A espécie mais influente do mundo

Compartilhe

Você liga sua tv de LCd e assiste a um velho video em blue ray mostrando Neil Armstrong dando o primeiro passo do ser humano fora do nosso planeta.
E então eu te pergunto: Qual a espécie mais influente do mundo?
Certamente nove entre dez pessoas que pensassem sobre este assunto colocariam o ser humano como a espécie de maior influência no nosso planeta.

E provavelmente elas estariam erradas.

Segundo uma pesquisa exaustiva que levou nada menos que vinte um anos e meio, a espécie mais influente do mundo, sem sombra de dúvida, é a MINHOCA.

earthwormjim04 A espécie mais influente do mundo
Eu já sabia!

Ela está acima de qualquer vírus, bacéria, fungo, planta, inseto, peixe e mamífero no nosso mundo.

Entender porque a minhoca, esta criatura banal que rasteja em silêncio no meio da terra alcançou o alto do pódium de espécie mais influente do mundo, envolve perceber que elas são tão importantes quanto antigas.
Não seria um exagero dizer que toda a vida animal – e isso inclui a nós humanos – na Terra se deve a minhoca.
A minhoca que habita o nosso jardim é um acestral direto de um animal primitivo, que surgiu no mar antes de qualquer outro e acabou dando as caras numa praia a cerca de 600 milhões de anos. Isso é algo impressionante quando pensamos que toda a história humana neste planeta tem apenas 4 milhões de anos. E essa história seguramente começou com esta minhoquinha.
basta observarmos como é a estrutura básica de praticamente todos os animais. Uma espécie de tubo onde a comida entra de um lado, passa por processos químicos onde os nutrientes são retirados e sai pelo final do tubo. Isso é o design-minhoca, que querendo ou não, eu, você, os patos, os leões, as capivaras e toda sorte de bichos que vieram depois compartilhamos.
E não foi só seu design a chave do sucesso. A minhoca deu um grande salto evolutivo quando deixou de nadar e passou a se enterrar na areia. Isso permitiu a ela sobreviver aos mais diversos predadores, de trilobitas a escorpiões marinhos.
Se isso não bastasse, as minhocas são uma das espécies que mais contribuem para a melhoria do planeta. Ao contrário dos humanos e sua existência destruidora, as minhocas estão o tempo todo contribuindo para que o solo se torne mais fértil, através dos túneis de ventilação que produzem com sua passagem e através de seu copioso excremento.
A minhoca está tão adaptada ao nosso mundo que elas sobreviveram a nada menos que cinco grandes extinções em massa ao longo desses 450 milhões de anos. Sabemos hoje que algumas dessas extinções devastaram mais de 96% de toda vida marinha do período e 70% de toda a vida terrestre. Mas as minhocas continuam lá, firmes e fortes. Bem, não necessáriamente firmes.
A capacidade de sobrevivência da minhoca é tão impressionante que se cortarmos a minhoca, ela possui um fatior de cura no melhor estilo Wolverine e se recupera numa boa. O pedaço perdido cresce novamente. Imagina um animal capaz de perder a metade do seu corpo e se regenerar? A minhoca faz isso.
Na verdade, a capacidade de regeneração da minhoca é tão impressionante que em laboratório experiências conduzidas com minhocas para avaliar seu poder de cura demonstraram que uma única minhoca fez crescer a metade de seu corpo amputado nada menos que 40 vezes seguidas, em nome da Ciência, sem reclamar nem morrer.
Agora compare a capacidade de sobrevivência da minhoca com o ser humano, que morre até caindo no chão.
Outro aspecto da minhoca é que ela afetou de modo tão dramático a evolução das civilizações humanas quanto sua importância é desconhecida. Foi graças as minhocas que os Egípcios conseguiram estabelecer uma agricultura de grande porte nas margens do Nilo. Sabemos que até as pirâmides do egito estão lá graças a ajuda delas. Se não fossem as minhocas perfurando e fertilizando o solo, seria necessário um exército enorme de agricultores para revolver e misturar a terra. Pessoas que – tendo as minhocas para fazer isso por elas – puderam carragar pedras para constuir as tumbas dos faraós.
É fácil imaginar que as minhocas tem pouca importãncia hoje em dia, quando os pesticidas e fertilizantes químicos fazem um trabalho pesado na produção de alimentos para nossa espécie. Mas não é nada disso, pois foi graças a minhoca que os conceitos de agricultura sustentável surgiram.

Rachel Carson foi uma ambientalista e professora de métodos agrícolas e ambientais nas décadas de 50 e 60. Ela ficou famosa por avisar aos americanos que um dia eles iriam acordar e não ouviriam os pássaros cantar. A razão, segundo Rachel Carson é que os pesticidas usados, como o DDT (diclorodifeniltricloroetano) envenenavam os solos, contaminavam as minhocas, mas as minhocas não morriam, pois elas conseguem até mesmo tolerar as toxinas mais violentas. Porém, os pássaros que se alimentam de minhocas morriam rapidamente, vítimas do DDT. O Uso do DDT estava colocando várias espécies de pássaros em risco de extinção, com riscos indiretos para a vida do ser humano.
Foi o livro da senhora Carson, chamado Silent Spring, publicado em 1962 que abriu as portas para o que conhecemos como movimento ambiental. Então, não seria exagero dizer que foi graças ao sistema digestivo das minhocas que nós começamos a rever os nossos conceitos e enxergamos a necessidade de tratar o planeta com mais respeito.

O termo “minhocas” abrangem espécies bastante variadas. Basicamente podemos dizer que existem cerca de 15000 espécies de vermes segmentados, incluindo as de terra de jardim e as marinhas, passando por criaturas realmente intrigantes, como a minhoca gigante australiana (Megascolides australis) que atinge três metros de comprimento a minhocas microscópicas que só podem ser vistas pelo miscroscópio.

Seja que tamanho for, a minhoca é uma grande amiga do nosso planeta, e raramente é tratada com o respeito que merece. Mas é uma piada comparar o impacto da minhoca com o do homem, afinal, as minhocas não fabricam bombas nucleares (embora consigam sobreviver em terrenos contaminados com radiação) e nem poluem os rios e mares. Muito menos matam outras espécies por frívolo prazer ou vaidade.

As minhocas são tão bem adaptadas ao planeta Terra que o próprio Charles Darwin reconheceu sua importância e dedicou grande tempo a estudá-las. Suas impressões foram publicadas num livro em 1881.

“A fertilização do solo foi uma das mais úteis invenções do homem, mas antes que o homem existisse, quem realizava este trabalho e continuam a fazê-lo até hoje, são as minhocas”

Aqui está a lista com as dez espécies mais influentes do nosso planeta:

1- Minhoca
2- Alga
3- Cianobactérias
4-Rhizobia (uma bactéria essencial para o crescimento do feijão)
5- Lactobacilos (Auxiliam na digestão e fermentação e estão vivos no yacult!)
6- O Homo Sapiens (nós)
7- O coral duro
8- O fermento (levedura?)
9- Influenza (a gripe)
10- Penicilina

Se não concorda, não reclame comigo. A lista das 100 espécies mais influentes do mundo foi publicado num livro. Veja aqui.

fonte

Artigos relacionados

15 comentários em “A espécie mais influente do mundo”

  1. Tubo digestivo por tubo digestivo, as planárias, muito menores, mais simples e menos significantes, também têm um, adaptado para o que elas comem, mas tá lá. Aliás, as planárias têm um poder de regeneração impressionante, até a faringe, que sai do corpo quando a cortamos no meio, pode virar outro animal completo. Isso é alvo de estudo e nenhum pesquisador chegou à conclusão nenhuma de como ela consegue se regenerar de tal modo; a parte central dela, quando cortada (sem cabeça ou ‘rabo’), dá origem a uma cabeça e rabo, sem acontecer de crescer duas cabeças ou algo assim.
    As minhocas são importantes para o solo, sem dúvida, mas não acho que haja um animal que reina soberano na influência do planeta. É um sistema, tudo só funciona em conjunto, tudo evoluiu em conjunto (até as espécies que sofreram especiação alopátrica), cada um tem sua parcela, a da minhoca é grande, assim como há outras espécies com parcela igual ou semelhante. Por exemplo, os lactobacilos ajudam na digestão, mas se não houvesse um organismo maior para eles habitarem e se alimentarem da comida deles, eles não existiriam. Um depende do outro, a evolução não é unidirecional, há uma relação entre cada espécie viva que motivou a especiação mútua.
    As minhocas existem pq há coisas no solo que serviram de alimento para elas, então foram evoluindo, se especializando, até chegarem nessa diversidade de hoje. Assim como os lactobacilos que existem por que há coisas no intestino de animais maiores que servem de alimento para eles e por aí vai.

    Esses ‘estudos’ para eleger a espécie mais influente nem são realmente possíveis, não tem como quantificar isso.

  2. Concordo com o Felipe. Cada espécie dá a sua contribuição para que a vida seja possível.

    8- O fermento (levedura?)

    É uma levedura mesmo, a Saccharomyces cerevisiae, que além de ser usada como fermento é usada na produção de cerveja e de etanol. 🙂

  3. Tudo bem, minhocas. Estão usando minhocas na China para reabilitar aterros sanitários. Milhares de minhocas são soltas nos aterros e acabam acelerando a decomposição da parada.
    E essa imagem que você colocou – é Earth Worm Jim, cara, au adorava esse jogo do Playstation, pena que sempre tinha que recomeçar e acabava desitindo…esse é o defeito dos jogos PST…

  4. Fui obrigado a comentar. ótimo post. muito interessante mesmo. sempre achei que as minhocas fossem muito importantes e fortes mas depois que li isso fiquei impressionado .-. :argh:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.