O horror de Heinfield

Você quando acorda de madrugada e vai à cozinha beber água, vai com tudo escuro ou acende tudo que é luz?

Se você acende as luzes, parabéns! Você está dentro da média das pessoas que poderiam alegar que querem evitar dar aquela topada com o dedo mindinho no pé da cadeira, mas que na verdade fazem isso para se certificar que não há nenhum monstro escondido na sua cozinha.

Ah, monstros não existem! – è o que escutamos desde pequenos. Mas pense bem… Não parece nem um pouco estranho que durante uma certa fase de sua vida, as pessoas todas se pelem de medo de monstros e criaturas macabras que parecem se ocultar sob a cama, atrás de móveis, em ambientes escuros, apenas a espreita de um pequeno erro, um pequeno vacilo?

Nós somos ao longo dos anos, doutrinados a pensar que monstros não existem… Mas… e se?
Parando para pensar no numero assombroso de pessoas que simplesmente desaparecem sem deixar vestígios, algumas de modo completamente inexplicável… Será mesmo que monstros não existem? E quando varias testemunhas dizem ter visto – e até atirado num monstro que parece saído diretamente de um pesadelo?

 

Este é o caso do Horror de Heinfield.

Na noite de 25 de abril de 1973, um menino chamado Greg Garrett estava brincando no quintal de sua casa em Enfield, Illinois, nos EUA quando uma criatura horrível surgiu de surpresa e o atacou.

%name O horror de Heinfield
Você se cagaria, é lógico. Eu também.

O monstro foi descrito como tendo três pernas, um corpo troncudo, braços que saíam de seu peito, e dois olhos vermelhos.  Essa típica criatura do pesadelo saltou sobre o jovem, com sua boca gosmenta cheia de dentes, numa atitude ameaçadora.

O menino saltou, mas não conseguiu se desvencilhar da criatura, que agarrou fortemente aos  pés dos menino com seus três pés em forma de apêndices com garras, o que acabou rasgando seus tênis em pedaços. Greg, saiu desesperado, chorando histericamente, disparou como uma bala para  longe do monstro e buscou refúgio da casa de seus pais.

Claro que aquilo poderia ser apenas uma visão, um delírio ou uma simples fantasia infantil, mas embora o primeiro encontro do monstro com Greg tenha sido traumático para o menino,  o que trouxe uma enorme notoriedade para esta criatura veio apenas meia hora mais tarde, quando o vizinho de Garret, Henry McDaniel e sua família, viram-se cara-a-cara com a própria entidade inacreditável .

Eram então algo em torno das 9:30 da noite, quando McDaniels voltava para casa para encontrar seus dois  filhos, Henry Jr. e Lil. Ao chegar em casa, ele se deparou com os dois em um estado de grande pavor.

As crianças afirmaram que uma “coisa” tinha tentado invadir a casa pela porta. Como não conseguiu, ela tentou entrar pela janela, subindo no aparelho de ar condicionado. Apenas os dois estavam em casa e se desesperaram ao ver a criatura que foi descrita exatamente como o jovem Garret contou. O pai dos dois não conseguia acreditar no que ouvia de seus filhos assustados quando todos na sala ouviram um som similar a um “arranhão” na porta da frente.

Henry estava cético, e supôs que aquele deveria ser algum tipo de animal selvagem doente ou perdido. Assim, Henry McDaniel arrogantemente se aproximou da porta e a abriu.

O que ele viu diante dele era algo tão horrível que “teria destroçado os culhões do próprio Chuck Norris!”

Ali, de pé em sua varanda, estava a  monstruosidade de olhos vermelhos. A mesma que havia aterrorizado seus próprios filhos e atacado Garret menos de uma hora antes.

McDaniel deu passos para trás ainda em total pavor,  e bateu a porta. As crianças gritavam como loucas. Henry correu até o  armário perto e pegou uma lanterna e sua pistola calibre 22.

