O mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Estou com este post sobre um dos lugares mais incríveis do planeta agarrado na lista de posts a terminar faz tempo. Então, aqui está:

O mundo de sal

 

O sol se ergue sobre a vasta planície desolada. Ao longe, perto do horizonte que se estende infinito, como uma divindade onipresente, as vastas plataformas de pedra se iluminam, esquecendo a noite de frio cortante que poucas horas antes castigaram ferozmente o relevo.  O céu, antes dominado pelas estrelas, é agora  inundado com os primeiros raios de luz que mergulham sobre os montes de pedra e sal. A luz representando o renascimento da vida. As sombras que se contorcem lentamente sobre montículos brancos e brilhantes como infinitas estrelas, antes penduradas no firmamento e agora caídas pelo chão, surgem como a vida, desenhando contornos fantasmagóricos e estranhos, que nos remetem à aurora da existência humana.

Grandes platôs perdidos na bruma pálida que vagueia perto do chão descrevem uma cena fantástica, interrompida por raros e fugazes sinais da vida moderna. Um jipe, um caminhão que estala suas rodas sobre placas endurecidas de sal, uma placa solitária que balança ao sabor do vento, a poeira que flutua no ar e a tênue camada de água que recobre milímetros da superfície em certas épocas do ano…

Estamos no Salar de Uyuni, um lugar tão selvagem quanto perigoso, tão belo quanto assustador. A altura faz seu peito arder, mas não tanto quanto seus olhos, castigados pela intensa luminosidade, que quatro minutos antes, saía de explosões violentas, na velocidade de 300.000 quilômetros por segundo da colossal bola flamejante que chamamos de Sol.

O Sol e o Sal se encontram num abraço cósmico. O salar é isso. Sol intenso. Inclemente, energético. Luz que não acaba mais. A reflexão na fina camada de água que reveste as grossas placas de sal tem o poder de cegar pessoas e animais. Talvez por isso, o lugar seja considerado por muitos um local para se manter distância, apesar de seu atrativo estético único. A sensação lá é de não estar no mundo, mas sim numa dimensão paralela, num erro da Matrix, num outro planeta… Não existem adjetivos suficientemente claros para sintetizar o que corre na alma dos que visitam aquele lugar, encravado na Bolívia e patrimônio do mundo.

O Salar de Uyuni é o maior deserto de sal do mundo. Ele fica localizado no departamento de Potosí e no departamento de Oruro, no sudoeste da Bolívia, a 3.650m de altitude, este deserto é uma das jóias do altiplano andino. A NASA usa o Salar de Uyuni, uma vez que é imóvel e facilmente detectável, para descobrir e ajustar o posicionamento de seus satélites.

Satellite_image_Salar_de_Uyuni_-_Coipasa_-_Lake_Poopo

 

O lugar surgiu há cerca de 40 mil anos. Naquele tempo, a área do atual deserto de sal fazia parte do lago Michin, um gigantesco lago pré-histórico. Quando o lago secou, deixou como remanescentes os atuais lagos Poopó e Uru Uru, e dois grandes desertos salgados, Coipasa (o menor) e o extenso Uyuni. O Salar de Uyuni tem aproximadamente 10.582 km² de área, ou seja, é maior que o lago Titicaca, situado na fronteira Bolívia-Peru e que apresenta aproximadamente 8.300 km².

O volume de sal

Estima-se que o Salar de Uyuni contenha nada menos que 10 bilhões de toneladas de sal, das quais menos de 25 mil toneladas são extraídas anualmente. Além da extração de sal, o deserto salgado também é um importante destino turístico. Seus principais pontos de visitação são o hotel de sal, (atualmente desativado), e a Ilha do Pescado, com suas formações de recife e os cactos de até 10 metros de altura.

Piles_of_Salt_Salar_de_Uyuni_Bolivia_Luca_Galuzzi_2006_a

 

No início de novembro, quando começa o verão, o lugar se torna o lar de três espécies sul-americanas de flamingos: o chileno, o andino e o flamingo de James.

James-flamingo

 

Os flamingos aparecem no verão pois é quando se inicia o período de chuvas e também quando acontece o descongelamento das geleiras nos Andes que deixa o deserto de sal coberto de água, tornando-o um imenso lago com profundidade média de 30 cm. Nesse período, ele parece um enorme espelho que se confunde no horizonte com o céu. Assim, nessa época, os passeios ficam restritos a algumas áreas. Entretanto, entre abril e novembro todo o deserto de sal fica acessível, pois torna-se um imenso deserto seco com uma paisagem ainda mais exótica.

Salar Uyuni, Bolivia

 

Geologicamente, este deserto de sal é composto por aproximadamente 11 camadas com espessuras que variam entre 2 e 10 metros, sendo a mais externa a de 10 metros. A profundidade total é estimada em 120 metros e é composta de uma mistura de salmoura e barro lacustre. O deserto de sal é também uma das maiores reservas de lítio do mundo, além de conter importantes quantidades de potássio, boro e magnésio.

Além do deserto de sal, ilha do Pescado e as lagoas coloridas onde se vê os flamingos, é possível num mesmo percurso conhecer lagoas de águas termais, sendo uma delas formada de piscinas e a outra natural. Também existem gêiseres que exalam vapor a uma temperatura de 38°C, a mesma temperatura da água.

Outro local interessante é um cemitério com ossadas de antigos moradores da região.

A origem do sal provavelmente está relacionada com a imensa quantidade de vulcões na região, além da altura e a aridez do deserto contribuírem para sua formação.

salar-de-uyuni-1

 

As fotos típicas

Parte da diversão no Salar de Uyuni envolve tirar fotos. Afinal, qual o sentido em, ir num lugar que parece outro planeta e não registrar o feito para a posteridade, né? Quase todos os turistas fazem as fotos compulsórias, isso é:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1- O céu refletido na lamina dágua

salar_de_uyuni

 

2- Brincadeiras com a sombra

300px-Shadow_on_salar_de_uyuni

3- Brincadeiras de perspectiva forçada (mega-clichê)

P2241560

2012-04-22-25-salar-de-uyuni-bolivia-671

 

 

4- Frogviews diversos (frogview e um tipo de imagem com a câmera colada no chão)

Salar-de-Uyuni-car-wreck

 

jeep-salar-uyuni

 

 

5- Foto do pulo (quase todo mundo tira foto pulando naquele lugar)

salar-de-uyuni-image

 

Salar_De_Uyuni (1)

 

6-Silhuetas e reflexões

v5wFp

 

 

Salar-De-Uyuni

 

 

 

7-Fotos maneiras do céu. (essas aqui demandam um conhecimento bem maior dos paranauê)

 

29-jpg

 

salar-at-night

 

 

 

[box type=”shadow”]

Dicas para quem quer ir no Salar de Uyuni

Isso aqui não é um blog de viagem, mas acho importante deixar alguma dicas que peguei com quem já foi. Tem umas paradas que são ROUBADA TOTAL. Assim, se você curtiu esse visual louco, é bom saber delas.

– Saiba o que levar. Sério! Esquece a porrada de mala de rodinha pequena. É furada! Esquece vestido de festa, perfume, relógio chique, essas merdas que caem bem numa viagem do James Bond. Leve protetor solar fator vampiro! Leve casaco de viagem, aquele que é suficiente para te esquentar mas não te mata de calor ao meio dia. Leve sapatos confortáveis! Sério, meu. Isso vai mudar sua vida. Leve equipamento fotográfico de qualidade e JAMAIS-NUNCA-SOB-HIPÓTESE-NENHUMA-LARGUE-A-MOCHILA, principalmente na cidade, na rodoviária e etc!!! Se puder, leve tripé!

Hexagons, Salar de Uyuni, Bolivia
Se vc pegou passeio de passar a noite, poderá precisar de sacos de dormir de baixa temperatura ou similares Lá faz frio, chegando a -15°C, se puder optar, use botas de couro que não molhem fácil, luvas, e FUNDAMENTAL: Óculos escuros de lentes UV 100%, quanto mais Ray Charles melhor! Não importa em que época é a viagem. É recomendado ir o mais protegido possível.

– Se você puder se aclimatar, vai ser melhor. O salar está localizado a mais de 3.600m. se alguém vem diretamente do Rio de Janeiro, que é o meu caso, há uma GRANDE chance de ter desconforto e é normal sentir esse tipo de enjôo diabólico nos Andes. Se vc tiver como, é recomendado não se apressar na viagem. tente ficar uns 3 dias em La Paz antes para se adaptar gradualmente.

– Escolha a época certa: A melhor época é entre os meses de maio a novembro, dependendo da chuvas, também é possível em dezembro. Nos meses de junho a setembro (inverno) são as temperaturas mais baixas e céus mais brilhantes, ideais para uma aventura fotográfica. Fora dessa época é legal, mas tem mais nuvens. A estação chuvosa (verão), é entre janeiro e março, quando geralmente o Salar está alagado e transformada em um grande lago raso, mas o espetáculo visual é espetacular.

salt-uyuni

 

Atravessar o Salar nestas condições pode ser muito perigoso pq um carro pode atolar fácil. E se isso acontecer tem REAIS chances de vc morrer lá. Por isso, não entre numa de bancar o senhor fodão, alugar um carro e ir sozinho, pois você pode virar um personagem do “Sobrevivi” e isso na melhor das hipóteses!

– Tem que levar água.

– O primeiro passo é chegar na Bolívia. Dependendo de como vc vai, será roubada. Como não sei onde você está, não sei se ir pra lá será roubada ou não. Se vc crê em Deus, peça ajuda dele. Chegando a La paz, você vai pegar um busocão para Uyuni.

– Uma vez lá, você pode comprar o tour lá mesmo em Uyuni, porque é mais barato.

– Quem faz turismo na América do Sul já sabe como é isso. Existem inúmeras agências e os tours são praticamente iguais. Os valores variam muito (absurdamente se você tiver cara de trouxa) Em geral, dá pra fazer tours por 600  (U$ 88 em media ) a 700 bolivianos, mas tem gente que consegue negociar bem e faz por 500. Logico que nesse valor, pode esperar instalações precárias, comida razoável e falta de conforto. Aliás, esquece o conforto! Aqui é adventure, mermão! NENHUM passeio vai te dar conforto. Esquece isso. Conforto em deserto é utopia (tirando Dubai).

– Vendedores de passeio MENTEM! Isso é um fato. Então não seja trouxa de acreditar no que os vendedores vão te falar no meio da rua. Não feche com o primeiro a menos que você odeie seu dinheiro. Os caras tendem a mentir descaradamente dizendo que o tour deles “já está quase fechado e só falta você”. É incrível, todos os tours estão só faltando um para fechar lá, hahaha. Chega a ser ridículo.
Na rua principal, existem várias agências, uma do lado da outra. Entre em todas e tente ver a lista dos nomes dos turistas. Nessa lista consta o nome, nacionalidade e idade dos passageiros. Ali, você já poderá ter uma ideia de quem viajará com você. O risco mesmo é vc cair num pacote de religiosos fanáticos que vão rezando e cantando o caminho todo, tentando te converter. Já pensou que beleza?

– Se possível, tente fazer amigos logo no ônibus que sai de La Paz para Uyuni ou no próprio hostel que ficar em La Paz (principalmente se você estiver viajando sozinho). Se já estiver viajando com alguém, dá pra tentar negociar um descontinho. É comum que role desconto para 2 pessoas. Se o cara se negar, faz aquele clássico jogo duro. Agradeça, vire as costas e conte mentalmente até três para ver o sujeito baixar as calças desesperado.

– Se o seu grupo for grande, (4 pessoas ou mais), rola uma parada maneira: Você pode tente negociar para pagar um pouco a mais por pessoa (uns 50 bolivianos) e fazer com que o passeio seja só com o seu grupo de amigos. Isso muda TUDO. Pensa bem: è uma viagem para o meio do nada. Se vc for com gente chata e sem noção, FODEU!

– Esclareça eventuais dúvidas antes de pagar. Pagou, já era. Tenha em mente que eles mentem na cara-dura. Eles dizem qualquer merda pelo seu dinheiro. Se vc perguntar se tem Batman no hotel eles dizem que tem o Batman e o Super-homem! Tipo, um caô clássico deles é dizer que nos 2 hotéis tem tomada para carregar as baterias das câmeras (caô), que nos 2 hotéis tem chuveiro com água quente (EPIC CAÔ) e por aí vai.

– Se o seu tour é o econômico, pode esperar um chuveiro de quinta categoria e você tem que pagar 10 bolivianos. Quase nenhum hotel tem tomada, por isso vá preparado com baterias extras para seu equipamento, e verifique se está tudo carregado. A por merda que pode dar é vc estar no meio do nada e acabar a bateria. É natural que os hotéis de tours econômicos sejam verdadeiras espeluncas.

– Para evitar isso, só pegando o tour “caro”. Não é para pobres, pois as brincadeiras começam em U$1.000 por pessoa. E nem assim tem garantia de conforto não, mané!

– Comida parece ser padrão para todos os tours econômicos. Faça pesquisa antes de sair acreditando em tudo que se coloca na net.

– A qualidade do motorista afetará diretamente a experiência no tour. Se vc der o azar de pegar um mala sem alça vai ser uma merda.

-Não leve crianças pequenas sob pena de se arrepender mais que tudo na vida! Se levar sua parceira, noiva namorada, mulher, tenha certeza que gosta mesmo dela, que ela não é chata, que ela aguenta o tranco e ela não estará na TPM!

-Quantos dias ficar? Normalmente os passeios mais “padrão” tem uma duração de 4 dias, incluindo visitas à Lagoa Vermelha (Sud Lipez). Essa é uma viagem que pode ser MUITO HARD em veículos 4X4 e desconfortável para a maioria dos mortais. Se vc não esta acostumado a sacolejar num 4X4 a diesel entre pedras, o ideal seria 6 dias. Mas o bom mesmo é 8 dias, porque permitirá longas pausas nos albergues, viagens mais curtas e você vai apreciar mais a paisagem. Não vai er aquela correria para ver rapidinho isso, aquilo e vazar. Logico que um tour desta natureza pode dobrar o preço, mas vale a pena porque é um lugar mágico e único eu incluiria no programa um passeio guiado a um vulcão que poderia ser o Thunupa, Uturuncu ou Llicancahur (Licancabur) qualquer um deles é fantástico.
[/box]

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

12 respostas

    1. (x2)
      Fui pro salar do Atacama sozinho e foi muito maneiro! Aliás, é uma boa dica ir primeiro lá e depois no Uyuni. Se for primeiro no Uyuni, possivelmente o Atacama não terá graça nenhuma depois…

  1. Salvem!
    Fiz o tour pelo Salar em janeiro de 2007. Foi umas das aventuras mais bacanas que já fiz na vida! Na real eu fiz um mochilão pelo Peru, Bolivia e Argentina de 28 dias, passando por Machu Picchu e tudo mais!
    Realmente, pra ir pra lá você não pode estar cheio de “mimimi” senão não rola mesmo!
    Eu fui de La Paz até Uyuni de busão. 12 horas de busão por estradas que não são bem estradas. Faltando umas 2 horas pra chegar em Uyuni o busão quebrou. Foi tipo coisa de filme, o busão atolou e quebrou quando estava cruzando a linha do trem! Pensa no medo da galera imaginando o trem vindo e o busão parado no meio dos trilhos!
    Fechamos o passeio na agência em La Paz, não estou agora com minhas infos de viagens, mas salvo engano a agência era a Combitours. Foi bem tranquilo e a negociação fala mais alto. Se você não negocia, vai pagar mais caro! Na época pagamos 52 dólares por pessoa o tour de 3 dias de 4×4 até a Laguna Verde, que é fronteira com o Chile (Atacama). Lembro que eles estavam vendendo o tour por 90 dólares. então negocie!!!
    O primeiro dia é tranquilo, e é o dia que você conhece o Salar propriamente dito. Neste dia você dorme numa pousada da própria agência que é confortável até (conforto aqui não quer dizer luxo). Tudo muito simples, mas ao menos tinha água quente pra tomar banho. Os outros dias foi pedreira! Sem banho, nada! Dormimos numa parada junto a laguna Colorada (Vermelha) que foi umas das noites mais punks da minha vida! Pensa num frio de -15 graus, tendo que dormir numa cama de pedra e praticamente ao relento? hehehe.
    Comida do tour era o motorista da agência que preparava. Nada demais, geralmente miojo e mais umas coisinhas com Quinoa. Então se você acha que isso não é legal pra comer, é bom levar umas bolachas, salgadinhos, etc pra suprir a necessidade de comida. No retorno pra Yuni, último dia de tour o almoço foi na casa de uma familia local em uma vila no meio do nada. Lembro que o almoço foi Quinoa com ovo frito e uns pedaços de frango! Água eles não fornecem pro tour, apenas pra hora das refeições, então em Uyuni compre ao menos uns 5 litros de água pra ir tranquilo.
    E como o Philipe falou no post, deixe o grosso da tua bagagem na agência. Em geral eles fornecem (agência) serviço de locker pro pessoal. Leve o essencial mesmo. O essencial pra mim foi:
    – Óculos de Sol;
    – Protetor solar e protetor labial (você vai se torrar no sol da altitude);
    – Blusas (não precisa em excesso, mas leve aquelas com proteção pra temperatura negativa);
    – Botas boas para trekking;
    – Boné, chapéu o que for pra proteger a cabeça do sol;
    – Gorro;
    – Luvas;
    – Água;
    – Lanches rápidos (eu levei barras de proteínas, barras de cereal e mais uns salgadinhos);
    – câmera fotográfica ou celular com bateria ou pilha reserva.
    – Muito bom humor, pois o tour é coisa de guerreiro! Se não estiver na “vibe”, não vai curtir e ainda pode azedar o passeio de quem estiver junto!
    Sobre o tempo do passeio, acho que 3/4 dias é o ideal. Mais que isso é totalmente desnecessário… mesmo.

    Valeu!

    Juliano Carlos

  2. Cara, suas dicas são valiosíssimas e os comentários sensacionais. Já está incluído na minha lista de viagens, até pq, eu e minha namorida fotografamos. E esse tipo de foto é muito o meu estilo. Sonhando já!

      1. Ai tem que ser muito ninja para ficar com a perna certa ou recorrer a matrix rs rs rs

        Dei uma googlada e a maioria segue para o Photoshop para conseguir, mas como tenho visto algumas pessoas com essas fotos e estou indo para yuni daqui a alguns dias, bateu a curiosidade…

Deixe um comentário para BEZALEL Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.