Tinta que brilha no escuro – Chegou!

Finalmente chegaram hoje as amostras da tinta que brilha no escuro. Logo que chegou, num envelope pardo, eu fiquei entusiasmado. Abri o envelope e ali dentro estavam dois saquinhos plásticos com um pó branco.

Não brilhava. Me senti o maior babaca de todos os tempos de ter acreditado naquela promessa de produto magico brilhante.

Um papel anexo ensinava a usar o pó na forma de carga (para moldagem) ou pigmento (para tinta).

O estranho é que eu esperava um pó que fosse mais grosso, mas o pó que veio é finíssimo. Tipo açúcar de confeiteiro. Era branco, tanto o verde quanto o azul. Eu fiz um teste e deixei ele por uns 5 minutos na luz da sala e quando apaguei a luz, levei um baita susto. O troço brilha com uma intensidade absurda!

Mas não exatamente como eu esperava. É interessante e tal, mas eu acho que não tem grande diferença disso para uma tinta fosforecente comum, com a diferença que isso aqui brilha mais forte.

Ao meu ver, este é de fato um produto de grande possibilidade de aplicação, mas não exatamente o que eu pensei que era, um tipo de luz líquida como luciferina e luciferase que ficasse acesa por 12 anos (embora o brilho do verde chegou perto do brilho da luciferina+luciferase).

Eu acho que os tais doze anos de brilho se referem à vida útil do material, e não ao tempo que ele fica brilhando. Uma pena. Talvez se fosse mesmo radioativo isso fosse possível. Interessante apenas perceber que ela esteve brilhando com intensidade suficiente para parecer mesmo com a luz do escritório acesa.

Outra coisa que me pergunto é se acidentalmente não comprei amostras do produto errado lá da MP co. Isso não tá me parecendo as tais litrospheres. Felizmente, descobri o Airton, que é o representante comercial dos produtos da MPK co. aqui no Brasil. Vou conversar com ele sobre esta questão. Eu acho que o material tem uma vasta gama de aplicações possíveis no campo do design, mas não era bem o que eu queria.

Assim que eu tiver novidades, comunico.

Editado: De fato, não é o mesmo material. As tais litrosferas, que era o que eu queria comprar brilham mesmo, como luz líquida por 12 anos sem parar. Veja mais aqui.

Vou tentar obter uma amostra de litrosferas. Não vai ser facil, porque me parece um problema enviar isso de lá pra cá…

Artigos relacionados

99 Comentários

Compartilhe suas ideias