Os leitores que me perdoem, mas ser feio é uma merda mesmo!

Eu sou lindo. Aliás, sou lindo pra caralho. Sou muito gato, forte, sarado, alto, cabelo cuidadosamente aparado, barbinha de cafajeste para deixar qualquer mulher do mundo louca de tesão por mim. E isso que você ainda não ouviu minha voz rouca falando poesia francesa no seu ouvido depois de um vinho…

Eu não sei porque diabos comecei este post com este parágrafo que vamos dizer, não corresponde exatamente à realidade, hahaha. Muito pelo contrário, meu pânceps não me deixa mentir que isso é praticamente o oposto do que eu sou, até porque de poesia francesa eu sei muito mal cantar um “ne me quite pas” do Jacques Brel, o que me faz parecer uma versão de bug da Matrix da Anita, a indelével Lolita brasileira.

Percebi claramente esse pequeno contratempo existencial quando esperando o elevador para subir pra casa, fiquei parado diante da porta. Quando a porta do elevador abriu estava lá dentro uma dona, igualmente parada diante da porta. Então a porta abriu, e ela deu um berro de filme de terror, véio. Não foi um – Hã? Ai, que susto!

Foi um: – Wwwwwuuuuuuuaaaaaaaaáááááááááááááááááááááimeudesudocéu! – E ficou sem ar. Quase morre ali mesmo.

Porra véio, eu fiquei meio sem graça, porque até hoje nunca tinha passado pela situação de uma porta de elevador abrir e alguém berrar como se tivesse dado de cara com o Slender Man. E o pior, o Slender man nem tem cara!

Ela pediu desculpas, claro. Mas a gente desculpa e fica com aquela sensação de que foi trollado. O elevador fechou e fiquei ali sozinho. Tão chocado que esqueci de apertar o botão. Fiquei me olhando no espelho. Será que sou uma aberração e nunca me dei conta disso? No silêncio da caixa de aço, eu podia ouvir meu anjo da guarda rindo de mim.

Olhei para ver se meu cabelo estava pra cima… Talvez fosse a luz. Não sei porque a maldita deu aquele berro. Comecei a pensar que talvez ela fosse daquele tipo que não vê um homem pelado na frente dela desde que viu uma foto  do quadro de Adão e Eva na primeira eucaristia.

“Tesão encubado dá nessas merdas”, já dizia minha vó.

Comecei a me olhar e percebi uma verdade: Eu tenho cara de bandido.

Slender Man
Slender Man

Sim, não é slender man que causa real medo hoje em dia. É o bandido. Demônio? Alien? Que nada… Isso é merda perto de alguém descalço, de óculos oakley roubado, bermuda de tactel e Ar15 nas costas dizendo “perdeu”.

Me olhei bem no espelho. Camiseta, bermuda jeans, sapatênis, segurando uma sacola de frutas. Não sou exatamente o protótipo do Zé pequeno.

Mas por que diabos a louca deu aquele berro? O que eu fiz, meu?

É fato. Ninguém dá um berro desses se você é bonito.

Um berro de pavor assim só pode ser dedicado a uma tragédia facial. Eu me senti o homem elefante.

Mas tudo bem. De uma certa forma um tanto quanto torta, ser feio está gradualmente se tornando cult.

Num mundo marcado pela beleza, onde os programas de TV tem mais galãs que “pessoas não uniformemente providas de aspectos estéticos”, podemos até esquecer que a feiura existe. Já ouvi até que “feiura é como frio, uma questão psicológica”.

Ainda pior é ouvir que você pode ser feio, mas se tiver dinheiro fica bonito. Isso é dramático de se ouvir, sobretudo quando você não tem a porra do dinheiro e nem a porra da beleza.

Na cabeça de algumas pessoas, se elas forem feias como uma hemorróida, mas pensarem que são bonitas, uma mágica acontecerá e tudo estará resolvido. Evidentemente que carece de comprovação toda e qualquer argumentação nesse sentido.

O mundo ficou mais escroto. Se você duvida, pense se hoje em dia, alguém com o naipe do Lima Duarte, um cara que nunca foi galã, mas é um ator absurdamente talentoso teria condições de um papel de destaque em novela, de protagonista até.

Mas tente pensar num galã global mandando essa:

Eu quero saber quem foi que desenhou CARALHINHOS VOADORES na parede do banheiro! Hein? Quem foi? Quem foi?
Eu quero saber quem foi que desenhou CARALHINHOS VOADORES na parede do banheiro! Hein? Quem foi? Quem foi?

 

Numa entrevista, o Lima Duarte  mesmo diz que não vê chances para este cara na Tv de hoje em dia. Nós já pasteurizamos a porra toda.

Há gente no controle da mídia que pensa que o “povo não quer ver gente feia. Pra ver gente feia, ele olha no espelho”.

Desse jeito,  quando acontece de alguém com o perfil não-galã entrar na Tv, ele vai viver o “tipo”. Chico Anysio, outro não-galã que era foda, dizia uma verdade: “O Tipo sempre vence”.

Vence mesmo. Que o diga o Jamanta e aquele gótico que não falava nada duma novela que nem lembro qual era. Veja, não lembro o nome da novela, mas lembro dele, e só dele, porque o “tipo” era a única merda que prestava.

Mas é muito ruim pensar que o único caminho para os caras que não foram moldados na forminha do bonitão, seja viver “o tipo”. A coisa fica ainda mais trágica se você é mulher. Toda mulher sabe disso, não vou chover no molhado. Para a mulher, não ser linda  é um entrave enorme, porque te obriga a apostar muito mais suas fichas no talento, já que a beleza não vai vender seu peixe. Pra piorar, (sempre pode piorar) a mulher está presa a uma série de ditames de moda que envolvem depilação – que por si só já deveria garantir o lugar no céu, já que não consigo ver isso sem pensar em auto-flagelação.  Envolve o cabelo cuidadosamente trabalhado – o que custa o olho da cara e roupas, roupas bonitas e que também custam caro.

E sem falar ma maquiagem… Olha, eu comecei a comprar equipamento de maquiagem para poder fazer um filme de zumbi e  vou te falar, quase surtei. Dei graças à deus que sou homem, porque o volume de produtos é uma coisa esquizofrênica, véio! Só de pincel de maquiagem são mais de dez tipos (bem mais), cada uma daquelas merdinhas custa carão e ainda vem em diversas opções com filtro de raio solar, vitamina e não sei mais o que.

Comprar maquiagem é pior que comprar placa de video!

E é uma porra mais cara que a outra. Esmalte então, parece até demonstração de Tv de shopping de tantas cores! Sinceramente? DO ponto de vista financeiro, ser mulher é uma desgraça. Eu não sei como que o Laerte optou pelo contrário para ter “mais opções”.

Ser feio é um negócio tão complicado, que pessoas que vivem no modo “Iddqd”, como a Charlize Theron, precisam usar artifícios de maquiagem para ficar feia e ressaltar suas capacidades dramáticas.

 

Charlize+Theron+MOnster

Mas aquele berro de pavor não me saía da cabeça.  Então comecei a pensar, me olhando no espelho, que talvez eu tivesse cara mesmo de assassino. Eu tenho um olhar meio maníaco de vez em quando… Talvez ela tivesse visto um filme de terror, ou do Charles Bronson e aí achou que eu ia matar ela.

Ou pior… Talvez ela tenha visto a maratona de Walking Dead…

Pô, ok, eu sou feio, mas me confundir com um zumbi? Aí não, meu!

A grande vantagem de não ser um deses galalaus narcisísticos que ficam se olhando no espelho a cada segundo, arrumando a franjinha sensual que parece desenho do Jim Lee, é que quando um troll vira pra você e tenta te atacar dizendo: – Você é feio! –  Há! “Jênio!”

Isso soa tão óbvio quanto atacar alguém dizendo : -São quinze pras três! Quinze pras trêêês!

Ainda mais engraçado é quando o cara acha que ser gordo é xingamento. O cara não concorda com algo que você diz… Aí ele vira e diz: – Seu gordo!

Se você é gordo mesmo,  e eu confesso, tá faltando sumir com uns cinco quilos de banha para chegar no meu peso ideal, é mais uma constatação. Tipo : – O céu é azul! Azuuuul!

“E?”

Agora, tem gente que é tão obcecada pela beleza, que certamente precisaria de tomar uns prozac se passassem pelo “grito do elevador”.

Os leitores que me perdoem, mas ser feio é uma merda mesmo!

 

Related Post

24 comentários em “Os leitores que me perdoem, mas ser feio é uma merda mesmo!”

  1. Sei bem como é isso! Você reclama do seu pânceps. Estou 30 quilos acima do peso, isso porque já perdi 20. Imagina. Sem mencionar a formidável dificuldade em arrumar uma namorada.

  2. Modo IDDQD foi foda, kkkkkkk

    Eu sou feio, mas desencanei cedo e entendi que pra desenrolar as mulheres tinha que ter um papo caprichado já que o painel não ajudava. Desencanei e até que não fui mal.

    Aliás, eu peguei muita mulher considerada feia ou não muito bonita, baseado no mesmo princípio. Com charme, simpatia e um corpinho interessante, já dava liga…

  3. Cara, lendo esse post e da questão dos aliens e gritos de horror lembrei dessa pegadinha aqui, que se fosse comigo me cagaria todo hahahahah se liga:
    https://www.facebook.com/video.php?v=10152677290032171

  4. Os predios do centro de Porto Alegre tem muitos morcegos. Um dia detetizaram um predio perto do meu e varios morcegos voaram pra dentro do meu quarto! Era como um filme de horror, dezenas entrando pela janela.
    Naquela semana, sentada na lanchonete do campus da minha universidade, quando uma folha de arvore caiu perto de mim, pulei e dei um grito! Totalmente despriporcional com a situacao!
    Isso tudo pra dizer que talvez a mulher do elevador simplesmente estivesse traumatizada.

  5. kkkkkk, é, eu realmente também não sou nenhum Brad Pitt ou Henri Castelli. E o mais interessante de tudo, recentemente fui preterido pela garota que eu gostava, ela escolheu um outro cara, só que o cara é feio e me arrisco a dizer mais feio que eu, e ela? Ela é linda. Então até hoje eu me pergunto porquê? Porquê? Na boa, eu não sei. Toda pessoa é complexa, toda pessoa tem seus vícios e defeitos, os meus talvez anularam a pequena vantagem que eu tinha sobre aquele cara. É foda Philipe

  6. Philipe, isso aí de você achar que foi sua estética a causa do grito não existe. No mínimo existe um contexto bem mais complexo (e dramático) por detrás do momentâneo desequilíbrio do ser gritante que enfiou este complexo de feiura na sua cabeça (em que pese isso contrarie a navalha de occam, mas enfim). Eu penso em várias hipóteses: – trauma recente de assalto em situação similar (o que só precisa de uma presença não anunciada para despertar tal reação, independente de aparências); – pessoa hipersensível a sustos (por experiência própria; minha avó era assim, era vizinha de uma fábrica de fogos de artifício que explodiu quando ela era jovem. 60 anos depois ainda gritava com qualquer mínimo susto); – possível experiência traumática com estupro ou violência doméstica em situações similares (vai que um marido violento socou a mão, ou um sujeito socou outra coisa, em situação idêntica, na saída do elevador, na dita senhora?); – esquizofrenia (nunca se sabe quando se cruza com um louco por aí – ou meio louco – de gente que baba só até a metade o mundo tá cheio).
    Não acho você um cara feio (mas também não acho bonito, assim como não acho bonito cara nenhum – não sei o que é um bom padrão de estética masculina), e feiura, quando é exagerada, salta aos olhos. Ademais, com todo o respeito a Sra. sua esposa, ela é uma mulher bem bonita pelas fotos que eventualmente já saíram aqui, e se tu fosse tão feio a ponto de gritarem de susto quando você aparece, acho pouco crível que estivesse bem casado assim.
    Mas enfim, é o meu ponto de vista: gente bonita chama a atenção, gente não bonita apenas passa indiferente, mas só causa susto se a coisa for level 100 de feiura e estranheza, tipo do Nestor Cerveró para baixo.

  7. Philipe, certeza que o problema estava nessa senhora e não em você- agora, saber qual era, mesmo que você pergunte, talvez não obtenha uma resposta sincera. Gritar assim me parece típico de quem é pego no flagra fazendo o que não devia… Ou esses traumas aí em cima citados. Tendo você estudado psicologia, não devia cair nessa de se achar o Joseph Merrick (um gentleman apesar das deformidades). Feiura estética é superfície. Feiúra de caráter aí sim é foda. Maquiagem não esconde vazios.

  8. Você conhecia essa mulher? acho que ela tinha peidado mesmo, e vc se impressionou com o grito e nem percebeu o cheiro.
    Temos que nos acostumar é com a feiúra, pois beleza passa, e feiura é pra sempre.

  9. e o “vc não é feia, só tem uma beleza exótica”, que um amigo GAY largou essa!!!! PQP, se um cara, e gay, disse isso é porque eu pareço a Cuca!!! 🙁
    tanto que nem corro o risco de ser assaltada, acho que os assaltantes atravessam a rua quando me veem kkkk

    agora, sobre bonitos na tv, eu nao consigo assistir romances (veja bem, categoria que detesto) se os protagonistas nao tem aquela cara angelicais de pessoas sensiveis, lindas, doces e ingenuas, que vivem em um mundo feio e pessimo para tamanhas criaturas abençoadas. Mania de achar que feio nao tem romance…mas e quando vc viu um feio todo meigo e apaixonado?A gente faz zueira com tudo, eh o costume!

  10. Noooh, eu já sou dessas que todo ano sofre com o bolso pra comprar as “coisas de mulher”, poxa, poucos caras tem consciência disso hen!

    Eu saio com meus primos pra comprar roupa, eles ficam de boa, e eu sempre tomo prejuízo, realmente não entendo como o Laerte optou por “ter mais opções”

  11. Ri muito desse texto mas a realidade de uma pessoa feia realmente não fácil. Digo isso por experiência própria. Sempre fui feio. Quando nasci o médico disse: “Vou jogar pro alto. Se voar é urubu e se cair no chão é bosta.” Ainda cresci com aqueles apelidinhos maldosos: escultura do diabo, manequim de cemitério, incenso de macumba e por aí vai. É difícil ser feio pois a sua vida gira em torno de arrumar uma namorada que te aceite como vc é ou arrumar um emprego em que vc tenha que ficar escondido pra não assustar os clientes. Vivi minha vida toda tentando ser engraçado já que ser bonito somente em outra encarnação. Consegui! Sempre consigo fazer as pessoas sorrirem mas ainda tenho vergonha de sair na rua. Já pensei em suicídio e só não o fiz com medo de ir pro inferno (rsrs). Decidi que só vou morrer quando arrumar o dinheiro pro meu enterro, pelo menos assim eu não dou tanto trabalho pra quem ficar encarregado de me enterrar. Só estou esperando a morte já que um relacionamento sério não vai acontecer. O que me consola é que o mundo vai ficar mais belo.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares