Boas idéias para casemods

Boas idéias para casemods

A arte de criar casemods, é como eu já disse, uma arte em si. A maioria dos artistas que criam casemods (modificações de gabinete tentando deixar os computadores mais legais) costumam também levar em conta os sistemas. Geralmente resultam em obras não apenas estéticas como altamente potentes, com muitos tera, giga e processadores para dar …

Leia maisBoas idéias para casemods

Você visto de perto

Nós costumeiramente temos a tendência de pensar que somos aquela pessoa que aparece refletida no espelho para nós. Mas… Será mesmo? Será que você é realmente como aparece no espelho? Talvez não. Quem sabe as pessoas que vêem você tenham uma outra visão acerca do que você pensa ser você. Eu sei que parece estranho …

Leia maisVocê visto de perto

Videogame mata? 10 mortes ligadas aos videogames

Videogame mata? 10 mortes ligadas aos videogames

Você acha que videogame mata? Eu como fã de videogames, não gosto da idéia de alguém pensando que o mesmo pode matar alguém. Mas de fato, tenho que reconhecer que existem mortes diretamente associadas aos videogames. Vejamos: 1- Morreu por jogar Starcraft Em 2005 um homem sul coreano chamado apenas como “lee” jogou tanto o …

Leia maisVideogame mata? 10 mortes ligadas aos videogames

O tubo antigravitacional

O Gilberto Canabarro me escreveu enviando este link do “tubo antigravitacional”. Ele me perguntou se eu -um cara que mexe com efeitos digitais e que trabalha com o trem que levita – saberia dizer se isso é 3d ou não. Ora Bolas. Assista ao video. Você acha mesmo que soltando umas pecinhas de metal dentro …

Leia maisO tubo antigravitacional

Quer ver um 3d bem feito?

Isso sim é propaganda com computação gráfica. O resto é conversa fiada. Você não vai acreditar… Quer dizer, Vai, mas vai ter horas durante o vídeo que você vai pensar… Ah, não. Não é possível ser tudo 3d. * *Editado: E não era mesmo. Quando fiz este post ainda não havia sido liberado o making …

Leia maisQuer ver um 3d bem feito?

O Banquinho da felicidade

Depois desse caso aí do Edir Macedo,  eu comecei a matutar aqui… Será possível conseguir levantar esta grana toda apenas com a internet? Coisa que me diverte é ficar bolando maneiras de ficar rico, de modo que eu só precise pensar em escrever histórias malucas, cavucar a rede em busca de doideiras e esculpir monstros. …

Leia maisO Banquinho da felicidade

Particípio presente do verbo roubar

Edir Macedo ensina mais uma lição valiosa aos internautas: Quem entende de internet  fica quieto. Quem não entende, paga! Parece estranho? Você não está ligando o título do post ao primeiro parágrafo, não é? Explico. Acabei de ver a notícia ultra-fucking bizarra publicada pelo blog controle remoto. A notícia diz que Edir Macedo teve a …

Leia maisParticípio presente do verbo roubar

O indiano sinistro que está sem comer nem beber há mais de 60 anos

O indiano sinistro que está sem comer nem beber há mais de 60 anos

Eu fui ver Discovery Channel antes de dormir ontem e desde que eu vi o programa sobre um garoto que resolveu dar uma de Buda e jejuar completamente em meditação por seis meses, não tirei aquele troço de cabeça. Até o momento em que vi o documentário, eu tinha a pura convicção-ocidental-cientificista que seria impossível …

Leia maisO indiano sinistro que está sem comer nem beber há mais de 60 anos

Uma fábrica de brinquedos na China

O tão esperado dia das crianças vem chegando e com ele, o sonho de brinquedo de muitos bacuris se aproxima da realidade, ou da decepção, em certos casos.

É inegável que os pais, pelo menos os da classe média, são altamente afetados por este tipo de marketing que gerou o dia dos pais, dia das mães, dia das crianças, e agora quer implantar o “dia da sogra” como uma data presenteável.

Como se já não fosse suficiente a páscoa e seus ovões de chocolate (a mídia e o marketing querem que você pense que quanto maior o ovo, maior seu amor pelo presenteado) o natal e seus milhões de comerciais com velhinhos de óculos sorrindo com panetones ou chester bolinha nos braços, o ano novo e suas roupas brancas com detalhes em prata, e as cores da moda para atrair de tudo, menos desgraça, o carnaval e a cerveja, e seus pacotes de viagem, seus hotéis com traslados, os ingressos, os abadás e as lembrancinhas de lugares longíncuos o início das aulas e os materiais, cadernos, mochilas, livros. As épocas de gastança se espalham pelo ano.

O fato, meus amigos é que somos engrenagens de uma maquina que não se sustenta. Uma bicicleta gigante que está em permanente pedalar para não cair. Somos forçados pela lei do consumo capitalista. Bem, isso não é necessariamente uma constatação tão ruim, uma vez que, sob certos aspectos, até na natureza o consumo é praticado. Pelos menos nós já saímos da fase de consumir uns aos outros.

Aí vem a pergunta fatídica : Será?

Leia maisUma fábrica de brinquedos na China