fbpx

bizarro

Barba, cabelo, bigode e um brinde extra

Adoro estes posts em que o nível de bizarrice atinge patamares estratosféricos. Como quase sempre acontece, esse tipo de post tem a...

Escrito por Philipe Kling David · 1 Minutos de leitura >

Adoro estes posts em que o nível de bizarrice atinge patamares estratosféricos. Como quase sempre acontece, esse tipo de post tem a ver com os estranhos hábitos e tradições do oriente. Saca só:



DILÍCIA!

 

Após afiar a navalha, um barbeiro mantém aberto um dos olhos de seu cliente e ENFIA A NAVALHA POR DENTRO DE toda a pálpebra.

Isto pode soar como a cena do filme surrealista “Um cão Andaluz”, mas acredite se puder, é uma ocorrência diária em Chengdu. Trata-se de uma prática tradicional chinesa chamado “barbear o olho”.

O barbeiro de Sichuan Liu Deyuan, 53 anos, é um dos poucos barbeiros ainda conhecidos por exercer a prática nos dias atuais, segundo publicou o Chengdu Business Daily.


Após mergulhar a lâmina em uma vasilha com água (espero que seja limpa), Liu usa uma mão para abrir a pálpebra do cliente, segurando a navalha na outra mão. Ele, então, raspa suavemente a lâmina sobre a superfície interna das pálpebras do olho do cliente.

Liu então enfia uma haste de metal fino com uma suave extremidade em forma de bola por baixo da tampa do olho do cliente e se move ao redor como um limpador de pára-brisas. Todo o processo leva cerca de cinco minutos. Liu cobra cinco yuan para barbear o olho combinado com um corte de cabelo e barba.

“Eu ainda estou um pouco nervoso durante o barbear olho. que não se atrevem a se mover nem um pouco durante o processo”, disse um cliente que encarou o processo várias vezes. Mas ele também disse que a experiência foi bastante confortável, “Meus olhos estão úmidos e minha visão mais clara.”

Liu disse que ele começou a aprender a técnica de barbear o olho quando tinha 17 anos de idade, e levou três anos para se tornar proficientes. Liu disse ao jornal que não havia causado nenhum acidente ao longo de toda sua carreira.

Enquanto os clientes de Liu podem desfrutar do serviço, médicos especialistas alertam que o público deve ser cauteloso. A prática foi amplamente utilizado em hospitais há 60 ou 70 anos para o tratamento de tracoma, disse Qu Chao, vice-diretor do departamento de oftalmologia no Hospital da Província de Sichuan, mas foi descontinuada quando o tracoma tornou-se muito menos difundido e a medicina avançou. Barbear o olho pode raspar as úlceras e cicatrizes sob as pálpebras dos pacientes e estimular os olhos para que eles secretam um líquido para umedecer as órbitas oculares, porém, a prática pode facilmente resultar em danos sérios à retina das pessoas.

A falta de higiene também pode resultar na propagação de infecções e de doenças oculares entre os clientes, alertou o médico.
fonte

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Video bizarro: O que é a criatura atacando uma cabra?

em bizarro, polêmica
  ·   4 Minutos de leitura

O mistério dos caixões que mudavam de lugar

em bizarro, polêmica
  ·   50 segundos de leitura

8 respostas para “Barba, cabelo, bigode e um brinde extra”

  1. Fuck… Deixa meu olho ficar todo barbado, mas sai com essa lamina pra lá rapai!

    Sera que ele deixa cavanhaque?

  2. Que maldade…gente! O cara também é barbeiro e quiçá, cabelelreiro. Vai ver que é só “manchado de tinta de cabelo”!
    Mas me lembrou mesmo o “ARIGÒ”, o “cirurgião da faca-cega”! kkkkkkkkkkk

  3. Não quero pensar nas coisas que ele deve ter feito durante os três anos em que ainda não tinha “proficiência”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.