As 15 Armas inacreditáveis do passado

Ao longo de sua evolução o ser humano gastou muito tempo desenvolvendo maneiras de combater doenças, de ter o que comer, plantar, morar, vestir. Investiu tempo em relações humanas, em abrigo, em proteção, em beleza e arte.

Mas investiu igualmente em armas e equipamentos de defesa ou mesmo em armas para deliberadamente assassinar o próximo.

O que veremos a seguir não é uma apologia a arma e ao seu uso, mas sim uma pequena amostra do engenho humano em esconder e ocultar armas de fogo.

Apresento as 15 armas inacreditáveis do passado:

1- Anel revólver

Um anel revólver pode servir para um assassinato discreto, como convinha a um agente 007 a serviço da Rainha nos tempos vitorianos. E eu que pensava que o anel mais perigoso que existe era a aliança de casamento…

 

 

(devido a alta quantidade de imagens, vou ter que colocar o leia mais, valeu?)

2- Isqueiro revólver

Pense duas vezes antes de perguntar para aquele cidadão na esquina com o olhar estranho se ele “tem fogo”.

3- Cadeado revólver

O cara vai tentar abrir e… Cabum! Acho que se não souber o segredo, ao tentar abrir ele atira.

4- Mini-canhão de bolso

Eu fiquei aqui matutando, pensando uma boa coisa para escrever sobre alguém que carrega um mini-canhão no bolso, mas não encontrei nada. O maluco que inventou isso já deve estar no inferno faz tempo, hahahaha.

5- Chave revólver

Parece uma discreta chave. Talvez do cinto de castidade da mulher do 007, quem sabe? Mas longe do olhar dos inimigos, o agente vitoriano da rainha monta rapidamente o esquema que transforma aquela inocente chave numa arma letal.

6- Caneta revólver

Homens de negócios assinam cheques, assinam acordos e contratos. E eles também cometem homicídio. Por isso, uma caneta pistola é um recurso valioso quando matar e ser discreto são coisas fundamentais.

7-Bengala revólver

Não é porque o corôa é manco que ele não pode matar. Armas sempre foram ocultas em bengalas. Não é por outro motivo que o guarda-chuva tem cabo de bengala até hoje. Ele servia como bengala mesmo no início. Se até um guarda-chuva pode ser bengala, porque uma pistola não?

8-Chicote do Indiana Jones -revólver

Ok,ok, o chicote do Indiana Jones não tinha este cabo. Esta é uma engenhosa pistola que tem acoplada a ela um chicote. Bem, nada de estranho nisso, já que até nos tempos modernos os caras acoplam bichos de pelúcia nas armas.

9- Relógio Revólver

Que horas são? Hora de morrer! Ao longo da história armas de fogo e câmeras fotográficas foram sempre ocultas em discretos e inofensivos relógios.

10- Cachimbo Revólver

O cachimbo é o inseparável amigo do agente secreto da rainha ou seria Sherlock Holmes? Seja como for, dá pra malocar um trabuco nele e quando tudo estiver contra você, a caminho do paredão de fuzilamento, peça seu direito a um último trago e livre-se dos seus captores.

11 – Faca revólver

Ao lado do revólver, a faca e os cutelos em geral, são as armas mais usadas para matar. Alguém teve a idéia de juntar as duas coisas. Uma combinação perfeita. O verdadeiro design “arroz com feijão” do homicida de todos os tempos.

12 -Trabuco de 6 tiros com faca

Se um tiro for pouco para matar o cabra, que tal meter logo seis balaços nele? E se ele não morrer com isso, você enfia nele este facão embutido que aí ele morre, com certeza. Esta é a arma para quem quer se certificar de fazer o serviço completo. Arma para maníaco assassino que tem TOC.

13-Revólver de esconder sob a manga

O mágico está cercado. Ele mostra as mãos. Não há armas. Ele mostra os bolsos. Não há armas. E no entanto… Cabum!

14- Anzol (adivinha? Isso mesmo!) Anzol revólver!
Esta é maluca mesmo. Eu não imagino o que passa na cabeça de um cidadão para esconder uma pistola dentro de um anzol. Será que ele quer abater o peixe a tiros?

15- Crucifixo

Uma vez que o crucifixo, símbolo sagrado do cristianismo é um instrumento de tortura, alguém teve a idéia de malocar no crucifixo um belo dum trabuco. Engenhoso para proteger a igreja contra malfeitores infiéis. O bom é que ele mata e em seguida já pode ser aproveitado para aplicar a extrema unção no defunto, né?

Fonte

62 Comentários

  1. Philipe 29 de janeiro de 2008
  2. Gustavo 29 de janeiro de 2008
    • Ze bengala 4 de fevereiro de 2011
  3. Márcia Cristine 29 de janeiro de 2008
  4. Biel 29 de janeiro de 2008
  5. Philipe 29 de janeiro de 2008
  6. Willi Lopes 29 de janeiro de 2008
    • Junior 14 de novembro de 2010
    • minha chibanca 4 de fevereiro de 2011
  7. Ivan 29 de janeiro de 2008
  8. Thiago 29 de janeiro de 2008
  9. Philipe 29 de janeiro de 2008
  10. Philipe 29 de janeiro de 2008
  11. Ananias cachimbeiro 29 de janeiro de 2008
  12. Ananias cachimbeiro 29 de janeiro de 2008
  13. Philipe 29 de janeiro de 2008
  14. Victor 29 de janeiro de 2008
  15. Andre L. Soares 30 de janeiro de 2008
  16. Ricardo Urruth 30 de janeiro de 2008
  17. williams pereira ferreira 19 de junho de 2008
  18. marcos peres 26 de junho de 2008
    • Kikowes 7 de fevereiro de 2011
  19. Aldo Gonçalves 17 de julho de 2008
  20. Kleber Rodrigues 21 de agosto de 2008
  21. jean 23 de agosto de 2008
  22. Diogo 23 de agosto de 2008
  23. alessandro 20 de março de 2009
  24. Rodrigo 21 de março de 2009
    • Kikowes 7 de fevereiro de 2011
  25. adriano 31 de março de 2009
  26. Anônimo 18 de abril de 2009
  27. Anônimo 25 de abril de 2009
  28. fc 29 de junho de 2009
  29. nesper 2 de julho de 2009
  30. Carlos Henrique 18 de dezembro de 2009
  31. Pedro Paulo 16 de fevereiro de 2010
  32. Pedro Paulo 16 de fevereiro de 2010
    • Juniorf993 3 de fevereiro de 2012
  33. kassia 29 de abril de 2010
  34. Barbara 8 de junho de 2010
  35. eduardo 19 de novembro de 2010
  36. gustavo 4 de dezembro de 2010
  37. gustavo 4 de dezembro de 2010
  38. Raul_cezario 22 de janeiro de 2011
  39. Nome Sobrenome 29 de agosto de 2011
  40. Juniorf993 3 de fevereiro de 2012
  41. Rafaelbrito_itu 1 de maio de 2012
  42. Igor 3 de dezembro de 2012
  43. bruno 30 de agosto de 2013
  44. paulo santos 16 de setembro de 2013
  45. eduardo lopes 16 de setembro de 2013
  46. jigsaw 6 de novembro de 2013
  47. lopes 1 de março de 2014
  48. valdemir 7 de março de 2014
  49. Elizangelo Pereira Silva 27 de março de 2014
  50. Antonio Matos 18 de julho de 2014
  51. Gustavo 28 de julho de 2014
  52. Izabel Rodrigues 10 de setembro de 2014


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *