Nada

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Agora no silêncio do palácio
Eu lembro da queda-de-braço
Sentindo a dor do cansaço
E ouvindo o buzinaço
Comemorando o fracasso
Do meu ganha-pão;
Era o poder que você queria
Eu burra não sabia
Quis evitar aporrinhação.
Você que faltou com respeito
Esfaqueou o meu peito
Sem nenhuma compaixão;
Se eu não estivesse dopada
Talvez desesperada,
Sem pensar em mais nada,
Repetiria minha eterna acusação,
Mas agora esse tempo é perdido
O golpe não faz mais sentido
De que adianta ser bandido
Na trocação?
Ja prevejo o desfecho
Dessa tua rasteira
Pega tua bandeira
E as desculpas protocola
Com sua cara de pau costumeira
Pra assumir meu legado
A terra arrasada, o povo desgraçado
já sem pão e nem brioche.
Vai treinando seu deboche
Pra explicar a criança sem escola
Todos pendurados num bolsa-esmola
Cantando a mesma canção,
O homem a mulher e o gay
Esperando o milagre que prometi e não entreguei.
Esfarrape suas desculpas mas não espere letargia
Dos que te apoiam hoje com enorme alegria
Esbanjam energia num discurso de coalizão
Esse seu governo de unidade
è onde vão te esfaquear na primera oportunidade
Passe para a história como o estepe furado
Sem eira nem beira
A derradeira solução que não resolveu
E deixou o Brasil na mão;
E nem vou faloar da disparada da inflação;
Espera que se o povo se irrita
Só te restará  sua esposa bonita
Pra dar jeito na confusão.
Porque o problema agora é teu de direito
Se iluda num governo perfeito
Pra tirar proveito
Da minha danação;
Com todo respeito
eu suspeito
Que já que está quase eleito
Esteja satisfeito;
Saio por força dos imbecis
Fraca, sôfrega, infeliz
Apeada do poder
Não tenho mais nada a temer
Não tenho mais nada
A temer
Mais nada
Nada, Temer.

Comments

comments

9 respostas

  1. Booooa !!!

    É a história de um fracasso,
    que começa com a mulher e termina com o satanista devasso,
    de um povo que votou errado,
    porque foi iludido e escolheu um lado.

    Mas a ideologia escolhida naufragou,
    e a nau da esmola distribuída afundou,
    porque a mulher mais do que podia gastou,
    e a conta de novo ao povo sobrou.

    O que é um crime que foi praticado,
    é o que revela que golpe não foi dado,
    e agora o chefe será trocado,
    desta vez por um todo empolado.

    Que foi eleito como segunda opção,
    mas agora tem o povo na mão.
    e a mulher pedala firme, quiça para fora do Brasil,
    e o chefe que aqui ficou, prepara tramoias a mil.

  2. Depois de tanta vergonha alheia
    Daquela gente falando em nome da nação
    Gente que deveria
    Em sua grande maioria
    Estar na cadeia
    Foi forte a frustração
    Não pelo resultado da votação
    Mas pela certeza desesperada
    Que nessa terra abandonada
    Regida pela conveniência
    Onde é cada vez mais difícil a sobrevivência
    Não virá tão cedo a mudança necessária
    Pois, com uma população tão otária,
    Tão facilmente manipulável
    Sempre se elegerá o mais fanfarrão
    Com algum discurso de salvação
    Que fará nossa vida mais miserável
    Dizendo que isso é inevitável
    Para o bem da nação (danação?)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.