fbpx

polêmica, Textos

Ufologia, ceticismo e ciência

Escrito por Philipe Kling David · 6 Minutos de leitura >

O caso do tal suposto disco voador caído no recôncavo Baiano, e que teria sido fotografado por um investigador sendo transportado num caminhão em plena luz do dia gerou comentários interessantes dos céticos.
Uma coisa que eu venho notando é que sempre que alguém quer discordar comenta como anônimo.
Caras, eu não vou ficar magoado com vocês se vocês eventualmente discordarem ou tiverem outra opinião. Vocês são livres para criticar, discordar e até duvidar de mim. Podem assinar seus nomes. O chato é que o post anônimo despersonaliza, porque eu nunca sei se é um anônimo só, se são muitos, etc. Isso atrapalha minha própria mudança de opinião.
Sim, acreditem ou não, eu mudo de opinião baseado em opiniões mais concretas e bem formuladas que leio por aí e por aqui. (isso já aconteceu aqui como no post dos operadores de sistema se de segurança digital corporativa. Quem lê o M.G. sabe.)

Sobre o lance do tal disco voador no caminhão, realmente, eu acho que a gente tem que ter um certo discernimento quando se depara com algo assim.

Quando você trabalha investigando casos ufológicos e um informante te avisa do transporte de um ufo, você vai. Por mais escroto que pareça a situação, você tem que ir, mesmo que os céticos queiram rir e te zoar depois, você tem que fazer a sua parte e investigar. Eu sei que é mais cômodo ficar em casa e pegar a coisa mastigadinha, mas infelizmente não é assim que se busca a verdade.

Numa situação dessas ocorrem duas hipóteses. Ou voc~e se dá bem ou você se dá mal.
“Se dar bem” é descobrir que o informante não era um trote. Que de fato algo está passando lá.
Se dar mal é ficar plantado de tocaia no lugar combinado o dia todo e nada acontecer. Isso é frustrante.

Neste caso em questão, de fato passou um caminhão transportando aquele treco, com carros batedores – que segundo a testemunha que investigava o caso – eram da Polícia Federal.

Seja ufo, seja outra coisa, isso é um resultado preliminar de alguma coisa.
Descobrir que o que você acha (ou gostaria que fosse) é uma peça mecânica de usina elétrica ou refinaria, ou um alambique gigante, tampa de silo, chocadeira ou o diabo a 4, o importante é averiguar, é dar a chance para que caso seja um fato real, ele ser documentado e registrado, evidenciando e denunciando o fenômeno e suas relações com o meio (nós).

O ponto escroto do cético de carterinha é que do mesmo jeito que o crédulo de carteirinha que aceita qualquer merda e sai acreditando na primeira coisa que lê, o cético já entra no jogo contaminado querendo detratá-lo, e sempre que puder irá transformar o assunto em piada ou infâmia.

Bom seria se os céticos fossem imparciais.

Mas é difícil, para não dizer impossível, ter uma imparcialidade absoluta quando o assunto é a polêmica questão dos discos voadores. São muitos os fatores que afetam nosso julgamento do que parece acontecer neste campo. Nosso conhecimento acadêmico, experiência de vida, investimento e questões psicológicas e de foro íntimo fazem diferença na hora de pesar o que investigamos.
De todas, talvez as mais influentes sejam as questões de foro íntimo e psicológicas.

Digo isso porque reconheço que existem aqueles que temem tanto o fenômeno que se empenham em cruzadas para provar ao mundo (mas antes disso, provar a si mesmos) que o fenômeno não existe. É como aquela criança que teme o bicho papão, mas para lidar com seu terror, personifica uma grande coragem num nível quase teatral, para mostrar a si mesmo e aos amigos que não há nada oculto na escuridão.

Existe uma guerra permanente entre céticos e crédulos. Particularmente, eu evito os dois extremos por achar que eles deturpam as informações para que elas sirvam às respectivas intenções.

Eu pessoalmente, acredito no fenômeno ufo, como possibilidade, como fenômeno da psicologia de massa e como fato concreto. Embora nunca tenha testemunhado o mesmo pessoalmente “ao vivo e a cores”.

Para muitas pessoas, no caso dos UFOS, a lei de São Tomé é a que vale. “Se não vi, não existe”. Ou “Só acredito vendo!”

São esses que devem pensar que bacalhau nasce sem cabeça, que não existe gêmeo negro e que os anões são eternos highlanders imortais. Ora, existem milhares de coisas que nunca vemos e aceitamos a existência. Outra coisa, existem milhares de coisas que acreditamos existir simplesmente porque pessoas em que (supostamente) devemos confiar nos dizem que existem. Quer um exemplo? O Osama Bin Laden.
Você já viu o Osama ao vivo? Eu nunca. Mas acredito que ele exista.
Outra coisa. O atentado contra as Torres do WTC. A massa do planeta acredita piamente que foi um atentado da Al Qaeda contra a egemonia geoplítica norte americana cujo autor e mentor foi Osama Bin Laden. Só tem um detalhe. O próprio Osama negou.
O que eu quero dizer com isso? Quero dizer que pode ser que o atentado não tenha sido idéia dele. Nem financiado por ele. E que todas as evidências tenha sido plantadas. Mas a massa do planeta acredita no que a grande mídia diz. Porquê confia na midia. Confia no governo. Embora a massa das pessoas também reconheça que o governo pode usar de táticas digamos, não ortodoxas para obter o que quer.

Então chegamos no ponto em que nos perguntamos: Em quem devemos acreditar?

Muita gente vê na ciência uma porta de saída para um mundo com muito mais perguntas que respostas.

Voltando ao fenômeno Ufo, eu o aceito baseado em evidências como relatórios militares, como os da Operação Prato, que tenho cópia em casa, por relatos de pilotos que eu colhi pessoalmente, entrevistas que fiz pessoalmente com controladores de trafego aéreo que lidam diretamente com este assunto, por ter visto na Tv as repercussões como o caso da noite oficial dos Ufos, quando o Ministro da aeronáutica assumiu em pessoa publicamente, a existência e a interceptação das naves no país. Sem falar na miríade de fotos, videos, e casos envolvendo pessoas de variados graus de confiabilidade que colecionei ao longo de uns anos.

Como eu aceito a possibilidade do fenômeno ufo, acredito que ufos são máquinas operadas por algum tipo de inteligência. Aceito também que eles falhem. Não sou inclinado a achar que alienígenas são perfeitos e que são infalíveis. Também não estou inclinado a ver alienígenas como manifestações da bondade ou da maldade de entidades espirituais.

Eu acho – e já escrevi isso aqui no blog – que a culpa pela questão ufológica ser um antro de ratos e picaretas estelionatários, curandeiros malandros e exploradores da boa fé alheia é da ciência tradicional que criou uma espécie de aversão ao tema, relegando-o ao limbo científico. Entenda o limbo científico como aquela terra de ninguém onde qualquer pela-saco com segundo grau incompleto sai se auto-intitulando “ufólogo” e arrotando que naves gigantes com Jesus Cristo dentro estão vindo salvar a humanidade entremeando palavras de efeito como “quadrantes inter-dimensionais” com uma sacolinha para obter dindim para construir uma sociedade alternativa no planalto central ou em algum buraco do Mato Grosso.

Ter a mente aberta não significa aceitar qualquer merda. Pelo menos não deveria.

O que acontece é que sem um interesse objetivo da ciência tradicional por este fenômeno que – na hipótese de ser apenas um fenômeno psicológico de massa – ainda é um fenômeno observável, quantificável e compreensível, que merece estudo, qualquer um pode se debruçar nele e dizer o que quer.
É isso que explica o fato de que muitos investigadores deste fenômeno também manifestem interesse por investigações de outras áreas, como a Parapsicologia, religiões e o que mais interessar.
È direito de cada um estudar o que bem entender. Desde que faça isso usando algum critério honesto.
Porém, o fato de acreditar no fenômeno ufo, não significa que eu saiba explicar todos os detalhes que faltam nesta equação, como:
Quem são eles?
De onde eles vem?
Por quê eles vem?
Como eles vêm?
Eu fico intrigado quando vejo baluartes representantes da ciência tradicional surgir na mídia para dizer, como sempre faz questão de repetir Marcelo Gleisler que como os ufos não teriam condições técnicas de viajar os bilhões de kms necessários para vir de um planeta da estrela mais próxima daqui, então a ufologia só pode ser uma conversa fiada de malucos maconheiros. E que pode até existir vida unicelular no espaço, mas que ele duvida que existam extraterrestres e discos voadores.

A ciência vê o mundo pelos olhos e pela janela de seu tempo.

Marcelo Gleisler e seus amigos cientistas acadêmicos tem o direito de não crer. Mas eu acho que fica feio para um cientista emitir certas opiniões sem antes avaliar o que há de dados disponíveis.
O que nós temos são pequenos elementos sortidos e variados que mostram uma profusão tipológica que vão de seres parecidos conosco a seres bem diferentes, naves de varias formas, tamanhos e com comportamentos diferentes de movimentação. Sem falar nas relações conosco também muito variadas. Isso me leva a pensar que não existem respostas definitivas para essas perguntas ali de cima.

O fenômeno ufo é um mistério desde a antiguidade. A Ciência humana evoluiu muito daquele tempo onde ela considerava a Terra como uma estrutura plana apoiada sobre elefantes, que por sua vez estavam apoiados sobre uma grande tartaruga no centro do universo com as estrelas rodando ao redor dela. Isso já foi um fato científicamente aceito, o que mostra que muitas vezes ( bota muita nisso) a ciência humana erra, ou é míope ao que está ao seu redor.

Todos os que se arriscam a dizer que ela está errada correm riscos. Que o diga Giordano Bruno e Galileu.

Talvez chegue um dia em que a ciência humana obtenha suficiente maturidade para encarar o fenômeno dos discos voadores sem se importar com a chacota cética e as campanhas de esculhambação da ufologia que são patrocinadas por interesses variados.

Até lá, a luta continuará e em meio a confusão de notícias bizarras, fraudes, espertalhões, céticos debochados, histórias loucas e fotos piradas, a ufologia continuará lutando para obter um naco da verdade. Mesmo que isso custe um preço alto.

Não perca o interessante debate aqui nos comentários!

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Video bizarro: O que é a criatura atacando uma cabra?

em bizarro, polêmica
  ·   4 Minutos de leitura

Voo 502 – O avião que parou o tempo

em polêmica
  ·   1 Minutos de leitura

45 respostas para “Ufologia, ceticismo e ciência”

  1. Tenho apenas uma pergunta para fazer… Quem pode me provar que nossas “Leis Universais da Física” são as mesmas leis de.. digamos.. um simpático velhinho residente num condomínio num planeta próximo a Alfa de Centauro????

  2. Eu não acredito em vida inteligente fora da Terra. Aceito que talvez eu esteja errado, mas não acredito. Acho que é o tipo de coisa que tanta gente quer tanto que seja verdade que várias histórias acabam sendo inventadas e aumentadas.

    Nunca engoli, por exemplo, o fato de todos os extraterrestres serem iguais. Qualé, eles são feitos num molde? Será mesmo possível que o planeta deles possui as mesmíssimas condições ambientais e climáticas em todos os lugares, de forma que o meio age sobre todos da mesma maneira? Não me parece certo.

    Mas fiquei interessado nesse tal relatório da Operação Prato. Do que se trata? Posta no blog?

    E eu já vi o Bin Laden! Acho que era ele pelo menos, talvez um cara parecidíssimo. Ou uma mulher muito, mas muito feia.

  3. Depois de ler muito sobre o assunto em sites sérios de ufologia e com relatorios como o da Operação Prato e da Noite Oficial dos UFOs, passei a crer ainda mais na POSSIBILIDADE de existir vida inteligente em outros planetas.
    Nós estamos na Terra a um tempo considerado pequeno em relação ao tempo estimado de existência do Universo.
    Existem outras galáxias como a nossa, com planetas que podem possuir condições climáticas semelhantes ao nosso para a existência de vida.
    Tudo isso faz com que aumente cada vez mais a minha crença na POSSIBILIDADE de existência de vida inteligente fora da Terra e da Via Láctea.

  4. O universo é tremendamente vasto, e eu acho impossível estarmos sozinho nele… E até que me provem o contrário, eu continuarei a acreditar nisso… XD

  5. Bauducco, como assim os extraterrestres são iguais?
    Eu me perguntei muito isso quando era mais jovem e não conhecia bem a causística ufológica.

    Você diz “iguais” se referindo a um grupo tipológico como os chamados grays? ( cabeção, olhos grandes e pretos, boca pequena, pele clara ou cinza e corpo franzino)

    Na verdade os Grays são apenas os mais comuns, mais celebrados pela mídia. Embora possa parecer, não existem só desses.
    A aparição dos grays tem muita relação com a questão das abduções humanas, individuais e coletivas. Sabemos isso apenas pelo relato das pessoas que sofrem a experiência de abdução, quando são levados para o interior das naves e perfurados, queimados, medidos, pesados, tem seus fluidos corporais retirados e coisas desconhecidas implantadas em seus corpos, e depois são devolvidos com estado de confusão mental ou amnésia parcial. A forma dos aliens relatados que fazem isso se aproxima bastante. É dái que veio o agrupamento dessas formas similares numa tipologia, para facilitar a classificação. ( é mais ou menos como classificamos orientais, negros, cauasianos, índios, etc.)
    Existe índos de tribos diferentes, de formas e culturas, e comportamentos diferentes. Mas para nós a uma primeira vista, são todos índios.

    Porém há uma variabilidade enorme de morfologia quando estudamos os casos de contatos imediatos. Há uma massa gigante de casos de alienígenas parecidos com humanos, com diferenças pequenas, como sobrancelhas grossas, eusência delas, ausência de cabelos, cabelos coloridos longos curtos, grossos e finos. Olhos amendoados, rasgados, orientais, esbugalhados. Bocas grossas e finas. Orelhas grandes, pequenas, diminutas e etc.
    Este padrão, que se parece muito com a forma humana, poderia sugerir uma ancestralidade comum entre humanos e alienígenas. Existem varias conjecturas e teorias sobre isso. No entanto, provar isso é que é difícil. Nessas teorias, a evolução humana poderia ser conseqüência do cruzamento genético e interferência de um bom número de espécies alienígenas ao longo de milhares de anos.

    A própria atividade de abduções sucessivas dos grays em certas famílias, sugere algum tipo de acompanhamento genético.

    Há também grupos morfológicos tão diferentes dos humanos quanto gostaríamos. Existem os peludos. Os gigantes, os pequenos. Existem aqueles que parecem até menquins de cera, também relatados como sendo robôs ou bonecos. Existem morfologias bizarras, como seres sem braços, criaturas que parecem com gremlins (procure o caso Hopkinsville), seres sem rosto, seres cíclopes, etc. Acontece que essa variabilidade toda, talvez até mais de 90% dela ocorre no que chamamos de forma humanóide, que é uma cabeça, sobre o tronco e membros ligdos a ele.
    de fato isso é um desafio. È mais um dos mistérios da ufologia. Não divido que deve existir uma variação bem grande de vida,com seres gigantes, seres sem inteligência, animais estranhos e diferentes adaptados a meios tão complexos quanto desconhecidos. Mas ao que parece ou estas tipologias não conseguiram uma evolução morfologica que lhes permitiu alcançar o desenvolvimento de espaçonaves ou elas não tem interesses por aqui. De todas as hipóteses eu acho que a mais plausível seria a de um certo grau de ancestralidade comum pelo espaço afora. Mas isso também é uma questão debatida e pensada exaustivamente sempre que os aliens retornam seus aparecimentos por aí.
    Mas tem um ou outro caso que contradiz essa possibilidade. Uma delas é o caso do “alienígena de Sutton”. Este caso refere-se a uma criatura grande e gelatinosa que foi encontrada logo após a passagem de um ufo sobre um acampamento da família Sutton. O estranho ser nada falou e apenas se moveu na direção das pessoas e liberou uma espécie de gás malcheiroso e irritante. As pessoas fugiram desorientadas sendo encontradas tempos depois. A polícia foi ao local e descobriu marcas no solo e queimaduras nas copas das árvores. Um bicho absolutamente semelhante foi encontrado num celeiro em Omsk na antiga União soviética. Os agricultores juntaram-se e exterminaram a coisa com pauladas e golpes de picareta e foice, matando-o e picando a aquele treco em pedaços, que mais tarde foi recolhido pelo exército Russo.

    Criaturas como lesmas e polvos são raros, mas aparecem também.

    A operação prato é um caso nacional onde ufos estavam tendo comportamento hostil contra populações reibeirinhas no norte do país. Um esquadrão da força aéreas foi enviado para investigar e deram de cara com os ufos, filmando, registrando e documentando. Entrevistaram mais de 200 testemunhas oculares, e fizeram muitas fotos, gravações e filmes. Isso deu origem a um relatório oficial da Força Aérea que confirma a presença alienígena no Brasil. Este relatório foi vazado pelo principal protagonista da ação que comandou, um coronel chamado Uirangê Hollanda, que logo após dar uma famosa entrevista no qual contava as histórias da operação Prato, foi encontrado morto enforcado com o roupão em sua casa, em cabo Frio.
    Um caso muito rico. Material sensacional!

  6. é normal eles serem “iguais”, talvez nós é que somos um caso raro onde temos morfologias bem variadas, em bora sempre seguindo um padrão..

    mas é so ver por ae… peixe é tudo igual (e não são clones) aves tmb, macacos, vacas, minhocas…

    na verdade acho q somos só nos mesmos que variamos tanto…

    talves esse seja a curiosidade deles aqui.

    ;]

  7. Defender a teoria da existência de UFOs atacando a ignorância da ciência atual não me parece uma boa estratégia.

    OK, a ciência de hoje é, digamos, arrogante demais, mas não vai ser assim que os que acreditam em UFOs vão ganhar essa guerra. Pelo contrário, é assim que vão ganhar mais desafetos.

    Como você disse, a questão é de credibilidade. Atacar uma instituição “confiável” para a maior parte das pessoas não vai ajudar em nada a causa dos UFOs.

  8. Henderson, a ciência não é ignorante. Na verdade ela é justamente o oposto da ignorância.

    A ignorância é humana.

    Mas ciência é feita por homens e por isso ela não é, nunca foi e nem mesmo será infalível.
    Afirmar isso não é um ataque. Isso é uma constatação histórica. A ciência é feita de inovações, descobertas e teorias que se contradizem, se contrapõe e eventualmente são aceitas como verdades absolutas. Mas a História nos mostra que muitas vezes tomamos caminhos errados e que não existe absolutamente nada imutável tratando-se de verdade científica. Não há nada que não possa ser repensado e re-elaborado tomando como ponto de partida inovações comprováveis pela própria ciência.
    E assim ciência avança. Isso é o progresso científico.

    A ciência tradicional erra por causa dos nossos erros humanos.

    E um dos principais erros da ciência está justamente no medo da perda da credibilidade.
    É simples compreender que um cientista vive, em última análise, de sua credibilidade junto a uma comunidade científica. As pessoas estão sendo permanentemente avaliadas.
    Isso tem um lado bom que é inegável. Mas há um lado pernicioso neste comportamento que é a fobia de se ver defendendo algo que seja considerado pelos seus pares com uma “sandice”.
    Ao cair no descrédito, o pesquisador enterra sua carreira científica com facilidade. Não há mais dinheiro, não há mais invesrimento, nem publicações. Por melhores que sejam suas intenções, seus argumentos e suas provas, sem publicá-las para o mundo, sem tornar real o que ele sabe, o cientista vira um pária, um nada, uma persona non grata em seus cículos. É a morte profissional.

    A causa dos ufos deveria e poderia ser abraçada pela ciência tradicional, o que nos levaria a um bom avanço em inúmeros campos do conhecimento. Um avanço sem precedentes históricos. Mas o medo, as fraquezas humanas como a arrogância e a prepotência, por temer o pensamento alheio é que relegamos um assunto importante como a questão da nossa coexistência com aliens no universo de lado. Isso abre brechas perigosas para pessoas mal intencionadas explorar isso como um filão comercial, e a ufologia entra num circulo vicioso de esculhambação e ojeriza intelectual, embora milhares de pessoas bem intencionadas estejam a buscar a verdade financiando pesquisas e investigações civis do seu próprio bolso para obter detalhes do fenômeno.

    Eu seria retardado se eu atacasse a ciência para justificar a existência de ufos. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Inclusive, eu defendo amplamente a utilização máxima de um método científico na busca de provas do fenômeno extraterrestre. Eu acho que este é o único caminho para uma compreensão máxima do fenômeno.

    Mas convenhamos, o que parecia ficção científica há 50 anos atrás é hoje coisa corriqueira do dia-a-dia.

    Hoje temos coisas como a levitação por super condutores.
    Suponha que eu entre com um supercondutor e um ímã numa maquina do tempo e volte ao passado do século XVIII. Eu mostraria aquilo girando no ar para um cientista e o que ele diria? Diria que eu sou um falsário. Que é um truque de mágica. Que não é possível algo levitar assim sem que a presença de Deus haja sobre o objeto diretamente. Eu seria considerado um bruxo. Um milagreiro e provavelmente sofreria algum tipo de perseguição religiosa por demonstrar algo incompatível com aquele tempo.

    A pergunta que faço é: Então, se o cientista da antiguidade não compreende o que ele vê há alguma impossibilidade do treco levitar? Eu sou bruxo? É uma fraude?

    Não.

    É tudo uma questão de ciência, mas a ciência do século XVIII ainda está num grau primitivo demais para compreender aquele fenômeno e por mais que eu o explique, ele ainda será desconhecido, porque necessita de uma série de outros conhecimentos para se sustentar como fato científico e não como milagre.

    Quando eu ataco frases de efeito do Marcelo Gleisler, que reveste-se do manto de representante da ciência tradicional para milhões de telespectadores, que confiam na mídia como portadora de uma verdade inabalável para proferir em tom cabal a completa inexistência dos ufos só porque a ciência atual desconhece meio de viajar grandes distâncias, eu faço isso porque o comparo com aquele velho cientista da torre do castelo que ao ver meu supercondutor levitando acreditou tratar-se de um ebuste, e depois, de um milagre.

    O degrau tecnológico entre humanos e alienígenas é muito alto. Não compreendemos quase nada daquilo que testemunhamos e registramos em radar. Suposts naves caem, supostas naves explodem. Nós supostamente tentamos recuperá-las para entender do que se trata. Mas o gap ainda é muito alto. É como macacos tentando entender como funciona um celular.

    Claro que à medida em que avançamos em diversas áreas do conhecimento, coisas que pareciam milagres começam a mostrarem-se possibilidades reais. E aí devíamos olhar para trpas, pegar tudo aquilo que usamos para detratar a hipótese extraterrestre e reavaliar se não éramos nós humanos que estávamos em um estado primitivo demais para compreender o que víamos.

  9. Olá Philipe meu primeiro post aqui no seu blog, antes de tudo, quero dizer que seu blog estar de parabéns, nunca gostei de blog’s mais desde que venho lendo o seu, até me deu vontade de criar um. (heheh).

    Sobre o assunto de vidas inteligentes fora desse mundinho pequeno chamado Terra, eu acho que existe sim uma grande possibilidade de existe vidas alienígenas, EU acho que é pensar de forma pequena quando algumas pessoas afirmam que somos únicos nessa imensidão incalculável.

    Talvez ainda não chego a hora ou não encontramos as ferramentas certas para descobrir esse fato que intriga a humanidade a séculos. Já debati com amigos muitas vezes sobre o assunto e um que me fascina é a possibilidade de sermos uma experiência alienígena. Não tenho bastante base no assunto. Mais como você pediu, ta ai minha opinião.

  10. A pergunta:

    “Voce acha mesmo que esta respirando ar?”

    Isso responde tudo, grande Morpheus, ele eh o cara.

  11. A pergunta:

    “Voce acha mesmo que esta respirando ar?”

    Isso responde tudo, grande Morpheus, ele eh o cara.

  12. Não só acredito em vida extra-terrena como tenho amigos que vivem em outros planetas! Só não posso provar, acreditem se quiser.

    É lógico que existe seres muito mais evoluidos que os bostas dos seres humanos! Pretensão (e ignorância) demais seria achar que num universo desse tamanhão só exista vida no planetinha terra. rá! essa é boa.

    *
    *
    *
    *
    *
    *
    Errr… que acha de colocar meu banner no seu blog heim amigão??? 😉
    Ficaria muito, muito, mas muuuuuuuuito agradecida! ;-*
    O seu já está add lá no meu! 😉

    Beijão, boa semana!

    1. Citando Sunreva: “…Não só acredito em vida extra-terrena como tenho amigos que vivem em outros planetas! Só não posso provar, acreditem se quiser.”. Vou tomar emprestado um comentário feito pelo autor do blog, em outro post mais antigo: “olha, sei tanto, mas tanto, tenho tanta certeza e tantas provas que nem posso te contar, de tanto que sei”…algo mais ou menos assim. Corioso é você ainda não ter ido morar com esse “amigos” e se mudado de planeta! Vá para junto dos iluminados e se esqueça dos “homens-das-cavernas” aqui.

      Sou cético – não fanático – e realmente tenho dúvidas sobre todas as “evidências apresentadas” relativas ao assunto OVNI. Relatórios militares, depoimentos de profissionais podem servir à interesses escusos: lançar uma cortina de fumaça sobre projetos secretos e tecnologias avançadas, mas terrestres mesmo.

      Fotos e filmagens tremidas e / ou borradas, que não mostram muito mais do que formas luminosas difusas.

      E o que sobra dentre as “falcatruas”? Fenômenos realmente sem uma explicação imediata, mas que, NEM POR ISSO, precisam ser de natureza extra-terrestre. Pode ser coisa daqui mesmo, só que ainda não do conhecimento público, e a melhor forma de desviar os potenciais curiosos é jogar para o campo do fantástico e do não compreendido. O modismo atual são os ETs. mas enquanto eles não resolverem se apresentar pessoalmente, sem precisar de “intermediários” e suas mensagens telepáticas (opa, alguma relação com religiões e seus “profetas” não é mera coincidência), prefiro ficar com o ceticismo objetivo mesmo.

      Afinal, se os ETs tem algum interesse em nós, ou em alguma coisa no nosso planeta, que seja exclusiva no universo (nossa ignorância, por exemplo?), não seria razoável pensar que eles decidissempor um fim a tanta confusão e especulação à seu reapeito? Ou seriam adeptos intergaláticos de “teorias da conspiração interplanetárias”???

  13. Ridículo, céticos são as pessoas que somente acreditam no que está provado, ou seja, as pessoas normais, se você não exige provas concretas do que vai acreditar vá rezar para 10 deuses diferentes enquando usa um chapéu de alumínio.

  14. Cara, como um dos caras falou, ampliando da pra ver o recorte. E já que voce pede nomes, meu nome é Recigio, do blog Neuronios Hiperativos
    Peque-a e amplie, repare na borda da nave superior esquerda. A bruncas mudanças de cores e uma borda negra.
    Se quizer lhe mando recortada e ampliado por email..

    Acredito em vida inteligente fora da terra, mais nem tudo que vemos acho que é verdade. Contudo, respeito sua opinião.

  15. Galera, o fato de nossos sentidos muitas vezes não captarem outras coisas além do que sentimos no dia a dia não nos pode dar 100% de certexa de que só existe o que estamos vendo e sentindo. Tomemos o rádio como exemplo. As ondas estão por ai, a nossa volta o tempo todo. O fato de você nào ter um aparelho de rádio com o qual não possa captar essas ondas e transformá-las em musica não faz as ondas pararem de existir. E se não fosse pelo captador que sintetiza as ondas e as converte em musica, nós jamais saberiamos que elas estaviram a nossa volta. O mesmo ocorre com a TV, ondas em frequências que não são entendidas pelos nossos sentidos, mas que são entendidas por um aparelho destinado a isso no fim se convertem em imagens. Muita gente alega que os extra-terrestres tem tecnologia que consegue fazê-los invisíveis aos nossos sentidos, mas isso não faz eles deixarem de existir.

    Vamos pegar um ser terreste como exemplo: O tubarão. Ele “enxerga” eletricidade gerada por corpos vivos, o que faz com que seja virtualmente impossivel você se esconder dele… a não ser que você se mate pra isso rsrss.

    Nós não vemos eletricidade, portanto se alguém se esconde atrás de um muro e eu o deixei de ver, ele parou de existir??? Não, apenas meus sentidos não são capazes de captar uma pessoa escondida atras de um muro…

    1. Citando: “…Nós não vemos eletricidade, portanto se alguém se esconde atrás de um muro e eu o deixei de ver, ele parou de existir??? Não, apenas meus sentidos não são capazes de captar uma pessoa escondida atras de um muro…”. Curiosa situação, que parece ser regra geral. Vez ou outra, dá para “ver” algém que esteja atrás de um muro, saindo daquele lugar e se tornando visível. tudo bem, nossos sentido limitados não podem perceber tudo o que nos rodeia… mas daí a não existir NENUMA – REPITO – NENHUMA excessão confiavelmente documentada, testada e comprovada, não é um exagero não???

      Só porque não percebemos, não quer dizer que não existe! A máxima dos doutrinadores, sejam pseu-científicos, religiosos ou fanáticos, mesmo. Ora, vamos lá: tudo bem, que muitas coisas se encaixem no conceito…. mas nenhuma excessão confiável também já é querer acreditar demais!!!

  16. Hhahahahahaahah, esse comentário do Daniel foi engraçado…

    Eu não sei… por mais que eu me divirta com a possibilidade dos planetas do Alf e do Fofão realmente existirem, não consigo acreditar na hipótese de vida inteligente fora da Terra. E muito menos nos supostos casos de abdução e contatos imediatos. Afinal de contas, qual seria o interesse do exército em ocultar essas aparições? Por que diabos esconder o chupa-cabra?

    Também não faz sentido o comportamento dos aliens aqui na Terra. Tipo, eles simplesmente chegam e saem raptando a gente e virando nossas vacas do avesso. Nem questiono os motivos dos aliens – que, obviamente, devem ser superiores e misteriosos – mas eles não sabem se comunicar? “Oi, com licença, o senhor gostaria de ser examinado, dissecado e invadido por sondas humilhantes? Será que não teria algum amigo do senhor pra nos indicar?”.

    Podem até dizer que somos pra eles como as formigas são pra nós, que nós também não pedimos uma audiência com a rainha antes de sair esmagando formigueiros, mas disso eu discordo totalmente. Porque, ao contrário das formigas, nós somos inteligentes. A gente tem prédios, internet, aviões, música. Pô, se eu visse uma formiga andando de carro ou mexendo num computador eu nunca que ia pisar em cima de uma.

    Mas eu me interesso muito pelo assunto, porque acima de tudo sei que posso estar enganado. Alguém sabe se existe um site onde eu posso ler esse Relatório Prato? Podem mandar pro meu e-mail também se forem pessoas nobres e bondosas 🙂

    1. Bauducco, por “exércitos” me permito entender “governos”. E qual o interesse deles nesses alegados “seres” de outro planeta? Tal e qual mágicos de salão, desviar a atenção da platéia de assuntos realmente importantes, como tecnologias secretas, orçamentos inflados, políticos desonestos sendo “perdoados” e otras cositas más. Enquanto o “mágico’ se dá ao trabalho de distrair a platéia, quem realmente faz o “truque” são os ajudantes… ou a assistente gostosona!

  17. Gump, acho que é por aí mesmo cara. Tem gente que tem opinião mas não tem nenhum argumento. Isso é muito foda!
    Só um probleminha… vc tirou o “leia mais”? Continuo dizendo… posts enormes assim no site principal é foda!

    abraço

  18. eu acredito que a falta de comuniação possa se dar sim devido a difernça de “evolução”… é bem como o bauducco ali falou, nos não pedimos pras abelhas se podemos estudalas, guardalas, abrilas e tals..

    e pense.. elas tmb são inteligentes, fazem suas casas constroem suas colmeias produzem mel.. sabem ate ir nas flores pra buscar o polem!! uaaau!!!

    nem por isso agente tenta se comunicar, talvez para os ets ou sej alá o que for o fato de nós andarmos de carros construirmos predios não signifique nada…

    talvez eles enarem isso da mesma forma como nos olhamos as abelhas e falamos “ohh elas sabem fazer suas casa.. (grande coisa)”

    tipo.. nem sair direito do nosso proprio planeta agente sabe.. o mundo é uma zona (por incopentencia nossa).. sério.. numa visão geral agente não tem nada pra contribuir com eles.. então o intereçe deles é mais cientifico.. com o nosso nos animais.

    eu já disse.. eles querem é intender o pq de nós sermos a unica raça que nasce cada um com uma caradiferente, e não somos como os peixes, minhocas, vacas, macacos, ELES.. que nascem tudo igual.

    x)

  19. ahh.. outra coisa, o motivo para o governo não admitir isso publicamante é o caos que isso iria ser vendo a sociedade como é hoje em dia.. imagine o panico.

    tem muita gente (adulta mesmo) que MORRE de medo de ‘bixo feio’ ia ter gente tendo infarto que nem loco, ainda mais se eles falassem..”sim existe mais nós não sabemos o que eles querem” (!).. suicidio em massa e coisa assim concerteza ia acontecer..

    e a religião??

    como encaixar seres de outros mundos na historia toda da biblia??

    como fica Deus nisso?? e Adão e Eva? tudo errado??

    A igreja catolica e outra penca de igreja vai pro chão de um dia pra outro.. igrejas iriam ficar vazias pq era tudo um monte de bablalbalba pra arrecada $$

    e o vaticano? a influencia do papa fica oande então?

    eheh

    nem morto eles iriam deixar isso acontecer, e iriam esconder isso do povo custe o que custar.

    por isso quem sabe mesmo fica recioso de sair por ae falando, e pra evitar esse caos todo o governo ajuda a ridicularizar e esconder.

    afinal pra eles o mundo ta muito bão do geito que tá.

  20. Ah, não sei não… é impossível guardar um segredo desse tamanho por tanto tempo. Acho que se fosse realmente verdade já ia ter milico chutando o balde e revelando tudo.

    E tipo, se a gente é tão insignificante pros aliens a ponto deles simplesmente saírem catando gente sem consultar ninguém, por que diabos as abduções sempre acontecem a noite, em lugares obscuros, onde nunca tem gente? Por que eles se dariam o trabalho de esperar o momento certo pra fazer a abdução? Até entendo que ela não aconteça num engarrafamento em São Paulo, mas por que não na chácara de uma família rica, onde a ação deles pudesse ser observada, analisada, entendida e divulgada pelos presentes? Se somos formigas pra esses seres tão superiores, por que diabos eles se preocupariam com isso?

  21. “Acho que se fosse realmente verdade já ia ter milico chutando o balde e revelando tudo.”

    mas tem muita gente fazendo (ou tentando) fazer isso.. o problema é que niguem acredita… sempre cai na ridicularização.. vira piada… se for milico.. sempre tem um metodo de fazero cara não falar… ou pagar muito bem pelo silêncio do cara.

    se o cara for no meio da praça numa cidade e subir numa caixa e comçar a falar pro 4 ventos a unica coisa que vai acontecer é chamarem o cara de doido e levarem pra um hospicio… lá que niguem vai dar crdibilidade pra ele mesmo.

    sobre a descrição deles, acho q eles são cautelosos, eles podem estar muito mais evoluidos tecnologicamente que nós, mas eles devem saber muito bem que nós podemos ser hostis se quisermos, e eles tem a conciência de que não são a prova de bala.

    devem saber que no desespero/medo/susto o ser humano é meio impulsivo..

    antes dele falar “eu vim em paz” o cara mete uma bala no “bicho estranho”.

    burros eles não são.

  22. Vou postar com anonimo pq estou com preguiça de logar, e o computador aque da empresa eh muito lerdo, eu nao acredito que trabalho na Positivo informatica e meu computador é um Pentium II 333 com 128Mb, bom e depois desta declaração não vou dizer mesmo meu nome pra não dar sorte pro azar e ainda virem me questionar o que eu estava fazendo em um blog no horario de trabalho… Mas vamos ao que interessa!!!! Philipe, cade você??? como já faço a pelo menos 3 meses venho todos os dias ver as novidades em seu blog, mas nos ultimos dias estou frustrado. Cada vez que abre o blog vejo o mesmo titulo fico até triste, já que este é um dos, senão o melhor blog que eu frequento.
    Espero que esteja tudo bem com vc e que em breve possa nos permitir apreciar mas postagens interessantes como sempre….

    Anciosamente

    Anonimo (já que to com preguiça e reclamei da empresa hehehehhe)

  23. Daniel, Eu não digo que o ceticismo é ruim. Eu inclusive defendo o ceticismo.

    O que eu critico é uma desesperada negação do fenômeno ufo usando uma fachada de ceticismo.

    Veja, existem casos em que existem evidências absurdamente consistentes, como varias aeronaves terrestres registrarem em radar a presença de objetos voando a velocidades incompreensíveis. Esses objetos são registrados por pelo menos 50 radares, entre torres e radares de aeroportos civis e bases militares. Os Pilotos de guerra que defendem nosso espaço aéreo afirmam que são ufos, e as afirmações são corroboradas pelo ministro da Aeronautica em cadeia nacional.
    Os “céticos” viram em todos esses dados apenas:

    “balões meteorológicos”
    “Vênus”
    “reflexos da lua”
    “Aeronaves secretas militares dos EUA”
    “bolas de fogo” – dito assim, sem maiores explicações.
    “Um míssil voando a baixa altitude”

    Muito bem. Este caso, conhecido como “A noite oficial dos Ufos no Brasil”
    http://www.infa.com.br/a_noite_oficial_dos_ovnis.html
    é o mais documentado e completo caso envolvendo a segurança nacional, ufos e céticos da história recente da ufologia nacional.
    Convenhamos, as justificativas transcendem a ridicuklaridade e remoticidade quando confrontados com a outra possibilidade restante, de que são naves provenientes de uma tecnologia desconhecida controlada por uma inteligência não terrestre.
    Por que é tão difícil aceitar isso?
    Seria pela descomunal necessidade de provas e a avassaladora montanha de perguntas que suscitaria?

    O ceticismo, como você inteligentemente comentou, é a necessidade de provas. É não sair acreditando na primeira merda que vê. Isso é bom, porque é deste tipo de pessoa que se faz uma comunidade de investigação do fenômeno de base científica.
    Como os 23 ufos ficaram registrados em radares, bem como seu desaparecimento súbito, sua aceleração anormal e seus desaparecimentos e reaparecimentos em pontos distantes, isso é uma boa evidência.

    Um cético poderia alegar que tudo é uma combinação de coincidências. Os aparelhos de radar (todos os 50) deram pau, ao mesmo tempo em que ocoronel Ozires Silva e o controlador de trafego aéreo do Cindacta testemunham uma miragem. Os pilotos tiveram visões e perturbações mentais.
    Só que para todas essas coincidências acontecerem simultaneamente, é tão improvável que a existência de Ets é maior.

    Uma coisa é querer acreditar em tudo. Outra igualmente ruim é não querer acreditar em determinadas coisas, mesmo quando todas as evidências conduzem para a possibilidade delas.
    Eu não vou comentar sua afirmação de rezar para dez deuses diferentes, até porque não ligo o ceticismo com a religião. Religiões são construídas com dogmas. E a ufologia não pressupõe dogmas.

    Ciência se faz com argumentos e provas.

  24. Bauducco, por que diabos tantas pessoas teimam em ligar o “chupacabras”, uma lenda da américa central ao fenômeno ufo?

    Eu acredito que a razão pelo qual alienígenas fazem o que fazem é que a estrutura lógica deles é diferente. Isso não tem muita relação com a questão da inteligência. Veja, você usou um bom exemplo. Se você soubesse que as formigas eram inteligentes, não as esmagaria. Mas quem garante que elas apenas não tem a inteligência que você determinou como critério? Sabemos que o ser humano tem uma evolução tecnológica, porém continuamos a matar nossos semelhantes. E numa praia no Japão, milhares de pessoas matam golfinhos a machadadas.
    Então, não sei se este exemplo é claro o suficiente para explicar que nem sempre um dominio da tecnologia está atrelado a uma evolução em campos morais, éticos e lógicos.
    Os gregos possuíam um sistema cultural superior aos romanos, no entanto, foram conquistados, e aquele arcabouço cultural incorporado a nação conquistadora.

    Outra coisa, 100% dos indivíduos abduzidos que são devolvidos, voltam com confusão mental e lapsos de memória. Isso aponta para algum tipo de preocupação com o abduzido em apagar ou mesmo minimizar o estresse traumático do episódio. O problema é que os aliens não contam com efeitos colaterais do encontro, bem como com nossa ciência que pode recuperar memórias apagadas e bloqueadas via hipnose.

  25. Drak, eu não sei. ja pensei como você. Pensei que a ufologia fosse um calo para a igreja e outras instituições, mas pensando bem, não há absolutamente nenhum problema para elas. Tirando as mais fundamentalistas, as religiões poderiam se adaptar facilmente a realidade do fenômeno ufo. Há diversas passagens que são ‘saídas de mestre” para as religiões no que tange o fenômeno ufo. Quer ver? ” A casa de Deus tem muitas moradas”

    Mesmo os mais fundamentalistas que encaram a existência de Adão e Eva como uma realidade, estão livres para pensarem assim, já que mesmo que “o homem tenha sido feito de barro à imagem e semelhança de Deus”, isso não significa que Deus não tenha feito outros planetas e criaturas para viver neles.

    Acho que para as igrejas mudaria pouco. Afinal elas estão aí ( no caso do catolicismo) há 2000 anos e continua firme e forte. A igreja sempre se adapta ao seu tempo.

  26. bauducco, isso aqui:

    “Acho que se fosse realmente verdade já ia ter milico chutando o balde e revelando tudo.”

    Acontece há anos. Só que muitas vezes o militar está na ativa. Ele abre o bico e vai preso.

    Nos Eua tem muita gente que afirma ter trabalhado em laboratorios do governo onde eram feitos estudos com destroços de ufos. Essas pessoas tem medo de aparecer em publico porque os caras ameaçam a família deles.

    Pra vc ter uma idéia. Até no caso do tal “Et” de Varginha, a família das meninas que achavam “ter visto o capeta” – ninguém havia ainda falado de “Et” em Varginha, foi aliciada por um cara de terno que apareceu num domingo a noite com uma mala de dinheiro para elas dizerem na Tv que inventaram a história. Vendo que elas negaram, o cara partiu para a ameaça.
    E só depois que estourou a coisa do “Et” em Varginha, quando a aparição da “coisa” começou a coincidir com o relato de pessoas idosas do campo que viram “um submarino” passar voando e soltando fumaça preta por um pedaço da ponta que parecia quebrado voando a seis metros de altura no pasto de frente a casa deles.

    O próprio caso Varginha está lotado de militares que testemunham a favor do resgate das criaturas (eram pelo menos 3 delas) mas que estão na ativa e precisam manter a descrição com relação a suas identidades.

    Outra coisa, O assunto UFo é de seurança nacional. Por isso é tratado como material “classificado” que restringe sua divulgação. Tirando um ou outro militar que quebra as regras e arrisca o pescoço (dele e da família) ao roubar dados para repassá-los aos investigadores civis, a maioria fica na deles. Um caso interessante é o do cara da Operação Prato que abriu o verbo sobre os ufos e a operação só depois de ter dado baixa.
    E mesmo assim ele apareceu morto logo após a tal entrevista. Pode até não ter nenhuma relação a morte do cara coma liberação do relatório e a entrevista contando toda a verdade… Mas convenhamos que é bem suspeita.

    as campanhas pela liberação de informações vem tendo um grande sucesso. Os militares brasileiros permitiram aos ufologos irem ao CONDABRA e eles viram os próprios olhos a PILHA de relatos e dados lligados ao fenômeno UFo que os militares dispõe no Brasil. Nos EUA, a Mutual Ufo Organization (MUFON) pressiona a CIa, FBI e USAf para liberarem o que eles tem. A MUFON conseguiu obter varios documentos classificados que tratam do fenômeno UFo.

    – Isso que é engraçado. Os próprios militares negam que aquilo exista, mas pesquisam o assunto mantendo-o sob total sigilo…

    1. Caro Philippe, os militares não “negam” os casos de OVNIs, mas apenas dão explicações simplistas, para eles mais “lógicas e convincentes”. O objetivo, muito possivelmente, seja o de manter o caso permanentemente aberto, razão para tanta pesquisa e tanto material produzido. Creio que o principal objetivo seja a desinformação, como forma de incentivar buscas, e desviar o foco das pessoas de assuntos mais pertinentes. Por isso mantém a chama da dúvida acesa e não deixam o tema “morrer”.

  27. Não acho que a ciência seja culpada pela ufologia ser o circo que é, Philipe.

    Nos anos 1960, Carl Sagan organizou um simpósio sobre OVNIs na AAAS — que publica a Science. Chamou figuraças da ufologia para serem ouvidos pela comunidade acadêmica, como Hynek, McDonald. Claro que também chamou “céticos” — que, aliás, foram um pé no saco porque se revoltaram em dar espaço aos ufólogos.

    Leia o relato aqui, caso não conheça (talvez já conheça, enfim, em todo caso):
    http://www.project1947.com/shg/mccarthy/chap06.html

    O problema é: o simpósio aconteceu. Os ufólogos tiveram sua oportunidade. Sagan até publicou as atas como um livro. Mas, essencialmente, esses UFÓLOGOS NÃO TINHAM NENHUMA PROVA CONCRETA (desculpa a caixa alta, deveria ser negrito mas é mais fácil o caps lock).

    Vc sabe que quando eu pedi que um dos ufólogos mais conhecidos de nosso país apresentasse um único caso, o melhor caso a apoiar a HET, para ser avaliado abertamente, este simplesmente fugiu. Conflitos pessoais à parte, muitos interpretam o principal motivo da fuga pelo fato de que este sabia, como todos sabem, que MESMO AS MELHORES EVIDÊNCIAS DA HET NÃO SÃO SATISFATÓRIAS (caixa alta novamente, sorry).

    A Noite de Oficial dos OVNIs poderia ser apenas uma conjunção de coincidências? É realmente pouquíssimo provável. Contudo, ainda é uma possibilidade, e sinceramente, não se pode dizer que seja mais improvável que a hipótese extraterrestre. A HET jamais foi provada para um único caso, já uma conjunção embasbacante de coincidências já foi verificada em casos como a Onda OVNI de Washington em 1952 — onde há casos confirmados em que relatos visuais de Vênus foram confundidos com relatos simultâneos de falhas de radar. Aliás, esse foi um dos motivadores do estudo essencial de Borden e Vickers sobre a falibilidade de sistemas de radar mediante condições meteorológicas. Isso também foi confirmado repetidamente em décadas seguintes.
    [Busque por “False Radar Returns” e “Shough” para os posts do físico na UfoUpdates]

    Sobre a companha de liberação de informações ser um sucesso. Ela não foi além daquele encontro. Sei que é fácil reclamar de braços cruzados, sei que dirão que é dor-de-cotovelo, mas a campanha tem uma falha fundamental: defende uma mentira em seu “manifesto da ufologia brasileira”, que seria notório, de conhecimento geral, comprovado, que os OVNIs teriam origem ET. Muitos ufólogos não assinaram a campanha porque ela tinha como requisito obrigatório concordar com tal manifesto! Que foi enviado ao presidente e ministro da defesa! É um surpresa que tenham sido chamados, o que não é surpresa é que não tenha passado de uma visita (ainda que com direito a acesso privilegiado), mas essencialmente uma para o Fantástico.

    Defintivamentew, seguramente, com certeza, não é “a ciência” a culpada. Podem-se mencionar inúmeros eventos recentes, mas o fato é que o estrago e a definição da ufologia como um circo ocorreu já há décadas, nos primeiros anos do fenômeno. Os ufólogos não se saíram bem então. E desde aquela época, também falharam em acumular evidência satisfatória.

    Por fim, quanto aos militares “negarem tudo”. Philipe, vc sabe que oficiais da FAB endossaram a autenticidade da fraude tosca da Barra da Tijuca. Sabe que os oficiais da Operação Prato acreditavam em discos voadores, que também declararam que a Operação ocorreu em grande parte por causa do brigadeiro que também acreditava. Sabe que o próprio termo UFO foi criado por Ruppelt (OK, este não acreditava muito em discos voadores). Mas as primeiras avaliações de OVNIs pela USAF, o projeto SIGN, acreditavam em discos voadores. Oficiais da inteligência naval também acreditavam em discos voadores e publicaram a “versão Varo” que deu início à lenda fo Projeto Filadélfia. Enfim, poderia continuar sem fim aqui.

    Muitos militares acreditam em discos voadores, mesmo hoje. Há uma enorme série de vazamentos. Há negativas burras, é claro, e o sigilo sim existe. Mas eles mesmos admitem que escondem o tema (vide o doc da CIA que atribuiu metade dos avistamentos de OVNIs em 1950 e 1960 aos U2, SR71, et al). Óbvio que continuam fazendo.

    Aliás, sobre militares acreditando em discos voadores, se vc entende inglês tem que ver isso:
    http://forgetomori.com/2007/ufos/majestic12-and-the-crazy-rulers-of-the-world/

    Sincero abraço,

    Mori

    1. Ufologia é como a astrologia: nada de concreto, mas muita gente acredita, sinceramente, que 1/12 avos da população mundial poss estar tendo o mesmo tipo de dia, ou se sujeite às mesmas circunstâncias… é “fédemais”……..

  28. Mori, convenhamos que um simpósio organizado em 1960 pelo Carl Seagan com alguns ufólogos e muitos céticos não é o que podemos chamar de “acolhida científica da HET.”
    Me parece mais um circo feito para dizer a uma comunidade científica inteira que a HET não pode ser provada.

    Veja, não coloco a culpa na ciência, como já falei aqui, mas no aspecto humano dela. A ciência é feita de pessoas e pessoas se preocupam com sua credibilidade. A bem feita construção da idéia de quem pesquisa a HET é maluco, delirante ou crédulo assumido fez com que milhares de pessoas se afastassem da ufologia, relegando-a a um segundo plano nas para-ciências. è inegável isso, e acredito que você concorde comigo.

    Embora a HET não tenha até hoje sido provada de maneira cabal e irrefutável, também nunca vi provas concretas e irrefutáveis de que não exista. Mas tudo bem, o ônus da prova cabe a quem faz a alegação, e quem afirma que Ets existem são os ufólogos que investem tempo e dinheiro em correr atrás do fenômeno.
    Pode ser que mais cedo ou mais tarde uma prova absolutamente irrefutável apareça. Mas (se) e quando isso acontecer, será que ela será considerada pela ciência? Será que os cientistas – e os céticos – terão a hombridade de reconhecer seu erro e sua ferrenha luta contra a hipótese da HET durante tntos anos? Pessoalmente eu acredito que não. Haverá uma enorme resistência, como há hoje.

    O caso da noite oficial os ufos está guardado no Condabra e nas declarações dos oficiais temos um caso documental com evidências concretas de gravações de 50 radares espalhados por uma grande área do Brasil que registraram improbabilidades físicas. Pessoalmente, eu acho a hipótese de uma coincidência de defeitos somada com alucinações e mentiras, algo mais remoto que um fenômeno de natureza ainda desconhecida.
    Efeitos meteorológicos desconhecidos poderia ser uma boa hipótese, já que nuvens espessas podem surgir nas leituras de radar, porém elas não voam, somem e aparecem e nem fazem curvas de 90 graus a mais de 400 km/h.
    Em todo caso, aquela era uma noite muito boa, porque havia boa visibilidade e o céu estava limpo, sem nuvens.
    Então o que eu digo é que este tipo de caso poderia – e deveria – ser avaliado sob um enfoque cinetífico para buscar determinar a natureza do fenômeno.

    Mas só o que acontece é um triste circo de audiência, seja para o Fantástico, seja para o Ratinho. O material que poderia contribuir para o avanço nas investigações desses fenômenos, vai sendo estocado em uma sala pelos militares e a ufologia continua seu penar de relembrar casos emblmáticos do passado, teorias e especulações e briguinhas entre representantes de metodologias diferentes.

    Embora a campanha de liberações não tenha ido além daquele encontro, aquilo pra mim já foi um sucesso. Porque até então, a posição oficial da AB era: “Não sabemos de nada. Não existe, não tem, nada, zero. Rosca.”
    E os caras foram lá e viram que: “Tem mesmo, está documentado, tem fotos, videos, gravações de radar e milhares de páginas de relatórios”.

    Pra mim isso é um sucesso. Isso expõe a realidade de que anteriormente, como os ufólogos sempre alegaram, a FAB mentia para preservar fatos que ela tinha ciência e que resolveu assumir, numa postura bem mais digna, diga-se de passagem.
    Agora é fato que os arquivos não podem sair de lá, já que estão presos lá por conta da estrutura jurídica-militar que tem restrições constitucionais para a liberação. Os ufólogos tem que atuar dentro da lei, e o jeito é brigar por uma mudança nesta lei, ou esperar. Mas seja como for, uma coisa é o “disse me disse” se existe ou não existe. Outra é os caras irem lá e verem com os próprios olhos os arquivos e a pilha de material que antes era desmentido.

    A vantagem desses documentos, é que eles independem do oficial acreditar ou não no fenômeno. Eu concordo em gênero numero e grau, que do mesmo modo que existem lunáticos que acreditam até no “óleo negro” que saiu da cabeça do Cris Carter em Arquivos X, existem militares propensos a crer em qualquer coisa. Afinal, são humanos, independente da profissão e estão sujeitos ao erro como os civis.
    O que eu debato é a situação estar há 50 anos presa nessa dualidade entre acreditar ou não. Virou fé, não é mesmo?
    E não deveria. Não deveria ser uma questão de fé. Hoje não temos em praticamente nenhuma grande universidade, nenhum grande centro de pesquisa mundial algo relacionado a investigação do fenômeno ufo.
    ( o projeto seti busca radiofrequências do passado em estrelas distantes, então pra mim, ele não serve)
    Esta ausência de curiosidade da ciência oficial é surpreendente, uma vez que o fenômeno ufo acompanha a humanidade há muito tempo em diferentes espectros, como a estrutura mítica das sociedades primitivas, a psicologia social, nas artes, na literatura e na sociedade moderna.
    Digo isso porque não vejo o fenômeno ufo apenas como um et dentro de uma nave que voa e faz piruetas. Vejo também como um conjunto bem elaborado de crenças que se espalha por todo o planeta de uma maneira bastante homogênea. Querendo ou não, isso é uma realidade científica mensurável, que embora não sirva para corroborar a HET, serve para mostrar que o assunto poderia ter uma atenção bem maior do que tem hoje. Até mesmo para mostrar que tudo se trata apenas de enganos e de um mito global.
    E se é assim, a explicação deve passar pelo que eu falei sobre o preconceito, que em último caso, é também uma faceta secundária do fenômeno.

    Nos anos 60 a Física não havia descoberto tantas coisas como hoje sabemos sobre a natureza do universo. Além do fato de que nos anos 60, em plena guerra fria, não era do intresse governamental de nenhum país falar sobre invasão de espaço aéro.
    Hoje temos alguns países abrindo seus arquivos para a investigação civil, como a França, Chile e num futuro próximo, quem sabe, o Brasil.
    Talvez, se este evento se repetisse hoje, com uma dose de imparcialidade e humildade mínimas, as conclusões fossem outras.

    O problema todo que eu vejo está nessa necessidade de obter a prova irrefutável, o ponto de mutação da ciência. Eu também gostaria que prova aparecesse como mágica. Mas ao que parece, isso não é tão fácil assim.
    Obrigado pelos links. Vou dar uma olhada neles.

  29. Caro Philipe,

    Dê uma lida sim nos links, gostaria que tivesse lido antes de responder :-/

    No caso, chamar a organização de um simpósio sobre OVNIs na AAAS, que é a maior organização científica dos EUA, com a participação dos principais ufólogos da época, de mero “circo” com intenções escusas, é um erro. Tente realizar um congresso sobre OVNIs na SBPC. Impossível? Imagine então o valor de fazer um na AAAS.

    Sobre a noite oficial dos OVNIs. Leia o link sobre Borden/Vickers a respeito da onda de 1952 em Washington. Compare as descrições dessa onda com o caso brasileiro. Por certo que há diferenças, e não se está afirmando que a explicação de uma onda seria aplicável a outra. Mas vc leria que a ausência de nuvens seria especialmente propícia para tais condições, por exemplo.
    http://www.cufon.org/cufon/wash_nat/wash_faa.htm

    Note que eu não investiguei a noite oficial a fundo (os únicos dois casos que conheço com alguma profundidade são Trindade e Varginha), e estou apenas frisando uma hipótese. A princípio, se ambos desconhecemos detalhes maiores a respeito deste caso (e de fato, nenhum ufólogo teve acesso a todos os dados relevantes até onde sei), é aqui também precipitado descartar uma hipótese completamente em favor de outra. E sim, isso significa que a HET continua uma possibilidade. Sempre é.

    Quanto à “liberação” de documentos oficiais, Philipe, no Chile é um embuste, vide a marmelada recente — a abertura não ocorre de fato. Na França, é algo mais sério, mas não é nada novo ao contrário do que alguns vendem. A abertura lá ocorre há décadas, o único que mudou foi que há pouco liberaram na internet.

    Mas o que se sabe das liberações de informação efetivas, como na França, Espanha, mesmo EUA? (sim, os EUA liberaram boa parte de milhares de documentos oficiais há décadas!).

    A resposta é reveladora: esses documentos não dizem essencialmente nada de muito relevante. E pior: ainda que digam algo de relevante, os próprios ufólogos não têm interesse em investigá-los! Veja os apelos de Brad Sparks (ufólogo com quem tive e tenho severas discordâncias) para que americanos analisem seriamente todos os documentos sobre OVNIs liberados pela USAF há décadas. Sim, nem mesmo lá isso foi feito.

    Quantos ufólogos brasileiros leram os relatórios da Operação Prato conhecidos? Quantos ufólogos leram o livro do Ubirajara? E quantas vezes as conclusões mencionadas em tais documentos são citadas por ufólogos?

    Vc sabia que o caso Trindade nunca foi investigado de fato? Que depois de décadas, fomos nós “céticos” que fizemos o básico como posicionar o navio e analisar a trajetória do objeto com base em mapas acurados, e não no desenho publicado no jornal Globo dias depois do caso ser divulgado? O que dizer então da Barra da Tijuca, onde a USAF descobria a fraude antes mesmo dos ufólogos brasileiros? Sabia que nenhum ufólogo entrevistou a família de Vilas-Boas ou visitou o local até que se passassem quase 50 anos?

    A ufologia lida com um fenômeno tênue e elusivo, de difícil análise por natureza. Esse é o principal fator. Mas outro que não ajuda em nada, e só atrapalha, são os próprios ufólogos.

    Cientistas e céticos, mesmo a CIA e MIBs, dificilmente conseguiriam fazer mais dano à ufologia do que os próprios “ufólogos” já o fazem. Um Gleiser dizer que a viagem interplanetária é impossível não é nada comparado com uma revista UFO estampando “Eles estão chegando!”. E não digo isso apenas por causa de minha notória contrariedade a tal publicação,

    Culpar cientistas e não denunciar os erros da própria ufologia é, enfim, mais um erro. E o pior é q vc costuma denunciar tais erros! Mas no post aqui, culpou a ciência e os céticos como fatores determinantes, ou pelo menos foi o que entendi. E continuo discordando.

    Sincero abraço discordante, Philipe.

  30. Mori, embora seu abraço seja discordante, eu acho que nós concordamos em muitos mais pontos do que discordamos.

    Eu li o relatório o encontro da AAAS. Só não consegui encontrar as conclusões para a ciência e para a ufologia daquele encontro.
    Mas uma parte me achamou a atenção, porque tem ligação direta com meu ponto de vista acerca da negligência científica quanto ao fenômeno Ufo:

    “Sagan also asked Condon to reconsider and in the same letter explained his
    rationale for the benefit of the AAAS Board. He claimed it was necessary to counter borderland science notions with the scientific method because the physical sciences lost too many good students to the study of the bizarre. “

    È interessante que este seja o argumento mais eficiente para fazer um cientista de renome comparecer a um simpósio sobre este tema. Se este parágrafo não for suficiente para expor todo o preconceito arraigado ao longo dos anos sobre o que é “pesquisável ou não” aos olhos da ciência tradicional, não sei mais o que será.

    Eu li os dados da onda de Washington. Embora meu inglês não seja tão bom quanto o seu, realmente eu acredito que você pode estar certo quando correlaciona o caso de Washington com a ocorrida nos anos 80 aqui no Brasil. Se houvesse pelo menos um relatório detalhado como foi prometido pelo ministro na época ( e que até hoje não saiu) seria mais fácil de traçar paralelos entre os dois episódios em busca de algum dado mais concreto. Concordo com você que não podemos descartar hipóteses já que não temos todos os dados para tal.
    Acho que me precipitei ao excluir algumas hipóteses no caso da noite oficial dos ufos.
    Concordo também que há um enorme prejuízo na imagem da ufologia com a questão do sensacionalismo de todas as mídias que lidam com o assunto. Como a Revista Ufo é uma mídia que depende das vendas para se manter, ela acaba apelando muitas vezes para chamadas de capa que forçam uma barra. Isso é uma merda, porque essas chamadas provocativas funcionam na primeira vez e vão gradativamente perdendo força. Aí num dia que acontece algo realmente incrível, a fórmula tá desgastada, a revista está rotulada por suas chamadas exageradas. Pra mim, isso é tiro no pé. Concordo totalmente com você nesse aspecto.

    O fato é que a ufologia toma paulada de todo lado. De fora e principalmente de dentro.
    Eu não consegui entender o que você quer dizer com um “embuste” na liberação de informações do governo chileno. Sobre quantos ufólogos eu conheço que leram os relatos da operação prato e Varginha, não devem ser muitos, reconheço. Porém, eu, que nem me considero um ufólogo, li os dois.
    Outra coisa que não entendi é qual a relação entre os céticos terem criado uma correlação de trajetória do Ufo do caso Trindade anos depois da obtenção da fotografia. Isso invalida o caso? Eu não estudei a fundo o caso Trindade, e então não posso falar muito sobre isso, embora eu -pelo que li sobre ele – acredite ser um caso real, banal e corriqueiro de contato imediato de primeiro grau.

    Pra mim as deficiências na metodologia não são suficientes para a invalidação do caso. Isso apenes mostra que a pesquisa ufológica é crônicamente deficiente de uma metodologia científica num equadre epistemológico padronizado. E se minha maneira de pensar está certa, então este é mais um ponto em que concordamos, pois se a ciência oficial não se apossa desta área de pesquisa, leigos o fazem. E leigos, são leigos. Por melhores que sejam suas intenções, sem uma metodologia controlada de investigação, é fácil cometer erros de julgamento que podem prejudicar a elucidação de um caso supostamente ufológico ou não.

    Pessoalmente, eu me sinto até bem a vontade para externar minhas percepções sobre o fenômeno, já que nunca vi pessoalmente um Ufo. Então estou aberto para a possibilidade de não existirem discos voadores. E estou aberto para que existam. Eu só me inclino para a HET porque me parece mais provável tendo em vista o volume incomentsurável de estrelas e planetas, conrontando isso com o manancial de avistamentos registros e relatos.

    Mas eu não culpo só a ciência pelo estado deplorável da pesquisa ufológica. Mas culpo por se ausentar. Ao meu ver, a ciência não deveria fazer isso. A presença da ciência é salutar para este tipo de investigação. Mas se a presença é salutar, e nisso tenho certeza que concordamos, a ausência é prejudicial. Não é lógico?

    Veja, você mesmo diz que seria impossível fazer um simpósio ufológico com a SBPC.

    Por que? Se Seagan conseguiu fazer isso nos anos 60 lá nos EUA na AAAS, hoje com tamanhos avanços na tecnologia humana, um aumento gigantesco nos registros de avistamentos, as muitas descobertas em diferentes campos, com a Física transportando energia sem fios e teletransportando a matéria, criou-se um vácuo. Algo que funciona como uma espécie de muro, preservando os cientistas e suas reputações do lamaçal inconstante que os rodeia. E isso está diretamente em desacordo com as estatísticas que mostram uma gradual aceitação do fenômeno UFO em todo o mundo.

    Estaria a ciência dando uma de avestruz?

    É isso que eu critico. Só isso.

    Em contraste a isso, tem um monte de documentos relacionando a problemática Ufo à questões de segurança aeroespacial e colocando os ufos como um assunto sério a ser estudado, que vem sendo lentamente liberados sob a forte pressão das oganizações que exigem a liberação de informações dos governos mundiais na base da força bruta. Infelizmente, são documentos que vêm cheios de marcas pretas, impedindo a compreensão plena de seu conteúdo. Então é tudo muito estranho. Se a hipótese dos Ufos enquanto aeronaves de uma proveniência desconhecida é descartada, como explicar o manancial gigantesco de relatos, fotos, documentos que pipocam ano a ano, sobretudo agora com a popularização das câmeras de video? Estariam os militares sofrendo efeitos de algum tipo de patologia mítica social generalizada?

    Considerando todos os relatos que já li, os documentos e relatórios a que tive acesso e as entrevistas que realizei, não como ufólogo, mas como curioso e interessado no assunto, eu pessoalmente acho a HET muito provável. Embora reconheça também que há em paralelo ao fenômeno UFO (Aliens, Naves e avistamentos) um fenômeno psicossocial global atuando há anos fortemente atrelado a isso.

  31. É Philipe, concordamos bastante, tanto que nem comentarei mais os pontos em que concordamos, então 🙂

    Sobre a “abertura” chilena, recomendo que ouça o “outro lado” dos ufólogos críticos chilenos. Há uma nota sobre o tema na revista Pensar, mas acho que não está disponível online. Vc pode contatar pesquisadores como Diego Zúniga (EDITOR(arroba)LANAVEDELOSLOCOS(punto)CL.) ou Marcos González (marcelomoyas@gmail.com).

    Maravilha q vc leu os relatórios da OP e o livro do Ubirajara… então deve saber como eu que nenhum, nenhum ufólogo menciona as conclusões listadas nesses trabalhos (exceto, no caso, o próprio Ubirajara…).

    Sobre o caso Trindade, o fato de que nunca havia sido feito o mínimo de investigação não invalida o caso, mas é um sinal sério do estado da ufologia: ainda assim ele foi escolhido como um dos dez casos mais sólidos da história em documento enviado à ONU. Vc esperaria que todos estes dez casos tivessem sido investigados além de apenas reproduzir recortes de jornais.

    Finalmente, sobre a ausência da ciência. Isso se deve principalmente à natureza do fenômeno OVNI, Philipe. A rigor, a ciência sim aborda fenômeno aéreos desconhecidos, mas não o faz com a metodologia nem com os métodos da ufologia — o faz, por exemplo, através da meteorologia, que descobriu sprites, jets e elves recentemente.

    A ciência também busca por inteligência extraterrestre, mas novamente, não através da ufologia. Ela o faz através do SETI.

    Ou seja, a ciência sim aborda estas questões, mas realmente evita os métodos e o nome da ufologia. Preconceito? Sim, mas também porque como a própria ufologia demonstra, seus métodos são mais propensos a coletar ruído do que sinal. Partir para explorar o desconhecido baseado em relatos severamente contanimados culturalmente não é uma abordagem promissora. Isso ficou demonstrado já nos primeiros anos de estudo.

    Quanto ao “manancial gigantesco de relatos, fotos, documentos”, Philipe, vc sabe assim como todos ufólogos que as maiores ondas de relatos e fotos de OVNIs já passaram. Talvez ocorram novas, mas o fato é que no momento estamos em uma baixa “histórica”. Só a revista UFO e ooutros veículos que vendem a afirmação falsa de um suposto aumento contínuo no volume de relatos e registros. Q!uanto aos documentos, estes também, tiveram liberação maior já há anos (com a liberação de documentos nos EUA).

    Sincero abraço,

    Mori

  32. SOU MILITAR DA RE4SERVA, E PORTANTO, AINDA SUJEITO A PUNIÇOES. POREM EU, PESSOALMENTE, FUI TESTEMUNHA, E O QUE ´E PIOR, ESTAVA DE SERVIÇO, DE UMA SITUAÇAO TERRIVEL QUE ENVOLVEU MUITAS PESSOAS, MUITOS VEICULOSE UM MEDICO DO INCOR DE AGUAS LINDAS-GOIAS, VEIO ATE O LOCAL EM QUE ESTAVA MINH VIATURA PEDIR SOCORRO. QUERIA QUE EU ORDENASSE AOS MEUS COMANDADOS QUE ATIRASSE NAQUELE OBJETO DE QUALQUER JEITO COMO EU PODERIA FAZER ISSO, SE ERA UMA ESFERA PRATEADA DO TAMANHO DE UM CAMPO DE FUTEBOL? O MEDO NAO ERA SÓ DELES. EU TAMBEM TINHA MEDO. IMAGINE AQUILO PARADO SOBRE NOSSAS CABEÇAS E NOS ATIRANDO NELA COM SIMP-LES ESCOPETAS QUE ERA A ARMA MAIS POTENTE QUE TIN HAMOS A MAO. ACHEI MAIS PRUDENTE ESPERAR PARA VER NO QUE DAVA AQUILO ELA FEZ VARIAS EVOLUÇOES, SEM EMITIR QUAQUER RUIDO, APENAS UMA ESPECIE DE LUZ PARECIDA COM LUZ FLUORESCENTE, POREM NUM RAIO DE UNS QUATROCENTOS METROS EM NOSSA VOLTA E EM VOLTA DELE. E COMO QUEM PROCURAVA ALGO, SILENCIOSAMENTE IA A UNS QUINHENTOS METROS ADIANTE E VOLTAVA EXATAMENTE AO MESMO PONTO, OU SEJA BEM ACIMA DA NOSSA VIATURA ISSO EU CALCULO A U7NS CINQUENTA METROS DE ALTURA DO CHAO. EU NAO PRECISO DIZER QUE TODOS OS VEICULOS QUE TRAFEGAVAM NAQUELA MOVIMENTADA VIA SIMPLESMENTE PARARAM ONDE E4STAVAM QUANDO AQUILO APARECEU. EU NUNCA QUIZ FALAR SOBRE AQUILO PORQUE OS MEUS COMPANHEIROS DE AVENTURA QUE ERAQM QUATRO. TODOS DISSERAM QUE AQUILO NUNCA PODERIA SER CONTADO SOB PENA DE SERMOS CONSIDEADOS LOUCOS E QUE ELES NEGARIAM. EU COMANDAVA UMA OPERAÇAO BARREIRA DE FISCALIZAÇAO DE TRANSITO NA BR 070 NO KM 16 BEM NA ENTRADA QUE DA ACESSO A SAN TO ANTONIO DO DESCOBERTO AI SE DEU O FATO QUE ORA NARRO MAIS DETALHES QUE QUEIRAM DISSO AI ESTA O MEU EMAIL :shocked: :shocked:

  33. 1) Por que decorridos mais de 50 anos de investigações sobre OVNIs e ETs não se conseguiu um único indício convincente de sua existência real: uma boa foto, uma filmagem nítida, um objeto material que não existe na Terra?

    2) Por que ETs tipo “Grays” [Cinzas] de olhos grandes, pele cinza, só começam a aparecer e tornar-se muito populares após a sugestiva publicação de um desenho com essas características na capa do livro “Comunhão” de Whitley Strieber, em 1987?

    3) Por que os relatos de “abdução” mais sensacionais foram obtidos mediante regressão hipnótica, uma técnica que favorece a indução de fantasias e falsas memórias na mente das pessoas?

    4) Como pode o cadáver despedaçado de um “chupacabras” abatido a tiros pelo fazendeiro Jorge Luis Talavera, na Nicarágua, quando levado à Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua (UNAN) para exame, ter sido identificado como sendo os restos mortais de um cachorro?

    5) É simples coincidência o fato de que avistamentos de estranhas luzes no céu (muito comuns nos Andes) acontecem precisamente ao longo de falhas geológicas ativas, em áreas de grande atividade geofísica?

    6) Por que a “onda” dos círculos em plantações acabou após os ingleses Doug Bower e Dave Chorley terem confessado e demonstrado públicamente em 1991 como há 25 anos vinham se divertindo com a credulidade do público construindo esses círculos até então considerados sinais de extraterrestres?

    7) O que caiu em Roswell em 1947? Uma nave extraterrestre ou um balão-sonda que transportava refletores de radar e equipamentos secretos do Projeto Mogul desenvolvido pela USAF para monitorar emissões acústicas de testes nucleares soviéticos?

    8) Por que à medida em que vem sendo levantado o segredo sobre experimentos secretos dos tempos da Guerra Fria, ganham uma explicação natural os famosos casos de incidentes com extraterrestres tais como os de Roswell e da Base Aérea Holloman da USAF, em Alamogordo?

    9) Dá para acreditar que os dirigentes de todas as nações do mundo em vez de defenderem a vida e segurança dos seus compatriotas preferem, sem exceção, acobertar o domínio da Terra pelos alienígenas, envolvendo o segredo de milhares de seus funcionários?

    10) Se a coisa mais difícil de guardar é um segredo (exemplos: roubo dos planos da bomba atômica e o escândalo de Watergate), como acreditar numa grande conspiração governamental, a nível mundial, para manter os cidadãos ignorantes da verdade sobre o domínio dos ETs?

    11) Por que o lançamento de gigantescos balões-sonda do tipo “skyhook” realizados pela USAF a partir da Base Holloman em Alamogordo coincidem exatamente com os locais, datas e horários em que foram relatados avistamentos de OVNIs?

    12) Luzes vistas se deslocando no céu, em formação triangular, são naves extraterrestres ou o trio de satélites espiões NOSS, do ultra-secreto projeto norteamericano “Parcae”?

    13) Por que os raptos por alienígenas ocorrem principalmente em situações que favorecem a alucinação hipnagógica ou hipnopômpica, ou quando as pessoas realizam longas viagens de carro em que aumenta a incidência do conhecido fenômeno de “devaneio auto-hipnótico”?

    14) Se a Terra está sendo visitada diariamente por alienígenas hostis, por que a NASA não aproveita essa oportunidade extraordinária para justificar um aumento do seu orçamento?

    15) A Face em Marte, na região denominada Cydonia, é um monumento construído pelos sobreviventes de uma guerra interplanetária, ou apenas um curioso efeito de luz e sombra de uma foto marciana de baixa resolução?

    16) Os “vaga-lumes” vistos pelos astronautas ao redor de sua cápsula espacial são “alienígenas” ou partículas de tinta soltando-se da nave, raios cósmicos atingindo suas retinas, ou outras explicações prosaicas?

    17) Como explicar que com milhares de telescópios apontados diáriamente para o espaço sideral nunca nenhum astrônomo observou ou fotografou até hoje a passagem de uma nave alienígena?

    18) O que dizer desses “implantes” realizados pelos ETs que revelaram nada mais ser do que corpos estranhos (fragmentos de vidro, plástico, metal) ou formações anômalas de colágeno ou osso que ocorrem esporadicamente no organismo humano? Dá para acreditar que a cantora Elba Ramalho foi “chipada” pelos alienígenas?

    19) Podem os ETs, capazes de façanhas tão extraordinárias, ser tão descuidados e relaxados a ponto de devolver as vítimas à sua origem com roupas diferentes das que vestiam ao serem “abduzidas”?

    20) Por que os discos voadores começaram a aparecer em 1947 aos milhares? Não seria mais razoável supor que as visitas de alienígenas à Terra devessem ser raras e espaçadas ao acaso ao longo da História?

    21) Se, pela lógica científica, essas visitas deveriam ser muito raras, como explicar que 2% de todos os norte-americanos e 100 milhões de pessoas no mundo inteiro alegam ter sido raptados ?

    22) É apenas coincidência que pouco antes do relato de Kenneth Arnold em 1947 sobre os nove “discos voadores” voando sobre o Monte Rainer, no Estado de Washington, a revista de ficção científica Amazing Stories vinha publicando histórias sobre visitantes extraterrestres ilustradas com curiosas naves em formato circular, tiradas da imaginação dos desenhistas?

    23) Por que têm sido avistados tantos tipos de ETs, quase todos variações da forma humana e raras espécies semelhantes a répteis, insetos e aves? Considerando as probabilidades da evolução biológica em ambientes galácticos tão díspares, não seria mais razoável supor o avistamento de formas de vida totalmente diferentes das conhecidas aqui na Terra?

    24) Por que os alienígenas jamais contatam líderes políticos ou cientistas para trocar informações relevantes, preferindo aparecer sorrateiramente na calada da noite em lugares remotos do planeta?

    25) Por que seres extraterrestres inteligentes o suficiente para desenvolver uma tecnologia de transporte interestelar, têm de repetir os mesmas experiências biológicas (centradas nos órgãos reprodutores) milhares de vezes?

    26) Por que sequestradores extraterrestres são extremamente curiosos em relação à biologia sexual humana, envolvendo-se inclusive em relações sexuais com humanos?

    27) Por que à medida que foi ficando patente a incapacidade de comprovar os contatos físicos com ETs começaram a aparecer as “canalizações”, contatos mediúnicos, telepáticos, místicos, esotéricos?

    28) Por que através de seus contatos com os humanos os ETs nunca lhes transmitiram qualquer conhecimento extraordinário que comprovasse sua origem extraterrestre? E por que suas mensagens dirigidas aos terráqueos abordam tão somente assuntos corriqueiros da problemática mundial contemporânea, tais como os perigos da energia nuclear, o desequilíbrio ambiental e similares?

    29) Por que agora que as análises químicas ficaram extremamente sensíveis e sofisticadas a ponto de se poder facilmente comprovar a origem extraterrestre de um material mediante análise da proporção dos seus isótopos, sumiram as provas definitivas, tais como a “chuva de prata” que caiu de uma nave em Campinas e os pedaços do disco que explodiu sobre as praias de Ubatuba?

    30) Como pode o conhecido escritor espanhol J. J. Benitez, autor da série Operação Cavalo de Tróia, ter alardeado a descoberta de marcas do pouso de uma nave extraterrestre em Varginha, à época do famoso contato de 3º grau, marcas essas mais tarde identificadas por ufólogos brasileiros como “dois buracos de cavadeira e os resquícios de um cupinzeiro arrancado”?

  34. Ufos, ceticismo , etc.
    Amigos . O ceticismo é importante na medida em que ele apresenta teorias plausíveis sobre os fatos.A negação pelo simples achismo , ou preconceito, não é ceticismo , é ignorância . Apenas um exemplo .No caso do Et de Varginha , uma certa autoridade disse que o que se procurava era um casal de anões, que vítimas da chuva de pedras ,tinham ficado com o corpo deformado e estavam irritados assustando as pessoas , daí o aparato mobilizado .Entre o Et e o casal de anões prefiro o Et.
    Também as famosas explicações de que as viágens interestelares são impossíveis por causa da relação tempo/massa , velocidade da luz , etc. devem deixar claro que esse impedimento é baseado no nosso(terrestre) estado científico . A história nos mostra que cientistas diziam , por exemplo ,que o homem não conseguiria viajar a velocidade do som , pois isso o destruiria . As explicações da ciencia não são estanques, são mutáveis , se assim não fosse a Terra ainda seria o centro do universo , a geração expontânea seria a única explicação para a existência de bactérias e o homem teria surgido de Adão e Eva.
    Ricardo malta .

  35. Só o fato da aparência dos alienígenas descritos por seres humanos mudar com o tempo, segundo certas modas (em uma época é um monstro, em outra um ser humano cabeludo, em outra um “gray”, futuramente serão robôs), já deixa claro que o assunto é fruto da imaginação fértil de certos mentirosos que não têm nada de útil para fazer da vida.

    Se fiar em relatos de desconhecidos é entrar em uma barca furada. O que mais tem no mundo são mentirosos. Além de mentirosos, temos também os crédulos que acreditam no que sua imaginação inventou e não no que seus olhos viram. As provas do caso “varginha” nada mais são do que relatos.

    Provas? Nave se espedaçando em uma fazenda, etês andando pelo mato, policiais militares e bombeiros envolvidos. Pedreiros observando a captura dos bichos… E NINGUÉM TEM NENHUMA PROVA, NENHUMA FOTOGRAFIA, NENHUM OBJETO, NENHUM CORPO, NENHUM PEDAÇO DE METAL DA NAVE, NADA.

    Tudo o que temos são relatos.

    E um monte de associações feitas por ufólogos crentes.

    Se alguém tem a ambição de “revelar” o segredo dos alienígenas, que venha com alguma prova física e indubutável. Ficar relatando o que disse um bombeiro ou um pedreiro é a mesma coisa que nada.

  36. A todos os que se interessam por ufos, ou vida extraterrestre ou em qualquer meio que desconhecemos, ex. outra dimensão como ondas de radio e Tv, eu tenho admiração, pois mesmo aqueles que não acreditam e aos que nunca viram “presenciaram” o aparecimento e desaparecimento de objétos têm a certeza de que eles existem, mesmo negando e dizendo que é a maior loucura tudo isso, pois na realidade creem mas querem ver, são como Tome na passagem bíblica. Por incrivel que pareça, devo ser privilegiado por poder presenciar tantos fatos dígnos de fotos e de muitas testemunhas, que muitas vezes estão a discutir o assunto com outros que gostariam de presenciar ou acreditar em tudo isso, porém, não olham para o infinito por tempo longo e indeterminado. Todos voces, tenham a certeza de que já teriam presenciado acontecimentos fantáticos.
    Já tive privilégio de presenciar objetos enormes parados no espaço e de repente deslocar-se em velocidade incompativel com qualquer veículo conhecido pelo homem, isso em condições que contradis as leis da física ou qualquer conhecimento que o homem tenha da ciência exata. Pois fazer acrobacias aéreas é uma coisa, mas parar no ar por tempo longo ou fazer manobras que fogem as leis que regem nosso conhecimento, é de ter a certeza de que não estamos sós, que ainda somos tão incapazes em nossa tecnologia que nos sentimos envergonhados pela tecnologia que achamos o homem “evoluido” um ser “INTELIGENTE” tem. Tudo bem, está certo de que devemos acreditar naquilo que vemos, mas, por DEUS, não fiquem só discutindo, vão a lugares onde não há luzes, e que possam presenciar não só a maravilha do universo mas também a possibilidade de presenciar maravilhas que provam a existência de seres inteligentes e que nos visitam, com certeza sem o interesse de destruição ou qualquer agressão aos que aqui vivem.
    Acreditem, pois existe, sou testemunha de vários casos, ovni parando no espaço e aguardando avião de grande porte passar por ele e em seguida persegui-lo ultrapassa-lo em altíssima velocidade, parar aguardando nova passagem do avião e assim depois de algumas manobras desse tipo tomar velocidade sem limites e deichar no espaço sideral apenas um rastro de luzes como que as do arco-iris. Vários fatos que presenciei e que não tenho dúvida alguma que não estamos sós. Valeu, é isso e muito mais que tenho a dizer. Grato…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.