Ele nunca mais vai comer novamente

Olhe só para este cara aqui ao lado. Ele diz que nunca mais vai comer qualquer coisa que seja, porque está se sentindo muito bem com sua nova dieta à base de um tipo de vitamina que – segundo ele – supriria todas suas necessidades nutricionais, além de não conter nada perigoso ou cancerígeno, como corantes, realçadores de sabor, conservantes químicos, aromas artificiais e etc.

a4aa4b5775641f7b09ae91056e54aeea

Me parece absolutamente curioso que uma pessoa defina que nunca mais vai comer na vida, ainda mais quando pensamos em coisas gostosas como pizzas, hambúrgueres e bife com batata frita. Em vez disso o cara prefere beber este vômito tipo de vitamina aí.

Isso me lembra daquela dieta do Robocop, tá ligado?

O troço tem um aspecto realmente meio repugnante para algumas pessoas.

b6c9996e86fd1e82d4c4dc22c1081b21

 

Segundo Rob Rhinehart, comer é não só um completo desperdício de tempo, dinheiro e esforço, como também é perigoso. Segundo Rob comer hoje em dia, no mundo industrializado em que vivemos é um grande risco de vida. E nisso não tem coo não concordar que ele tem uma parcela de razão, sobretudo quando nos lembramos que os Chineses já conseguiram falsificar o bife e até o ovo com produtos químicos indiscutivelmente perigosos!

Rob Rhinehart é um engenheiro de software de 24 anos de idade, natural de Atlanta e, presumivelmente, um obcecado por uma dieta saudável a qualquer custo. Rob teve esta ideia num dia, enquanto fritava um ovo e percebeu a enorme quantidade de tempo que levava para fazer sua comida todas as manhãs. Então ele decidiu que algo tinha que ser feito. Sua ideia era simplificar o alimento com “nutrientes necessários ao organismo para funcionar”. Pesquisando,  Rob chegou a uma fórmula de um cocktail inodoro bege que ele está chamado Soylent.

Ingredientes do Soylent
Ingredientes do Soylent

Segundo Rob, o  Soylent contém todos os componentes nutritivos de uma dieta equilibrada, mas apenas um terço das calorias e nenhuma das toxinas substâncias carcinogênicas que cedo ou tarde a gente se depara no almoço de alimentos processados. Apesar de sua aparência nada atrativa, o troço chamado Soylent que mais parece um leite talhado misturado a esperma de cavalo, na opinião de seu criador “teria o potencial de mudar a relação do mundo inteiro com a comida”.

Soa meio prepotente para você também? 

Aqui tem uma entrevista com o criador do estranho alimento que mais parece ração alienígena. Dá uma olhada enquanto eu fagocito o meu burguer king. 

Related Post

28 comentários em “Ele nunca mais vai comer novamente”

  1. Isso já existe. Só que o ser humano obtém prazer em comer. Faz parte da nossa necessidade cerebral básica por estímulos.
    Um professor meu de nutrição animal falava sempre que se fosse aplicado o que se sabe sobre ração animal para fabricar uma ração humana não haveria mais fome e desnutrição no mundo. E já existe tal ração. Só que o gosto…
    Os humanos preferem passar fome a se “rebaixar” e comer ração.

  2. Vai chegar uma hora que ele vai enjoar do gosto desse treco e vai implorar por alguma coisa com o gosto diferente disso.E cara,para que tanto sofrimento?Se ele tem uma facilidade muito grande em seguir dietas coma apenas legumes e frutas e ele vai ter um corpo tipo muito saudável.

  3. Mt interessante, mas sinceramente, essa vitamina não parece ser ruim. Eu tomo vitamina de abacate, se isso te deixa enjoado, de uma olhada em uma vitamina de abacate e vc vai descobrir o que é ração alienigena!

  4. Ñ me soa prepotente não! É verdade o que esse rapaz diz, pois comer é uma necessidade corporal, não uma necessidade emotiva, não devia ser feito por ”lazer”. Quando alguém diz que suas coisas preferidas são comer e dormir, eu acho isso tão estranho quanto dizer que a atividade preferida delas é mijar, pois isso são necessidade corporais, não são lazer em aqui nem na China.

    • Discordo, comer é sim uma atividade de lazer, afinal lazer é fazer coisas que dêem prazer, ou você faz sexo apenas para reprodução? e acho que a culinária é uma arte…também discordo completamente do comentário “o ser humano prefere passar fome a se rebaixar a comer a ração” pelo jeito você não viu nenhuma daquelas famosas imagens de uma mãe se desesperando com o filho esquelético praticamente morto nos braços porque não tinha comida

      • Pessoalmente, neste caso do carinha lá, acho que ele viajou legal na maionese (ou no caldo)… porque o ser humano evoluiu até aqui com uma dieta onívora, isso é diversificada à beça, que vai de raízes a animais, passando por fungos, mato, todo tipo de coisa rastejante, gosmenta e com perninhas… O cara pensar que tem que criar um caldo gororobento porque cozinhar é “perda de tempo”, é uma questão a nos perguntarmos sobre o que iremos fazer com este suposto “tempo perdido”. Hoje perdemos tempo com babaquices muito mais inúteis que cozinhar. Um exemplo? No trânsito das grandes cidades…
        Comer é uma necessidade básica, mas igualmente um ato de extremo prazer, aliás, o prazer mais básico de um ser humano é a alimentação! Agora concordo quando ele diz que a industrialização da alimentação (isso em especial nos EUA, onde os pobres comem muito pior que os ricos, em quantidade e qualidade) é prejudicial no longo prazo. Ele tem razão. Temos que lembrar que uma parcela monstra dos EUA se alimentam de salsicha TODO DIA! è Ketshup TODO DIA, é refri TODO DIA, é Bacon na manteiga, ovo, TODO DIA… Como que isso não vai dar merda? Tem gente nos EUA que come frango frito do KFC todo santo dia no almoço. Cedo ou tarde isso cobra seu preço. Mas em contrapartida, lá tem tudpo para o cara que não quer seguir por este caminho, no entanto, fica caro, dá mais trabalho. O americano em geral tem uma preguiça DO CARALHO de fazer certas coisas e apela para as facilidades. Um belo exemplo disso é o refrigerante de refill nas grandes cdaeias de fast food. O cara pode comprar um copo pequeno, que da direito a ele de beber QUANTO REFRI QUISER, mas ele compra o BALDE de refri. Pra que, se ele pode encher aquela porra mais de cem vezes se aguentasse? Ele faz isso porque não quer ter o trabalho de levantar da mesa e ir até a maquina… Isso é algo profundamente errado na sociedade moderna. Terra de extremos, esse problema se torna mais visível nos EUA, mas ele é amplamente disseminado.

    • Isso não é necessariamente verdade. Comer é uma fonte de prazer, isso é indiscutível, não é apenas uma necessidade fisiológica. Existe uma fase da alimentação chamada fase cefálica, em que os estímulos cerebrais ativados pelo cheiro e aparência da comida atuam principalmente preparando o corpo para receber o alimento, quando isso acontece há liberação de endorfinas. Saciar a fome também funciona dessa forma. Algumas -poucas- pessoas conseguem se desligar dessa fase e ignorar o alimento como fonte de prazer

  5. Achei interressante.Acho que tomar só isso pelo resto da vida é exagero, mas por exemplo,só uma semana disso já ajudaria a desintoxicar o corpo pelo menos um pouco.

  6. Achei interessante o ponto de vista do Rob. Concordo com o pensamento dele de que é uma inútil perda de tempo preparar alimentos, tipo levar 2 horas para fazer um almoço e detonar tudo em apenas 15 ou 20 minutos! Eu há 3 anos decidi não mais ingerir qualquer coisa sólida durante o período diurno, somente suco e água. E à noite, das 18 às 21 horas, ingerir a menor quantidade possível de calorias sólidas. Nunca estive tão bem! A coisa é mais cerebral (fome) do que eu imaginava!

  7. Acho que tudo em excesso faz mal, de uma forma ou de outra.
    O segredo é balancear.
    Substituir uma refeição no dia por essa gororoba aí seria bom, nunca mais comer nada é exagero.
    Deve ser jogada de marketing.

  8. Lembrei na hora cena da gororoba do Matrix I, em que o Dozer fala “É uma proteína unicelular combinada com aminoácidos, vitaminas e minerais sintéticos. Tudo que o corpo precisa.” Mas alguém antes fala que parece com uma “tigela de catarro” huahuahua

  9. Será que ele não defeca ? No programa do GuGu surgiu uma pessoa igual esse sujeito ai, dizendo que só tomava sucos nutricionais, dai o Gugu perguntou se ele defecava, e o rapaz disse que não defecava fazia anos. Dai eu penso comigo, o sistema digestivo do cara pode atrofiar, se lá, mais talvez não, pois é no intestino que a maioria dos nutrientes é absorvido. Pensando bem ele é um cara meio do tipo ecológico, não come e por fim não gasta papel higiênico, só com essas medidas ele deve economizar muito no final de 1 ano, imagines quantos rolos uma pessoa usa durante 1 ano. O cara é bom…

  10. Casimiro, há falhas nos seus argumentos. Alimentar por lazer é um comportamento induzido por nossa sociedade. Nas mais diversas culturas orientais, e também em algumas ocidentais, comem alimentos que são verdadeiras NOJEIRAS para nossas cultura. Muitas vezes fazem isso por pobreza, na China, talvez comam insetos por pobreza, mas não é sempre que essas porqueiras são consumidas por pobreza não, viu? Muita nojeira são verdadeiras iguarias naqueles paises. E são coisa de rico! Isso porque a elite daqueles paises alega que aquilo é etico, enquanto por aqui, o etico é arroz com feijão… Toda sociedade valoriza a alimentação (pelo menos a maioria), pois comer é instintivo, mas note que há variações absurdas de padrões alimentares, isso nos leva a crer que comer sem precisar é algo meio induzido. Alias, escuto desde criança aquela historia de ”o homem branco se achar uma arvore cheia de maçãs vai pegar tudo, o indio só o nescessário”.

