A Estranha Macau: A Las Vegas do Oriente e os Cafés-Miau

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Certamente você se lembrará deste lugar, que provavelmente ouviu das aulas de História da escola. Pelo menos a minha professora de História batia na mesma tecla sobre as tais “especiarias”, tão valiosas ao final da Idade Moderna.
A História do Brasil está diretamente ligada ao tema desse post. Macau foi um tipo de Brasil por 400 anos – mas ao invés de africanos, indígenas e demais povos europeus, a miscigenação ocorreu com os chineses. Em outras palavras, Macau foi, durante séculos, um entroncamento português no meio da Ásia. Com 17.800 habitantes por Km2, Macau é a cidade com maior densidade populacional do mundo.

mapa_macau

macau

Eles chamavam de “posto avançado”. Na pratica, Macau era um porto para que os portugueses tivessem acesso mais fácil às tais especiarias, tão desejadas na idade média que eram dadas até como dotes de casamento, e que hoje você encontra por centavos no mercado.

Como de costume, a colonização portuguesa não poderia deixar de contar com a construção de inúmeras igrejas, como a de São Agostinho, retratada na foto abaixo.

igreja

Pode não parecer (obviamente devido às restaurações), mas essa igreja foi construída no final do século XVI. Como você poderia prever, Macau tem uma população cristã considerável para um país asiático (embora a maioria seja budista). Além da foto da igreja de São Agostinho, veja também a Igreja de São Paulo (ou melhor, as ruínas dela, em sua fachada da frente)

igreja2

No século XX a posição de Macau como colônia portuguesa permaneceu imune ao fim do neocolonialismo e ao movimento de independência das colônias africanas e asiáticas. Isso tem um motivo bem claro: Portugal permaneceu neutro na Segunda Guerra Mundial. Com efeito, as potencias em guerra – sobretudo o Japão respeitaram tal neutralidade e não exerceram sua influência sobre o território (por mais que, no caso do Japão, todos os arredores chineses tenham sido dominados). É justamente nessa época que ocorre um êxodo de chineses refugiados à cidade – aumentando, assim, a influência da cultura chinesa na cidade-estado.

É nítida a influência da arquitetura portuguesa na área do Taipa Houses-Museu, uma edificação verde e branca que remete à era colonial.

sei la que isso

Após a Revolução dos Cravos, ocorrida na década de 1970, o Império Neocolonial Português começou a ruir – com a proclamação de independência de vários Estados, como Moçambique, Angola e outros. A questão de Macau acabou por ser gradativamente solucionada – até que em 1999 a colônia foi “anexada” pela República Popular da China (mas sob um regime governamental especial, semelhante a Hong Kong). Tudo isso faz de Macau uma cidade única, com influência portuguesa, chinesa e, no novo milênio, do ocidente como um todo por ter se tornado um destino turístico. A moeda macaense chama-se pataca e é indexada ao dólar de Hong Kong.

cassino

As principais atividades econômicas de Macau estão o turismo e o jogo. Macau é uma das cidades com maior concentração de cassinos do mundo. É chamada de a Las Vegas do Oriente.A verdade é que Macau atrai quase tantos turistas quanto Las Vegas. Enquanto esta última é visitada por cerca de 3,3 milhões de turistas por ano, Macau é visitada por 3,1 milhões.

Hoje, é o turismo que movimenta a economia de Macau. Mais precisamente, o Turismo a là Las Vegas. Não é segredo que essa é uma indústria milionária: sites que promovem o poker online, por exemplo, movimentam milhares de dólares por dia. E como os chineses são apaixonados por cassinos, não é de se espantar que o foco da economia seja esse; A foto acima é do principal cassino de Macau. É uma construção imponente, que mistura elementos da arquitetura contemporânea com a neoclássica.

Olha só incrível: a aposta mínima na sala VIP do The Macau Casino é de 1,6 milhões de dólares. É muito dinheiro!

gatoE esse gato, o que significa? A foto é no mínimo intrigante – e foi também tirada em Macau.

Bom, na cidade-estado existem cafeterias – como o Starbucks que você encontra nas ruas das grandes cidades daqui do ocidente – cujo foco (e até mesmo devoção) são… Gatos.

Chamadas carinhosamente de “Cafés-Miau”, tais cafeterias são uma mistura de lojas de animais e cafés. Vários gatos são disponibilizados para adoção para os clientes ali – mais de 700 já foram resgatados segundo a National Geographic – e existem também diversos itens à venda, como camisetas, xícaras e etc.

O mais bacana é que os gatos não ficam presos em gaiolas: muitos ficam em camas espalhadas pelo recinto ou simplesmente andando pelo lugar. Legal né? Para quem gosta de gatos com certeza é um paraíso.

Macau pode parecer uma cidade completamente gump a princípio – e é. Afinal de contas, Hong Kong acabou por ser mais um porto do que uma colônia inglesa.

O lugar abandonou essa posição de entroncamento comercial há mais tempo. Com a “invasão” de refugiados na Segunda Guerra, acabou por se tornar bem mais chinesa do que a “parceira” Hong Kong, de modo que o que se observa hoje em Macau é uma “China Ocidentalizada”.

Não pense que você vai chegar lá e encontrar todo mundo falando português – apenas 3% da população, aproximadamente, dominam o idioma de Cabral. Contudo, é certo afirmar que embora não dominem o idioma ocidental, toda a população da cidade foi bem influenciada pela cultura do outro lado do Meridiano de Greenwich. O resultado é esse: uma cidade cosmopolita e que não poderia ter outro foco econômico que não o turismo (haja vista seu pequeno território que não permite outras atividades).
Como dito localmente, Macau é algo diferente: primeiro estranha-se e depois entranha-se. É exatamente isso que acontece quando vemos que existem pontos em comum entre ambas as culturas: sejam elas a ocidental, no topo da placa acima, ou nos caracteres chineses que fazem vezes de alfabeto para o resto da China Continental.

china

Como eu disse, uma das línguas mais faladas de Macau é o nosso português. Outra língua bastante falada é o patuá macaense, uma mistura de cantonês com português, malaio…

Haja presente: Devido a mistura de tradições religiosas, os macaenses comemoram tanto o Ano Novo Chinês quanto o Natal, tanto o Dia de Buda quanto a Páscoa.

Um dos pontos turísticos mais visitados da cidade é a Doca dos Pescadores, o primeiro parque temático da região. Situado em uma área de 111.000 m², o parque inclui cassinos, lojas, restaurantes, hotéis, espaços para convenções e exposições. Os edifícios são um testemunho das culturas européia, africana e chinesa. Um vulcão que lança fogo foi construído para tornar o local ainda mais exótico aos visitantes.
fonte

 

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

13 respostas

  1. “Como de costume, a colonização portuguesa não poderia deixar de contar com a violência da ocupação e da ‘mão de ferro’ como era exercido a governança dos territórios de domino português”. É meu amigo, o Brasil tem tamanho continental, a maioria absoluta fala português, graças ao estilo duro de administração do império português! Soda mesmo é ouvir gente exaltando alguma coisa daquele monte de cascalho e barranco que é o país chamado Portugal! Desculpe mas tive que expor a beleza que era a colonização portuguesa!

    1. Mas naquele tempo tb era foda, ou vc matava ou vc morria. Tanto que pelo menos no Brasil, a colonia aqui passou por varias invasões, Francesa, Holandesa… O bicho pegava nos séculos XV e XVI…

    2. Carissimo Filisbino Mattos.
      Desculpe mas tive de expor a imbecilidade da sua enorme estupidez!!!!

      O que voce escreveu vindo de um povo que se não fossem os Portugueses ainda andavam a comer milho e a ter medo do Saci, é no minimo interessante.
      Mas deixando as histórias antigas, e olhando para o presente, podemos falar da invasão de maltrapilhos, ladrões, mal formados, trapaceiros que veio para Portugal, (por certo estará dentro de uma destas categorias,,ou possivelmente todas), tentar matar a fome, tentarem lavar-se da poeira, da imundice onde vivem. Ao contrário de muitos povos de Africa, Medio Oriente, América, ou inclusivamente Asia que vêm para a Europa para tentar fazer uma vida nova, arranjar melhores condições de vida, tentando integra-se o mais possivel na vida, nos costumes de cada país que os recebe sempre de braços abertos, voces brasileiros vêm tentar roubar, estorquir, enganar porque se julgam melhor que os outros. Aqui em PORTUGAL se alguem quiser ter uma casa destruida, é aluga-la a brasileiros… acaba destruida e com rendas por pagar de certeza absoluta. Empresas que disponibilizam serviços pós pagos tipo televisão por cabo, telefone, gaz, agua, luz, já não fazem contratos com esses “seres maravilhosos” que são os brasileiros… todos ficam com pagamentos por fazer. Estão durante alguns meses, deixam de pagar e fogem… aparecem depois noutro sitio com um outro nome e deixam mais um calote! E não me digam que isto não representa o povo brasileiro… que apenas os maus vêm para cá…. o problema é que nem um bom para a amostra chega cá!!!!
      Até alguns anos cá em Portugal todos tinhamos os Ciganos como o pior povo que existia por aqui. Agora até os pobres dos Ciganos têm medo, fogem de ter contatos com o brasileiros, pois por certo acabará mal.
      Mas eu pelo menos reconheço que nós Portugueses somos os principais culpados: não lhes soubemos dar a devida educação enquanto fomos os vossos colonizadores: deveriamos ter estado mais tempo, ter sido mais duros, termos dado chicote e trabalhos forçados em maior numero. Possivelmente assim essa corja portaria-se melhor e teriam maneiras.

      Já agora outro pequeno aparte: no meio dessa matrapilhada toda, ainda há poucos que têm dinheiro (apesar da mal formação ser igual). Qual o destino mais desejado e sonhado por esses? -Portugal. Venham cá gastar o vosso dinheirinho, e depois vão embora rapidamente… assim nós gostamos!

      1. Sua crítica começou bem (apesar da ideia inocente de supor que se não fossem os portugueses os brasileiros ainda seriam primitivos. Se não fossem os portugueses, poderíamos falar francês ou holandês) mas seu comentário desandou mesmo do meio para o final. Não posso crer que uma pessoa inteligente tenha este nivel de preconceito com outro povo e esta mentalidade limitada que conduz a uma generalização desse tamanho, que não está nem um pouco distante dos discursos eugenistas que caracterizaram a escalada nazista contra os judeus dos guetos europeus na década de 30, 40 e 50.
        Eu estou certo que se você refletir um pouco e reler o que escreveu, perceberá que carregou excessivamente nas tintas. Não no que diz respeito a brasileiros safados fazendo besteiras no exterior. Isso é, lamentavelmente comum mesmo. Meus pais vivem no exterior, e felizmente tem condições para morar no país que quiserem aí na EEUU. Atualmente estão na Alemanha, mas quando moravam na Espanha, minha mãe conta que era vista com surpresa e até um pouco de descrédito quando dizia que era brasileira. Certa vez ela ouviu: “Brasileiros? Mas vocês são tão educados…”
        Note que coisa horrível este “elogio”. A má educação de berço do brasileiro e a deformação moral que contamina este país nos mais variados níveis tornou-se um sinônimo, um estereótipo. Quem paga a conta são as pessoas educadas, que à trabalho, à lazer ou mesmo em um processo de emigração são vistos e recebidos com reservas e preconceito puro, em função das atitudes de outros.
        Em uma recente viagem na Argentina, vi brasileiros se comportando como verdadeiros animais no país dos outros. Senti uma profunda e desgraçada vergonha por eles.
        Agora, se pararmos para pensar, o numero de pessoas íntegras e honestas no Brasil é surpreendentemente grande.
        Parece um contra-senso dizer isso, mas é verdade e eu explico:
        O mal feito, o golpe, o 171, a “malandragem” chama mais atenção do que a honestidade. O volume de gente honesta é muito maior que os safados, mas a honestidade não dá manchete. Um canal de Tv fez um teste em varias cidades do Brasil, colocando uma daquelas barracas de venda de produtos tipo “pegue e pague”, que são comuns na Nova Zelândia, Suécia e etc. As barracas foram colocadas em cantões e praças, sem ninguém tomando conta. câmeras escondidas filmavam a ação.
        Quantos brasileiros pegaram o produto e fugiram sem pagar?
        Suspeito que você apostaria em “todos”, quando a resposta certa foi: NENHUM!
        Curiosamente, 100% das pessoas pegaram o produto, colocaram o dinheiro na caixa, recolheram o troco e foram embora.
        Agora chega a ser estranho isso num país onde nos habituamos a ver pessoas roubando dinheiro publico que seria usado para tratamento de quimioterapia nos hospitais! Um país onde muitos policiais, não raro, são mais perigosos que os bandidos e estão intimamente associados a estes. Um país onde o lema “ordem e progresso” tem um amargo dissabor de piada.

        1. Boa noite Philipe

          Peço-lhe desculpa a SI, pela generalização que fiz do povo brasileiro, mas sinceramente comentários como o que me fez “virar a tampa” irritam-me solenemente.
          Possivelmente a personagem será desses brasileirinhos que nunca saiu da cidade onde nasceu e que fala do “monte de cascalho e barrancos” como se alguma vez cá estivesse estado. E se esteve, muito possivelmente faz parte daquela franja da sociedade brasileira que falo no meu post anterior.

          Quanto á generalização peço uma vez mais desculpa a todos aqueles que não são como o retrato que fiz anteriormente, e que sabem que no fundo eu tenho razão naquilo que escrevi.
          Quanto ao seu Blog, já lhe disse em ocasiões anteriores, é das minhas leituras diárias, e continuará a ser. Estou á espera de mais episódios hilariante da sua vida… de certeza que o “Gumpismo” não se esgotou de repente…
          Um Abraço, de “cima do monte de cascalho” chamado Setúbal situado no “barranco” Português.

  2. Esse lugar é interessante! Já estive em Macau em 2010 quando morava na China. Eles realmente vivem de cassinos e cassinos. Fora isso, há o turismo histórico em relação ao seus primórdios e os hotéis luxuosos (e como são luxuosos!!!!). Se você não gostar de cassino, você vê a cidade inteira em 2 dias.

    Uma coisa interessante é que eu não vi esses gatos enquanto estava lá. Fui conhecer essa tradição depois que voltei para o Brasil haha! Acho que as emoções com comidas e carros com volante do lado direito tiraram minha atenção…

    Um outro detalhe é que pouquissima gente fala português, mas as placas, nomes de ruas e estabelecimentos normalmente estão escritos em cantonês e português! Depois de muito tempo na China, foi engraçado ver placas em português por ali.

    Ah, sim, quase esquecidi de uma coisa: Pastel de Belém! Lá tem e é muito bom! Pode pedir “Um pastel de belém e um café com leite” que eles entenderão!

    Parabéns pelo tema e pelo belo texto, Philipe!

  3. Prezado “FILISBINO (TE) MATTOS’, talvez, posso estar enganado mas o nosso infeliz comportamento podemos ter herdado dos nossos honoráveis colonizadores, que nada mais eram do que uma “corja” de bandidos, prostitutas e desocupados oportunistas e que foram desterrado para cá com o intuíto de fazer salvaguarda a nova terra, temerosos que estavam de serem passados para trás, como quase chegaram a ser por várias vezes, eles que por sua vez não eram nada daquilo que apregoavam ser, não passando de um bando de “bem vestidos fedorentos’ se julgando “reis e fidalgos”, mas que no fundo eram todos remediados e nobres de terceira categoria, “favelados da nobresa”, sem educação, sem cultura, sem “finesse’, a escória da aristocracia lusitana?

    1. Bem eu como Portugues digo o mesmo. Os nobres fugiram todos de Portugal até 1910 (Queda da Monarquia)e a maior massa de nobres foi quando Napoleão atacou Portugal 3º vezes.Pois os franceses matavam nobres e roubavam por onde passavam.
      Os portugueses fizeram o mesmo que os Americanos pois queriam obter terras e terras para ocupar cargos assim como; açucar,cafe,tabaco etc.

  4. Eu morei na China durante uns meses e estive em Macau e Hong Kong e te digo que me senti menos na China em Macau que em Hong Kong. Macau é demais! Queria visitar todo mês!

Deixe um comentário para Cristiano Rosa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.