink

    Gostei mesmo dessa animação.

    Resposta
  • 4 de janeiro de 2013 em 9:57
    Permalink

    Virchi a terra ñ tinha duas luas meu rei,uma colidiu com a terra a muitos milhões de anos atrás findando os dinossauros.

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2013 em 13:16
    Permalink

    PHILIPE, voce poderia me explicar como é que a lua lá tão longe influencia as marés aqui na terra? Outra coisa, explique aí como é que os planetas mantém o seu vôo orbital, atração de massas? Mas se imaginarmos as distâncias, não parece ser possivel. Imagina o sol. lá tão longe, e no entanto ele tem o poder de manter os planetas girando en volta dele…? È de fundir a cuca! E essa de capturar um corpo celeste em movimento, quando ele passa perto de um outro astro maior e com mais massa? Me lembrou aqueles joquinhos de fliperama onde a bolinha è atrída por um imã, quando passa por uma certa “caçapa”,e fica vibrando enquanto estatela ali até parar por completo. ENIGMÁTICO ISSO TUDO NE?

    Resposta
    • 18 de fevereiro de 2013 em 23:16
      Permalink

      Tudo é atraído gravitacionalmente. Até o Sol está sendo atraído por massas maiores na nossa galáxia, o tempo todo. E nossa galáxia também está sendo atraída por outras maiores…

      Resposta
  • 19 de fevereiro de 2013 em 1:04
    Permalink

    Caramba!.. Imagina então o que vai acontecer na hora em que tudo começar a se encontrar….? Big bang, “expansão, Depois a “retração”? Não quero estar lá! Vai ser a maior explosão, depois vai começar tudo de novo? Ah não! De novo não!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.