Sobre Philipe Kling David

Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar.
Saiba mais...

15 Comentários


  1. Estranho…
    Então existia uma meia dúzia com essa pretensão artística e todo o resto só fazia tracinhos?
    Acho muita diferença.

    Outra coisa que acho estranho é que nunca vi desenhos de rostos pré-históricos… será que o homem via mais importância num animal do que em si?! :meh:

    Um abraço amigão!
    Seu blog é show, estou sempre acopanhando… querendo, visite o meu!

    Responder

  2. POis é. Me parece que existiam alguns caras que se dedicavam mais a retratar o mundo que eles viam. talvez isso fizesse parte de celebrações rituais pelo alimento, como os clássicos rituais de fertilidade. Algo que leva a pensar sobre isso é que muitas figuras humanóides são representadas com pênis enormes e eretos – Uma relação direta com a questão da fertilidade/prosperidade/abundância de alimento e fecundidade.
    Eu não sei explicar por que os homens primitivos não representavam rostos e sim corpos. Talvez isso tenha algo a ver com sua maneira simples de ver o mundo. Talvez não. Pode ser uma dificuldade técnica em função da falta de ferramentas, pois eles pintavam basicamente com as mãos.
    Outra coisa que me intriga é que a questão corporal parecia mais importante para eles mesmo, porque se você olhar esta escultura do mesmo período da época, vemos uma mulher representada, com peitões ancas largas e bundão. Mas não tem rosto.
    http://plaidnet.greenwichacademy.org/arthistoryslides/slideidgal/euro_pre_web/images/willendorf.jpg

    Minha hipótese é a seguinte. Durante alguns milhares de anos, o foco da atenção humana para com o outro migrou brutalmente. Quando você é um ser primitivo, suas ações refletem isso. Há o permanente medo e risco de conflito. Você se atém de modo permanente ao outro.
    Com a evolução social, os sinais tornam-se deveras mais sutis. A percepção do outro se torna maior e mais focalizada. Uma certa segurança social te tranquiliza que o cara do seu lado não vai morder seu pescoço (a menos que você queira). Surge o uso de roupas ocultando o corpo e então rosto que começa a assumir o foco da atenção direcionada para o corpo. Os sinais deixam de surgir no corpo de modo geral e surgem em pequenos detalhes como o olhar, expressões da boca e dos musculos orbiculares dos olhos, como frontal e zigomático. Surge a noção interpretativa e antecipativa entre um sorriso e uma expressão de ódio.
    è quando a cabeça passa a ser uma importante parte do corpo que as representações artísticas começam a incorporá-las.
    Eu só posso tecer teorias malucas que explicariam isso, mas é como todo o resto, carece de um embasamento técnico, embora pareça fazer sentido.

    Responder
  3. Sarcastic

    Tudo muito bom, tudo muito bem.. Mas cade o Relato de um MIB???
    Grandes abracos e continue assim!!!

    Responder

  4. [quote comment=""]Tudo muito bom, tudo muito bem.. Mas cade o Relato de um MIB???
    [/quote]

    Eu também queria saber isso, hehehe. Acho que em breve vai rolar, mas não sei dizer quando.

    Responder
  5. Hunteriunn

    Fala para o Vortex que demorou já rsrsrs…Concordo plenamente com o que disse referente a pintura da face a partir de quando se torna totalmente compreensível a expressão a que ela se refere, se vê muito o uso da expressão nas pinturas orientais que procuravam distinguir dependendo da situação em que a figura estava se ela estava feliz ou zangada etc. Seriam os orientais os primeiros a pintarem faces retratando sentimentos? :raisebrow:

    Responder
  6. Ed

    Se pensarmos que naquela época não existia a escrita (letras e palavras), os desenhos primitivos (aqueles simples do início deste pst)
    Podemos dizer que era a escrita da época. Para ficar mais claro a minha teoria, atualmente qualquer um consegue aprender e a escrever devido a sua simplicidade e tais desenhos mais simples seriam isso, apenas uma forma de registrar o dia-a-dia, uma espécie de diário.

    Já os desenhos mais elaboras é o que o Philipe disse mesmo. 😛
    Como hoje existe aquele que não sabem desenhar e aquele com dotes artísticos avantajados, creio que naquela época não era diferente.

    Responder
    1. Fernanda Frs03

       vc e muito linda e muito gata eu quero conheçe  vc u meu nome e gabriel

      Responder
  7. Fernando

    Philipe,

    Já leio seu blog há algum tempo e de certa forma fiquei fascinado com as “matérias” do mesmo. Achei esse post excelente! Gostaria de poder contribuir ao blog , entretanto como sou um mero universitário, ainda não tenho condições para tanto. De qualquer forma, continue com o ótimo trabalho.

    Abraços

    Responder

  8. [quote post="1981"]Fala para o Vortex que demorou já rsrsrs…[/quote]

    Pior é que entre a parte 1 e a 2 foram nada menos que nove meses de espera. O chato do Relato é isso. Não é só vocês que tem que esperar.

    Responder
  9. Zezão

    Este post é uma boa curiosidade, mas passa longe de ser uma novidade.
    O ser humano incialmente buscava retratar o mundo que o cerca da forma mais fiel que lhe fosse possivel. Claro que por falta de técnica e estudo não era perfeitinho, mas bem mais sofisticado do que a idéia que temos dos primitivos.

    Enfim segundo historiadores, a abstração só passou a surgir lá pelo neolitico, quando a função do Xamã passou a ser de uma importancia maior que a do resto do grupo. Quando ele se tornou hierarquicamente superior era mais bem alimentado e estava liberado das tarefas pesadas. A alimentação rica em proteinas e o tempo disponivel que dipunha o tornou capaz de simplificar a forma. E eis que nasce o famoso homem palito!

    O mesmo vale pra outras culturas antigas. Figuras egipcias com seus corpos laterais eram comuns em templos, e locais cerimoniais, e tinham uma razão pra ser do jeito que são. Mas, é claro que existia a retratação realista naquela epoca. Repare como os bustos de faraós são realitas, quase não há sinais de estilização.

    A caverna de Lascaux na frança possui desenhos bem curiosos, vale a pena conferir.

    Responder

  10. [quote comment=""]

    A caverna de Lascaux na frança possui desenhos bem curiosos, vale a pena conferir.[/quote]
    Alguns desses desenhos aí são de lá.

    Responder
  11. Leonardo

    Puxa, as imagens deste post já sumiram. Não estavam no servidor do Mundo Gump?

    Responder
    1. Philipe3d

      Não estavam. Aconteceu com um montão de posts. à medida que a galera nota e me avisa eu vou corrigindo, pq não tenho como ver manualmente quase 4000 posts.

      Responder
  12. BEZALEL

    Bom, no meu entendimento, em relação às pinturas ruprestes parecece que não era muito importante detalhar e caprichar na figura humana, ao contrário dos animais. Por outro lado também podemos concluir que o pessoal por lá não era muito “versado’ na arte da pintura,e que as pinturas mais detalhistas começaram a aparecer muitos anos depois desta que parecem infantis, é obvio, mas talvez em uma região diferente onde a cultura tivesse outra dimensão.
    Quanto às egípicias; quem sabe não havia algum impedimento (religioso talvez?) que não permitisse que as pessoas fossem representadas de frente?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>