Sobre Philipe Kling David

Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar.
Saiba mais...

  • http://pensamentospeculiares.blogspot.com/ Jack Waters

    “Muitas vezes eu me pego no meio de um pensamento que não tem “lé com cré” e me pergunto: ” Mas da onde veio este pensamento?” Então trato de vasculhar a mente tentando refazer, passo a passo, idéia após idéia” – Huahuehqe eu também faço isso!!

    Caramba cara, muito bom!!
    Já estava sentindo mó falta do mundo gump ^^
    Eu também queria plantar uma árvore, mas a desinformação, a preguiça e a falta de um lugar apropriado me impedem.

    Bom tê-lo de volta ^^

    Abraçao

  • Uronim

    Comovente. Parabéns!

  • Gabriela

    Um texto à altura da volta triunfal!

    • http://www.mundogump.com.br Philipe

      Brigadão. Eu tb gostei muito de escrevê-lo.

  • Gustav

    Muito bom o texto- me trouxe ótimas lembranças da infância. As árvores que crescem conosco realmente são como membros da família e com as que plantamos, criamos laços fortíssimos… Se toda pessoa pudesse experimentar ao menos uma vez isso durante a vida, com certeza o mundo seria um lugar muito melhor de se viver.
    Três vivas pela volta do MG! ;]

  • Mestre Splinter

    Olá Philipe, muito boa a sua história… mas e a “Vovó” ? Voltou a vê-la depois de adulto ? Ou pelo menos o cachorro (hehehe)…

    A árvore creio que continue lá.

  • Leh

    Nossa, muito, muito bonito o post mesmo, e, como dito, grande volta ao Mundo Gump.

    Não deixei de entrar aqui pra ver se haviam novidades.

    As vezes também me pego nesses momentos reflexivos e fico pensando nas coisas boas e nas drogas que já fiz na vida… Adoro relembrar as madrugadas que passei conversando com um rapaz que veio a ser meu namorado…

    Lembrar dos dias do começo da adolescência em que eu estava apaixonada e achava que o meu mundo tinha caído porque o garoto não gostava de mim….

    Lembrar dos amigos que há muito não vejo… enfim… lembranças.. ?

  • renato

    aewwwwwwwwww velho e bom MG de volta =DDDDD

  • jackie

    Olá, é a primeira vez que lhe escrevo. Confesso que este singelo texto me fez chorar. Parabéns.

  • Douglas

    Muito bacana seu texto.. realmente existem coisas simples, as quais as pessoas não atribuem o devido valor, como por exemplo uma árvore plantada por vc mesmo, um ser que graças a você, cresce se desenvolve e dá frutos, tal qual um próprio filho..
    Eu mesmo procuro “plantar” muitas árvores (pelo menos é isso oque eles nos prometem, e creio que cumpram), tem um site que faz isso que é o: http://www.clickarvore.com.br, onde seus cliques viram árvores, não sei se vc já conhecia o site..

    • http://www.mundogump.com.br Philipe

      Conheço sim. Inclusive fui convidado para ser sócio de um site concorrente deles.

  • Vinicius

    “descobrimos com tristeza que estávamos (estamos) matando o planeta aos poucos, de forma que estamos vivenciando o maior e mais lento suicídio em massa que uma espécie já provocou em toda a História.” >>> Discordo de vc nesse ponto…eu trocaria as palavras “planeta” por “nós mesmos” , porque eu acho q o mundo não vai acabar , o que vai acabar é a espécie humana e alguns outros seres vivos , mais pro planeta isso é só uma fase , e depois que agente for extinto , otras especies surgirão … = )

    • http://www.mundogump.com.br Philipe

      Verdade. Eu usei o termo “planeta” para designar o planeta como nós conhecemos. Como nós nos iludimos que ele sempre será.
      Mas vc está certíssimo. O planeta continuará, nós passaremos.

  • Maria Goreth Kling

    Olà Philipe,

    Amei seu novo texto repleto de lembranças da sua infância. Ah ! como sinto falta do menino espirituoso e sensìvel que num piscar de olhos se transformou no Homem que vc é…
    Gostaria que vc escrevesse sempre sobre sua infancia porque atraves dos textos vejo onde errei ou onde fui desatenta com meu garoto… ehehehe.
    Imagina quantas aventuras loucas vc se meteu e eu nem podia imaginar … Afinal foi melhor porque como toda mâe eu poderia ter te protegido e hj seus leitores näo se deliciariam tanto com suas recordaçôes.
    Parabèns . Ah! Que tal vc imprimir este texto e enviar ao seu vô Hugo ? Ele certamente ia adorar …

    • http://www.mundogump.com.br Philipe

      Boa idéia Mãe. Acho que farei isso.
      Sobre errar e acertar, isso é inerente a existência humana. Mas sem querer ser pretencioso e já sendo, eu acho que você e meu pai mais acertaram que erraram, hahaha.
      Beijo mãe.

  • Giovanna

    Que bom ler novamente seus textos.
    Pode parecer piegas, mas´eu estava com o sentimento que falta “algo” todo dia, eram os contos do MG.
    A melhor parte para mim foi a sua relação com seu avô e a amoreira.
    Algumas pessoas não vêem o significado de seus atos, isso é muito importante, e a mim, parece que você vê isso…viu essa relação onde alguns veriam apenas o ato de plantar mais uma mudinha.
    Abraços
    P.S. sem querer ser chata, e já sendo, como anda o Aqua Rex?

    • http://www.mundogump.com.br Philipe

      Vc vai ver como está o aqua rex já já.
      Fico grato que você tenha percebido isso no texto. Eu não consigo escrever sobre essas coisas sem ter lágrimas nos olhos. É eu sei que isso é coisa de bundão. Mas fazer o que?

  • Rodrigo Andrade

    Incrível sensibilidade, sinergia familiar e amor.
    A Bíblia fala que o dom supremo é o amor. Maior q esperança e fé.
    Desculpe me meter no que sua mãe falou, mas assim como vc disse, com certeza absoluta seus pais acertaram muito mais.
    Uma pessoa que tem a sensibilidade de escrever (“A vida de um homem é completa quando ele escreve algo que sirva para alguém, planta um vegetal e ama e é amado por uma criança”) é um ser humano raro, que foi educado e amado com muito carinho. Que Deus abençoe toda a sua familia e o Sr Hugo que sem dúvidas, é um grande homem também.
    Muito obrigado por esse texto.
    Paz.

  • José Carlos David

    Conheci seu blog há dois dias, e praticamente “devorei” os seus relatos durante esse tempo, mesmo tendo um TCC em uma janela aqui do Windows me esperando rsrs. Gosto muito do jeito verdadeiro como você escreve, tanto que vejo alguns erros de ortografia/digitação como erros sinceros, mostrando que você não faz questão de maquiar a história, colocando o que sai da sua mente e do seu coração de forma muito natural. Também me identifiquei porque também fui um “psiconerd” durante grande parte da minha adolescência, preferindo livros ao invés de festas, e trocando qualquer chance de relacionamento (estes, raríssimos) pela jogatina virtual.

    Essa história me lembrou muito o grande escritor José Mauro de Vasconcelos no seu livro o “Meu Pé de Laranja Lima”, você já o leu?

    Queria ter visto a sua entrevista no Jô ontem, mas nada que o youtube não supra :lol2:

    Abraços para você e para a primeira-dama!

  • http://pulse.yahoo.com/_7F2V2TPA7ERWH45J7JCF3DAG2Y Didi Tenório

    Todos nós que entramos para seu mundo GUMP, passamos a gostar muito de você.
     Atrai-nos  seus fascinantes comentários, fotos, exóticos. etc.
                   U m jovem bem legal. Imagine quando crescer!.
                     Abraços para o casal GUMP, que estão no Face, também.

    • Philipe3d

      Valeu Didi!

  • Erick Rodrigues

    Eu sei que o post é antigo, mas tinha que comentar.Eu já plantei uma árvore, era um limoeiro, sempre gostei de limões, quando eu plantei ela tinha mais ou menos uns 11 anos, e hoje com 16 já me sinto “semi-realizado” como homem, só falta escrever o livro e ter filhos rsrsrs