Brinquedos de menina e menino

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

O carrinho parecia este, mas era da turma da Mônica.

A história começa assim: Eu e a primeira dama estávamos no shopping no final de semana. Quando já estávamos saindo, descendo as escadas rolantes dentro da Leader Magazine, ouvimos uma voz de homem gritando num tipo de ataque histérico:

-Qual é, cara! Isso é de menina. Larga isso.

-Anda, larga isso que é de menina. Larga!

A voz tinha um tom aflitivo que imediatamente interrompeu nessa conversa. Começamos a procurar a origem daquele som e vimos que quase em baixo da escada rolante, um coroa estava tentando convencer seu netinho que certamente nem dois anos de idade tinha, que aquele carrinho era “de menina”.

O desespero do coroa com relação ao fato de que seu viril netinho de dois anos se transformaria numa cruza de Lafon com Lacraia me deixou impressionado.

Para este avô a remota idéia de ver seu neto brincar de levar um bebezinho para passear é algo tão horrendo como imaginá-lo fazendo brincadeiras sexuais com o piu-piu do coleguinha.

É impressionante que alguém considere um carrinho de boneca como um “brinquedo de menina”. Na cabeça do velhote, os papéis de homem e mulher são definidos assim. Meninos usam azul. Meninas usam rosa. Bola é de menino, boneca é de menina. Se o velhote fosse Deus, só existiriam Ronaldinhos (o gaúcho, não aquele dos travestis) e Amélias, “aquelas que eram as mulheres de verdade”. As Marthas capeãs de futebol não existiriam.

Para pessoas assim, os brinquedos como as bonecas, que em muitos casos simulam bebês, não poderiam estar na mão de meninos, já que “homens não tem bebês”. Talvez esteja aí um discurso impregnado de uma concepção retrógada de que cuidar dos filhos é um trabalho unicamente feminino. Eu me pergunto como em pleno ano de 2008 um adulto pode considerar aquele carrinho algo “de menina”. Será que na cabeça dele as mães parem seus filhos via brotamento? Pergunto isso porque pelo que me consta, todo mundo aqui na Terra tem um pai. Ele pode ter morrido, fugido, estar preso, ter sido até abduzido, mas não surge criança do nada.  E neste caso, o pai não pode empurrar nem ao menos o carrinho do bebê?

O que é a brincadeira senão a simulação, uma forma de processamento imaginário de uma situação futura onde a criança elabora e reelabora os conceitos que informações que recebe do mundo?

Eu fico aqui pensando… Talvez o mundo estivesse precisando é que mais meninos brincassem de boneca, de casinha, essas coisas da vida e não de polícia e ladrão, de bang-bang, de meter a espada de plástico um na cabeça do outro. Eu arrisco questionar até essas brincadeiras não os ajudariam a tornarem-se  pessoas menos egoístas e mais dedicadas aos filhos no futuro. Para isso talvez fosse mesmo necessário que esta experiência lhes fosse construída ainda na infância.

Por que raios meninos não podem brincar de comidinha se alguns dos melhores cozinheiros do mundo são homens? Por que raios meninos não podem brincar de casinha se há cada vez mais homens solteiros convictos?

Por que brincadeira de menino tem que apelar para tiro, guerra, violência? Por que brincadeiras de menina estão cada vez mais focadas em penduricalhos da “moda” para bonecas e gradualmente a boneca-bebê vai se reduzindo nas prateleiras?

E outra coisa: O que faz um menino ser homossexual? São os seus brinquedos? Duvido!

Se assim fosse, não haveriam gays em épocas em que não haviam brinquedos. Homossexualidade, ao contrário do que ignorantes cegos pelas idéias tortas de certas religiões pensam e vomitam por aí, não é uma doença. Não se contrai “bichice” brincando de boneca com a amiguinha. Talvez seja mais fácil um jovem se descobrir gay num vestiário de futebol cheio de amigos peladões.

A criança em sua inocência, a coisa mais linda, só pensava que o carrinho tinha quatro rodas e que ele queria empurrar. Fazia com a boca o barulho do carrinho e empurrava o troço cor de rosa para o total pânico do avô.  Pra mim o netinho estava certo. Pensando com a cabeça de um menino de dois aninhos, um carrinho de empurrar boneca é muito mais legal que qualquer carrinho de plástico “de menino”, já que este dá pra empurrar de pé! E ainda leva outros brinquedos dentro. Muito mais legal!

Eu acho que deveria haver uma campanha para que os meninos pudessem brincar de boneca. Mais que isso, uma campanha para permitir que meninos pudessem escolher livremente os seus brinquedos. É triste imaginar que uma criança de dois anos que mal sabe falar, já é tolhida desta maneira.

Comments

comments

40 respostas

  1. [quote comment=”33444″]No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.[/quote]

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.
    Uma vez eu li que o Chico Anysio quando fez propaganda da havaianas nos anos 70, quase apanhou em Maranguape.

  2. Pior era ver a cara dos meus vizinhos quando descobriam que os meus pais deixavam eu brincar de carrinho e jogar futebol.

    Gente preconceituosa não deveria se reproduzir. :meh:

  3. Excelente post! Eu fico p*** da vida quando vejo alguém forçar uma menininha a brincar de vassourinha ou quando enchem um menininho com miniaturas de carros fodásticos!

    Mas infelizmente isso é algo muito difícil de se mudar! Quando você entra em uma loja de brinquedos, já tem tudo separado, bem demarcado. Desde o nascimento, as cores e os brinquedos são induzidos pelos pais, pela família, pela sociedade… Já viu um chá de bebê? É a coisa mais nojenta do mundo! O_o

  4. [quote comment=”33448″][quote comment=”33444″]No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.[/quote]

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.
    Uma vez eu li que o Chico Anysio quando fez propaganda da havaianas nos anos 70, quase apanhou em Maranguape.[/quote]
    [quote comment=”33448″][quote comment=”33444″]No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.[/quote]

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.
    Uma vez eu li que o Chico Anysio quando fez propaganda da havaianas nos anos 70, quase apanhou em Maranguape.[/quote]

    Engraçado… O preconceito em pessoa falaaar do “preconceito”! Quanta irônia.
    Meu ‘amigo’, eu sou nordestina e NUNCA vi esse tipo de comportamento. NUNCA. Vou falar mais uma vez NUNCA.
    É até engraçado saber que existem pessoas com taaamanha ignorância… Eu, como a maioria de meus colegas e amigos, vamos a shoppings de Havaianas, a faculdade de Havaianas, praia, bar…

    Depois o nordestino é burro, nordestino é pobre, ignorante… Rótulos e mais rótulos… Alienação é bóia…
    Cultura e informação zero.

  5. Não entendi sua frase: “O preconceito em pessoa falaaar do “preconceito”!”
    Tiza, não sei a sua idade, mas antes de tudo, não estou dizendo que os nordestinos são piores, feios, burros ou cabeçudos. Estou dizendo apenas que li (se não me engano numa playboy dos anos 80 ou numa revista Status dos anos 70) uma entrevista com o Chico Anysio em que ele mesmo-nordestino legítimo – dizia isso. Foi no tempo das havaianas originais, não este relançamento recente que colocou o chinelo na moda. Naquele tempo a havaiana não vendia quase nenhum par no nordeste. Acho até que colocaram o hico Anysio para ser garoto propaganda do chinelo por isso.

    Note que este era o pensamento DA ÉPOCA no nordeste. Não o de hoje, lógico. Claro que se você se embrenhar pra fora da sua casa, entrando pelo interior, o preconceito fica proporcionalmente maior na razão direta em que a pobreza e a ignorância sobem. E isso não é prerrogativa do nordeste. É do Brasil todo.
    Seus conterrâneos não vão gostar da sua última frase.

  6. Podem reparar , todas as guerras , sem exceção , foram causadas por homens . O homem é talhado desde pequeno para a guerra , para ser agressivo, vingativo , violento e a mulher para ser compreensiva , diplomática , claro que sempre tem as exceções nos dois gêneros .

  7. Oi,Philipe!

    Tempo que não comento,mas lendo isso lembrei que aqui existe uma campanha muito legal sobre esse assunto…
    Inclusive eles dão livros falando sobre para os pais e para as crianças.
    Achei bem legal essa iniciativa,falando sobre a quebra desses preconceitos arcaicos.
    Acho que tudo que pudermos fazer para não inserir neuras inuteis nas crianças é válido!
    :]

  8. Concordo totalmente com isso, é um preconceito que já se enraíza nas próprias crianças, acho que todos aqui quando eram menores já foram acusados ou já viram algum amigo da mesma idade ser motivo de brincadeiras por estar brincando com “brinquedos de garota” ou de “garoto”, e é claro que não tendo nenhuma represaria a isso, até mesmo incentivo dos pais, esse preconceito continua até se tornarem adultos e poderem passar isso para os pais, tornando essa atitude limitativa e inútil um habito constante e “aceitável” na sociedade, que além de limitar a imaginação das crianças, incentiva a limitação de tarefas para homens e mulheres quando adultas, homem = violência, esportes, trabalho. Mulheres = filho/casa

    Isso sem contar é claro os brinquedos de “casinha” para as garotas, que na minha opinião só treinam elas para um futuro trabalhando em casa até a morte

    Por isso que eu digo que quando tiver filhos vou dar livros de RPG pra eles, e não esses brinquedos inúteis ~~

  9. Sou nascido e criado em Fortaleza hà 39 anos e nunca vi nenhum preconceito em relação ao uso de havaianas em tempo algum, e , ao contrário do que foi dito elas SEMPRE fizeram sucesso por aqui, principalmente por serem as mais baratas(hoje elas são mais caras). E pra quem não viu preconceito vai aí mais uma chance.É só observar o diálogo e o tempo do verbo utilizado, sem falar no risinho no final:

    No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.

  10. infelizmente isso nunca vai mudar. às vezes o pai/mãe nem tem tanto preconceito assim, deixariam o filho brincar de carrinho de boneca em casa, mas na rua??? “o que os outros vão pensar do meu filho?”. acho que, principalmente, num lugar público a primeira coisa que vem é essa, a de o que os outros vão pensar. e aí os pais são “obrigados” a tomar alguma atitude.

    você tem uma festinha ou qualquer outra coisa pra ir, tem que dar um presente, a maioria das pessoas vai comprar uma bola ou um carrinho se for menino, ou boneca ou alguma quinquilharia de casinha se for menina. até por praticidade e “lugar seguro”, afinal “eu posso ter uma mente aberta, mas será que os pais da criança também têm?”.

    enfim, enquanto houver preconceito contra gays, aquele medo do seu filho ser um, vergonha etc., isso nunca vai mudar. ou seja, isso nunca vai mudar.

  11. [quote comment=”33535″]Por isso que eu digo que quando tiver filhos vou dar livros de RPG pra eles, e não esses brinquedos inúteis ~~[/quote]

    Apoiado! huauhahua
    Brinks. :b
    Assim, eu lembro de quando eu era pequeno…
    Eu pedi pra minha coroa um daqueles “joguinhos de panela”, saca? Aí veio com espátula e tudo mais, panelinhas… Me diverti legal. :B
    Sou guri e talz. Minha mãe não achou estranho eu pedir isso, mas a tia da loja me olhou com uma cara… huahuauha
    E tipos, meu sobrinho chegou esses dias com um desses “joguinhos de panela” (aspas pq não sei como chamar x). Nada a ver…
    Brinquedos são para diversão, assim como pra fazer evoluir o lado imaginativo da criança. Eu lembro que quando eu era menor, pegava meu Billy dos Power Rangers, meu irmão pegava um outro (o preto… Não lembro o nome) e minha prima pegava as Barbies dela e brincávamos.
    Depois, por influência do meu irmão, comecei a curtir o RPG e até agora tô nele e talz… Foi com uns 9/10 e agora tenho 16. Os dois são extremamente saudáveis… Até brincar de “casinha” é. 😀
    Cara, vou fazer minha opinião/”extensão” sobre teu post no meu blog, blz? Quando ficar pronto te aviso e talz, caso queira ler. ^^
    (Desculpe se ficou meio confuso de ler o comentário).

  12. a questao nao é a penas o preconceito…tudo vem de algum lugar….e nos tempos nossos de hoje…TV…REVISTAS…JORNAIS…RADIOS…NET..sao veiculos facilmente dessiminados pelas geraçoes de hoje…pois os conceitos preconceituosos estao todos ali….temos q engina-las a ter uma mente aberta…ms para isso as crianças de hoje q serao os pais de amanha tem q começar dsde hoje. nao q no nosso tempo nao fosse assim…sim era sim..e talvez fosse ate pior….mas a moda e todos esses lixos culturais fazem de nós pessoas mais bobas…somos condicionados a aprender certas coisas…certos conceitos q nao estao bem dentro e nós…mas sim aprendemos com esse mundo q nos mostra q a vida é isso…um verdadeiro circo e nós somos os animais adestrados…e o chefe sao as midias milonarias q nos fazem sermos pessoas assim,
    eu sei q isso desse papo de boneca é pra menina e carrinho é pra menina é algo desde dos tempos dos nossos avós….mas quem deu esses conceitos foi a tv..fabricantes de brinquedos….tipo…pensem bem..e se nao existissem fabricas de brinquedos…se todos nós fossemos donos de nossos proprios conceitos sobre oq brincar????duvido q seria assim pois teriamos a ideia q brincadeira é brincadeira…e nao definiçoes do q é menina e pra do q é pra menino e assim nao existiaria esse papo de vc é bicha pq brinca de boneca..ou a outra é sapatao pq brinca de carrinho.
    bem é isso apaziada do MUNDO GUMP.abraços pra toda turma :meh:

  13. Vou dar uma boneca de presente para seu filho, sr. Philipe.
    Vamos ver sua cara qdo ele abrir o presente.
    Não se esqueça dessa historia de pensamento retrógrado, o fato de um presente influenciar na sexualidade da pessoa, e o resto do blablabla!!!

  14. [quote comment=”33448″][quote comment=”33444″]No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.[/quote]

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.
    Uma vez eu li que o Chico Anysio quando fez propaganda da havaianas nos anos 70, quase apanhou em Maranguape.[/quote]

    Desculpa, mas no ceará muito se usa havaianas, nunca vi preconceito contra havaianas aqui não.

  15. [quote comment=”33621″]Vou dar uma boneca de presente para seu filho, sr. Philipe.
    Vamos ver sua cara qdo ele abrir o presente.
    Não se esqueça dessa historia de pensamento retrógrado, o fato de um presente influenciar na sexualidade da pessoa, e o resto do blablabla!!![/quote]

    Quando eu tiver um, fique à vontade. Se quiser dar duas, pode dar. Assim eu tb brincarei com ele.

  16. [quote comment=”33632″][quote comment=”33448″][quote comment=”33444″]No nordeste do Brasil a coisa ainda é pior meu caro.[/quote]

    Dizem que lá se o camarada usar chinelo de dedo tipo havaianas é bichona. Hahaha. Só pode usar chinelas de couro, como as de Lampião.
    Uma vez eu li que o Chico Anysio quando fez propaganda da havaianas nos anos 70, quase apanhou em Maranguape.[/quote]

    Desculpa, mas no ceará muito se usa havaianas, nunca vi preconceito contra havaianas aqui não.[/quote]

    Tô falando sobre o que eu li. Reclame com o Chico Anysio. 😀

  17. [quote comment=”33623″]desculpa falar isso, mas tremenda palhaçada esse seu artigo.[/quote]
    Seu direito de não gostar e discordar é 100% garantido pelas organizações Gump S.A.

  18. [quote comment=”33537″]É só observar o diálogo e o tempo do verbo utilizado, sem falar no risinho no final[/quote]

    Desculpa se meu risinho te incomodou. Vou tentar evitar este tom, belê? Não tenho nada contra os nordestinos.Todos os que eu conheço são gente fina.

  19. Engraçado como as pessoas tomam as dores pra si haha.
    E o melhor de tudo é ver que ainda tem pessoas de pensamento retrogrado,como o yakuza ai em cima =P
    Sem contar que aqui é o seu blog, se não gostar, não leia, se gostar, leia O.o gente maluca haha
    Mas enfim, isso me lembrou de quando eu era pequeno, a minha irmã ganhou um carrinho desses e eu um normal. E na hora que eu vi, obviamente eu queria o dela uhauhauhahua É bem aquilo que você falou, no finalzinho. E olhe só, não sou nem um pouco gay. Sem contar que cheguei a brincar de boneca com a minha irmã e tudo mais. Na verdade cosias assim só aproximam mais os homens das mulheres rs. Faz é bem, não mal haha. 😀

  20. bom
    eu concordo plenamente com o artigo
    gostei muito dele
    e eu não tenho preconceito contra nada
    mas os nordestinos aqui ja se ofenderão por nada
    mas tudo bem
    e eu concordo não influencia em nada a opção sexual de uma pessoa se não a mulher que jogase bola ia ser homosexual tambem
    te mas

  21. Na verdade homens e mulheres têm tendências inatas diferentes para certas coisas, sim. Em especial, mulheres têm sim instintos muito mais aguçados do que o homem para cuidar de crianças – não só instintos mas até, por exemplo, estrutura óssea mais adequada – porque na história evolutiva dos mamíferos de que somos descendentes o papel de cuidar da prole coube muito mais à fêmea do que ao macho. Homens também são mais agressivos e preparados para lutas e caça, assim como têm mais material muscular do que as mulheres. Pelo que parece, o efeito das brincadeiras de luta e “espada” (que também existe em outros animais e principalmente no sexo masculino) é benéfico no sentido de ajudar o menino a definir os limites de sua personalidade e a achar importante as regras de convivência, ou seja, ser mais ético.

    Dito isto, as diferenças quase incontestavelmente inatas entre homens e mulheres são em geral reforçadas pelos estereótipos e demais construções sociais (alguns mais arbitrários, outros menos), que é aquilo de que estava falando. Isso é muitas vezes pernicioso e temos que ter cuidado pra tratar disso caso a caso.

    Mas não concordo em teimar num conceito de “tábula rasa” do ser humano que não existe só pra conseguir chamar atenção a algumas convenções sociais exageradas e com más conseqüências.

    OBS.: Até onde eu sei, “papéis sexuais” (homem usa azul, menina rosa, etc.) também não interfere na orientação sexual da pessoa, são grandezas ortogonais. Mas até nisso dá pra termos dúvidas e temos que manter a mente aberta, pois podem surgir dados que contrariam nossas preconcepções.

    OBS.: 2: Ok, até esqueci de deixar bem claro. O fato de homens e mulheres terem algumas diferenças ou tendências inatas não quer dizer que elas não sejam manipuláveis e até reversíveis. Para muitas dessas tendências, pode ser que a cultura anule a diferença. Além disso, a observação que eu fiz foi apenas descritiva (“as tendências diferentes existem”), não prescritiva (“devemos manter homens e mulheres diferentes”).

  22. epaaa
    HEUIHAEIUAEHAEIUAHEIEUAHEAI
    fala seriooo.. foiii o philipe que diss… OmG
    xDDD
    mals ae… jah sou fã do philipe, akilo deve ter sido um surto.
    flw

  23. Mto bom seu post! Pra mim não existe esssa coisa de brinquedos de menino e de menina. Meu filho brinca com tudo , inclusive com boneca.
    Mas que tem preconceito isso tem! e como!
    Mas o que mais me intrigou é o fato do coroa estar passeando no shopping com o netinho.Segundo a teoria dele isso é coisa de bicha!(passear com o neto! no shopping !!hmmmm) seguindo a linha de pensamento do velhote a mãe deveria estar cuidando do filho e ele deveria estar trabalhando (numa coisa bem de”macho”, tipo quebrar pedras a marretadas…hehehe!)

    Então! tá mais do que certo! deveria ter uma campanha pra incentivar os meninos a brincarem de “coisas da vida” ao invés dessas brincadeiras estúpidas de chutes e murros. Meu filho de 4 anos, ontem chegou machucado da escola e disse que foi numa brincadeira de “bem”
    -Bem ? que brincadeira é essa?- Perguntei , já que os meninos da turma dele só brincam de power ranger (+ socos e murros…)
    E ele respondeu:
    -É assim: Eu sou do Bem e eles do mau, aí eles me batem…
    Muito edificantes essas brincadeiras de “menino macho” não acha?

  24. Lembro uma vez que me [traumatizado]zuaram no parquinho pq estava brincando de comidinha com minha colega. 0_0 [/traumatizado]

    Sem querer me gabar e ……. Cozinho mto bem. Minha namoradA confirma!!!!!!

  25. Ok,vamos falar sobre binquedos e brincadeiras, ne minha infância eyu era fissurado por armas,de plastico(estrla) e de metal,qits de guerra com capacetete granada radio pistola45 e um m16,meus outros amigos nao entendiam essa fissura por armas,tanto qe as vezes eles me convemciam a brincar de aviao(com as armas e claro) isso deveria ter me tornado um bandido?um george bush?.. talvez, mas nao aconteceu. hoje em funçao da minha profissao tenho a opçao de poder andar armado 24 hrs se eu quiser( ah e junto do quit posso comprar ainda colete,sprai de pimenta uma coisinha que pode dar um “pequeno” choque no elemento,mas advinhe..nao tenho nada disso e nao quero ter,por escolha propia….esses dias meu filho de tres anos adora policia,bombeiro,qualqer um qe use uniforme,ele me pediu uma”maima” eu entao disse nao pq hj é politicamente incoreto dar uma arma p/ uma criança disse:”dona encrenca”,e eu fiz como ela disse,nao dei a tal da “maima”,coitado o carinha ficou tao triste que me chamaou de “cainha”,ai que dor. mas nao me fiz de rogado e lhe comprei uma espada,(davi tinha uma ) e ele era “bom”. sera quer é realmente assim: quem brincade boneca tem desvio comportamental assiim como quem brinca de arma? eu acho soltar pipa com cerol bem mais nocivo.nao sei estou sendo pai agora,mas a vida eu ja conheço faz tempo.

  26. Eu concordo. Acho que brinquedos não tem poder de influenciar o futuro da vida das crianças, pelo menos num sentido estrito. Fico irritado ao ver que algumas pessoas alegam que videogames produzem adultos violentos e tenho vergonha de certos políticos que afirmam que jogar RPG leva as pessoas a loucuras e pactos demoníacos, rituais de magia negra, etc.

    A criança improvisa brinquedos com ossos de animais mortos quando não tem um industrializado. Fazem bonecas de espigas, brincam de carrinho usando tampinhas… Tudo isso é brinquedo.

  27. Nossa, que show de bola esse texto criticando o preconceito dos brinquedos e, ao mesmo tempo, cheio de insinuações negativas sobre a homossexualidade.

  28. [quote comment=”40764″]Nossa, que show de bola esse texto criticando o preconceito dos brinquedos e, ao mesmo tempo, cheio de insinuações negativas sobre a homossexualidade.[/quote]

    Você poderia grifar pra mim as partes do texto onde estão as insinuações negativas sobre a homossexualidade?

  29. Adorei o texto sobre brinquedos, foi muito elucidativo. Me considero uma pessoa bem instrída e no entanto estive até o presente momento num dilema terrível, já chorei, já me desesperei e o pior não encontrei uma palavra de consolo porque todos “sofrem” do mesmo preconceito que eu. Meu filho de 6 anos me pediu uma Barbie como presente do Dia das Crianças. Sinto um alívio no coração depois de ler seu post. Obrigada!!!

  30. Gostei do post!
    Mas, uma coisa eu acho estranha… O filho de uma amiga minha tem três anos e gosta de usar roupas de mulher, passar batom e outras maquiagens, e pentear os cabelos dos outros! Ele faz um escândalo se não o deixam fazer isso.
    Essa minha amiga está grávida de novo e quando o marido dela soube que nasceria mais um menino ele disse: “Que bom que DESSA VEZ teremos um menino!”
    Não sei o que pensar… :worry:

Deixe um comentário para Madame Danica Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.