A menina do poste

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Na esquina tem uma menina
Nem é menina nem tão pouco feminina
Vive encostada no poste
Esperando alguém que goste
do que ela tem a oferecer

A menina do poste só pensa em dinheiro
Pra comprar um brinco, levar um cordão
A menina do poste frequentava puteiro
Mas brigou com o cafetão

Que resultou numa navalhada
Fria cortante gelada
E uma jugular rompida
A menina do poste foi perseguida

Sem embrenhou no mato, viajou, deu uma sumida
A menina do poste é bem resolvida
A menina do poste já teve mil homens
A menina do poste tem muitos nomes
Os criados por ela, os nomes de dia, os nomes da noite
A menina do poste, meretriz do açoite

Um carro que vem na escuridão pisca o farol
è o sinal que ela está esperando
Larga o poste e num caminhar sensual
A menina do poste vai rebolando

Pelo carrão ela faz o seu preço
A menina do poste não tem endereço
O cliente chora mas topa pagar
A menina do poste resolve aceitar
A porta se abre e ela entra
A menina do poste desejos concentra

O carro some, sai por aí
Quando o dia amanhece o galo acorda o bem-te-vi
A menina do poste não voltou pro quartinho
Essa mulher se carinho, sem vida, sem pai  nem padrinho
se perdeu no caminho
Enquanto o povo leva sua vida normal
Tem um corpo caído no matagal
A menina do poste se deu mal

O poste ficou sozinho naquele breu
A esquina não tinha mais a menina
Os carros passaram e ninguém percebeu
a falta daquela figura franzina

Na madrugada seguinte tudo estava igual
O poste, a escuridão
a rua e o matagal
Mas sob o raio do luar
Quem passava podia enxergar
Uma outra menina ocupando aquele lugar

Comments

comments

10 respostas

  1. Olá Philipe,

    Gostaria de parebeniza-lo pelo exelente trabalho que vc faz aqui no Mundo Gump, sem duvida é um dos meus blogs favoritos.
    Agora, sobre o texto, meus parabens, usou um assunto super sério de uma forma super bem feita, chega a ser emocionante nota 1000.

    Abraço hermano philipe, e parabens novamente.

  2. aí eu li e adorei philip..é show..parece uma reportagem sobre esse tipo de pesoas q ganham a vida dessa forma com uma junçao de poesia.é bemreal mesmo a situaçao dessa vida tao sofrida dessas mulheres.
    valeu mesmo…vou copiar pra mim.o MUNDO GUMP merece um OSCAR :lol2:

  3. Poema espetacular! Você está de parabens…. assunto delicado, que foi muito bem abordado, até me deixou inspirado….

    Para mim poesia boa é que passa alguma mensagem, essa compriu maravilhosamente bem esssa função. Ainda não caiu a ficha de quem fez esse poema…. (heheheh) estou até agora procurando O Autor no rodapé…. de tão bom que ficou… parabens!

  4. bonito o poema.

    Ja tentei fazer alguns mas fico horas olhando para o papel e nada sai….

    como surgiu a inspiração para esse poema? foi algum noticia que você viu?

    abraço

  5. [quote comment=”37530″]bonito o poema.

    Ja tentei fazer alguns mas fico horas olhando para o papel e nada sai….

    como surgiu a inspiração para esse poema? foi algum noticia que você viu?

    abraço[/quote]

    Na verdade eu só peguei e comecei a escrever direto. Não tinha nenhuma idéia pré concebida do que sairia. Só uma idéia central de que seria sobre prostituição. O assunto foi escolhido aleatoriamente.

Deixe um comentário para catraca Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.