  11. Bem, o perigo desta nutrição “HIDROPÔNICA”, e que o organismo pode sentir a falta de volume e atrofiar algumas funções importantes, que de repente se posa fazer necessário em alguma, ocasião. Afinal, é da natureza animal, comer, seja muito ou pouco, saudável ou não, isso ou aquilo, não importa. Mas só ingerir líquidos e ou pastosos por muito tempo, vai ter suas consequências!

  12. Fiquei imaginando uma picanha mal passada na churrasqueiras. Não dá pra comparar com essa gosma…

    Recomendo um conto do Arthur C. Clarke, “O Alimento dos Deuses”, publicado no livro de contos “O Vento Solar”, onde mostra uma sociedade do futuro que só come alimentos sintéticos e discute as preferencias sobre os tipos de alimentos. É realmente surpreendente.

    Outra coisa, comer não é só uma necessidade básica, é um prazer, e não é só o sabor do alimento, a textura, o aroma, a temperatura, tudo faz parte da experiencia.

  13. Se ele curte viver com diarréia, na boa. Dieta só de líquidos… O rapaz vai viver num eterno preparo para colonoscopia. Disso eu entendo bem. E o nome da parada é bem cara de trollagem, como o Felippe Chaves já observou.

  14. Argumentar que “na China o pessoal come coisas horrendas” não é o mesmo que dizer que eles não gostam do que comem. Parece que as pessoas têm muita dificuldade em entender que existem pessoas diferentes, com gostos diferentes. Gostar de comer gafanhoto ou hamburguer é algo particular – e extremamente social em sua particularidade, com raras exceções. Então, podemos dizer que (e talvez até pra esse cara aí, mesmo que ele não admita) é difícil escolher o que consideramos “gororoba”, no seu sentido mais etnocêntrico possível, mas isso realmente varia de onde tu nasceu e onde tu vive. Acho, fora isso, que não cabe dizer que não há prazer em uma determinada alimentação, mesmo que para a própria pessoa aquilo pareça uma nojeira. Primeiro, porque independente do gosto ou da aparência, os elementos presentes na substância ingerida (comida, bebida, cigarro, entre outros) agem sobre o nosso cérebro, fazendo com que tenhamos determinadas sensações. Então, por mais que a aparência seja horrível, o próprio rapaz em questão afirma que se sente satisfeito com o que ingere. Então, é claro que há um prazer, embutido nestas sensações produzidas pelos elementos presentes no líquido, mesmo que não seja o prazer com o qual estamos acostumados. E, complementando, mas não menos importante, está o prazer PSICOLÓGICO por trás da alimentação. As pessoas associam prazer psicológico na comida com gordinhos e pizzas, montes de queijo, doces e refrigerantes. Mas não é bem assim – todos nos influenciamos, seja pela aparência, pelo gosto, pelas substâncias ou por qualquer outra coisa, e não está relacionado apenas a alimentos gordurosos ou carboidratos. Então, alimentos saudáveis e/ou objetivos também proporcionam um efeito psicológico que pode, inclusive, tornar-se vício, assim como o chocolate o é para alguns.

  15. O que o rapaz não enxerga é que ele está consumindo algo tão industrial quanto a porcaria que os outros comem, e eu não vejo tantos motivos para confiar plenamente em fábricas de vitaminas. A indústria vive enfiando porcarias na gente, dizendo que é ouro, e estamos consumindo lama – em relação a alimentos, roupa, tecnologia, qualquer coisa que eles possam vender. A indústrica farmacêutica, em especial, vive enfiando goela abaixo um monte de drogas que nos mantém dopados e leva-nos a desenvolver doenças terríveis – medicamentos que atacam nossos órgãos, nossa imunidade, nossa saúde física e mental. E eles afirmam de pés juntos que tudo é PERFEITO, é testado e comprovado (em macacos e ratos, depois em pessoas pobres), dá super certo, sem efeitos colaterais, tenha FÉ na medicina. Na bula diz que pode dar um cancerzinho, problemas no fígado, desencadear síndromes, mas aah… besteira, se for na dose indicada, está tudo certo!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares