Hitler Fried Chicken

Olha que doideira. Na Tailândia, inaugurou um restaurante que é tipo um clone xingling do KFC, só que é Hitler Fried Chicken!

Hitler Fried Chicken

Aparentemente há uma estranha “moda” na Tailândia, que elegeu o Hitler como um ícone pop. O negócio beira a obsessão.

Segundo a matéria original do Daily Mail:

Em setembro de 2011, na cidade de Chiang Mai, um grupo de estudantes do ensino médio vestiram-se no o dia do esporte com uniformes nazistas caseiros completos, incluindo as braçadeiras com suásticas e armas de brinquedo. Liderando o seu esquadrão, estava um adolescente vestido com um uniforme falso da SS usando um bigodinho do Hitler. Os moradores aplaudiram os alunos alegremente das calçadas enquanto os turistas estrangeiros supostamente olhavam espantados. Em 2009, um museu de cera na cidade litorânea de Pattaya anunciou sua mais nova peça de exposição com um outdoor gigante do Führer com a legenda em tailandês: “Hitler não está morto!” Em 2007, centenas de estudantes em uma escola de Bangkok encenaram um desfile de fantasias nazistas temáticas similares. Após protestos internacionais, os professores de ambas as escolas se desculparam, dizendo que não tinham ideia de que os alunos tinham planejado se vestir como nazistas.

Hitler Fried Chicken
Hitler aparece como um Telettubie tresloucado em camisetas da moda
Hitler Fried Chicken
Grafites mostram Hitler vestindo a fantasia do Ronald McDonald na parede de uma loja da Tailândia
Hitler Fried Chicken
Até bonecos de fibra trazem Hitler-Mc Donald na Tailândia
Hitler Fried Chicken
As camisetas com o líder nazista cartunizado fazem enorme sucesso por lá

Eu penso que a transformação do líder genocida nazista em um ícone pop é algo que causa repulsa nas pessoas que bem ou mal, sofreram efeitos de sua existência e passagem por este planeta aqui no passado. A Tailândia, por ser muito distante do conflito, não tem a real dimensão dessa figura nem do que ela representou. Mas mesmo que tivesse, não percebo no uso da figura de Adolph Hitler uma ode ao nazismo ou qualquer ação anti-semita. No fundo, percebo mais uma ridicularização dessa tenebrosa figura histórica, que deve incomodar muito os neonazistas.

Recentemente, a internet recebeu uma enxurrada de virais usando trechos do filme Os últimos dias de Hitler, usando legendas ficcionais para sacanear todo tipo de coisa, de telefonia da TIM a política nacional.
HAHAHA, Hitler reclama de tudo. Até de não conseguir jogar Diablo 3:

Aqui Hitler se depara com a qualidade de atendimento da Claro:

É quase impossível não rir, uma vez que Hitler entrou para a história como um louco, mas um louco caricato, a personificação de um projeto de poder delirante. Os seus discursos filmados e a forma teatral-maníaca como ele lia seus discursos o incorporaram no inconsciente coletivo de forma indelével.

Ele é cômico, e ao mesmo tempo trágico. É cômico porque isolando suas ideias e suas ações, é só um cara muito doido, com visíveis trejeitos “de quem já tem os drivers pré instalados”. Mas é também trágico quando pensamos que um cara assim conseguiu implantar um projeto opressor de poder em um país e manipulou milhões, pilhando, matando, saqueando e destruindo.

fonte

Related Post

15 comentários em “Hitler Fried Chicken”

  1. Sim, a coisa é bizarra e chega a ser engraçada! O foda é quando umacoisainofensiva começa a se tornar obcessão,então a bosta toda já está formada! Afinal corre-se o risco de ninguém levar a sério um bando de neo-nazistas de verdade e a coisa fica subjulgada. Daí é chorar na cama porque a cama é quente.

  2. Gostando ou não, um dia não haverá mais o tabu que o nazismo possui atualmente. Hitler irá se tornar uma espécie de Che Guevara, com certeza haverá o rosto de Adolf e suasticas estampadas em camisas, cadernos, roupas, bandeiras, times de futebol, livros… sem o menor tabu. Nós ainda carregamos máguas de Hitler, pega mal falar que o apoia. Inclusive, existe uma tal de LEI DE GOODWIN, que alega que como o nazismo se tornou sinonimo de ”mal”, um grupo pode desmoralizar outro comparando-o com o nazismo, mesmo não tendo nada haver com a ideologia!!! Por isso há partidos que acusam a oposição de nazismo, mesmo não tendo qualquer vinculo com Hitler. Quando o tabu com o nazismo acabar, a lei de goodwin, skinheads… irão sumir. Pode até ser que haverão partidos nazistas com mais frequencia, mas seriam grupos organizados, e não neo-nazis moleques, como os skinheads, que saem por ai matando. Inclusive, creio que pessoas assim apenas usam o nazismo como bandeira, pessoas assim já são violentas, se não fosse o nazismo, seria o comunismo a ideologia delas… A razão para esse tipo de pessoa violenta seguir o nazismo é que ela já é violenta e rebelde, e como o nazismo é assim, acaba aderindo. No dia que tivermos uma concepção mais histórica, e menos maniqueísta, do nazismo, acabarão esses skineheads, pois acreditem: é o tabu que o nazismo tem que os levam a se tornaram nazis, pois nenhum deles quer ser nazista, apenas rebelde.

    • Sei não, cara. Aí já força. No máximo a visão que podem ter dele é como um cara tipo Gengis Khan, ou, no mais neutramente possível, Napoleão Bonaparte. Pense num cara como Calígula. O cara até hoje é considerado um louco psicopata, séculos depois de morrer. Che Guevara fez um monte de merda, mas não chegou ao genocídio – por mais que tivesse apoio de alguns caras mais barra pesada, que nem Stalin – e nunca foi unanimamente considerado um “vilão” histórico (fora do partido republicano americano, ao menos, não). Mas uma coisa vc tem razão, o tabu com o nazismo que existe hoje em dia é um apelo forte pra qualquer nego com agressividade mal direcionada. Caramba, eu mesmo na época de moleque, 12 ou 13 anos, uma vez ou outra rabiscava uma suástica no caderno pra fazer pose de fodão. Junto com um A de anarquia, e uma caveira de pirata, claro. Porque quando vc é um tapado sem noção do contexto das coisas, vc só reproduz os ícones que vê rabiscado na carteira da escola, alheio ao fato que não, o seu professor não te considera o pior dos casos nem o retrato do colapso da sociedade. Vc só é um dos garotos medíocres que ele mal lembra o nome.

  3. Mesmo que tenha conotação de chacota, ainda acho bizarro. Não consigo ver uma comparação adequada entre os vídeos do Youtube usando as cenas do filme com o que está acontecendo na Tailândia

  4. Politicamente falando, o fascismo nada mais é do que uma corrente de extrema direita que tenta delegar ao Estado o domínio absoluto da sociedade em tempos de crise. Na Alemanha derrotada ao fim da 1ª grande guerra em 1918 e suas subseqüentes crises econômica e política que levaram ao caos da hiperinflação em 1923 e a queda do império em 1919, este movimento popular encontrou eco em alguns setores que se organizaram a partir do fortalecimento e da supremacia do Estado sobre a política e os direitos individuais, tudo em nome da “salvação” do sistema (essa história de procurar um salvador não é exclusividade do brasileiro, não).
    Com a chegada ao poder do porta-voz das massas e maior intérprete desta ideologia, Hitler, consolida-se o processo de histeria coletiva que dominou boa parte da Europa central conectada ao eixo alemão e o resto já o sabemos pelos livros de História.
    Concordo com o Victor quando ele diz que em um dado dia as coisas serão recontadas de forma diferente. Não quero dizer com isto que apóio esta ideologia. De maneira alguma. Aliás, vejo com medo o acirramento das posturas ideológicas não só no Brasil mas em boa parte do mundo ocidental devido ao fracasso dos modelos políticos utilizados. Por mais paradoxal que isto possa parecer, mas o filósofo alemão Adorno já dizia há algumas décadas que o fascismo ressurgiria e com muita força exatamente no país que mais lutou para eliminá-lo na 2ª guerra, os EUA. E a questão é simples e é sempre a mesma: a crise do modelo político-econômico, a descrença no establishment, a queda nos níveis sócio-econômicos e a disputa amoral das correntes políticas envolvidas na administração do país sem se preocuparem com a população. Isto nos parece tão familiar, não? Não é à toa que vimos tantos punks e skinheads nas passeatas e pessoas agredindo a outros manifestantes que empunham bandeiras de suas agremiações partidárias. Sem contar que do nada começaram os gritos de “abaixo o governo” em passeatas que se organizaram em torno de reivindicações pontuais de cada cidade. Nada acontece por acaso. A partir do momento em que se recusa os métodos e as ferramentas tradicionais das sociedades democráticas para se implementar mudanças no sistema que não está trabalhando a contento, abre-se um precedente perigoso para que o poder constituído seja trocado por qualquer coisa. Essa coisa qualquer que é o campo fértil para que “heróis salvadores da pátria” surjam do nada – como sugeriram o nome do ministro do STF, JB, para concorrer em 2014 – e para os fascistas porem as mangas de fora e quererem se adonar da situação, a exemplo do que as redes de TV tentaram fazer e foram – felizmente – escurraçadas das manifestações. A Veja e a Globo e outros jornais começaram a torcer os fatos levando as manifestações para o campo do político-partidário mas estão sendo duramente criticados pela população que está mais ligada e não se deixa mais manipular tão facilmente. O governo fica em cima do muro em questões absurdamente vitais para a população e prefere fazer seus conchavos políticos a tomar decisões sensatas que contemplem a população em suas necessidades. E assim o processo vai andando. Espero que não chegue ao ponto de exaustão onde os messiânicos de plantão sugerirão alguma medida “salvadora” e enganosa como foi a ditadura de 64.
    Hitler tem várias faces. Nós já conhecemos uma delas por estas bandas por 21 anos e não queremos repetir a experiência.
    Para finalizar, se me permitir postar um link, Phillipe, trata-se de uma reflexão que achei hoje, ao acaso, navegando. Nestes tempos em que a informação fornecida pela velha mídia é suspeita, fazer o quê? O autor do artigo fez uma reflexão bacana a respeito e eu concordo.

    http://www.materiaincognita.com.br/como-e-onde-formar-opiniao-nos-novos-tempos-de-internet/#axzz2YDshk36E

  5. Leandro, não posso prever o futuro, só estou especulando que no dia que o nazismo deixar seu status de tabu, vai se tornar um ícone pop, para o bem ou para o mal, simplesmente porque todo mundo, mesmo não conhecendo com exatidão a Segunda Guerra Mundial, já ouviu falar em ”Hitler” e ”Nazismo”. Todo mundo tem alguma ideia do ele fez. Você talvez não consiga desenhar Mao Tsé Tung, mas com certeza consegue desenhar hitler, basta fazer uma cara com um bigodinho pequeno abaixo do nariz e uma suastica. Pronto! É isso o que estou falando, ele já é bem conhecido, só falta largar o tabu…

    • Velho, isso não é um “tabu”. Isso, é tentar transformar em ícone uma figura que massacrou 6 milhões de pessoas simplesmente por serem diferentes dele. Isso é ridículo.
      É algo que nunca deve ser esquecido, para que possamos evitar que se repita.
      Os idiotas que gostam de nazismo, fascismo e comunismo têm sempre que se lembrar que são regimes tão prejudiciais ao povo (beneficiando apenas uma camada da população, ou seja, membros do partido dominante), que precisam ser impostos e controlados à força, pois, se a posição tiver voz, são facilmente derrubáveis.
      Outra coisa que se esquecem sempre: esse tipo de regime faliu e qualquer coisa remotamente parecida é sempre derrubada pelo povo.
      Que esse genocida nunca vire ícone.

  6. Sem dúvida ele foi um louco psicopata e genocida, merecendo todos os adjetivos a ele atribuídos. Só não devemos nos esquecer de olhar para outros que, travestidos de estadistas, comprometem gerações com seu legado de corrupção e autoritarismo, sem assassinar de fato.
    Não vejo muita diferença entre Hitler e o japinha gorducho da Coréia do Norte, os responsáveis por anos de apartheid na África do Sul, as dezenas de ditadores da África e até mesmo os clãs Sarney, Calheiros, Magalhães e tantos outros que condenam seus povos à fome e ao analfabetismo, causando-lhes uma morte lenta e sofrida.
    Acho que esses deveriam ser condenados por genocídio também!

  7. Achei de muito mal gosto comparar hitler (é assim mesmo, com letras minúsculas) com CHE GUEVARA. Nada teem em comum, a não ser a popularidade. Um por ser louco, outro por ser um verdadeiro HERÓI.
    PHILLIPE, caso leia isto favor ver meu comentário no post “estamos de volta”. È uma sugestão . obrigado!

  8. Tirando que Tailandes é quase “preto” (e mesmo que não fosse, não era Alemão )e que se ele tivesse ganhado a segunda guerra estariam todos mortos ou escravizados.
    Só alguém sem noção de tudo usa camisa do Che…Que está quase no mesmo nível de Bush, Bin Laden e Hitler.

    Já que é pra admirar bandido, me faz uma camisa do Beira Mar.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares