Monstros maneiros – parte 1

Eu sei que é estranho dizer isso, mas eu adoro monstros.

N√£o perco um filme com monstros e coisas gosmentas, preferencialmente aqueles que comem gente. N√£o sei o que d√° na minha cabe√ßa para fazer post com essas coisas, mas suspeito que talvez mais algu√©m a√≠ tamb√©m curta o visual grotesco de certos monstros. Eu tenho uma singela cole√ß√£o de uns 4000 desenhos de monstros de todos os tipos e formas. Ent√£o mergulhar nas minhas pastas de monstros para fazer uma lista com meus preferidos √© uma coisa praticamente imposs√≠vel, j√° que ao chegar nos mil eu j√° esqueci dos cem primeiros que vi e fico sem poder de compara√ß√£o. Mas seja como for, os monstros s√£o um aspecto muito interessante da mente humana. Eles permeiam as pinturas rupestres nas paredes das cavernas, v√£o da cultura cl√°ssica a cultura pop, refletindo nossos medos mais profundos. Est√£o em filmes, games, quadrinhos, brinquedos…

Note que todo e qualquer grupo √©tnico humano constr√≥i sua mitologia estabelecendo seus pr√≥prios monstros. Quando ocorre o choque de civiliza√ß√Ķes, alguns desses monstros perecem, e outros ganham for√ßa, deuses, dem√īnios e seres l√ļgubres se misturam, se fundem e novos mitos s√£o criados.¬† Poucas coisas no mundo podem nos ensinar tanto sobre certos aspectos complexos da mente humana quanto a mitologia, e nela, os monstros ocupam a parte mais sombria.

Como este post tem muitas imagens, aqui est√° o pulo.

Leia maisMonstros maneiros – parte 1