Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo “da energia do universo”

Você talvez se surpreenda de saber que existem pessoas no mundo que alegam viver de… Luz. Ou de respiração. Na nossa sociedade atual marcada pelo consumo, e edificada em fastfoods, snaks, guloseimas açucaradas e sorvetes que são gordura pura, isso pode soar até como um insulto.

Como assim não comem nada?

Eu também não sei e não entendo, mas a alegação é que de alguma forma, essas pessoas estariam se nutrindo de um tipo de “energia cósmica” que permeia todo o universo.
Esse papo é muito nova era pra sua cabeça?

Desconfiar é preciso! Mas mesmo que as alegações soem estapafúrdias, hoje a evidência científica mostra que o jejum por breves períodos de tempo pode ter efeitos positivos na nossa saúde. Agora sem comer nada por NINE FUCKNG YEARS?

Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo "da energia do universo"

É o que alega esse casal pimpão aí da foto nesse artigo do The Sun. Segundo disseram aos jornais, eles não comem alimentos reais há 9 anos, pois vivem da “energia do universo”.

Akahy Ricardo, de 36 anos, e sua esposa, Camilla Costello, 34, tiveram sua última refeição real em 2008, antes de se tornarem “romeristas” e abraçando um estilo de vida sem comida. Ambos afirmam que os seres humanos podem facilmente viver uma vida saudável sem alimentos, desde que estejam conectados à “energia que existe em todas as coisas e através da respiração”. Além disso, Costello afirma que esse estilo de vida é consideravelmente mais barato, permitindo a ela e seu marido gastar dinheiro em viajar em vez de fazer jantares.

Sinceramente, eu acho esse tipo de artigo EXTREMAMENTE PERIGOSO. Me intriga que um jornal pegue esse assunto para tratar como uma coisa corriqueira, e pior: Sem dar os devidos alertas de que essa ideia pode ser mortal. Acho que antes de dar aba pra esse tipo de alegação espetacular, eles deviam PROVAR suas alegações, ficando em uma caixa lacrada por pelo menos um ano sem comida nenhuma. Se eles fizerem isso, aí sim, os jornais deviam registrar o misterioso fenômeno, porque do contrario, eu também posso falar que atravesso paredes quando quero e mesmo que eu não atravesse na frente de ninguém, as pessoas que acreditarem que atravessar paredes é viável poderiam se ferir tentando ser como eu supostamente as iludi que sou.

Há, de fato, pessoas no mundo que fazem coisas intrigantes e extraordinárias que desafiam a ciência. Geralmente quem faz isso, realiza a façanha aos olhos de qualquer um, como o antológico tiozinho do frango frito.

Em onze anos de blog nunca consegui entender aquilo. Do mesmo jeito dele, há muita coisa que eu já vi fuçando diariamente em coisa curiosa que eu não sei explicar. Mas é inegável que uma das predisposições mais antigas da humanidade é para enganar a si mesma. Então, como ao lado da prostituição, o 171 é um dos trabalhos mais antigos na face da Terra, a gente tem sempre que DESCONFIAR. SEMPRE. Desconfiar é fundamental.  E o que eles alegam é no minimo estranho. Veja só:

“Por três anos, Akahi e eu não comemos nada e agora só comemos de vez em quando, se estivermos em uma situação social ou se eu simplesmente quiser provar uma fruta”, diz Camilla Costello .

Só aqui ela já se contradisse. Se ela come uma fruta quando quer provar, então já não são “nove anos de jejum”. Mas beleza, vamos dar a licença poética e vamos em frente:

“Desde que entrei para o Breatharianism, me sinto muito mais saudável e feliz do que jamais estive. Quando eu era mais jovem, meu peso variava, mas agora depois de ter dois filhos, meu corpo voltou a sua forma natural imediatamente. Nunca mais sofro de sintomas de TPM e me sinto mais emocionalmente estável “.

O casal se conheceu em 2005, e casaram três anos depois. Eles descobriram o respiratorianismo através de um amigo. Assim, foi uma mudança gradual para não comer nada. Em vez disso, adotando o vegetarianismo, depois o veganismo, comendo apenas frutas e, eventualmente, assumindo o “Processo Respiratoriano de 21 dias”. Isso consiste em sete dias de não comer nada, sete dias de beber um pouco de água e suco diluído e, finalmente, sete dias de água e suco cada vez mais diluído.

“O Processo Breathariano de 21 dias é poderoso e leva a perceber o potencial infinito que se encontra dentro de nós”, diz Akahi Ricardo . “Isso nos levou a explorar a respiração e sua presença dentro de nossas vidas, mostrando-nos que poderíamos estar sem comida enquanto respirarmos. Eu costumava comer muito – mas não senti fome desde que iniciei esse processo em 2008. “

O casal não comeu mais nenhum alimento sólido nos próximos três anos, o que incluiu a gravidez de Camila. Ela diz que estava aberta a comer alimentos normais quando engravidou, mas nunca sentiu fome, então ela passou por uma gestação inteira SEM COMER NADA. 

“Eu não senti a necessidade ou desejo de comer alimentos sólidos durante os nove meses inteiros e então eu só comi cinco vezes, tudo em situações sociais”, disse a esportista, de 34 anos. “E eu sabia que meu filho seria alimentado o suficiente pelo meu amor e isso lhe permitiria crescer saudável no meu ventre. Fui para exames de gravidez regulares e meu médico confirmou o crescimento acima da média de um bebê muito saudável “.

Hoje em dia, Akahi e Camilla dizem comer de vez em quando, talvez três ou quatro vezes por semana, mas nunca porque sentem fome. Para eles, trata-se apenas de experimentar certos gostos.

“Akahi e eu comemos muito esporadicamente – talvez três ou quatro vezes por semana no máximo. Eu posso ter alguns legumes, um suco ou dar uma mordida numa maçã com meus filhos. Às vezes, também temos um copo de água “, disse Costello. “Sempre que comemos agora, não é porque estamos com fome – eu já não me lembro dessa sensação”.

“Nossos filhos estão conscientes do respiratorianismo e da energia que existe no universo e em si mesmos, mas nunca tentaríamos mudá-los e nós os deixamos comer o que quiserem, seja sucos, vegetais, pizza ou sorvete. Queremos que eles explorem os diferentes gostos e tenham um relacionamento saudável com a comida à medida que crescem”.

“Seria injusto impor o respiratorianismo aos nossos filhos agora, mas talvez, à medida que cresçam, eles irão aprofundar as práticas”.

É importante notar que tanto Akahi Ricardo quanto Camila Costello vendem cursos de vídeo sobre respiratorianismo em seus sites, de modo que se poderia argumentar que suas reivindicações sobre os benefícios da prática e suas experiências nos últimos nove anos talvez não sejam inteiramente verdadeiras. De acordo com o popular site de desconfiança Snopes.com , apesar das reivindicações de um estilo de vida sem alimentos e de três anos sem comer nada, o casal não ofereceu nenhuma prova disso. Não há como verificar se o que eles estão dizendo é verdade, então você pode querer evitar uma dieta de energia aérea e universal.

Ao longo do perfil (que foi republicado na web sem verificação de fato adicional), o casal reivindicou alternadamente comer ocasionalmente e se descrever como” livre de comida “, afirma Snopes. “Se o casal alegou comer muito pouco ou nada, nenhuma verificação aparente de suas reivindicações foi feita antes de pressionar a sugestão perigosa que alguém poderia viver sem comida ou água para grandes públicos”.

De fato,  paradas cardiorrespiratórias foram relatadas várias vezes nos últimos anos, nos casos em que os praticantes tentaram sobreviver sem nenhum alimento ou água. O amplo consenso sobre quanto tempo uma pessoa pode viver sem água varia entre 7 a 10 dias, mas depende de muitos fatores. Por exemplo, se você estiver em um deserto, a desidratação pode matá-lo em questão de horas. Então, para reivindicar você sobreviveu por três anos sem qualquer comida ou água é um pouco… Gump demais.

No fim das contas, o que temos aqui: Duas pessoas que VENDEM um curso dessa porra alegando para os trouxas os demais, que eles vivem sem comida. Mas cadê a prova cabal? Curiosamente, não se trata do primeiro caso de gente alegando viver sem comer. A história religiosa tem alguns casos emblemáticos de jejuns prolongados.Segundo a história do próprio Buda, Siddharta Gautama ficou meditando profundamente dias e noites, por nada menos que 6 anos e vivenciou o nirvana, algo que um ocidental dificilmente poderia entender sem muito estudo. Buda atingiu e permaneceu no nirvana  por 49 dias! Diz na Bíblia, que Jesus ficou 40 dias no deserto, jejuando e meditando.

Mas veja,  lá também diz que ele andou sobre a água, fez peixe e pão aparecer, transmutou água em vinho, acordou defuntos já em decomposição e fez cegos enxergarem novamente apenas esfregando lama nos olhos deles. Isso sem falar em ressuscitar e aparecer inteirinho depois de morto. Então pra quem faz isso tudo, ficar no deserto em jejum é molezinha. Mas ninguém aqui é Jesus e tirando a religião dessa história, sobra apenas o que? Pessoas que estão alegando que conseguem reposicionar sua energia de um outro modo que não através da obtenção atômica exógena, que é o fato de comermos coisas que levam pra dentro de nós a energia que necessitaremos para realizar nossas funções vitais.

Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo "da energia do universo"

Oberom e a transição para uma vida sem precisar comer

Há um documentário do Canal Brasil que fala de um tal Oberom, que defende a MESMA ideia de que é possíve viver de luz. Segundo ele, está há algum tempo vivendo sem comer também.

Oberom é um dos facilitadores do Processo dos 21 Dias aqui no Brasil, o processo que faz com que a pessoa se torne apta a viver da energia cósmica, no lugar da ingestão de alimentos. Em outras palavras, ensina o seu corpo a viver de luz.

No documentário “A Transição“, dirigido por Juliano Grafite, é contada a história de cinco pessoas que passaram por um retiro espiritual chamado “O Processo dos 21 Dias“. Intenso e polêmico, o processo consiste em retirar alimentos sólidos da alimentação, diminuir a ingestão de água e reconectar-se consigo mesmo. Evelyn Levy Torrence, especialista no “viver de luz” e que está sem comer há anos, deixa claro: “esse processo não é e nem pode ser considerado como uma nova dieta de emagrecimento“. O propósito é muito maior. Os relatos dos participantes contam como funciona o processo e o que eles sentiram durante o retiro.

O tema é bastante polêmico, e o tal processo também. Explicando de uma forma bem simples, o método é dividido em 3 etapas de 7 dias cada. Na primeira, a pessoa para de ingerir qualquer tipo de alimento ou líquido (nem água pode!), na segunda, a água e alguns sucos mais diluídos passam a ser permitidos, e na terceira, a pessoa já pode tomar sucos de frutas mais concentrados sempre que quiser.

Ao final dessa maratona, o que se diz é que nosso corpo estará apto a se alimentar dos elementos cósmicos (luz, água e ar), e passa a enxergar a comida apenas como um prazer bucal. O sujeito que atravessar este processo, vai poder comer quando e SE quiser, mas não será do alimento que o seu corpo irá viver.

Realmente eu não sei explicar, mas aí que está: O fato de eu não saber explicar torna isso uma fraude? Minha opinião é que não. Mas daí tb não acho que seja algo “para todo mundo”.

No final tudo isso está diretamente ligado ao que cientificamente se conhece por “Inédia”.

O que é Inédia?

Inédia é a suposta possibilidade de sobreviver sem alimentos – nós aprendemos a, assim como as árvores, fazer fotossínteseRespiratorianismo é um conceito relacionado, que afirma que comida e até mesmo água não são necessários e é possível viver somente de prana (a força vital do Hinduísmo), ou, de acordo com alguns, se alimentando de luz solar. Nos últimos anos, o movimento foi popularizado pela australiana Ellen Greve, mais conhecida como Jasmuheen.

O consenso científico atual sobre nutrição e o bom senso normalmente aceito indicam que uma pessoa exposta a esse tipo de dieta, a longo prazo, acabaria morrendo de inanição ou desidratação.

Alguns respiratorianos se submeteram, durante muitos dias consecutivos, a testes médicos rigorosos em hospitais, incluindo muitos exames para verificar o estado de saúde do examinado, e também com câmeras filmando-os todos os dias, durante as 24 horas para garantir que nada fosse ingerido durante todos os dias em que estavam sendo testados e examinados no hospital. Um destes respiratorianos é Prahlad Jani (um indiano que alega não comer e não beber nada há 67 anos). Prahlad Jani foi submetido a testes em 2003 e em 2010, mas os resultados obtidos foram considerados confidenciais e não foram publicados em jornais científicos. Outra pessoa que passou pelos mesmos tipos de testes, com supervisão médica, foi Hira Ratan Manek, que é outro indiano, que alega viver sem comer e que se alimenta da luz do Sol. Esta suposta técnica de se alimentar da luz do Sol é chamada de SunGazing.

A prática da inédia não é reconhecida pelos cientistas e recebida com descrença pela população em geral. Céticos afirmam que não há nenhuma evidência formal de que haja a possibilidade de viver sem alimentação. Vegetais, algumas algas, bactérias e arqueobactérias seriam os únicos seres vivos a viver de luz, uma vez que possuem metabolismo capaz de converter energia luminosa em química através da fotossíntese. Observa-se que os vegetais possuem gasto energético mínimo, mesmo assim necessitam certos substratos ricos em nutrientes para seu perfeito desenvolvimento. Os animais precisam de uma quantidade muito maior de energia para se manterem.

Os defensores da inédia afirmam que médicos, cientistas ou hospitais, não se dispõe (por questões óbvias) a fazer testes com pessoas que não se alimentam. A rejeição se deve ao fato de não ser possível privar pessoas a se alimentarem, pois os efeitos são muito bem conhecidos. Supostamente alguns (ou diversos) testes foram realizados com o que os defensores chamam de “respiratorianos”, porém os resultados não foram publicados em nenhuma revista científica.

A acusação mais séria aos divulgadores do respiratorianismo é a de levar pessoas crédulas a praticar uma dieta que pode ter consequências gravíssimas. Em 16 de setembro de 1999, o corpo de Verity Linn foi encontrado junto com o seu diário, onde ela havia escrito toda a sua tentativa de viver apenas do prana. Seu corpo não resistiu à desnutrição e desidratação. Também em seu diário havia citações dos ensinamentos de Jasmuheen. Há outros dois casos de mortes relatados à inédia.

Já os defensores do respiratorianismo afirmam que, em relação aos três casos de morte relacionados ao processo dos 21 dias, as pessoas ignoraram as diretrizes que constam no livro “viver de luz” (Jasmuheen). Segundo os defensores da inédia, é recomendado às pessoa ficarem em casa, descansando e economizando energia durante todo o processo dos 21 dias. Os defensores da inédia afirmam ainda que existe a recomendação de que a pessoa “ouça o seu corpo”. As mortes são então justificadas (pelos defensores da inédia) como sendo ocorridas por falta de preparação suficientemente da pessoa que se priva de alimentos. Outros cuidados, como a supervisão por terceiros, também é recomendada pela comunidade de respiratorianos. As mortes, novamente segundo os defensores da inédia, se devem ao desrespeito às diretrizes da vivência de luz.

 

O “Novo Buda”

Teria a mente humana a capacidade de desligar o corpo de suas necessidades fisiológicas?

Seria isso possível? Há vários séculos, faquires e iogues indianos alegam terem capacidade de se alimentar de luz e até mesmo de “pequenas pedrinhas”.   Isso sem estender muito a “se alimentar da força da Terra”, receber energia do prana, do éter e etc.

Pois um documentário do Discovery falava sobre um jovem que inspirado pelos ensinamentos budistas optou por realizar a façanha da meditação profunda… Por quase um ano! Isso inclui ficar em silêncio e sem pensar por todo este tempo, na mesma posição, chova ou faça sol, sem comer nem beber, nem ir ao banheiro.

Ele morreria! – Alegam os médicos ocidentais, certos de que o que estudaram é a única verdade que existe. Em sua arrogância científica, muitas vezes acreditamos que certas verdades serve para todo ser humano na face da Terra. E quando surge o tio do frango frito que mete a mão no óleo fervente e não se queima, ninguém dá um pio. Apenas fingem que não existe.

Obviamente que o Discovery Channel está mais interessado no show do que na ciência da parada, mas ocorre que temos um problema aqui. O Discovery Channel colocou uma câmera filmando o garoto lá. (o Discovery chegou para filmar a situação quando o moleque já estava há DEZ MESES lá.)

Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo "da energia do universo"

Ram Bomjam já havia virado uma celebridade e uma verdadeira indústria do culto ao “Deus vivo” era capitaneado pelo irmão mais velho dele, e uma multidão de romeiros, bandeiras, e etc havia crescido ao redor da área onde ele estava. Graças ao fato de que o menino estava todo este tempo em total estado de transe profundo, as pessoas do Nepal começaram a pensar que ele poderia ser de fato uma reencarnação do Buda. E aí já viu, né? A multidão que surgia a cada dia para ver “o novo Buda” só cresceu.

Multidões resolveram acompanhar o jovem Ram Bomjan.

Então o Discovery Channel chegou lá com a impáfia tradicional de quem deseja desmascarar mais um daqueles mitos primitivos, fazendo pessoas passarem por otárias e etc.

Porém os próprios produtores do programa começaram a desconfiar que havia algo ali realmente estrambúlico. A câmera foi colocada num tripé apontada para Ram e filmou incessantemente, dia e noite, registrando que o menino não se moveu um minuto sequer e nem foi alimentado. Ele ficou na mesma posição, sem se mexer dali e nem comer por todo o tempo em que a produção do programa teve autorização da família para permanecer da área. Neste tempo, qualquer pessoa normal teria morrido na frente das câmeras.

Nenhum cientista ou médico que acompanhou o fato conseguiu uma explicação lógica para o garoto ficar tanto tempo sem comer ou beber. Ainda mais numa temperatura de 4 graus durante a noite. Só o tempo registrado em vídeo ultrapassou os 10 dias. Durante a noite, algumas pessoas gritaram que um flash de luz azul saiu da cabeça do jovem. O programa não conseguiu registrar o fato, pois até então a câmera ainda não estava filmando Ram.

Como o cara ficou tanto tempo sem comer nem beber e não bateu a caçoleta? A história se refere a santos e mártires que passaram grandes períodos em jejum. Existe uma santa na índia chamada Giri Bala,  que teria ficado mais de 50 anos sem ingerir nenhum alimento.

A Medicina ocidental é clara ao afirmar que é impossível para um ser humano passar mais de 4 dias sem ingerir líquido sem graves prejuízos para o organismo.

O Discovery Channel mostrou então o que pra mim foi a coisa mais impressionante de todo o documentário do “jovem buda”. Um iogue chamado Prahlad Jani, que afirma categoricamente que parou de se alimentar e beber aos 13 anos de idade. Detalhe, o cara tem quase 80 anos!

Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo "da energia do universo"

Esse matou a cobra e mostrou o pau!

O iogue indiano aceitou tranquilamente ser submetido a uma investigação profunda. Foi levado para um instituto de pesquisas médicas onde foi preso num quarto pequeno, com uma câmera que o filmava 24 horas por dia. O quarto era observado permanentemente por grupos de investigadores médicos, que a cada três horas recolhiam amostras do sangue do sujeito.

A pesquisa durou cerca de 10 dias, onde ele EM MOMENTO NENHUM bebeu água nem comeu nada, nem evacuou.

O cara ficava lá, sentado, olhando pras paredes, andando pela sala, orando e meditando. Só. De tempos em tempos, ele tomava banho (lá mesmo, com a ajuda de uma bacia).

Ele não sabia, mas a água do banho era pesada antes e depois da higiene, para que os pesquisadores se certificassem empiricamente que o velhinho não tivesse bebido a água do banho.

100ml de água eram oferecidos ao sujeito para que ele lavasse a boca. Até esses 100ml eram novamente contabilizados em medidos após o procedimento.

O mais estranho aqui é que não estamos lidando com uma pessoa que entra num estado alterado de consciência e desliga suas funções vitais, como – em tese – seria possível num grau avançado de meditação.

O sujeito de 76 anos de idade nunca esteve “fora do ar”. Ao contrário, ele falava animadamente e demonstrava vigor físico, tanto em aparência quanto nos exames sanguíneos, que apontavam índices normais em tudo. Mas como isso é possível se o cara estava sem comer há tanto tempo que nem se lembrava mais como fazia pra comer?

Mistério. O estudo foi realizado sob rígidas normas de investigação, cujo objetivo era desmascará-lo como impostor. E isso eles não conseguiram mostrar, conforme nos diz este artigo da BBC. Na verdade, o resultado foi totalmente inconclusivo, pois nenhum medico conseguiu construir alguma hipótese para justificar como o sujeito estava se nutrindo.

Quando perguntado, Prahlad Jani sorriu e disse que era muito simples: Ele olhava para a luz.

Sério, não tô zoando. A explicação do cara é mais ou menos como “eu faço fotossíntese!”

Segundo ele, o furo teria surgido por milagre, internamente, entre sua boca e o nariz aos oito anos de idade, quando olhava para o sol.

Isso me deixou ainda mais intrigado, pois uma fenda no palato conduziria diretamente ao interior do nariz, e isso que escorre só poderia ser… catarro!

Mas veja que loucura. Acho uma idéia mais provável que o velho viva de luz do que de catarro. Seja como for, ficou demonstrado no estudo que o sujeito manteve níveis sanguíneos totalmente normais em jejum de água e comida por dez dias. Sem evacuar nem urinar. Isso por si só já desafia totalmente o que sabemos sobre as funções vitais. Como é possível?

Embora isto não prove que passou os últimos 68 anos em total abstinência, Prahlad deixou o hospital como um herói para seu pequeno grupo de seguidores, que o acompanharam até a caverna onde vive em meditação, na periferia de uma cidade próxima.

É um caso bem interessante. Mas a questão é: Seria um dom, um ou poder ou milagre exclusivo desse vovozinho indiano ou essa técnica seria algo viável a todos e que talvez explique o casal do início do post? A resposta para essa pergunta eu não tenho.

Enfim, diante de um mundo complexo e estranho, com fenômenos misteriosos, e repleto de estelionatários safados, desconfie sempre.

AVISO AOS NAVEGANTES:

Não vá dar uma de retardado e parar de comer, ou ficar olhando para o sol querendo viver de luz. O cara ali em cima é um iogue que pratica esse troço que nem sabemos se é truque ou realidade. Não seja estúpido. Fazer jejum sem controle pode desencadear graves problemas físicos e desequilíbrios neuroquímicos no seu cérebro. Eu não me responsabilizo por atitudes idiotas, ok? Mas se for tentar, não esqueça de avisar sua família que se algo sair errado é para te inscrever no Darwin Awards.

fonte, fonte, fonte, fonte , fonte fonte

Related Post

4 comentários em “Vivendo sem comer: Casal alega que está sem comer há 9 anos, vivendo “da energia do universo””

  1. Estou mais tentado a acreditar no Iogue que nesse casal que nunca come nada mas come de vez em quando, kkkkk.

    Philipe, o que você acha daqueles documentários do History Channel, Super Humanos? Tinha muita coisa ali interessante demais, estou tentando até hoje achar os vídeos completos, mas tá bem difícil.

    Os casos mais incríveis (para mim) foram o daquele rapaz que tinha 30% de visão e foi colocado numa sala totalmente escura e ainda com os olhos vendados, e mesmo assim ele conseguia atingir os objetos e ainda os descrevia!

    O outro caso foi o do paranormal israelense Guy Bavli, que alega possuir psicocinese. Em algumas manobras se percebe indícios de fraude, outras são impossíveis de fraudar, como o eletroencefalograma que registrou um pico altíssimo de ondas teta durante uma manifestação de psicocinese, o pico foi monstruoso, totalmente anormal, e ondas teta nessa amplitude no cérebro humano só em convulsões, e o Guy Bavli estava bem desperto e consciente.

    • Cara eu vi tb e me impressionei. Acho que existem pessoas completamente fora da curva da normalidade. Compreender como essas coisas podem acontecer é extremamente intrigante, ainda mais quando são evidências científicas, como as ondas cerebrais que vc descreveu.

  2. Olá muito boa e completa a matéria. Fiz um ‘orçamento” pra passar por essa experiência…SÓ PRA “BOY”…pra bacana mesmo…quase 3.000 reaispra passar o tempo lá na chácara do garoto oberon. ..sem incluir alimentação óbvio rsrs…vou tentar fazer em casa, quando eu tiver uma e, totalmente mercantil achei…não achei caro pois, se hospedar por 21 dias em qq lugar sai quase isso mesmo. Agora digo, passei por muitas experiências espirituais e, deve existir algo, as projeções conscientes foras as mais fantásticas que aprendi com o pova da conscienciologia. Mas mesmo lá, não havia nenhuma opção pra carentes (como o Hélio Couto com sua Ressonância Harmônica dispõe e na qual fui agraciado pelo mesmo)…estou procurando algumas chácaras mais em conta, pois em casa numa cidade não aconselho, tentei sozinho mas sempre rola interferência, talvez seja sim uma experiência maravilhosa, só indo pra saber, mas, é pra quem têm tempo e bufunfa sobrando

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares