Disque-seqüestro: Aconteceu comigo

Sharing is caring!

Já aconteceu com um monte de gente que eu conheço, talvez já tenha acontecido com você, ou talvez não. Ou ainda o pior, talvez ainda venha a acontecer, afinal em 2006 foram registradas mais de sete mil ocorrências desse novo tipo de crime nos órgãos de segurança do Sudeste do Brasil.

Aconteceu comigo e foi hoje, meia noite. O telefone tocou me tirando do vigésimo sono. Eu havia ido dormir nove e pouco, porque teria que estar de pé de madrugada para a formatura da primeira dama lá no primeiro distrito Naval. Então, pra nós parecia que eram umas duas, três da manhã. Eu estava bastante grogue e demorei a entender que o barulho que tocava no meu ouvido era o telefone e não o despertador. Como resultado disso, só atendi o telefone depois que o sistema da secretária eletrônica atendeu e acabou ficando tudo gravado. Como a ligação era a cobrar, todo o bla,blá,blá de “você ligou para… deixe seu recado após o sinal” foi ocupado com “chamada a cobrar, para aceitá-la continue na linha após a identificação” e o resultado foi que o meu “alô” entrou na hora certinha. E aí começou. Se preferir ouvir o que eu escutei de madruga, é só clicar ali:

[audio:http://www.portifolium.com.br/disqseqfinal.mp3]

Como podemos perceber pela minha reação, eu desliguei o telefone na cara do sujeito quando vi que era disque seqüestro, mas mesmo assim, a secretária eletrônica continuou gravando. O bandido nem notou que estava falando sozinho.

A estrutura do disque seqüestro é quase sempre a mesma, variando muito pouco, uma vez que é um tipo de operação quase sempre bem sucedida, o que produz uma menor necessidade de variação na “história”. A versão mais comum é a que um bombeiro ou policial ou ainda um paramédico liga para sua casa de madrugada. (o crime é bem comum nas noites de quinta, sexta e finais de semana, quando os filhos e pessoas da classe média costumam sair à noite e voltar de madrugada – ou de manhã em certos casos) O interlocutor, inicialmente o tal medico, bombeiro ou policial fala que ocorreu um acidente e que está com uma pessoa muito ferida.

A situação emocional do choque de ser acordado no meio da noite faz com que a vítima inocentemente dê “o serviço” para o vagabundo, dizendo coisas como “Ai meu Deus do Céu! Renatinha… Amor, é um bombeiro. Aconteceu alguma coisa com a Renatinha!” E daí o suposto bombeiro começa a falar que a vítima se chama… “Renata!”

Os pais estão em desespero e em menos de um segundo, o que era um policial, bombeiro ou paramédico se transforma num sequestrador que está de posse da Renatinha, geralmente, num morro. Eles vão matar ela se os pais não aparecerem com três, quatro, dez, quinze, vinte mil reais. ( o valor depende da boa vontade do bandido aliado a experiência dele em detectar o grau de confusão emocional gerado em sua vítima)

Segundo matéria da revista Veja, de 21 de fevereiro de 2007, os bandidos começam a atuar pelo telefone e fazer extorsão emocional. ” Eles te torturam emocionalmente, ameaçam atear fogo ao corpo do seu ente querido, ameaçam balear a pessoa e torturar até a morte. Em uma situação de alto estresse e medo, você acaba revelando mais informações que apenas vai ajudá-los futuramente a te fazer medo. Existe também a famosa frase: “se o telefone dela tocar aqui, agente mata!”.

Pense bem, se alguém realmente tivesse seqüestrado sua filha, por que teria tanto problema o telefone tocar? O medo não te deixa pensar, e você fica com medo de ligar ou envolver polícia. Bem, o que acontece é que no final das contas alguém perde em média 4000 reais.”

“O disque-seqüestro teve origem na Penitenciária Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, no Rio, há cinco anos. Em sua versão primitiva, presos convenciam as vítimas de que elas haviam sido sorteadas em promoções de empresas. Para receber supostos prêmios, como TVs e DVDs, elas deveriam comprar cartões telefônicos de celulares pré-pagos e repassar os códigos para seus interlocutores. O objetivo dos detentos, até então, era apenas manter os celulares em atividade para que pudessem continuar se comunicando com familiares e parentes ou administrando eventuais “negócios” fora da cadeia. A Coordenadoria de Inteligência do Sistema Penitenciário (Cispen) do Rio de Janeiro apurou que, em menos de seis meses, o bando da Carlos Tinoco lesou mais de 1.500 moradores das regiões Sul e Sudeste do país. Hoje, mais de 90% das ligações de disque-seqüestro continuam partindo do interior de presídios – a maior parte deles localizados no Rio”

Fonte

Embora a mecânica deste crime seja relativamente simples, ele ganhou certa sofisticação no aspecto emocional. Uma dessas sofisticações é a que o bandido-ator que se passa pelo ente querido espera para definir sua atuação baseada na voz da vítima. Homens com voz graves e mulheres com voz de mulher madura costumam ouvir um “Mãe! Socorro!” ou “pai, me ajuda” em meio a muitas lágrimas. O tom de voz é perfeitamente modulado para ser suficientemente rápido e lacônico, evitando transmitir qualquer outra informação além do choro e pedido de socorro. Como a coisa é rápida, a confusão mental e a descarga de adrenalina são fatores individuais que trabalham contra a própria vítima, que se vê alijada de seu poder de análise. O bandido imediatamente começa a falar rápido como vendedor de enciclopédia e ele não deixa você desligar. Quem desligam consegue sair ileso ao golpe. Mas o poder de ameaça dos caras é muito bom e eles conseguem em muitas vezes segurar pessoas inocentes na linha até que um comparsa numa motocicleta apanhe o pacote de dinheiro, jóias e etc.

As organizações criminosas, graças ao descaso e a incompetência das autoridades estabelecidas pela sociedade para lidar com o crime, conseguiram estruturar-se até dentro dos grandes presídios brasileiros, tornando-se uma espécie de centrais ou de laboratórios de prática criminosa. A democratização do uso de aparelhos de telefone, especialmente os celulares, avanço benéfico e desejado por toda sociedade, tornou-se ferramenta fundamental para esse tipo de extorsão.

Atualmente, os estudos e pesquisas a respeito desse tipo de crime, criado dentro de presídios do Rio de Janeiro, afirmam que já existem bandidos agindo fora dos presídios, aproveitando a criação dos “especialistas” das organizações criminosas. Talvez por isso é que as vítimas, que eram buscadas ao acaso, agora estejam sendo escolhidas e identificadas para a prática do crime. Ainda segundo estatísticas, por enquanto sem rigor científico, cerca de vinte por cento das vítimas chegam a pagar os valores exigidos pelos falsos seqüestradores.

A nova modalidade de crime exige de todos nós mudanças de hábitos nem sempre fáceis. O modo descontraído e despreocupado com que normalmente atendemos a ligações telefônicas precisa ser revisto. Aquele que está chamando é que deve saber exatamente com quem deseja falar. É quem liga que deve identificar-se. Quem atende ao telefone não deve dar informações em primeiro lugar sobre quem está falando, de onde está falando, a quem pertence aquele aparelho de telefone, etc. Principalmente as secretárias, sejam empregadas domésticas domésticas ou profissionais de escritório, já precisam adquirir noções básicas de segurança defensiva ao telefone. Fonte

O fato é que a coisa não tem cara de que vai acabar tão cedo. No meu caso, como não tenho filhos e não sabia que o meu cunhado (que tem a voz bem parecida com a do puto lá) não dormiu em casa naquela noite, desliguei o telefone na cara dos marginais, que ficaram falando pra secretária gravar. Talvez, se eu soubesse que o Rodrigo não dormiu em casa, eu tivesse até caído no golpe. Por sorte, eu não sabia e os meliantes deram um tiro n´água dessa vez.

Para todos os que sabem que podem ser vítima disso em algum momento do futuro, são pertinentes as dicas da veja:

 

(1) Conhecer os scripts mais comuns de ameaça.

(2) Não receber ligações a cobrar.

(3) Não ajude dando informações.

(4) Tire adesivos com possíveis informações do seu carro.

(5) Oriente os idosos, empregadas, e crianças.

(6) Pare para raciocinar.

(7) Ligue para o suposto seqüestrado.

(8) Desconfie de ligações de longa duração.

(9) Desconfie do choro da vítima.

(10) Dê queixa na polícia.

É interessante notar o fato de que a grande maiora das ligações do disque-seqüestro vem de cadeias, seja de presídios ou de delegacias, os telefones entram facilmente e as grades não afastam o criminoso das vítimas. As autoridades continuam a discutir o sexo dos anjos sobre a questão do bloqueio dos celulares em presídios. Muitas vezes, licitações milionárias para a compra de equipamentos israelenses de bloqueio de sinais são alaerdeados na mídia e em seguida resultam em nada além de jornal velho. O povo continua a sofrer com as ameaças dos marginais. Outro dia, uma senhora cardíaca morreu do coração ao receber a ligação do disque-seqüestro. Existem soluções mais baratas, como cobrir o presídio com uma tela de galinheiro. ( o princípio da gaiola de Faraday) mas ao que parece, ninguém tem um real interesse em deixar bandidos incomunicáveis. A começar pela secretaria de segurança que usa escutas nos celulares dos presídios para se antecipar a certos crimes.

Mas quem leva o ferro, é o povo.

Comments

comments

Luminária Ufo

30 comentários em “Disque-seqüestro: Aconteceu comigo”

  1. “Santa Coincidência Batman!” Hoje de tarde minha mãe me contou que tinha recebido uma ligação bem parecida com essa, dum cara fingindo que era eu e etc…

    Pior que no início ela ainda caiu, mesmo com todo aquele script ridículo… nonsense demais…

    Responder
  2. É Philipe , aqui em casa já aconteceu de ligarem, isso foi em novembro de 2004 mais ou menos 10 da noite, e foi a minha mãe que atendeu, foi ligação à cobrar e de celular. O meliante em questão falou que o marido da minha mãe, o meu pai, tinha se acidentado e que ele estava no pronto socorro ( só que o meu pai faleceu em 1996 ) e a minha mãe falou que não tinha mais marido, e eu estava ao lado dela na sala assistindo TV, aí o desgraçado começou a ameaçar a minha mãe dizendo que estava com um dos filhos dela, imaginem só, eu tenho apenas um irmão que mora no exterior, mas minha mãe foi muito ingênua e começou a falar que tinha um filho que morava nos EUA e foi nessa hora que eu tirei o telefone da mão da minha mãe e perguntei :
    – Quem tá falando aí ?
    e o desgraçado respondeu :
    _ É o Caveirinha e se tu não fizer o que eu quero você vai ver !
    e como eu já tinha conhecimento desse tipo de trote emendei pro FDP:
    _ É Caveirinha de tanto dar o cú pros outros presos , seu aidético FDP !
    E assim desliguei , e até hoje nada nos aconteceu,felizmente.

    É uma pena que o povo brasileiro confia demais nas outras pessoas e já vai falando da sua vida pessoal para outras pessoas que nem ao menos conhecem, sempre confie desconfiando essa é a minha dica para não cair em qualquer conto , um abraço aos gumpeanos de plantão !

    Responder
  3. Já aconteceu isso aqui em casa e minha mãe também percebeu que era golpe e desligou o telefone. Mas como meu irmão mora em outra cidade, ela acabou ficando preocupada, mesmo sabendo que era golpe sempre fica aquela interrogação: “e se for verdade?”.. Eu desejo do fundo do coração que esses marginais tenham uma eternidade angustiante no fogo do inferno.

    Responder
  4. [quote comment=""]Felipe, esta muito muito acelerado! até as frases antes do “pii” ta inaudivel (alias, eu só identifiquei o “piii”)[/quote]
    é realmente, só dá pra identificar um pouco da mulher que anuncia a chamada a cobrar..

    Responder
  5. minha mãe recebe pelo menos uma vez por semana um telefone desses. Quando os caras dizem que vão matar ela diz “pode matar mas deixa eu terminar de assistir o programa do Jô “

    Responder
  6. Philipi, eu também não consegui ouvir direito… só entendi os rapá… mas deve ser pq o cara tá com pressa pro próximo golpe mesmo… Se você consegue ouvir, tenta fazer uma transcrição pra gente (tenta, pq tem coisa mais legal pra você fazer pra gente… tipo o urso x viking…)

    Meu pai sofreu uma dessas no ano passado, tavam na casa dos pais dele! Só que meu pai é desesperado pra cacete, ele tava na estrada voltando de atibaia pra sp (atibaia é uma cidade próxima daqui, uns 90km) e caiu a ligação. Só que meus avós moram em mogi, e é mais 70km até lá. Meus avós tinham ido num vizinho aí… bem, meu pai chegou na casa deles em menos de uma hora… tomou 3 multas no caminho… e quase infarta…

    (ps. meu avô tem uns 84 anos e minha vó uns 86…)

    Responder
  7. Já aconteceu comigo, mas eu tinha avisado minhamãe do golpe e não pegou nada.. se fizerampassar pela minha irmã e tal.

    Com meu chefe no trabalho tb, só que a esposa dele acreditou, foi mó nervoso.

    Comigo jamais acontecerá poq sou mais tranquilo que uma tartaruga no deserto.

    excelente post.

    Responder
  8. Pois é… acho sensacional o caso das autoridades estarem querendo comprar aparelhos ultra mega fucking power sofisticados pra bloquear o sinal de celulares dentro das cadeias…

    Me respondam uma coisa… tem tomada pra carregar celular na cadeia?
    Acho que não… então o que esses filhos da puta tem que fazer é impedir essas merdas de entrarem e não ficar tentando um método de Lisboa que todo mundo sabe que nào vai funcionar.

    É como os americanos que gastaram os tubos pra projetar uma caneta que escrevesse em gravidade zero para os astronautas, quando a solução mais simples (e barata) seria usar um lápis…

    Responder
  9. [quote comment=""][…] Veja o post e ouça o arquivo de áudio no Mundo Gump. […][/quote]

    Já me ligaram duas vezes, sempre uma mulher, tentando fazer-se passar por uma mulher mais nova do que de fato é, afinando a voz, e falando “Pai, vem aqui me buscar, to com medo…” eu na segunda interrompi a moça perguntando se o prostíbulo no qual trabalhava, estava tendo um incendio (em termos chulos).

    Responder
  10. Aconteceu aqui, agora mesmo, quando eu tava lendo o seu post…
    O cara disse que o tenente que mandou ligar, e qual era a marca do carro que saiu hoje, e tal…
    Aí, a empregada (que foi ela que atendeu) disse que se fosse de facção criminosa, ia ligar pra polícia imediatamente. O cara desligou e ela ligou pra polícia.
    Qual é Philipe, tá fazendo macumba pra mim com esse post?

    Responder
  11. Philipe,

    Obrigado por ter publicado a ligação. Foi um serviço público. Espero que esta ligação se distribua por aí, para as pessoas terem idéia de como esse tipo de ação criminosa funciona.

    Um abraço.

    Responder
  12. Aconteceu comigo tbm !!
    Um cara me ligo dizendo a mesma coisa ! cara fui sequestrado…
    Nisso uma segunde pessoa começo a fala ! cara assim teu filho ta fudido se tu não me arruma a grana que ele ta devendo !
    Nisso eu disse OQUE VCS PEGARAM O FABIO ? e ele isso mesmo filho da puta nos estamos com o fabio e vamo matar ele !
    ai eu disse!
    Manta mesmo esse demente ja vendeo tudo que eu tinha em casa pra compra droga! maldito !
    ai o “bandido” fico sem reação e disse to falando sério vo matar teu filho!
    E eu voltei a falar pode matar to poco me lichando !
    nisso o cara começou a gaguejar e fico me disse mais alguns palavroes desligo!
    Só mora eu e minha mulher não temos filho!
    Nem amigo chamado fabio nos temos !
    Não redeu muito a ligação desses elementos aqui em casa ! hahahahahahahahahahahahahahaha

    Responder
  13. Olá Philipe,
    comigo já aconteceu esse golpe do falso sequestro por duas veses,uma vez na madrugada e outra em plena tarde tipo 15:oo hs.

    Em tudo isso que acontece fico aqui me perguntando sómente uma coisa, depois que você dá queixa na delegacia de que foi vítima desse golpe, o que a policia ( interessada como ela é), pode fazer?

    Com tanta tecnologia disponivel será que as nossas autoridades não poderiam conseguir junto as companhias telefônicas o local e hora de onde partiram esses telefonemas?

    E descobrindo de onde partiram tomar as devidas providências ?

    Ou será que terei de acreditar que infelizente existem essas ditas “autoridades”,levando o seu nessa coisa toda?? Não, não,não, eu não posso acreditar nisso…..rsssssss.

    Abraços

    Responder
  14. Aconteceu esses tempos com a gente.. quer dizer, com meu pai. Meu irmao estava morando na Italia e ligaram pro meu pai pra dizer que estavam com o meu irmao, e que queriam nao sei quanto pra “liberarem ele” ou iriam matar… Meu pai tem uma capacidade incrivel de ser frio e calculista. Ele falava ” pode matar.. mata mesmo!! NAo aguento mais o muleque me dando despesa… ou se quiser mandar um pedaco da orelha depois… pode mandar!” Foi otimo!!! O cara desligou, meu pai trocou o telefone da casa dele, so por via das duvidas e isso nao aconteceu mais.. FOi o sufuciente pra gente se divertir bastante aqui!!!!

    Responder
  15. ja aconteceu com minha mãe(eu era a vitimana epoca) eu estava na 6 ou 7 serie
    eu só vi uma mulher da secretaria perguntando se eu estava la
    e quando eu cheguei em casa minha mãe me falou
    mas o negocio da ligia eu me assistei
    agora se o tel tocar eu não atendo nem a pau!!!!

    Responder
  16. me ligaram falando que tavam com minha tia, dai eu disse:
    -Meu Deus, Tia Marlene!
    disseram:
    -A marlene vai morre se tu não fize o que a gente manda.
    dai passaram o telefone pra uma mulher q fez uma voz de velha caquética.
    Percebendo a mentira, pq a tia Marlene é bem jovem(na voz pelo menos)
    Eu disse: é engano, liga pra família da Dercy Gonçalves, aé! ela já morreu.
    Ele disse: tua tia ta morta.
    Eu: Que bom.
    Desliguei na cara do meliante.

    Graças a Deus, ta tudo bem na família. :]

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.