Por que o ônibus não é de graça?

Compartilhe

Você já parou para se perguntar essa simples questão? Por que o ônibus não é de graça?

Nós estamos habituados a pagar caro pelo transporte, para nos deslocarmos daqui pra lá. De lá pra cá. Para ir e voltar ao trabalho… Mas pare e pense: Existem escolas publicas, a coleta de lixo é publica, você não paga diretamente para o gari varrer sua calçada. Mas você paga para um velho rico disponibilizar um ônibus, muitas vezes sucateado, superlotado e inseguro para te levar – a uma tarifa cara, mais de TREZENTOS PORCENTO acima da inflação.

MARCOS onibus lotado1 Por que o ônibus não é de graça?

O usuário do Facebook Fabio Assunção colocou as contas aí pra nós. Vamos ver:

ônibus Urbano Novo: R$300.000,00 (vida útil 5 anos, idade média da frota de são paulo é de 5,5 anos, ou seja, tem ônibus circulando a mais de 10 anos), custo dia: R$164,29;
Piso Motorista: R$2.000,00 (75% de encargo / 30 dias mês), custo dia: R$116,67;
Piso Cobrador: R$1.200,00 (75% de encargo / 30 dias mês), custo dia: R$70,00;
Diesel: Velocidade média 25km/h (no horário de pico chega a ser 12km/h), consumo 8 l/km, a um preço de R$ 2,50 o litro, custo diário R$100,00;
Manutenções necessárias (10% do preço do ônibus), custo dia: R$16,43.

Vamos somar tudo: um ônibus, dois motoristas e cobradores (isso dará uma jornada semanal de 28h, mas para fins de exemplo vamos pagar o salário de 44h semanais), diesel, manutenção: Custo total de R$654,05 por dia.

Número de passageiros por mês 256,6 milhões, número de ônibus da frota 15.000, passageiros dia por ônibus 570,22.

Fontes de dados – Salariais: Sindicato dos Condutores; Frota e Passageiros: Prefeitura de São Paulo. Velocidade média: http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/352, Consumo médio e preço: revendas, Preço diesel: posto de gasolina aqui do lado.

Se não fiz as contas errado, o custo da operação dos ônibus baseado nestes números é de 9.810.770. Já o valor que eles ganham com o valor da passagem de 3,20 reais é de nada menos que 821.120.000!

OITOCENTOS E VINTE E UM MILHÕÕÕÕES!!!

Descontado o custo, fica o lucro, aquele que é o vulgo “faz-me rir”:

OITOCENTOS E ONZE MILHÕES TREZENTOS E NOVE MIL, DUZENTOS E TRINTA REAIS!!!

Claro que esta conta aí em cima é extremamente imprecisa e deficiente de uma série de elementos, valores e dados. Ninguém sabe -além dos donos dessas empresas e seus contadores – a real margem de lucro, só sabemos que essa margem é muito, muito alta. Por exemplo, pelas contas do cara, o ônibus abastece no posto, coisa que não acontece. As garagens compram combustível direto das distribuidoras e com isso conseguem preços menores que o praticado pelos postos. A compra na quantidade também força os preços para baixo, (é algo como o Carrefour comprando banana) e há muitos custos não computados, como o seguro que é bem alto, a manutenção de limpeza, escritório, pessoal de apoio (como os fiscais, os caras de manutenção interna, etc) A maioria das garagens tem suas oficinas internas, outro elemento que atua baixando os custos para a empresa, mas o desgaste de pneus, por exemplo, é muito grande e cada pneu de ônibus custa uma nota.
Em resumo, cifras astronômicas sabemos que são, mas ao certo qual o tamanho desse iceberg de dinheiro, é muito difícil, senão impossível de dizer, de modo que esses cálculos não servem para muita coisa.

Porém, tal qual num iceberg podemos estimar seu tamanho global pela parte pequena que está acima da água, podemos estimar a lucratividade deste segmento pelos valores que movimentam. Veja esta notícia aqui que diz:

São Paulo licitou novas linhas de ônibus para a cidade. Serão os maiores contratos feitos na história da Prefeitura: as duas consultas públicas (para ônibus e vans) somam R$ 46,3 bilhões, valor maior que todo o orçamento da capital para 2013, de R$ 42 bilhões.

Essa entrevista feita com o Lucio Gregori, ex secretario de transportes de São Paulo nos dá uma dimensão do problema na resposta desta simples questão.

Transporte público: tarifa zero é possível? Lúcio Gregori, ex-secretário de Transportes de São Paulo, fala ao Mobilize Brasil sobre a proposta do transporte público 100% subsidiado

Por Marcos de Sousa

Fonte: Mobilize

thumb lucio gregori tarifa zero e possivel1 Por que o ônibus não é de graça?

“O transporte deveria ser gratuito porque as pessoas saem de casa para trabalhar, estudar, enfim, para movimentar a máquina que gera riqueza e faz com que as cidades possam ser mantidas.” Depois de vários protestos em capitais de todo o país e um dia após as manifestações contra o aumento da tarifa do transporte coletivo em São Paulo, fomos conversar com o engenheiro Lúcio Gregori, que foi secretário de Transportes de São Paulo durante a gestão de Luiza Erundina, nos anos 1990, quando elaborou o projeto “Tarifa Zero” para o transporte público municipal. Leia a seguir a entrevista:

Tarifa Zero é possível?

A ideia do transporte público gratuito é tão possível quanto a da escola pública gratuita, da saúde pública gratuita, da segurança pública, da coleta de lixo e de uma série de serviços que são pagos pelas prefeituras, com nossos impostos. O problema no Brasil é que o transporte público se tornou um negócio tão rentável e poderoso que é quase intocável.

Há exemplos de transporte gratuito em outros países?

Quando elaborei o projeto para São Paulo descobri que apenas nos Estados Unidos existem ao menos 35 cidades, todas elas com mais de 200 mil habitantes, que já adotavam o transporte inteiramente subsidiado antes de 1990.

Em Hasselt, cidade com mais de 400 mil habitantes, na Bélgica, o transporte gratuito foi adotado em 1994 e desde então houve um aumento de 1000% na demanda. Daí a prefeitura de lá deixou de investir em uma série de obras, como anéis rodoviários, túneis e viadutos e alocou esses recursos na expansão do transporte público. Em Talim, na Estônia, o transporte já tinha um subsídio de 70% e recentemente, depois de um plebiscito, a cidade adotou a tarifa zero.

E no Brasil?

Pelo menos três cidades brasileiras – Ivaiporã, no Paraná; Porto Real, no Rio de Janeiro e mais uma cidade de Minas Gerais, que não me ocorre agora – já adotaram a gratuidade do transporte. Em São Paulo, a cidade de Paulínia tinha tarifa zero até 1990.

Qual seria a tarifa justa?

O transporte deveria ser gratuito porque as pessoas saem de casa para trabalhar, estudar, enfim, para movimentar a máquina que gera riqueza e faz com que as cidades possam ser mantidas. O transporte é uma atividade econômica como qualquer outra, que tem seus custos, assim como a educação, a limpeza pública, a segurança. O grande peso, no caso dos ônibus, é o da mão de obra (60%). Além disso, tem que remunerar o capital do empresário. A questão central é “Quem paga por isso?”.

Quem paga?

Em outros países, a maior parte é paga pelo poder público. No Brasil, o subsídio é baixíssimo, cerca de 12%, quando em outros países chega a 70%. Daí que o transporte coletivo é caríssimo frente ao transporte individual e isso explica o uso tão intenso de carros e motos nas cidades brasileiras.

Por que a proposta da tarifa zero não deu certo em São Paulo?

Na época, nós fizemos um estudo sobre os custos e propusemos um aumento nos impostos para subsidiar o transporte. Uma pesquisa realizada pela prefeitura em 1990 mostrou que a maior parte da população havia compreendido a proposta e estava de acordo. O problema é que a Câmara Municipal decidiu não discutir a proposta, apesar da aprovação da sociedade. Nas discussões, notamos que os vereadores das comissões que avaliaram o projeto somente discutiam os itens que eram de interesse das empresas do setor, o que revelou uma influência forte dos empresários de transporte dentro do Legislativo.

O que o senhor acha das manifestações contra o aumento da tarifa?

Elas são a expressão de uma disputa política. E como em toda disputa política, há alguns setores no governo, na imprensa, que vão fazer o jogo dos empresários.

Postado por Daniela Kussama

fonte

 

O fato é que transportar pessoas é extremamente lucrativo. Me lembro de quando li a biografia de Nenê Constantino ( O dono da GOL) ele dizia que no incio da carreira, transportava bananas num caminhão furreca. Um dia, ele estava lá, penando para descarregar toneladas de banana no lombo quando viu parar um ônibus no ponto final, e as pessoas desceram em coisa de um minuto.

E então ele olhou para o monte de bananas e pensou o óbvio: Bananas não descem sozinhas. Transportar pessoas e bananas é algo parecido até o momento em que você tem que tirar a carga. A pessoa sai sozinha e isso representa um lucro oculto GIGANTE no transporte de gente. O cara largou o transporte de carga naquele dia e nunca mais transportou outra coisa que não gente. Em pouco tempo ele inaugurava sua primeira linha de ônibus. Usando “métodos não ortodoxos” ele comprou companhias concorrentes em que os donos faleceram, (se é que vc me entende) e assim expandiu suas linhas e seu patrimônio junto, até comprar uma companhia aérea e dar ao filho para administrar (Nenê está preso atualmente, graças aos seus “métodos não ortoxos” acusado de contratar matadores)

Então, estamos aqui pensando como é possível que países mais pobres que o Brasil tenham um transporte subsidiado em todo ou em parte e nós aqui, num país tão rico que perdoa bilhões de reais em dívidas alheias, que investe em recuperação de aeroportos de Cuba, que posa de fodão por aí entrega o direito de ir e vir de seu povo a empresários que só vem enriquecendo os bolsos cada vez mais ao longo de quase um século.

A alegação vigente é que subsidiar transporte público “custa caro”.

Aos defensores desta -verdadeira- afirmação, eu gostaria de dedicar esta musica:

Ora bolas, é claro que custa caro. Ainda mais se for um transporte eficiente, num veículo novo, com ar condicionado, com pontos bem desenhados e espalhados num roteiro logico pela cidade, com horários rígidos, com limpeza, com segurança. Custa caríssimo!

Mas estádio também custa caro! Ter tantos parlamentares, tantos gabinetes, tantas verbas indesatórias, tantos auxílios-paletó, tantas doações e “ajudas” a outros países, tantos juros a bancos privados, tantas ajudas a empresários falindo, tanta presepada, tanta propaganda de serviços públicos maquiados pagando tabela cheia em canais de Tv, tudo isso custa mesmo muito caro – e existe. Por que só quando é caro e beneficia o povo, que fica inviável?

gastos com a copa Por que o ônibus não é de graça?

Só os gastos com a Copa do mundo (esse circo) ultrapassou o volume de 27 bilhões de reais! Para efeito comparativo, a Apollo 11 custou 355 milhões de dólares em 1969, que corrigidos daria cerca de 3,5 bilhões de reais!
E vão dizer que não dão o busum de graça ao trabalhador porque “è caro”?

Eu te pergunto porque nós subsidiamos a construção de estádios e arenas (elefantes brancos) para times e não podemos subsidiar algo fundamental para a geração de riqueza que é o transporte público no país.

Não que não seja subsidiado. É! Eu estou falando em dar transporte GRATUITO À população!

O subsídio para o transporte público tem levantado discussões governamentais no Brasil, principalmente nas cidades de São Paulo, Curitiba e Porto Alegre. Na capital paulista, a prefeitura alega falta de financiamento para que o município consiga arcar com os gastos provenientes do sistema de transporte. Por isso, existe a tentativa de implantação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), taxa cobrada aos donos de carros para subsidiar o transporte público na cidade.

Já em Curitiba, o corte do subsídio por parte do governo estadual impactou diretamente no preço das tarifas, que sofreram reajuste de 9,6%, devido a gastos com combustível, lubrificantes, pneus e reajuste salarial de motoristas e cobradores. O impacto se deve, ainda, à diminuição do número de passageiros pagantes no último ano, uma característica importante quando se trata do valor do subsídio. A solução encontrada pelo governo paranaense é a proposta de lei que visa zerar a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel do transporte público de Curitiba.

Diferentemente das outras duas capitais, Porto Alegre regula o preço da tarifa do transporte coletivo sem subsídios. Assim, as variações no preço variam de acordo com as decisões políticas da prefeitura, que decide quanto do custo total é repassado ao usuário. Por lá, a discussão atual é sobre a necessidade do subsídio para que se possa qualificar o sistema de transporte sem que isso se torne um grande peso nos custos governamentais.

É uma confusão do caramba essa porra de transporte publico, cada estado funciona dum jeito, e isso abre brechas perigosas para a influência dos barões do transporte. Se for subsidiado tem que ser nacional, pra não ter nhenhenhé.
Todo mundo sabe que o Estado gasta muito. Arrecadamos R$ 49.812,37 por SEGUNDO de imposto! Mas gastamos pessimamente mal.
O Estado brasileiro – aí incluídos a União, os estados e os municípios, além dos poderes Judiciário e Legislativo – perdeu a capacidade de planejar e, consequentemente, de definir prioridades. Em vista disso, investimos mal os recursos que o contribuinte (eu e você) pagamos, ora desviando-os para fins secundários, ora gerenciando-os de forma péssima, irresponsável ou até desonesta. Governo após governo, essa tem sido a sina histórica do país: todos reconhecem as deficiências, todos reclamam da falta de verbas, mas nenhum atribui às suas próprias más gestões os precários serviços que entregam à população.

Somados às obrigações constitucionais os gastos com a folha de servidores e com o custeio da máquina, os orçamentos apresentam pouca ou nula sobra para aplicação em investimentos estruturantes. E essa é uma das razões para que, com gargalos logísticos crescentes e nunca enfrentados, os governos que se sucedem têm mantido o país paralisado em termos de desenvolvimento. Reformas importantes, como a tributária, a política e a trabalhista, são sempre indefinidamente adiadas.

O resultado de tais deficiências se evidencia de forma clara nos nossos “PIBinhos” – índices medíocres de crescimento da riqueza, inferiores até à expansão demográfica, o que se traduz no empobrecimento per capita. Sem falar, claro, que mesmo naqueles setores protegidos por verbas carimbadas pela Constituição, como saúde e educação, seus resultados quantitativos e qualitativos são igualmente sofríveis e altamente comprometedores do nosso futuro.

Poucos países do mundo retiram tanto dinheiro de sua população contribuinte quanto o Brasil; aqui, de tudo quanto se produz, 36% são recolhidos às burras governamentais. O que significa que não é exatamente por falta de recursos que o Brasil capenga – mas por falta de planejamento adequado, de definição de prioridades e de gestão eficiente e honesta. Somos vítimas eternas do populismo, do imediatismo político, da irresponsabilidade e do desperdício com que o dinheiro público é costumeiramente tratado. fonte

Voltando a problemática do valor das passagens de ônibus, os valores praticados no Brasil beiram o surrealismo para um país em desenvolvimento. Não precisamos de muito esforço mental para perceber que as tarifas altas beneficiam duas classes: A política e os empresários. Todo o resto da cadeia “paga o pato” para o lucro desses dois elementos dessa complicada equação. O impacto no bolso da gente, segundo dados do IBGE, é de 5% do orçamento mensal.
Países do mundo famosos por suas tarifas caras, com Nova York e Londres (uma das tarifas mais caras do mundo) impactam no bolso de seus moradores em 2% e 3% respectivamente. Há quem alegue, imbecilmente, que pessoas que andam de carro não deveriam se manifestar, deixando a cargo de brigar pelos seus interesses os reais interessados, as pessoas que andam de ônibus. É um tipo de ideia sem noção onde se fosse aplicada irrestritamente, acabaria com inúmeros conflitos hoje: Só mulheres gravidas poderiam definir a questão do aborto, Só médicos e doentes poderiam brigar pelo aumento e respeito pela classe médica, só alunos e professores teriam direito de exigir uma educação de qualidade.
Transportes e mobilidade urbana, não é um problema que afeta somente passageiros e empresas. É um problema sistêmico que afeta a cidade como um todo e por isso a mobilização deve ser de todos e eu diria até obrigatoriamente, com as “cabeças pensantes”.

Igualmente imbecil, e também preconceituosa é a ideia de que os manifestantes, que se organizam e protestam por aumentos sucessivos e abusivos nas passagens e transporte, são todos um bando de filhinhos de papai, ou intelectuais, estudantes e “inconformadinhos com o sistema”.
Claro, ué! E por que não? As pessoas que frequentam universidades estão expostas a discussões e debates que abrem sua cabeça sobre a manipulação, fica claro o jogo perverso de interesses, os balcões de negociatas instalados nos governos. Quando as pessoas se revoltam, forma-se uma massa crítica, e os primeiros elementos a se mobilizarem são justamente esses estudantes, que tiveram o privilegio de ter acesso a uma educação que lhes deu condições mínimas de ler os jornais, de refletir sobre sua realidade, de se indignar. Muitos tiveram a felicidade de possuir uma estrutura familiar que lhes deu condições de ir ao exterior, conhecer outras realidades. E é em parte isso que produz a revolta. Quando você vê outros países, como o Chile, Colômbia, países europeus diversos, subsidiando tranquilamente um transporte publico, barato, acessível e de qualidade para todos, e você volta e vê um país tão podre de rico como o nosso desperdiçando dinheiro de um lado e escorchando o povo do outro para beneficiar “uma meia duzia de cinco”, qualquer um que não tem uma pedra no peito se revolta.

Também me espanta argumentos como os que dizem que se deixar o Estado gerenciar isso será um caos. Que o Estado não tem competência. A esses pergunto: Quais as 5 melhores Universidades do Brasil? Aposto que as respostas terão 4 senão 5 universidades mantidas pelo Estado. Além disso, se no exterior funciona, por que é que aqui será sucateado?
Por que diabos teremos que pagar por fora, por uma coisa que nossos impostos caríssimos, os mais altos do mundo, já poderiam incluir?

Agora, se você me perguntar a minha opinião sobre o resultado disso, eu serei pessimista. Acho legal as pessoas se juntarem, se conscientizarem de seu impacto numa mudança, de pleitearem melhores condições e uma aplicação mais racional do dinheiro que não sai do governo, sai do bolso do povo. Mas não vejo isso surtindo um efeito imediato ou direto, porque não encontro um viés político associados ao movimento, e sem uma força dentro da política em favor dessas mudanças, nada vai acontecer. Se os atuais calhordas que se instalaram lá não forem removidos, substituídos, não teremos mudanças nem tão cedo. E é importante pensar nisso antes de resolver “não votar em ninguém”, porque quando você não vota em ninguém, você dá menos um voto para combater o cabresto, o curral eleitoral criados por esses pulhas.

Mudar o sistema é possível, mas só com gritos e pichações, flores, plaquinhas, musiquinha e marchas não dará resultado sem haver uma célula atuando internamente na política para que as ações externas produzam mais impacto.

47 comentários em “Por que o ônibus não é de graça?”

  1. Pra que pagar impostos para que o governo contrate as empresas de ônibus quando o governo poderia liberar o mercado e as pessoas poderiam pagar DIRETAMENTE para as empresas de ônibus sem que o dinheiro circule pelo governo, onde tem 99,99% de certeza de ser roubado e desviado no meio do caminho???
    Pra que deixar o governo escolher quem serão os empresários ricos quando essa decisão pode ser feita pelas pessoas baseando-se na qualidade e preço dos serviços ofertados???

    De graça vai sair MAIS CARO, só que as pessoas não vão sentir pois vai pelos IMPOSTOS. E o serviço vai ser uma porcaria. Nos EUA poucas pessoas andam de ônibus, afinal de contas por menos de 500 dólares lá a pessoa pode comprar um carro usado!!! Logo lá a demanda é pequena e o serviço não se torna um lixo facilmente.

    Em Cuba o transporte é gratuito também. Logo apontar países ricos com transporte gratuito não é um bom argumento, já que é possível apontar países bem pobres com transporte gratuito.

    Se as empresas lucram tanto com o preço atual então é só o governo liberar pra qualquer um que com certeza haverão vários empresários interessados em comprar ônibus para transportar pessoas, por preços decrescentes devido à competição.

    Todas as pessoas que vão pro trabalho de carro deveriam também poder transportar passageiros nos seus carros cobrando o preço que quisessem.

    Oligopólios geram resultados ruins.
    Concorrência gera boa qualidade e preços baixos.

    Celulares estão cada vez mais baratos. O mercado de tecnologia não é regulamentado.
    Hospedagem em servidores tem até de graça. Não é regulamentado.

    Basta olhar em volta, quanto mais desregulamentado é um mercado (qualquer um que queira pode entrar com nenhuma ou pouquíssimas restrições legais) melhor é esse mercado.

    Por fim, muito mais importante que transporte é COMIDA.
    Pois sem ela todos MORREM de fome.
    Assim sendo segundo a lógica de que tudo que é importante deve ser deixado 100% na mão do governo deveríamos fazer uma experiência e deixar a produção e distribuição de alimentos 100% subsidiados pelo governo!
    Ah, mas já fizeram isso na Rússia e na China e milhões de pessoas morreram de fome…
    E estão fazendo isso hoje ainda, na Coréia do Norte!!! E milhões estão morrendo de fome!!!
    Na Rússia e na China teve até canibalismo, na Coréia do Norte também tem.

    É, parece que deixar as coisas nas mãos do governo é uma péssima ideia.

  2. Nunca comentei aqui apesar de sempre ler seu blog e gostar bastante rs.

    Mas percebi um erro de cálculo (talvez pela pressa de postar):

    Vc fala sobre 821 milhões (que eu calculei e percebi que era mensal rsrs), mas o custo que você colocou de o milhões é diário. Vc esqueceu de multiplicar por 30 dias, o que dá um total de 294.322.500,00 de custo mensal.

    Pelos seus cálculos:
    654,05 de custo ao dia
    654,05 x 15000 ônibus = 9.810.750,00 milhões de reais
    9.810.750,00 x 30dias = 294.322.500,00

    Para ser ainda mais preciso, era preciso pesquisar sobre os custos operacionais administrativos (que sei que não são baratos também).

    Logicamente não defendo essa tarifa, mas queria fazer um adendo sobre o erro de cálculo rsrs

    Abraços

    • Além disso, ainda tem o desgaste não-natural previsto, que é a depredação por conta dos próprios usuários do transporte, que deve ser colocado em consideração nas contas. No final de tudo, ainda vai ser caro, mas não tão IRREAL quanto está escrito na postagem.

    • Além disso, ainda tem o desgaste não-natural previsto, que é a depredação por conta dos próprios usuários do transporte, que deve ser colocado em consideração nas contas. No final de tudo, ainda vai ser caro, mas não tão IRREAL quanto está escrito na postagem.

  3. Todos os anos a carga tributária no Brasil sobe, eles são tão espertos que sobem aos poucos, para a população não perceber o estrago que isso causa ao bolso do trabalhador assalariado. É igual a gasolina, eles vão de mansinho, 5 centavos, 3 centavos, quando a gente da conta do negócio, já era amigo, o preço esta lá em cima. O povo Brasileiro sempre foi pacifico, sempre aceitou tudo que o governo impõe, as manifestações pacificas não surtem efeito. O brasil chegou ao um ponto tão critico, que a unica solução é chuta o pau da barraca mesmo. quebra tudo, invadir o plenário, a câmara, degola todos os senadores e ministros. quebra o pau de acordo. Só assim que algo vai mudar. pois de acordo com a história, manifestações pacificas nunca deram em nada. e a policia é o cão do governo, em vez da policia prender os vereadores, e políticos corruptos que desviam milhões que de uma forma indireta, eles matam muitas pessoas que estão nas filas dos hospitais, mais não, a policia fica prendendo maconheiro na esquina da rua. esses políticos que cometem o pior crime, que é matar as pessoas de uma forma indireta e nojenta, desviando dinheiro de setores importantes para a manutenção do cidadão.

  4. Eu fico chateado, as vezes depressivo, triste, angustiado e ai vai, em saber que o Brasil é um pais que paga 678 R$ como salário minio ao cidadão trabalhador, que mesmo com essa mixaria tem que enfrentar o caos do transito na cidade, o transporte de mal qualidade e a tarifa mais cara do mundo. Dentro de uma lata de sardinha, muitas vezes passam apuros, tendo que segurar suas necessidades fisiológicas por longos períodos, pois muitas pessoas ficam até 3 horas dentro de um ônibus para chegar ao trabalho, Vocês imaginas que situação desconfortável para o trabalhador que movimenta esse país. da impressão que não estão transportante gente, mais sim animais. De acordo com o DIEESE, o salário minimo deveria ser de 2.800 reais, para satisfazer as necessidades básicas do cidadão, (EU DISSE NECESSIDADES BÁSICAS) com 678 reais, será que da para cobrir as necessidades básicas ? é triste você ter que trabalhar o mês inteiro, e no final pegar 678 reais, imaginem. Pelo amor de Deus alguma coisa esta errada. Carga tributária 36 % uma das maiores, esta completamente em desacordo com 678 reais de salário e mais de 80 milhões de pessoas no Brasil vivem de salário minimo. É como dizem os Franceses, eles lá, trabalham para viver, e nós aqui vivemos para trabalhar. Além disso, a carga horária deles é inferior a nossa, ou seja, o trabalhador lá, trabalha menas horas e ganham mais, e nós trabalhamos mais horas e ganhamos 4 vezes menos. Alguém consegue imaginar que merda é esse país.

  5. Show!
    Seguinte, isso se junta a lei nova que mostra (mesmo que não 100%) quanto gastamo de imposto por nota fiscal emitida. Se a gente começar a cuidar isso, pode ser mesmo que fiquemos mais atentos aos nossos direitos.
    (só uma obs., aquela porcentagem na nota, não conta impostos terceiros, como impostos dos funcionários, impostos dos servicos terceirizados, é só sobre o produto mesmo (PIS, Confins, ICM etc), e ainda meio chutado por cima, mas no final acabamos pagando mais no produto em imposto do que realmente estará lá).

  6. O Mundo Gump se tornou uns dos sites favoritos meu depois do post sobre a Globo! Philipe,é bom saber que ainda existem pessoas conscientes como você,que felizmente acordaram da acomodação que reina neste país a décadas.Admiro muito o trabalho seu como blogueiro,que além de ser verdadeiro e imparcial nos ÓTIMOS posts,consegue ser original no modo de descrevê-los.Bem,é somente isso que tenho a comentar. 🙂

  7. Acredito que gratuito não, ou pelo menos um limite de 2 passagens diárias gratuitas (ir e vir), e o excedente disso deveria ser uma taxa simbólica, eu disse “SIMBÓLICA”, pq se for de graça o povo abusa tb.

  8. Pra que pagar impostos para que o governo contrate as empresas de ônibus quando o governo poderia liberar o mercado e as pessoas poderiam pagar DIRETAMENTE para as empresas de ônibus sem que o dinheiro circule pelo governo, onde tem 99,99% de certeza de ser roubado e desviado no meio do caminho???
    Pra que deixar o governo escolher quem serão os empresários ricos quando essa decisão pode ser feita pelas pessoas baseando-se na qualidade e preço dos serviços ofertados???
    De graça vai sair MAIS CARO, só que as pessoas não vão sentir pois vai pelos IMPOSTOS. E o serviço vai ser uma porcaria. Nos EUA poucas pessoas andam de ônibus, afinal de contas por menos de 500 dólares lá a pessoa pode comprar um carro usado!!! Logo lá a demanda é pequena e o serviço não se torna um lixo facilmente.
    Em Cuba o transporte é gratuito também. Logo apontar países ricos com transporte gratuito não é um bom argumento, já que é possível apontar países bem pobres com transporte gratuito.
    Se as empresas lucram tanto com o preço atual então é só o governo liberar pra qualquer um que com certeza haverão vários empresários interessados em comprar ônibus para transportar pessoas, por preços decrescentes devido à competição.
    Todas as pessoas que vão pro trabalho de carro deveriam também poder transportar passageiros nos seus carros cobrando o preço que quisessem.
    Oligopólios geram resultados ruins.
    Concorrência gera boa qualidade e preços baixos.
    Celulares estão cada vez mais baratos. O mercado de tecnologia não é regulamentado.
    Hospedagem em servidores tem até de graça. Não é regulamentado.
    Basta olhar em volta, quanto mais desregulamentado é um mercado (qualquer um que queira pode entrar com nenhuma ou pouquíssimas restrições legais) melhor é esse mercado.
    Por fim, muito mais importante que transporte é COMIDA.
    Pois sem ela todos MORREM de fome.
    Assim sendo segundo a lógica de que tudo que é importante deve ser deixado 100% na mão do governo deveríamos fazer uma experiência e deixar a produção e distribuição de alimentos 100% subsidiados pelo governo!
    Ah, mas já fizeram isso na Rússia e na China e milhões de pessoas morreram de fome…
    E estão fazendo isso hoje ainda, na Coréia do Norte!!! E milhões estão morrendo de fome!!!
    Na Rússia e na China teve até canibalismo, na Coréia do Norte também tem.
    É, parece que deixar as coisas nas mãos do governo é uma péssima ideia.

  9. Transporte não deve ser grátis assim
    como comida não deve ser grátis.

    http://faccioni.blogspot.com.br/2013/06/protestos-e-protestaveis-de-como-falsos_14.html

  10. Só p/ ficar mais fácil de entender, simplificando os cálculos que interessam:

    *custo de um dia de operação de um ônibus – R$ 654,00

    *lucro líquido por dia – R$ 5487,00

    Lucro líquido de 8390% (OITO MIL TREZENTOS E NOVENTA PORCENTO!!!!!!!!!)
    Acho que é o “negócio” mais LUCRATIVO $$$ DO UNIVERSO!!!
    PQP!

    Parabéns pela matéria Philipe

  11. Ler isso é tipo como a gente se zanga com alguém porque depois de sei lá, anos, a pessoa vem e diz exatamente o que você sempre disse e você fica com raiva por causa disso.

    Sempre tive ideia disso, mas pouca gente dá ouvidos. E, Philipi, tem outra reforma que causa “Epilepsia do Status Quo” nos políticos: A Reforma Agrária. Na câmara (nas câmaras) os deputados e vereadores não tocam nesse assunto porque todos eles são latifundiários ou tem rabo preso com relação a isso. É realmente triste isso. Na minha cidade, eu já tive o desprazer de ouvir de uma cobradora, em meio a uma possível greve que iria acontecer, o seguinte: “Tem que tirar o Passe Livre, Aumentar pra 3,50 (aqui é 2,10) e retirar a meia passagem. E no domingo, cobrar a inteira”

    Eu quase me levanto da cadeira pra ir discutir com as minhas mãos o maucaratismo dessa cidadã. 2,10 eu já acho caro, porque o serviço é porco em todos os sentidos, do tamanho da frota até a forma como alguns motoristas te tratam.

  12. Como já falaram nos comentários, essa semana o mundo gump tá demais de “bão”, lembrando até os tempos áureos do blogue. Mas falando no assunto do post: eu acho que não querem propor nenhuma solução. É muito mais fácil manter um transporte público podre, controlado por barões do transporte “aliados”, do que propor uma solução real e ~dolorosa~ – pros mamelucos que ganham dinheiro com isso, principalmente. Afinal, precisam demonstrar alguma melhora repentina em épocas de eleição. A solução real é muito cara e teoricamente não atrairia votos de modo constante como pequenas doses atraem. Ah, mais uma coisa: posso pedir uma sugestão de post? Gostaria que você falasse dos rumos da economia brasileira. Pode parecer um assunto chato, mas creio que tempos negros vêm por aí e esse assunto poderá se tornar de bastante relevância.

  13. Novamente um notável post, muito bem feito, vale ser compartilhado, é mais rico que muita discussão tola ai no FB (local onde as pessoas se isolam da vasta web, mas deixemos esse assunto para depois). O que me entristece é que maioria das pessoas, ou grande parte, entende que transporte público, tal qual as rodovias com pedágios, são concessões do Estado. Ou seja, há um contrato, eles podem definir uma margem de lucro. Porém são pagos e possuem suas campanhas financiadas para jamais cutucarem nesse vespeiro. Uma pena, 0,20 centavos que custa sangue.

  14. Sou um grande usuário de transporte público e já tinha chegado a mesma conclusão. O transporte para ser público tem que ser de graça ou muito barato mesmo! O trânsito das grandes cidades não será resolvido alargando infinitamente as vias. Ele só será resolvido oferecendo um transporte coletivo de qualidade de modo que faça com que as pessoas deixem seus carros na garagem e comecem a andar de ônibus o metrô. Não me importo de aumentarem os impostos para que essa utopia ocorra. Uma maneira seria arrecadar o dinheiro que as empresas dariam para pagar a passagem de seus empregados, como acontece hoje. Acredito eu que a influência política para o aumento das passagens não vem apenas dos “barões”, mas também das montadoras de carros e motos, que ganham muito dinheiro com um transporte coletivo tão ruim!

    • Exatamente. Os governantes tb sofrem de uma ideia burra (coitados não são cientistas, então é facil cair em burradas assim) onde eles acham que a solução para a alta demanda é botar muito ônibus. Mas os numeros mostram que acima de 15 ônibus numa mesma linha, o transito piora pra caralho e a demanda não é resolvida.

  15. Parabéns pelo artigo, Phillipe.
    É realmente alentador ver que pelo menos na internet as pessoas estão pensando e debatendo esta questão que a meu ver é só uma ponta do iceberg de problemas que fazem o caos deste país mas é uma das pontas mais afiadas, das que mais se fazem sentir no bolso e na paciência do povão.
    Olha só, como tudo no Brasil, o transporte de massas também está nas mãos de máfias. Não é segredo para ninguém que o dono do transporte coletivo em São Paulo, leia-se empresas de ônibus, chama-se Paulo Salim Maluf. É assim desde o tempo em que lá cursei minha faculdade. E é assim em todos os lugares. No Rio, depois daquele malfadado desastre com o bonde de Santa Teresa, o governador logo tirou da manga uma jogada nada honesta para solucionar o problema da insegurança dos bondes: contratar uma empresa portuguesa para fazer a reforma e estudos de viabilidade blablablá do sistema de bondes do bairro. A que preço? Hmmm… só uns módicos 35 milhões de Reais. A gritaria foi geral e parece que a coisa não foi em frente. Vc que mora aí no Rio deve saber melhor o que se passa. O povo que trabalha na manutenção dos bondes só pediu material e alguma verba para restaurar os bondes, o que não vinha sendo feito por absoluta falta de verbas e interesse do poder público há anos. Ou seja, parece que os caras querem que o mundo exploda para entrarem com seus projetos milionários e mirabolantes de recuperação, tudo muito recheado de gordas propinas. Assim foi feito com a malha ferroviária, está sendo feito com a malha viária, foi feito com companhias aéreas, enfim, tudo o que puder ser fraudado será.
    Transporte público, a exemplo da saúde, da segurança, da educação e da moradia, são necessiddes básicas do cidadão e devem ser custeadas pelos impostos altíssimos que pagamos. Mas, como aqui é o Brasil e este não é um país sério, fica valendo aquela velha máxima: com farinha pouca, meu pirão primeiro.
    Só que a farinha não é pouca, não. Tem muita farinha. Mas a fome esganada destes sanguessugas é maior ainda.

  16. Maglev Cobra, já! 🙂
    Aqui o Transporte PÚBLICO é Privado!
    O candidato a Governador Eduardo Serra (PCB), na eleição de 2010, tinha essa proposta de Estatizar as Companhias de Ônibus. Obviamente ele sequer foi chamado para debates.

    • O Prefeito de SP importou meu pai lá da Alemanha para conversar sobre como podem melhorar o transporte de SP. Vamos ver no que dá. (não é malgev cobra)

  17. Boa noite, o lucro com certeza eh grande. Mas os dados apresentados nao batem.

    Exemplo . R$ 100,00 de combustível, a r$2,50 o litro, da 40 litros de combustível. Isso da pra andar, segundo seus dados, 5km. Se sao dois motoristas, voce esta considerando apenas dois turnos, com aproximadamente 15 horas. A digamos, 20km/h, temos 300 km / dia, o que da 2.400 litros de óleo, ou R$ 6.000,00. Como 570 passageiros por dia pagam menos de r$ 2000,00, então tem coisa muito errada aí. E com certeza um onibus desse nao faz o contrario, ou seja, 8 km/l. Eu encontrei um consumo de 37,5 reais apenas com diesel queimado em marcha lenta, por dia, sem rodar 1 metro. Site da vdibrasil. Das duas uma, ou a quantidade transportada eh muito maior, o que eu acredito, ou esta errado o consumo de 8L/ km. Veja bem.. Duvido muito que o total da frota vá pra rua todos os dias.. Muitos onibus ficam parados, e nao faço idéia da porcentagem.

    Outro ponto muito importante.. Se rodarem 300km por dia, rodarão perto de 80mkm por ano. Nem um popular 1.0 que rode 80mkm por ano custa só R$ 5.840,00 de manutenção. Só em troca de óleo, um popular gastaria metade desse valor, e ainda nao falamos em 2 jogos de pneus, suspensão inteira, escarpamento, correias e etc.

    O seguro deve ser caríssimo tb, afinal, tem onibus queimado freqüentemente. E rodar tudo isso na cidade, veiculo comercial ainda.. Com certeza nao eh barato.

    Espero ter contribuído um pouco…

    Abraço .

    • Mas ele no fim disse que sabia que o cálculo estava com certeza com muitos erros, mas queria mesmo assim passar uma idéia geral mesmo que com erros. Concordo com o que vc disse que tem muitos outros custos nisso, mas vou lhe dar um outro ponto:

      – Existem algumas famílias que formam o cartel dos transportes no brasil e eles são donos com laranjas e familiares, de quase todas as empresas de Ônibus nas grandes capitais. Eles chegam de helicoptero nas garagens e andam cercados de seguranças armados. Estão na lista da forbes como os bilionários seletos do brasil.
      – Não consigo acreditar aqui no Brasil na possibilidade de uma vitória tão imensa em conseguirmos transporte gratuito, mas se a corja de corruptos fosse substituida por corajosos, poderíamos cortar grande parte desses milhões que vão todo mês pro bolso das famílias, e abaixar a tarifa em mais de 50%, permitindo algo mais justo a renda dos brasileiros que precisam de transporte público.
      – A questão não é só os Ônibus, tem os metros que as construtoras ganham bilhões em cima.

      O pior de tudo é que esses inescrupulosos corruptos são tanto os políticos quanto os que os mantem lá, os empresários. Precisamos de políticos justos, retos, integros e tb de empresários honestos.

      A luta é muito grande, com cara de impossível mas Jesus bem disse:

      “Bem aventurados os que tem fome e sede por justiça”…”O reino de Deus é Paz, Justiça e alegria no E.S”!

      Não podemos em vista da dificuldade que temos de mudar isso, desistirmos. Se assim fosse não teríamos tido no passado vitórias como a abolição da escravatura e outras vitórias tantas.

      • O cara dono de empresa de ônibus aqui de Niterói mora no condomínio de um conhecido meu. Sabe o preço só do condomínio? QUATRO MIL REAIS por mês! Mas como ele é o dono da cobertura, paga por volta de 8 mil só de despesas de condomínio.

  18. você misturou custo diário com faturamento mensal
    821.120.000 é faturamento MENSAL
    o custo MENSAL é de 15.000 ônibus * R$ 654,05/dia * 30 dias = 294.322.500
    portanto o “lucro” é de 526.797.500, e não de 811mi

    obviamente isso não é lucro pois não está considerando o risco do negócio (processos, por exemplo), o custo de contratar/demitir funcionários, 13o, férias (e funcionário substituto para as férias), outros funcionários relacionados a manter toda essa operação, etc…

    resumindo: o lucro é alto, mas a conta está errada e, mesmo se estivesse certa, não refletiria realmente o lucro, somente o lucro bruto

  19. Cara, vc falou tudo, digo em números ( se não tiver errado mt feio nas contas…)! Com tão clara argumentação, fica difícil não acreditar na perversa tendenciosidade e na passividade interesseira dos políticos atuais. já passa da hora de uma reação das lideranças civis à estas atrocidades aos direitos CONSTITUCIONAIS….. PORRA! Cabeças rolarão (literalmente?) A apuração imediata e aberta, bem como a discussão realista das soluções, via internet, de problemas pontuais de CADA município desta nação, PODE ser a forma mais viável de engrenarmos num rumo salutar para o Brasil. Pensemos…, mas ajamos também, povo brasileiro!

  20. outra coisa… cada ônibus só precisa de 1 motorista e 1 cobrador para o mês inteiro?
    eles só rodam 8h/dia (que é o tempo de jornada de trabalho)?
    e fim-de-semana, adicional noturno, etc…

    eu sou a favor de fazer esse tipo de cálculo; mas acho preciso ter muito cuidado (e de preferência ajuda de um especialista), para não faltar essas informações básicas e dar um número que não significa nada, pois está baseado em premissas completamente erradas

  21. última coisa
    desses 256,6 milhões de passageiros por mês, você está considerando que todos pagam tarifa cheia, né?
    quantos % são aposentados? quantos % são estudantes?
    tenho certeza que não é uma quantia insigificante

    • Eu fiquei bem curioso, porque já fiz inúmeras planos de negócio, e nunca vi margens semelhantes.

      Ocorre que fora esses outros custos, essas empresas pagam pela concessão. Ou seja, no leilão para pegar o serviço, vence quem se propõe a transportar aquelas pessoas, por aquelas linhas, nas condições ditadas pelo governo, que cobrem o menor valor, e que paguem o máximo por isso para a prefeitura da cidade.

      A prefeitura vende isso.

      Phillipe, eu não cheguei a conclusão sobre ser melhor o transporte ser “gratuito”, entre aspas, porque o dinheiro tem que sair da sociedade, de qualquer maneira.
      Por duas razões:A primeira, é que infelizmente qualquer coisa que o governo se toca a administrar, acaba virando um poço de ineficiência, um cabide de empregos, e margens de manobras políticas.
      A segunda, é que eu acredito que a maioria das pessoas anda de ônibus de forma subsidiada. A ampla maioria é composta por pessoas que recebem vale transporte, estudantes, aposentados.. Nessa situação, transportar de graça vai beneficiar diretamente as empresas e empregadores. É claro que esse valor não poderia ser incorporado ao salário, visto que vale transporte não interfere em férias, decimo terceiro ou ainda no custo da hora extra.
      De qualquer forma, o abuso e desrespeito a que essa imensa população está sujeita todo dia, por conta desse serviço de qualidade horrorosa, é uma vergonha.
      Como isso melhoraria tendo o governo como provedor do serviço, eu não sei. O governo deixa pacientes morrerem em corredor de hospital, deixa crianças de 05 anos estudarem na mesma sala de crianças de 12, sem banheiros, sem agua potável… então acho que se tivesse na mão dele, os ônibus teriam muito mais que 5,5 anos de idade média.

  22. O cálculo acima me lembra o tempo que decidi investir em caminhões e achei que ficaria rico, mas quebrei a cara.

    8 km por litro? Nunca!!!

    Um ônibus faz cerca de 3KM/L se andar em percursos e velocidades médias. Em percursos curtos com paradas frequentes, faz pouco mais de 1km por litro. Duvido que o gasto diário com diesel de um ônibus dentro da cidade fique abaixo de R$ 300,00.

    Manutenção de R$ 16,43 por dia? Jamais. Só com pneu gasta R$ 30,00 por dia (6 ou 10 pneus x R$ 1.800 todo ano). Imagine a parte mecânica, com várias peças de pouca durabilidade custando acima de R$ 1.000,00.

    Há ainda uma série de outras despesas, inclusive seguro caríssimo (cerca de 2mil/mês). Creio que em média o custo de um ônibus fique em R$ 11mil/mês, já incluindo uns 2mil/mês de depreciação. Além disso, o número de passageiros está extrapolado, e mesmo assim existem os que pagam meia ou simplesmente nada.

    Não sou defensor de empresas de ônibus, que certamente ganham muito por um serviço geralmente ruim, mas um cálculo que aponta que o faturamento de uma empresa é 83 vezes sua despesa, não é nada confiável. Sendo assim, poderiam reduzir o preço da passagem para 5 centavos e ainda teriam lucro de 3 milhões.

    Sou a favor da criação de meios de concorrência entre empresas de ônibus (licitação pública sempre que solicitar aumento de tarifa) a fim de equilibrar o valor das passagens, atualmente negociada na base da propina com as prefeituras.

    Sou contra o passe livre, pois nada é de graça. Quem pede passe livre quer que alguém pague no lugar dele.

    • Esse calculo esta furado mesmo, como muitos outros leitores disseram. Agora, passagem gratis é uma coisa que não existe. Quando algo é gratis, é porque alguém esta pagando. No caso da passagem de ônibus, a passagem seria subsidiada pelo imposto que a gente já paga. Como diz o texto e a entrevista, um estudo para isso foi feito no Governo da Erundina e era totalmente possível, mas como trata-se de um segmento econômico milionário, e como isso seria fazer o governo trocar algo que lhe dá lucro por um gasto e uma montanha de responsabilidades, é mais fácil e conveniente para eles deixar os ricos ficarem mais ricos e o povo que se foda.

      • Seria bom, Philipe, corrigir pelo menos a grosso modo os cálculos para não pegarem esses dados como argumentação contra o aumento.

        Um site como o Mundo Gump, que considero como formador de opinião, pode fazer com que as pessoas argumentem com esses dados que estão bastante fora da realidade.

        • Eu vou corrigir. Vou pegar com meu pai dados mais exatos, que certamente ele tem. MAs no texto esta escrito justamente que esses numeros estão bem fora da realidade, pq não levam em conta uma boa quantidade de variáveis.

  23. eu acho o seguinte… tem que controlar a natalidade… esse mundo está transbordando de gente… daqui uns 15 , 20 anos a situação estará bem mais pesada…nasce 8 , morre 1…sei lá se estou certo, mas acho isso…

    • NA verdade ele esta transbordando de gente em alguns lugares, em outros já está tendendo a extinção. O Brasil atualmente esta numa forte tendência de queda de natalidade.

    • Eu não sei, eu tenho ideia o tempo todo. Pena que só ponho coisa de uns 10% delas aqui, porqie muitas ideias boas surgem quando tô tomando banho, no ônibus… Mas não sou gênio não, eu sou meio anormal só.

    • Sim, aqui a passagem é gratuita, mas quem trabalha dentro da prefeitura sabe de onde o preço da manutenção é tirado: do fundeb (educação) e de parte do dinheiro destinado À saúde. fora que aqui são cerca de 35 mil habitantes, sem transito e percursos relativamente curtos, é inconcebível comparar essa cidadezinha com alguma capital

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.