Enquanto a família horrorizada esperou trancados num cômodo, Henry reuniu toda a coragem que possuía, voltou para a porta e – com a convicção de que um homem de família deve defender sua prole até a morte – abriu a porta violentamente. A criatura estava no alpendre, um pouco distante da porta. Iluminando-a com a lanterna, Henry confirmou novamente que não era nenhum delírio nem uma pessoa fantasiada. Ali estava uma coisa que só poderia ser descrita com a palavra “monstro”.

Mais tarde, McDaniel descreveu a criatura à polícia:

“Ele tinha três pernas, sobre elas,  um corpo curto, dois pequenos braços curtos que saíam de onde deveria ser suas mamas e dois olhos cor de rosa tão grandes como lanternas. Ele tinha em torno de 1,37m de altura e era de cor acinzentada … E ele estava tentando entrar na casa! “

McDaniel abriu fogo contra a  criatura, atingindo-o em cheio. Foram quatro tirambaços no monstro. Porém, em vez de cair no chão ferido ou morto, a coisa horrível meramente “sibilou como uma gata selvagem”, para espanto de Henry, que estava esperando que o monstro morresse.

“Quando eu disparei o primeiro tiro, eu sabia que ia abatê-lo.”

Então, por mais inacreditável que possa parecer, McDaniel afirmou que a aberração monstruosa saltou do alpendre e disparou correndo para a escuridão. Henry viu o bicho percorrer uma área de aproximadamente 50 metros em uma série de apenas três saltos surpreendentes, antes de desaparecer no mato que havia ao longo do aterro ferroviário em frente de sua casa.

McDaniel correu para a casa, trancou as portas e ligou para a polícia. Quando soldados do estado de Illinois, que responderam à chamada chegaram ao local, a única evidência do encontro que restou foram uma série de arranhões na lateral da casa e pegadas que estavam mal impressas, mas que pareciam, com as de um cão. O que tornava as pegadas incomuns foi o fato de que elas tinham seis almofadas digitais e, ainda mais intrigante, combinando perfeitamente com os relatos da família, as pegadas representavam apenas uma sequencia de três patas do “animal”, uma das quais, após medirem, comprovou-se que distanciava-se das demais numa faixa menor.

A polícia tomou notas, entrevistou as crianças, e não havendo nenhum indício da criatura, registraram o fato e foram embora.

Você acha que acabou? Então espere para saber que a bizarrice que ainda estava por vir era bem maior.

Na véspera do 06 de maio, Henry McDaniel acordou assustado na calada da noite. Escutou o incomum uivar de alguns cães da vizinhança. Os animais pareciam nervosos.
McDaniel saltou da cama, e mais uma vez empunhou uma arma de fogo. Tremendo feito uma vara verde, ele esgueirou-se pela sala escura e abriu a porta da frente.

Desta vez, o encontro com a bizarra criatura não seria tão íntimo. Henry disse que viu a coisa a alguma distância. Ela estava perto dos trilhos do trem.

“Eu vi a coisa se mexendo na pista de estrada de ferro e lá ficou. Eu não atirei nela nem nada. Apenas observei. Ela se mexia entre os dormentes, e então parou. Não estava com pressa nem nada. “

Como é sempre o caso com eventos surpreendentes como este, não demorou muito para que a imprensa ficasse sabendo da situação bizarra em Heinfield, mas insana a mídia se tornou quando o segundo depoimento de McDaniel apareceu. A mídia realmente entrou em frenesi.

O Cherife Roy Poshard Jr., ficou tão perturbado por este súbito afluxo da imprensa e de curiosos (para não mencionar o fusuê que se estabeleceu entre os demais moradores) que ameaçou prender McDaniel se ele não parasse de “incitar o pânico com seu conto descontroladamente aterrorizante”.

Para piorar a situação, Caçadores do “monstro” armados até os dentes começaram a patrulhar a área perto do local da casa de Henry e naquele trecho da ferrovia.

Não demorou até que uma expedição de cinco jovens acabassem se deparando com o monstro. Eles descreveram um bicho semelhante ao que Garret e McDaniel encontraram – com a peculiaridade de que descreveram a criatura como sendo “peluda”.

Segundo seus depoimentos, eles descobriram o animal escondido no mato e imediatamente abriram fogo, mas (exatamente como no caso McDaniel) as balas pareciam incapazes de causar ferimentos mortais e o monstro fugiu a uma velocidade que as testemunhas disseram que era muito superior a velocidade máxima que qualquer ser humano poderia alcançar.

A última testemunha da criatura foi Rick Rainbow, o diretor de notícias da estação de rádio WWKI em Kokomo, Indiana. Ele e outras três pessoas não identificadas afirmaram ter visto um ser cinza, de cerca de um metro e meio à espreita do lado de fora de uma casa abandonada não muito longe da casa de Garret e da família McDaniel.

Embora eles não conseguissem chegar tão perto (por cagaço supremo, eu presumo) quanto o grupo anterior, McDaniel e o pequeno Garret, sua equipe conseguiu fazer uma coisa que os outros não fizeram: eles gravaram em fita o som aterrador do monstro.

Foi então que entrou em cena o investigador criptozoologista Loren Coleman, que chegou ao local para investigar as histórias que a princípio pareciam mirabolantes, de um monstro que estava horrorizando um lugarejo de Illinois. Coleman colheu testemunhos e escutou cuidadosamente a gravação feita pela equipe liderada pelo homem da radio. Posteriormente, enquanto investigava, Coleman também ouviu o grito assombroso da criatura:

“Eu viajei para Enfield, entrevistei as testemunhas, olhei os arranhões na lateral da casa da família McDaniel, ouvi alguns gritos estranhos e gorgolejos semelhantes, e afastei-me confuso.”

Posteriormente, os relatos sobre aquela estranha criatura foram rapidamente se reduzindo. Não se sabe o que era, nem se ela morreu ou está viva em alguma floresta até os dias atuais. A única informação que talvez tenha relação com o monstro de Heinfield se deu numa cidade próxima, distante cerca de 40 Km. Nos anos de 1941 e 1942 uma nova onda surgiu em Village of Mount.
As pessoas locais relataram um ser que pulava, que estava matando os animais. Ele estava aterrorizando a pequena população do vilarejo, que descreveu a criatura como uma coisa parecida com um babuíno, capaz de pular longas distâncias. Uma testemunha local chegou a mencionar que vira o bicho percorrer o espantoso espaço de doze metros num só salto.

Posteriormente, um soldado do Tennessee, que viajou num trem para a Califórnia em 1960 afirmou que um mendigo que ele conheceu ao longo do caminho contou-lhe a história de seu encontro com um bicho horrível de “três pernas e olhos cor-de-rosa” que soa muito semelhante à descrição da criatura Enfield. O avistamento do mendigo aconteceu em um momento dos anos 1930 perto de Greeley, Iowa. Se for a mesma criatura, como parece, a suposição é que o ser andava se esgueirando perto da linha do trem. Ele pode ter vindo agarrado numa composição de Greeley até Heinfield e depois seguiu até Village of Mount.

As teorias locais para explicar o monstro recaíam em apenas dois tipos: Aliens ou Demônios, sendo que a população estava mais inclinada a acreditar que aquela era uma besta fugida do inferno.

O caso permaneceu inconclusivo desde então. A criatura pode estar em qualquer lugar, apenas esperando que um desavisado corajoso vá beber água na escuridão…

fonte fonte fonte

Comments

comments

32 comentários em “O horror de Heinfield”

  1. Isso esta com cara de “Creepypasta”,apesar que tanto eu quanto a minha familia já vimos coisas que só Deus não duvida kkkk.Eu particularmente não duvido de nada,só de papai noel e coelhinho da páscoa kkkk o resto tudo é possivel.

    • O pior é que é um caso verídico. Quer dizer, não estou afirmando que monstros sejam reais, mas essa comoção na cidade la aconteceu, as pessoas relatadas na história existem mesmo (aliás, o menino que se atracou com o monstro morreu com trinta e poucos anos, com um tiro disparado por sua mulher maluca, que acabou presa). Mas algo realmente bastante bizarro é que não é o único caso de monstros aterrorizando pessoas nos EUA. Tem uma PENCA de casos ainda mais loucos que pretendo abordar aqui no blog no futuro.

  2. Depois das vozes que eu andei ouvindo, da ressurreição de um mosquito aqui em casa, eu não duvido de muita coisa não, sem contar dos barulhos que eu já ouvi aqui perto de casa a noite, mas agora eu peço para que um bicho desse apareça aqui por perto na madrugada em que os meus vizinhos maconheiros estiverem na rua rindo e perturbando o sono alheio

  3. Depois das vozes que eu andei ouvindo, da ressurreição de um mosquito aqui em casa, eu não duvido de muita coisa não, sem contar dos barulhos que eu já ouvi aqui perto de casa a noite, mas agora eu peço para que um bicho desse apareça aqui por perto na madrugada em que os meus vizinhos maconheiros estiverem na rua rindo e perturbando o sono alheio

  4. No “falecido” Orkut um usuario da Ufologia contou que um dia estava com um amigo numa especie de casinha no fundo do quintal pra tocar violão, ensaiar uma banda, sei la. De repente, um “ser escuro” se materializou na frente deles e imediatamente saiu atraves do teto, como se o teto nao existisse. Eles sairam correndo, assustados, e a mae de um deles vinha na direcao contraria, assustada por ter visto uma criatura sair do telhado da casinha…
    ________________________

    Um dia uma amiga me contou que, auditora de empresas, viajava bastante. Durante a noite, num hotel, ela de repente acordou muito desesperada e muito inchada, como se estivesse chorando ha muito tempo. Imediatamente ela identificou no canto do quarto uma figura escura. Ela disse que nao sabia o que era, soh que sabia que aquilo queria lhe fazer mal, e aquilo sumiu instantaneamente… Nisso o cara da recepcao telefona perguntando se esta tudo bem porque os vizinhos de quarto estavam assustados com os gritos dela.

  5. Philipe, seu site é otimo, se tivesse lido isso no Mililua, estaria morrendo de medo, assim como fiquei com muito medo após ler sobre o Jeff the killer e o Rake no Mililua. Mas aqui no Mundo Gump, acho até comico pelo modo que vc conta a historia, mas se isso estivesse no minilua, bom, iria checar atras do armario antes de dormir……..

  6. Acho que o medo de andar no escuro tem origens primitivas, uma vez que a maioria dos animais carnívoros, que por um certo tempo predaram o homem, possuem hábitos noturnos, e o homo sapiens, por ter hábitos diurnos, não tinha uma percepção do ambiente noturno tão aguçada. Talvez por isso exista esse incômodo até os dias de hoje. Mas acho interessante haver tantas histórias sobre essas criatura, e mesmo que muitas sejam invenção, não duvido que possam existir esses bichos. Parabéns pelo post, estou esperando pela “penca” de relatos.

  7. Muito bom,conheci o site por essa história,pretendo acompanha-lo agora.Essas histórias de monstros são realmente bizarras e sempre me fazem pensar nos mistérios que envolvem nosso mundo.Pode parecer estranho,mais tenho muita vontade de me deparar com uma criatura como essa rs.

  8. O incrível é qu’eu já tinha lido sobre esta história: me interesso por histórias assim desde que me envolvi em um rápido (e aterrorizante) incidente em ’99.

    Quatro RÁPIDAS observações:

    1) Diferenças em tempo, nuances de aparência e tamanho da criatura podem indicar que há mais de uma criatura desta espécie na região. O caso em que os caçadores abriram fogo “à vontade” pode ter resultado em posterior óbito de UM indíviduo: o corpo não foi localizado, claro, mas nenhum “espécime vivo” havia até então sido avistado sem que tivesse intencionalmente se aproximado de áreas humanamente habitadas.

    2) Os relatos narram algo que desperta temor e, embora esteja subentendido, apresenta uma certa malignidade. Parece inclusive perseguir crianças de forma mais insistente (quando ataca ou tenta entrar em casas onde estaas estejam sozinhas).

    3) Caso não seja um monstro sobrenatural ou uma criatura de origem fantástica, mas sim uma espécie desconhecida pelo homem, cito o caso da região onde moro: com o crescimento urbano acelerado e a autorização para lotear áreas “verdes”, criaturas que se acreditavam extintas ou inexistentes na região surgiram em áreas urbanas – minha casa virou lar de aranhas-chatas de tamanho considerável (que não são agressivas e ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos, pelo menos…), tucanos pousam no meio de turistas e jaguatiricas e até uma onça negra adulta são avistadas em estradas. E preás (que são muito legais)!

    4) Por fim, minha opinião como Mecânico formado e atirador regsitrado: balas de calibre .22 (Ø 5,55 mm) tem alto poder de perfuração e alta capacidade de causar danos internos, mas quase nenhum poder de parada – inclusive em função do potencial para perfuração – mesmo se tratando de munição long rifle (provavelmente a utilizada pelo Sr. McDaniel, pois é mais comum para armas curtas nos E.U.A.) ou win mag, salvo casos de munição de impacto (“ponta oca”). Não se sabe como um “bicho” desses é por dentro, quais seus pontos vitais, e aliando a isso o nervosismo do atirador, é bem provável que nenhum ponto vital tenha sido atingido. A criatura, se tiver boa tolerância a dor, realmente não se abalou com os tiros.

    Espero ter contribuído.

  9. aliens…monstros…enfim..lendas e muitas lendas de cultura a cultura..povos a povos..de historia a historia…de epocas a epocas…sao tudo uma unica coisa:demonios.

    (nao sou religioso e nem fanatico por religiao alguma.mas vi e notei coisas em minha vida q me fez mudar para sempre meus antigos conceitos sobre a visao q tinha antes)

  10. Que história maneira, se é verdade ou não,eu não sei, mas aqui no Brasil, basta conversar com os mais antigos, nas epocas que viviam em pequenas cidades e nas fazendas Brasil afora, que você vai escutar cada história cabeluda, de assombração, monstros e demonios, de cair o queixo, e pior, varias pessoas podem confirmar algumas histórias…

  11. Alguma coisa pegou um cara na sede de um parque esportivo aqui perto, ha uns 6 meses e matou. Arrancou os olhos e f. o rosto dele. Tinha sangue por todo lado. Inventaram que foi algum marido ciumento, suspeitou-se de cachorro (ele teria dormido por ali depois de meia garrafa de vodka), mas na verdade ninguem sabe. Fica em aberto.

  12. Gostei da história, parece verídica, porém as datas no caso de Village of Mount não batem com a data do começo. Começa na década de 70, mas logo depois fala que “Nos anos de 1941 e 1942 UMA NOVA onda surgiu”. Isso deve ter sido a primeira aparição né? O correto deve ser: surgiu em Greeley, nos anos 30, seguiu até Village of Mount, por volta dos 40’s, e depois Heinfield, 70’s.

  13. Coincidência ou não, dois meses depois, também em Illinois, apareceu o “Murphysbor Mud Monster” .
    São monstros distintos, pois o segundo tem apenas duas pernas, mede 7 metros e é albino. O nosso monstro tem 1,47m , três pernas e é cinzento.
    Até no mundo dos monstros existe concorrência.

  14. Com certeza deve ser um experimento genético, talvez com fins bélicos, e que estava sendo transportado dentro de uns dos vagões daquele trem, conseguiu escapar e deu no que deu…

    Pelo visto, também, deve ter um gosto especial por carne de crianças.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.