5 materiais incríveis que parecem ficção científica

Eu estava falando com meu amigo Pedro Gafanhoto sobre um material que ele achou na net. Essa conversa gerou este post sobre cinco materiais tão curioso que parecem ter saído da mente fértil de um escritor de ficção científica. Confere aí:

1- METAL COM MEMÓRIA

Este metal se chama Nitinol, ele é capaz de manter uma “memória” de sua forma original. Mesmo sendo torcido, tão logo ele se aquece, retoma a forma original. (Exatamente como Jesse Marcel disse que era o metal do Ufo que teria se acidentado em Rosewll no Novo México nos anos 50)

2-ALUMÍNIO TRANSPARENTE
5 materiais incríveis que parecem ficção científica

O alumínio transparente foi previsto no filme Jornada nas Estrelas 4. O alumínio transparente é conhecido na indústria como ALONTM, trata-se de um oxinitrato policristalino de alumínio, ou seja, uma cerâmica transparente cristalizada sobre átomos de alumínio. Apesar de ser uma cerâmica, é muito mais resistente que o vidro blindado, e seu desenvolvimento foi inicialmente buscado pelo exército americano para a construção de janelas em veículos blindados. O alumínio transparente é muito mais resistente, leve e fino que o vidro blindado, oferecendo diversas vantagens para a blindagem de veículos. Apresenta diversas outras vantagens sobre o vidro, e para uso civil já está sendo usado em leitores de código de barras em supermercados devido ao seu alto índice de transparência para luz visível e ultravioleta. Muitas outras aplicações estão previstas para o ALONTM (alumínio transparente), e até mesmo as latas de cerveja e refrigerante serão fabricadas nesse material (em 20 ou 30 anos). Todo o mercado pode se beneficiar dessa descoberta, dependendo somente da queda do preço desse produto, pois o método de produção do ALONTM é ainda 5 vezes mais caro que o vidro blindado. Muitas pesquisas estão avançando nesse campo, basta lembrar que o alumínio já foi considerado metal nobre devido ao mesmo problema (alto custo de fabricação) e hoje é um material muito barato.
fonte

3-AEROGEL

5 materiais incríveis que parecem ficção científica

Pense num material que é leve como o ar, forte como o aço e ao mesmo tempo, um dos isolantes térmicos mais eficientes do mundo. Este é o Aerogel. COm tantas vantagens, parece um super herói dos materiais. E é! A descoberta do aerogel se deu de forma peculiar: Desafiado pelo colega Charles Learned, o engenheiro químico Steven Kistler apostou que conseguiria substituir a água existente em uma gelatina por algum gás, sem fazer com que o volume dela diminuísse.

O primeiro artigo de Kistler sobre o assunto foi publicado na revista Nature em 1931. Mas, infelizmente, o autor morreu pouco tempo antes de o mundo começar a se interessar pelo seu invento. Faz pelo menos 20 anos que o mundo começou a dar a devida atenção ao aerogel, que já foi utilizado até mesmo em missões espaciais.
Apesar do nome, o aerogel é bastante rígido. O material leva esse nome porque é feito a partir de géis, normalmente de sílica. Em um processo conhecido como secagem supercrítica, os cientistas conseguem extrair a porção líquida do gel, substituindo-a por gases.

Graças a esse processo, o aerogel ficou conhecido como um dos materiais menos densos e mais leves do mundo todo: 99,8% dele é composto de espaços que aparentam estar vazios, mas que estão repletos de ar.
fonte

4-AEROGRAFITE – o material mais leve da face da Terra
5 materiais incríveis que parecem ficção científica
Um centímetro cúbico do aerografite pesa apenas 0,2 miligrama. Ele é 5 mil vezes menos denso que a água e, acredite, seis vezes mais leve que o próprio ar. Para se ter uma ideia da evolução que o aerografite traz, o antigo recordista apresentava uma densidade de 0,9 miligrama para cada centímetro cúbico. Ou seja, ele é mais do que quatro vezes menos pesado do que o seu antecessor, um material também ultra-leve chamado micro grade metálica.
Para chegar à forma final do material, os cientistas criaram um processo trabalhoso e extremamente criativo. Primeiro, eles escolheram pequenos cristais de óxido de zinco em formas específicas, utilizando somente os que tinham quatro pontas apontando para lados diferentes (parecendo um ouriço do mar, por exemplo). Em seguida, esses cristais foram colocados em um forno especial e revestidos por uma camada de carbono. Isso foi feito por meio de um processo chamado CVD ou “Chemical Vapor Deposition” (em português, conhecido como “Deposição de Vapor Químico”).

Ao mesmo tempo, gás hidrogênio também foi inserido dentro do forno. Isso foi feito para que ele roubasse o oxigênio do óxido de zinco. Dessa forma, o zinco caiu para o fundo da estrutura, deixando só o “esqueleto” de carbono. Todo o processo acontece a temperaturas entre 760 e 900 graus Celsius.
Visto a olho nu, o aerografite tem o aspecto de uma pequenina esponja na cor preta. Inclusive, isso destaca outra característica do material: ele absorve 95% dos raios de luz, criando o “preto mais preto” segundo os estudiosos.

Rainer Adelung, professor na Universidade de Kiel, tenta explicar de modo simplificado como é a estrutura do aerografite. Ele diz que, para visualizá-lo, primeiro você deve imaginar que há uma teia de aranha gigante envolvendo toda uma árvore. Feito isso, agora pense que a planta foi retirada, ficando só aquela estrutura criada pela aranha.

Graças às suas formas, o aerografite consegue ter uma estrutura superforte sem que precise ser extremamente pesado. Além disso, há outros fatores que tornam esse entrelaçamento de nanotubos de carbono algo muito inovador. O aerografite pode ter 95% do seu corpo comprimido e, em seguida, retornar ao seu tamanho normal. Segundo os estudos realizados até agora, o material pode suportar até 40 mil vezes o próprio peso – 35 vezes mais capacidade do que o aerogel, por exemplo.
fonte

5- Hidrogel

Esse é bizarro! Liderados pelo professor Dan Luo, pesquisadores da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos desenvolveram um novo tipo de hidrogel composto por DNA sintetizado e entrelaçado, como se fosse um ninho de pássaros microscópico. Na presença de H2O, o hidrogel forma e mantém um formato pré-definido. Na ausência de água, o objeto flui como se fosse qualquer outro líquido.
5 materiais incríveis que parecem ficção científica

Os pesquisadores ainda não sabem exatamente por que o material se comporta dessa maneira, porém eles acreditam que seja devido à estrutura simples do DNA, que não consegue se manter unido quando está exposto às forças da gravidade. Por outro lado, quando a substância fica submersa na água, existe força suficiente para anular os efeitos da gravidade, permitindo ao hidrogel recuperar a sua forma original. Veja o video:

fonte

Related Post

7 comentários em “5 materiais incríveis que parecem ficção científica”

  1. Se eu soltar uma porção de aerografite num ambiente sem movimentação do ar, ele tende a subir por ser mais leve(6x) que o ar, ou ele cai ao solo atraído pela força da gravidade?

    • Dependerá se vc faz isso no vácuo ou não. Se fizer num ambiente fechado com ar, o ar será atraído empurrando o material mais leve para cima. Como ocorre com todos os gases mais leves que o ar. No vácuo creio que ele será atraído pela gravidade.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares