170 Matte Paintings de babar

170 Matte Paintings de babar

Antigamente, quando o cinema ainda não tinha certos recursos tecnológicos que permitiam expandir os sets, gerando cenas de plano geral espetaculares, a única maneira de se obter um cenário grandioso num orçamento limitado era usando uma pintura. Os primeiros matte paintings eram pinturas que hábeis artistas faziam em vidro, deixando certos buracos que encaixavam com pequenos pedaços de cenário ou ambientes externos reais, onde os atores contracenavam. Geralmente isso resultava em pinturas enormes, com grande realismo. Curiosamente este tipo de efeito especial costuma passar batido em muitos casos e talvez por isso a técnica recebeu o apelido de “a arte invisível”.

Photobucket

A câmera era colocada em foco infinito e capturava a pintura no primeiro plano e também os atores na cena aparecendo pelo buraco na pintura e a imagem que o espectador tinha era de castelos fantásticos e lugares grandiosos.

Photobucket

Hoje em dia, com a tecnologia do cinema extrapolando os limites da imaginação, temos diversas técnicas que visam enganar a mente humana, mas o matte paintig, esta ferramenta tão tradicional não deixou de existir. Ela evoluiu junto e se tornou ainda mais sensacional, aglutinando imagens, fotos e pintura tradicional em placas capazes de nos mostrar imagens nada menos que espetaculares. Hoje a copmputação ajuda a criar matte paintings com movimento, com dezenas e até centenas de camadas entre a pintura e a câmera, e nem preciso falar dos softwares de criação de paisagens digitais.

Photobucket

Neste post eu vou reunir algumas dessas imagens, que venho colecionando ao longo de muito tempo e que considero belíssimas.

Photobucket

Nem preciso avisar que este post tem muitas imagens.

Leia mais170 Matte Paintings de babar

Eles vivem na beira do abismo

Eles vivem na beira do abismo

Existem pessoas que tem medo de altura. Certos lugares do mundo não são, digamos, apropriados para estas pessoas. Isso porque corajosos moradores habitam faixas paralelas a verdadeiros penhascos. Tem que ter uma boa dose de coragem para morar nesses rochedos. Confira:

Monges na beira da montanha

Eles vivem na beira do abismo

Construído há mais de 1400 anos nas montanhas Jinlong, na província de Shanxi, o monastério é único! Não somente por sua complexidade arquitetônica, erguido na beira de um precipício , mas também por sua riqueza de elementos, misturando detalhes taoístas, confucionistas e budistas.
O monastério é composto de diversos pavilhões que se fundem nas formações rochosas naturais e que são interligados por passarelas, corredores e escadas.

Eles vivem na beira do abismo
Favorecido pela altura que lhe protege das inundações, da chuva e da neve pelas escavações nas rochas, e do calor pelas montanhas ao redor, o monastério continua erguido por todo esse tempo. fonte

Parece até matte painting!

Eles vivem na beira do abismo

É inacreditável, mas isso é uma foto. Este monastério fica na beira de um precipício, numa altura de 1000 metros das pontiagudas rochas lá em baixo. O Monastério da foto fica no Butão. Segundo a lenda o segundo Buda, Guru Rinpoche foi quem o construiu em 1692. O monastério budista, admite um limitado número de turistas para períodos de meditação. Pra quem tem sangue frio. Haja meditação!

Não deixe de conferir o resto do post! Tem muita coisa louca aqui!

Leia maisEles vivem na beira do abismo