Musculação, fisiculturismo e as mulheres super musculosas

Outro dia eu estava na casa do Dalmo, e ficamos vendo um antigo documentário que mostra a disputa entre o Andold Sharzenegger ( o terminator) e o Lou Ferrigno (o hulk) pelo titulo de mister universo. Incrível como os caras que praticam o fisiculturismo levam a sério o trabalho. O fisiculturismo é um esporte que eu não saberia fazer, mas admiro bastante. Não admiro o jeito ultra-bombado que os caras ficam, mas o esforço sobre-humano que precisam fazer para ficar no topo. É impressionante.
Estes esportes estavam restritos aos homens no passado, mas hoje cada vez mais mulheres o praticam. Engraçado que eu olho, olho e pra mim ainda é difícil imaginar que não são homens fingindo ser mulheres.
O grau de hipertrofia que elas conseguem é incrível. Olha aí:

E aí? Qual delas é a mais gata?

Eu não curto a estética das mulheres super fortes, mas entendo isso como uma consequência de muito treino, de uma dedicação a um esporte. Tem caras que gostam muito de mulheres “bombadas”. Uma coisa que eu tenho reparado é uma explosão nas mulheres “pernudas”. Não sei se dá pra dizer que há uma alteração no padrão de beleza, ou mesmo que seja um transtorno dismórfico corporal (TDC) em curso no Brasil, mas volta e meia, vejo mulheres padrão panicats pela rua.
Outro dia ouvi dizer que a Panicat Juju não consegue mais vestir uma calça, dadas as dimensões futebolísticas de suas coxas.

Há cada vez mais mulheres pegando pesado na malhação. Se isso é bom? Talvez. Espero que elas não estejam fazendo uso de anabolizantes, já que isso faz muito mal. Hoje, entramos numa coisa da busca pela gordura zero. A gordura vem sendo atacada como uma vilã e símbolo da falta de saúde. Vejo pessoas polarizando a discussão. Os que atacam as pessoas que malham muito e as pessoas que malham chamando as que os criticam de baleias acomodadas.
Pessoalmente, eu acho que deveria ter uma interface entre o excesso de malhação e a falta de gordura. A gordura, como o sangue, ossos e também os músculos, é uma parte importante do nosso organismo.

Em paralelo, eu noto uma estereotipação bastante imbecil em muitas pessoas que é o de considerar mulheres do tipo panicat como burras. A Tv e principalmente os programas de humor são construídos sobre estereótipos. Chegamos a um ponto em que as pessoas podem ver aquilo e entubar ao ponto de repetir aqueles comportamentos.

O Pânico na Tv abusa deste recurso, mostrando as mulheres como meros corpos sarados com o cérebro atrofiado. Infelizmente, a ampla maioria das pessoas vai olhar para elas e pensar que todas elas são mesmo assim, idiotas com QI de ameba…
Não estou negando o fato de que exista mulher burra e gostosa, mas nós temos que parar e pensar que o cérebro não encolhe na razão direta do aumento muscular.

5 Comentários

  1. Muca 26 de setembro de 2011
    • Philipe3d 26 de setembro de 2011
  2. Maikel Dal-Toé Souza 26 de setembro de 2011
  3. meu nome 26 de abril de 2013
  4. sergio 23 de dezembro de 2013


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *