ciência, Tecnologia

O shamã levitador e a levitação humana

http://br.youtube.com/watch?v=tW6pVFOpE6Q Você acredita em levitação? Você acha que os estados alterados da consciência conseguiriam erguer um ser humano do chão? Embora alguns...

Written by Philipe Kling David · 7 Minutos de leitura >

[youtube]http://br.youtube.com/watch?v=tW6pVFOpE6Q[/youtube]

Você acredita em levitação? Você acha que os estados alterados da consciência conseguiriam erguer um ser humano do chão?

Embora alguns mágicos (uns muito bons e outros de araque) façam bons truques de levitação até hoje se discute nos confins da parapsicologia se a levitação espontânea é um fenômeno ainda desconhecido da ciência ou não.

Em muitas culturas, a levitação espontânea é encarada como um sinal de santidade.

Deste site eu tirei este trecho:

“Um exemplo disso é que São José de Copertino (1603-1663) voava todas as vezes que ficava emocionado. Um domingo, durante a missa, elevou-se no ar e pairou sobre o altar, em meio às velas, ficando gravemente queimado em conseqüência disso. Durante 35 anos, foi excluído de todos os rituais públicos, devido a seus hábitos desconcertantes, mas mesmo assim a fama de suas levitações espalhou-se. Um dia, andando pelos jardins do mosteiro em companhia de um monge beneditino, subitamente voou até uma oliveira. Infelizmente, não conseguia voar para baixo, portanto os monges colegas tiveram de buscar uma escada. Um cirurgião, pelo menos dois cardeais e um papa (Urbano VIII), entre muitos outros, presenciaram os extraordinários momentos de total ausência de peso de José – que ele chamava de “minhas vertigens”. (…)

S. Francisco de Assis, também ficou varias vezes suspenso acima da terra, freqüentemente na altura de três ou quatro cúbitos” e Santa Gemma Galgani, uma freira que viveu no fim do século XIX; por várias vezes ela teria se elevado no ar, enquanto arrebatada pela oração. (…)

Antigamente, os que levitavam eram considerados santos, mas, no fim do século passado e no princípio deste, o fenômeno ocorreu com pessoas que não eram sequer religiosas. Entre estas se encontram alguns que conseguiram feitos extraordinários: o escocês Daniel Dunglas Home, e a italiana Eusapia Palladino.O caso de Daniel Dunglas Home foi fartamente documentado por pessoas que pesquisaram os fenômenos produzidos por ele. No dia 13 de dezembro de 1868, Home flutuou horizontalmente, como se estivesse deitado numa cama, através de uma janela aberta no terceiro andar de uma casa e voltou por outra. seus pés entraram primeiro, depois o resto do corpo. Feito isso, Home ficou de pé. O fenômeno foi, em seguida, repetido, sempre diante de testemunhas. Em outras ocasiões, Home levitou numa sala, assistido por um grupo de pessoas.

Eusapia Palladino, que foi pesquisada por célebres cientistas, também levitou, segundo uma carta escrita em 9 de agosto de 1888, pelo dr. Ercole Chiaia a Cesar Lombroso: ficou deitada no ar como se estivesse sobre um colchão. Esse feito assemelha-se à levitação conseguida por Home. Ela conseguiu erguer-se no ar mesmo quando estava amarrada a um móvel com grossas cordas.

Quanto aos religiosos, existem histórias bem documentadas sobre fenômenos ocorridos com santa Teresa d’Avila, que por vezes fazia um esforço desesperado para resistir ao físico da levitação. Em uma ocasião, ela tentou agarrar-se às barras de uma grade, lançando gritos de pavor. Numa outra vez ela se segurou às esteiras do chão, mas assim mesmo foi suspensa ao ar, tendo-as nas mãos.

O venerável Antoine Margil, um franciscano que viveu no México e na Guatemala no século 18, não esta entre os grandes santos, mas pode ser considerado um extraordinário médium de efeitos físicos. Um incidente ocorreu na prioridade franciscana do México. Certa madrugada, um padre descia para tocar o sino que chamava os religiosos, quando, ao entrar no santuário, sentiu uma violenta corrente de ar que parecia vir do campanário. Aproximando-se para ver o que estava acontecendo, ele descobriu o padre Margil erguido no ar, muito acima do solo, os braços estendidos em forma de cruz, dando voltas numa velocidade incrível. Os testemunhos das levitações de São Pedro de Alcântara são incontáveis, como são os de são José de Cupertino, que, em frente de um embaixador e sua esposa, levitou, e voando voltou à sua cela. Como o fenômeno da levitação ocorre também fora do contexto religioso, ele deve ser estudado e pesquisado como qualquer outro fenômeno paranormal.

As características gerais que provocam o fenômeno seriam:

  • Quando o cérebro e o sistema nervoso estão num estado excepcional de transe ou de êxtase.
  • Ocorrem com médiuns e estes podem ser religiosos ou leigos masculinos ou femininos. É preciso, contudo, que sejam médiuns de efeitos físicos.
  • A levitação não está, de modo algum, ligada à santidade. A maior parte dos santos jamais levitou. Mas os santos que levitam se distinguem por uma caracterísfica comum: são místicos, contemplativos, mesmo quando levam uma vida ativa, como no caso de Teresa d’Ávila.
  • A levitação não é produto da imaginação das pessoas que presenciam o fato. Há centenas de testemunhos confiáveis.
  • Aliada à levitação do corpo humano está a movimentação de objetos, fenômeno este que ocorre também associado aos casos de Poltergeist. “

Pessoalmente, eu não tenho uma opinião formada sobre a questão da levitação humana espontânea. Acredito que a mente possui mistérios que desafiam a nossa compreensão. Muitas coisas que até pouco tempo atrás eram consideradas crendice hoje já foram comprovadas pela ciência, o que é o caso da Acupuntura. Então, pode ser que mais cedo ou mais tarde, a ciência acabe reconhecendo e documentando os processos cerebrais que desencadeiam alterações no ambiente. A Parapsicologia é a disciplina que se ocupa de levantar as pontas soltas de fenômenos inacreditáveis e cabe a ela e as disciplinas como a Neurofisiologia, a Física e até a Filosofia darem uma explicação convincente para este fenômeno.

Pensando sobre a hipótese de alguém levitar, me vem à mente o fabuloso livro “Espaço, tempo e além”. Neste livro, os autores usam a Física e os conhecimentos, ainda embora teóricos, da mecânica quântica para explicar certas coisas que poderíamos associar a “erros da matrix“.

O livro surge com uma instigante idéia de que o universo inteiro é forrado de uma espuma quântica de buracos negros e buracos brancos. Os buracos negros, nós sabemos que são uma espécie de “ralo” gigantesco que suga a matéria com tamanha força gravitacional que nem mesmo a luz consegue escapar-lhe. Os buracos brancos, por sua vez seriam as saídas desses ralos. E o espaço que seria a ligação entre o buraco negro, onde tudo entra e o buraco branco onde tudo sai, seriam os wormholes, ou hiper-espaço.

Olhe para esta cadeira aí do seu lado (ou mesa, ou teclado). Ela está ali, não está? Tem certeza?

As idéias são meio doidas, e dão um nós nos neurônios, mas se você olhar suficientemente de perto para uma cadeira, verá que ela é feita de fibras. As fibras, são feitas de milhões de células, as células, de moléculas. E as moléculas de átomos.

Ao olhar os átomos bem de perto mesmo, você notará que eles são mais espaços vazios do que cheios, muitas vezes eles se comportam como ondas. Esqueça o átomo do livro da escola. Aquilo é uma abstração, uma idéia que dá forma a algo completamente sem forma. O átomo é uma vibração.  E então, eu pergunto: A cadeira é sólida?

Não.

Nada é realmente sólido no universo. A partir deste conceito é possível extrapolar a idéia de que a luz, ao ser criada, captura a si mesma em um colapso gravitacional, que gera um anel vibratório de luz. E no meio do anel está um mini buraco-negro de luz com uma dimensão tão pequena que faz fronteira com a inexistência. Na singularidade interna do mini-buraco negro, não há espaço e nem tempo. Esta seria a unidade fundamental de toda a matéria, e com ela é formada a espuma quântica. Esta teoria é de um físico, chamado Wheeler, que supôs que a tal espuma quântica seria uma combinação infinita de microscópicamente diminutos buracos negros que sugam a luz (que constitui a matéria) e jogam de volta para os buracos brancos, que a liberam através dos túneis que estão além do espaço-tempo e são os wormholes, as infinitas conexões que costuram o tecido da realidade.

Assim, o espaço vazio não seria realmente vazio. Seria absurdamente lotado de buracos pretos e brancos. Este espaço seria uma turbulenta massa invisível com massa positiva e negativa incessantemente surgindo e sumindo. Este movimento geraria um padrão vibratório que é o que chamamos de “partícula subnuclear”. Assim, os átomos, as unidades fundamentais da matéria, seriam formados por interações entre padrões vibratórios, e se uniriam para formar o que acreditamos ser nossos corpos físicos.

E se isso estiver correto, então poderíamos dizer que o “Além do espaço-tempo” está permeando o que acreditamos ser o que chamamos de realidade! Se todas as coisas são feitas de buracos negros e buracos brancos, o além do espaço-tempo não está lá fora, não está além das galáxias. Está dentro de todas as coisas. A realidade pode ser uma ilusão. Ou uma tendência organizada pela consciência viajando acima da velocidade da luz através de infinitas instâncias de realidades paralelas.

Então, eu acabo de desconstruir a noção antiga da realidade física, onde há o universo observável e mensurável, e há o observador, alheio a ele.

A nossa observação do fato afeta ( e mais que isso, constitui) o fato.

Tudo isso para explicar que de alguma maneira, em um estado alterado de consciência desencadeado por um processo cerebral intencional ou sintomático de um desequilíbrio neurofisiológico, a mente humana entraria num ciclo de vibração específica,chamado de “complementaridade” que afeta o comportamento da onda quântica que por sua vez forma a espuma quântica dos buracos negros/brancos e que constituiria a realidade ao nosso redor. Trocando em miúdos, parece ser verdade a idéia de que nossa mente teria a capacidade de construir a realidade ou ainda, afetá-la de modo inequívoco. Eugene Wigner (prêmio Nobel de Física) foi que pela primeira vez sugeriu, em 1967, que a consciência poderia afetar a onda quântica, e assim, afetar a realidade. (o que explicaria a materialização).

No caso da levitação humana espontânea, seria possível que o estado alterado de consciência ou algum processo cerebral de natureza obscura e desconhecida afete a onda quântica gerando uma espécie de “jangada” quântica sob o indivíduo e a massa de espuma quântica que o constitui, de modo que ele desafie ou mesmo anule em grau diverso o puxão gravitacional.

A verdade é que o cara poderia não estar levitando. Ele simplesmente “não está”. O indivíduo e tudo o que nos cerca seria a mera e fugaz organização de um conceito da nossa consciência.

Parece que eu fumei maconha? Tomei chá de cogumelo? Pois você se espantaria ao saber o que os PhDs de Física e alguns prêmios Nobel estão pensando agora sobre o que chamamos, inocentemente, de realidade.

Então, pegando uma carona aí, eu recomendo veemêntemente o livro “Espaço, Tempo e Além”. Ed. Cultrix.

É como escolher a pílula vermelha.

Cabô.

Written by Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

A solução sem problema que revolucionou o mundo

em ciência, Curiosidades
  ·   4 Minutos de leitura

15 respostas para “O shamã levitador e a levitação humana”

  1. Outro título muito bacana é “Universo Numa Casca de Noz” de Stephen Hawking, realmente me fez compreender as confusas teorias da física quântica…

  2. “Está dentro de todas as coisas”

    sabe aquela frase que diz que “Deus” está em todos os lugares? eu não faço ideia do que seja “Deus” mas acredito que tenha muito a ver com isso, e quem falou essa frase sabia dessas coisas que só agora a ciência comessa a desvendar ou entrever.

    é muiot legal tudo isso, falndo nisso vc já lêu aquelas colunas da teoria da conspiração do sendentário?

    tem muito a ver com essas coisas ae.

    abraço!

  3. Nosliniram, eu não estou dizendo que este video é real. Talvez você não tenha lido direito. Talvez eu não tenha escrito de maneira suficientemente clara. Eu uso o video do sahmã filmado no escuro apenas para ilustrar o post que é sobre a questão da levitação humana espontânea.
    isso é diferente de dizer se existe ou não. Eu só digo que hoje a física quântica oferece uma base teórica que dá suporte a compreensão de uma série de mistérios que eram inexplicáveis até então. Se está certo ou não, isso não me cabe dizer. Desmistificar envolve expor a compreensão do fenômeno desconhecido, e este papel não é meu. Não é este o papel deste blog também. Quem deve aprofundar isso é a ciência e os centros de pesquisa que investigam este assunto. Agora, eu leio sobre o assunto e a coisa da teoria quântica parece fazer sentido.
    Outra coisa, parece novamente que você não lê direito. “O Relato de um Mib”, que você chama de farsa, é um conto. Um conto é uma peça literária ficcional que pode ou não ter dados da realidade ao gosto do autor. Farsa por sua vez, é quando se pretende enganar ou gerar uma falsa compreensão de algo que se sabe não corresponder a realidade.

    Da próxima vez, leia com mais cuidado.

  4. Me amarro nesse tema! e Eu de fato acredito na interferencia do plano mental no plano real.. embora ja tenha lido mto sobre o tema.. sua conclusao no final do simples ele nao está foi mto legal..
    um filme mto legal pra se assisitir é
    “what the bleep do we know” .. eu nao lembro da tradução … mas de uma maneira pratica e leiga mostra alguns dos conceitos e teorias mais legais sobre o assunto… com certeza vou conferir esse livro

    abraçao!

  5. O Livro dos Mediuns, do Allan Kardec explica pela ótica do espiritismo como é possível a levitação humana e transporte de objetos sem contato físico. É uma coisa muito rara pois depende de uma série de fatores, mas sim, é possível caso tenha a presença de um médium muito evoluído e de espíritos dispostos a fazer isso. Cada um tem seu ponto de vista e sua religião, mas dentro tudo que ja provei do espiritismo, não tem porque duvidar disso.

  6. Meu amigo, nem nada é inteiramente sólido no Universo, como você comenta, como também o tempo não existe – o que existe é o movimento da matéria, ou seja a interação, o movimento dos átomos é que cria a ilusão do tempo para o observador em relação a este determinado movimento.
    Poderámos dizer que uma barra de aço está relativamente parada no tempo, dado que os átomos estão estáveis.
    Tempo, espaço e gravidade, isso é que é…

    E a levitação pode ser conseguida por magnetismo reverso.
    As pipas Lifter ( e teoricamente qualquer objeto ) levitam quando uma carga elétrica ao contrário é aplicada à elas.
    Pode ver, tem um site inteiro com provas e explicações, é só procurar no Google a palavra Lifter. Estudantes de engenharia aeronáutica constroem essas pipas como trabalho escolar, inclusive no CTA da Aeronáutica.

    É um princípio que pode ser aplicado até aos futuros…”discos voadores”…e carros aéreos que fatalmente serão construídos no século XXII.

    Eu ouso até teorizar que, como a matéria-energia do Universo tem formato circular, ou seja, formando uma bolha, se você viajasse à velocidade da luz indo reto, quando chegasse ao final desta bolha o tempo para você começaria a voltar para trás.
    E provavelmente seria possível viajar no tempo, porquê o que nós imaginamos que seja realidade na verdade é uma esécie de gravação permanente proporcionada e patrocinada pela partícula mais poderosa do Universo na minha opinião: o elétron.
    Ele grava em si toda a realidade, o tempo todo, portanto qualquer acontecimento deve ter se tornado permanente em alguma região do tempo-espaço, e isso torna possível a viagem ao passado, tento quanto ao futuro que implicitamente já existe por possibilidade, pois está baseado numa constante matemática de realidade POSSÍVEL, portanto já existe também em alguma região do espaço futura – na verdade não só estamos vivendo uma realidade virtual como também uma GRAVAÇÃO, que ao final terminará e recomeçará do início novamente.
    Podemos entrar e sair dessa gravação através das portas dimensionais proporcionadas pelas partículas vibrantes dos átomos – ou seja, findando aqui, entramos numa dimensão quarta que gera caminho para todas as outras e universos paralelos e realidades paralelas.
    Por exemplo, no sonho temos contato temporário com essas outras dimensões – vê como nos sonhos os sentidos são outros e a leitura da “realidade” é outra.
    As vezes você, sonhando pode prever as coisas. Já se perguntou por quê disso?
    Levitação – pode ser que alguém consiga.
    Mas não é regra.

    Mas baseado em princípios semelhantes, há algumas pessoas que atraem metais para o corpo.
    Levitação seria o contrário disso.

  7. [quote comment=””]assi helani

    Man i love reading your blog, interesting posts ![/quote]

    Muito interessante isso, parece muito com um resumão do filme ” Quen somos nós” ou argumentos validos para o livro “O segredo”, me interesso muito por esse tipo de coisas, é muito pra se pensar pra onde vão nossos pensamento e o quanto a gente sabe o que é realidade, parece que cada vez mais o caso “Matrix” acaba parecendo real….

  8. Gostaria de saber muito sobre levitação, não os truques, más tudo que possa ser realidade.
    Desde criança tenho sonhos onde me encontro levitando, antes eram raros, mas hoje se tornaram mais frequentes, dai me despertou a curiosidade de saber se tudo isto é apenas mito ou se pode ser real?
    Se alguem tiver uma explicação para este fenômeno, por favor me escreva…
    Desde já agradeço.

    Lidiney Matos

  9. E POSSIVEL MORRER E AORDAR EM ALGUN MOMENTO NO PASSADO ALGUN MOMENTO MUITO DESEJADO, MAIS POR UMA SERTA LEI ESQURSE TUDO?.COMIGO ACONTECEU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *