Flores arco-íris, como fazer

Veja só que legal. Isso não é Photoshop!

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Isso não é manipulação digital. São fotos reais. Trata-se de flores realmente coloridas. O processo de se obter essas flores, também chamadas “Flores arco-íris” começa com flores normais.

A verdade é que este é um segredo industrial muito bem guardado. Quem sabe não ensina, pois este conhecimento vale milhões de dólares. As Rosas arco-íris foram inventadas por  Peter Van de Werken, que é um exportador mundial de flores perto de Den Bosch ao sul da Holanda. Ele levou seis meses para conseguir encontrar a forma certa de tingir as rosas.

Muitas pessoas especulam e tentam descobrir o segredo pelo método da tentativa e erro. Mudar a cor de uma flor é uma experiência comum, muito feita nas escolas. Mas Peter consegue de alguma maneira mudar a cor de certas pétalas apenas. Certamente que a forma de obter isso se dá com o corte do caule.

A escolha da flor certa é muito importante. É importante que a flor base seja branca, de modo que após se tornar colorida, as cores ficarão mais intensas.
Para tingir o ideal é usar corante alimentício, que será diluído na água.
Assim, você colore a flor, mas não diretamente. Basta mudar a cor da água, que ela vai absorver e gradualmente mudará de cor. Então é um processo que leva algum tempo, por isso o ideal é não escolher uma flor muito madura.

Uma outra dica é adicionar à água um alimento líquido para flores. (vende em floricultura) è um liquido incolor que mistura-se à água e aumenta a durabilidade da flor. Já ouvi falar que amassar uma aspirina e adicionar o pó na água também funciona, mas nunca testei isso.

As mais famosas flores arco-íris são rosas, mas é possível fazer com qualquer flor que seja branca.
Para obter um bom efeito de arco-íris na flor, o ideal é escolher as cores do corante seguindo o padrão da degradação da luz através de um prisma:

Quanto mais forte o corante, mais forte a cor ficará na rosa.

O segredo desta técnica está no corte do caule, que deve ser feito de uma forma específica, separando-o em diversas fibras que serão depositadas em pequenos recipientes contendo cores diferentes. Para os recipientes é possível usar tubinhos de remédio. Dessa maneira, cada pétala absorverá uma cor.

Uma dica é adicionar um pouco de água morna e com açúcar nos tubinhos. Isso acelera o processo de absorção da cor. A rosa mudará de cor completamente em, três dias.

Não coloque o açúcar diretamente. Prepare uma mistura de água morna com açúcar num recipiente a parte e só depois de bem misturada, adicione aos vidros com o corante.

Eu acredito que o segredo maior esteja na forma de cortar o caule. Quando cortamos o caule numa seção vertical, (vide a foto ali em cima) você obtém duas partes do caule. Colocando cada parte num vidro com corantes diferentes, obtemos rosas de duas cores.

Não testei, mas tenho a sensação que a parte externa do caule atinge uma parte específica da pétala. Imagine o caule como um fio elétrico:

Suspeito que o cara corte o caule assim, separando o em camadas. Posteriormente, ele corta o que seria ali na imagem a espuma dielétrica em cortes verticais e só esta parte que ele coloca em receptaculos coloriodos. Na camada mais externa, ele repete o processo, invertendo os receptaculos coloridos. E assim sucessivamente.

Mais uma vez, volto a dizer: Isto é um chute! Não testei. Mas vale a pena testar. Já que é um segredo que pode fazer alguém ficar rico.

fonte

16 Comentários

  1. Felipe 13 de outubro de 2010
  2. Jackie 14 de outubro de 2010
  3. Thiago 14 de outubro de 2010
    • Philipe 14 de outubro de 2010
      • Felipe 14 de outubro de 2010
        • Philipe 14 de outubro de 2010
          • Alexandre 15 de outubro de 2010
  4. moni 16 de outubro de 2010
  5. jose bispo 16 de outubro de 2010
  6. natalia 16 de outubro de 2010
  7. Analeticaramalho 5 de outubro de 2011
  8. ana carolina 6 de novembro de 2012
  9. Lenir 22 de março de 2013
  10. Bruno 20 de junho de 2013
  11. Camilla 25 de junho de 2013
  12. thalita 13 de novembro de 2013


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *