Criptozoologia cartográfica?

Quando eu estava fazendo pesquisa para o post dos mapas, eu me deparei com uma coisa intrigante. Sabemos que antigamente, era normal que os cartógrafos deixassem a mente viajar ao desenhar os mapas. Muitos mapas medievais eram ilustrados com figuras mitológicas e criaturas estranhas. Vários mapas antigos ostentam os monstros e serpentes marinhas, além de sereias e outras criaturas que os marinheiros, supersticiosos acreditavam existirem no mar distante . Confira:

 

 

%name Criptozoologia cartográfica?
Criaturas estranhas surgindo do mar neste mapa de 1539

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?
Bestas marinhas em um mapa de 1570

Era de se esperar que criaturas ameaçadoras e terríveis surgissem nas mentes dos homens que atravessavam os oceanos em completa dependência do vento, muitas vezes sem ao menos saber para onde estavam indo.

%name Criptozoologia cartográfica?

Algumas vezes estes mapas e desenhos do período revelam aspectos interessantes da compreensão dessas pessoas na época. Veja por exemplo esta imagem que mostra os homens desembarcando no que pensavam ser uma ilha e na verdade era uma baleia, publicado originalmente no Novi Orbis Indiae Occidentalis, 1621.

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?

Os nossos contemporâneos sabem que isso é totalmente impossível, mas para o imaginário das pessoas da época, monstros existiam e avistar uma baleia ao longe produzia grande terror nos homens do mar.

Agora, alguém poderia me explicar como que dinossauros são mostrados nas imagens abaixo se eles já estavam extintos?

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?
Serpentes marinhas de Buffalo Land – Noth America 1872

Observando as criaturas da imagem acima e comparando com as demais bestas marinhas do imaginário popular, é de se estranhar que o cara que desenhou isso tenha acertado a forma dos dinossauros, colocando inclusive pterodactilos na imagem.

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?

%name Criptozoologia cartográfica?

Bom, tentei arrumar uma explicação plausível para o fato curioso de que as “bestas marinhas” do desenho de 1872 são praticamente dinossauros. Minha primeira hipótese é que o cara que desenhou isso teria se inspirado nos fósseis. Mas dando uma pesquisada, eu percebi que os primeiros fósseis completos de dinossauros encontrados foram iguanodontes, numa mina de carvão da Bélgica em 1878. Mas olhando na wikipedia eu vi que o primeiro fóssil de plesiossauro foi descoberto por Mary Anning em  1821. Ela teria descoberto também o primeiro fóssil de pterossauro em 1828. Assim é plausível que o artista tenha se inspirado nos fósseis de Mary Anning para compor a ilustração sobre as bestas marinhas de Buffalo Land.

Entretanto, existem inúmeros relatos no campo da criptozoologia sobre criaturas que pensávamos estar extintas e no entanto a cada ano diversos avistamentos acontecem. Este também poderia ser o caso do artista? Teria ele ilustrado criaturas realmente vistas pelos navegadores que julgávamos estarem extintas?

Sabemos que em diversos lagos mundiais, uma série enorme de criaturas marinhas desconhecidas, chamadas popularmente de “monstros” são avistadas com relativa frequência, sendo alguns relatos tão antigos que remontam o século XV.

%name Criptozoologia cartográfica?

Sobre os pterossauros do desenho, não é de hoje que pessoas de diversos lugares do mundo afirmam terem visto estes animais alados, em diversos tamanhos. Alguns deles são mencionados na Wikipedia, como o Ropen, o Ahool e o Kongamato africano, um tipo de pterodátilo que ataca as pessoas. O Kongamato tem centenas de testemunhas oculares – algumas inclusive atacadas pelo selvagem  animal – e teria sido visto no Zimbabwe, na República do Congo, Namibia, Tanzânia, Angola e no Quênia.

%name Criptozoologia cartográfica?

Até onde a fantasia humana alcança? Onde está o ponto em que a ficção se entrelaça com a realidade estupenda? Durante anos a ciência acreditou que o celacanto estava extinto. Até ele ser descoberto vivo na costa da Àfrica em 1938.

 

Artigos relacionados

Comments

comments

7 comentários em “Criptozoologia cartográfica?”

  1. Acredito que a África tem muita coisa ainda por ser descoberta. Tirando o fato do que já foi destruído pelas empresas que extraem minérios de lá sem o mínimo de cuidado, a diversidade biológica, tanto marinha, quanto terrestre, deve ser de assustar. Se apenas na parte brasileira da Amazônia não se tem conhecimento de tudo que habita lá, imagina na África, um continente subutilizado, infestado por gananciosas multinacionais, poderosos líderes e muita gente ignorante, na miséria. Se o potencial biológico de lá fosse explorado, grandes achados vegetais e animais seriam descobertos.

    Mas enfim, esse é o mundo em que vivemos.

    Fora do assunto, achei uma notícia bastante curiosa e trágica ao mesmo tempo, que poderia dar um bom post: os pênis dos ursos polares estão diminuindo por causa de poluentes na água ( http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL105769-5603,00.html)

  2. Acredito que a África tem muita coisa ainda por ser descoberta. Tirando o fato do que já foi destruído pelas empresas que extraem minérios de lá sem o mínimo de cuidado, a diversidade biológica, tanto marinha, quanto terrestre, deve ser de assustar. Se apenas na parte brasileira da Amazônia não se tem conhecimento de tudo que habita lá, imagina na África, um continente subutilizado, infestado por gananciosas multinacionais, poderosos líderes e muita gente ignorante, na miséria. Se o potencial biológico de lá fosse explorado, grandes achados vegetais e animais seriam descobertos.

    Mas enfim, esse é o mundo em que vivemos.

    Fora do assunto, achei uma notícia bastante curiosa e trágica ao mesmo tempo, que poderia dar um bom post: os pênis dos ursos polares estão diminuindo por causa de poluentes na água (http ://g1. globo. com/Noticias/Ciencia/0,,MUL105769-5603,00.html)

  3. :omg: caraca veio tambem acho que na africa ainda tem muita coisa que ninguem sabe.
    adoro seus posts sobre esse tipo de assunto.
    não tem nenhum artigo sobre Ropen, o Ahool e o Kongamato que seja em portugues? queria saber amis sobre eles

  4. Teriam visto os últimos exemplares dessas espécies?
    Se bem que não podemos esquecer que aqueles marinheiros passavam por muitas provações durante as viagens.
    Pode ter sido delírio, contaminação alimentar, insolação ou alguma espécie de miragem marinha?
    Ainda tinha o fato de por causa de superstições não levarem mulheres a bordo e então os caras ficavam na maior seca.
    Chamavam até peixe-boi de sereia!
    Sei não, os caras piravam mesmo!

  5. Cara, o que eu acho é o seguinte:

    Como a elite de antigamente sabia onde encontrar e como pegar as riquezas das terras, eu acho que eles criavam esss fantasias pra fazer com que futuros exploradores tivessem medo e nao descobrissem riquezas.

    (que confusao)!! :shocked:

  6. Os monstros nos mapas são na maioria das veses para representar perigos reais como bancos de areia rochedos ou barreras de corais
    e tambem para enfeitar os mapas.

    Mas eu ñ descarto a possibilidade de dinossauros terem sobrevivido principalmente os aquaticos e voadores.:gasp:

    Sou fã de criptozoologia. 😎

  7. bom eu acho que eles podem ter sobrevivido de alguma maneira(pode não ter sido um meteoro que extinguiu os dinossáuros) e alguns ainda estariam vivos se reproduzindo normalmente… 🙂

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.