24 Comentários

    1. Philipe3d

      Talvez vivendo em naves monstruosas no lado escuro da lua ou nas profundezas dos oceanos de Europa… Ou na Terra, comendo no McDonald´s ao nosso lado… Acredite se puder, existe uma “teorioa da conspiração” que defende que a Uma Thurman descende de venusianos. (sem brinca!)

      Responder
  1. Everson Tomasi

    Impressão minha ou ali na foto onde você circulou o “venusiano” em vermelho, logo à direita está o Jeremy Renner (Gavião Arqueiro dos Vingadores) 😕

    Responder
    1. Philipe3d

      Quem circulou essa imagem foi Phil Schneider… que mataram. Eu só peguei a imagem dele, hehehe

      Responder
  2. Thiago chipset Andrey Ferreira

    Cara que post lindo!
    Tanta coisa que da vontade de passar o dia inteiro lendo referencias e construindo maquinas Tesla. rs.

    Uma coisa que me surgiu a mente nessa ideia de Vênuzianos é que talvez eles realmente sejam de Vênus, mas numa realidade paralela onde Vênus seja menos inóspito. Assim eles não são só são extraterrestres, mas são de outra dimensão também!

    Responder
    1. Philipe3d

      Isso é algo se pensar realmente. Outra coisa que poderíamos imaginar é que talvez os Venusianos se pareçam tanto com humanos porque eles são no fundo, Humanos retirados daqui e “transplantados” para algum tipo de sociedade subterrânea e Venus. Por quem ? Por outros aliens. Talvez os mesmos que nos semearam aqui…

      Responder
  3. Robson

    Excelente post! Curto muito seu blog e principalmente os casos ufologicos e os gumps. Um abração e parabéns.

    Responder
  4. BEZALEL

    Acho que no passado chamar extraterrestre de venusiano era mais um hábito do que taxar verdadeiramente desse ou daquele lugar. Era muito comum no imaginário das pessoas, principalmente escritores e roteiristas. Lembro-me de ter assistido por várias vezes filmes falando de venusianos. Um desses exemplos era o “viagem ao fundo do mar”, que por mais de uma ocasião exibiu um episódio com os tais seres.
    Isso mudou algum tempo depois quando começaram a se intensificar os estudos fora da terra e de outros planetas nossos vizinhos.

    Responder
  5. Diego

    Philipe! Estive pesquisando sobre o “Tesla Spirit Radio”, se vc quiser entro junto na montagem de uma versão GUMP! Abraço.

    Responder
  6. Gabrielle

    ?Olá Philipe,
    Falando em comunicação com “além” por meios técnicos, você já ouviu falar em transcomunicação instrumental (TCI)? Os pesquisadores de TCI acreditam se comunicar, através de aparelhos eletrônicos, com seres/entidades/espíritos que também utilizam tecnologia “do lado de lá”. Apesar da “hipótese espírita” ser apenas uma das hipóteses que tentam explicar esses fenômenos, acho difícil simplesmente ignorar, pois estas coisas estão acontecendo por aí. Afinal, tem muita coisa gump rolando nesse mundo.
    E sobre o Tesla e a invenção do rádio, lembrei que o rádio é também atribuído a outro cientista além de Marconi, o padre Landell de Moura. O sacerdote gaúcho teria transmitido a voz humana em 1900. A bizarrice do padre inventor não para por aí, a ele também são atribuídos estudos sobre espiritualidade e a invenção de um equipamento para capitação da aura (que ele chamava perianto, se não me engano). Mais tarde essa tecnologia foi “redescoberta” por um casal de cientistas soviéticos – você com certeza já ouviu falar da foto Kirlian. Infelizmente o pe. Landell não obteu reconhecimento durante sua vida (e até depois dela) e ainda foi reprimido pela igreja.
    Por último, fiquei com muita vontade de ver esse rádio do Tesla funcionando ao vivo! O pessoal da TCI ia gostar desse negócio. Infelizmente, não tenho conhecimento técnico algum. Divulgue caso você for criar esse rádio!

    Responder
  7. K. The Frog

    Philipe, ótimo texto como sempre! Permita-me discordar apenas da tradução usada para “smoking gun”, que não é de forma alguma “arma de fumaça” e eu sei que você sabe disso… Fica minha sugestão (se permitires) de traduzir isso de outra forma da próxima vez, algo como “arma fumegante” ou coisa do tipo, sei lá.. você é mais criativo que eu, obviamente, que vai pensar num termo melhor! Até porque “arma de fumaça” me passa a impressão de ser algo falso, mero adereço, exatamente oposto ao “smoking gun”, que é a prova concreta de que um tiro de verdade acabou de ser disparado e significa, nesse contexto, prova definitiva da existência de alguma coisa.
    Desculpe-me e abraço!

    Responder
  8. Eduardo

    Post muito interessante e rico em informações.
    Eu realmente sou EXTREMAMENTE cético quanto a assuntos “anormais”.
    Eu realmente não sei o que eu vi um dia na fazenda abandonada onde meu pai morava próximo.
    Um dia de noite (não me recordo a hora) eu acordei e fui no banheiro.Como fazia de costume,
    ia no quintal dar uma olhada nas estrelas.Se você mora em algum local que não tem nenhuma NENHUMA luz nem de postes nem de prédios e casas lojas você vai ver o céu completamente cheio de estrelas que é uma coisa maravilhosa de se ver,coisa que nós não vemos na cidade como no RJ onde eu moro.enfim,fui no quintal da casa olhar pras estrelas e fiquei lá por uns 4 minutos olhando deitado na rede que ficava próximo a casa.
    Quando eu vi uma coisa luminosa branca passar extremamente alto como uma estrela se mexendo muito rápido(não lembro sentido).Eu não sei fazer medições como o Uyrangê Hollanda, mas aquela coisa tava extremamente alto , na altura de um boeing talvez.Como eu sei que não era um meteorito ou coisa do tipo se desfragmentando na atmosfera ?Por que aquela coisa continuou voando em sentido reto pra uma direção como se fosse um avião e não pra baixo se desfazendo até sumir de vista com uma rocha faz.Eu via muitos aviões passando por aquela região e a diferença entre o brilho do avião e aquela luz é simples de comparar, o avião geralmente pisca vermelho eu acho não sei se todos,aquela coisa tava 100% iluminada sem piscar.
    Quando eu vi a entrevista do coronel Hollanda da FAB sobre a operação prato (um dos únicos casos que tenho confiança e acredito que aconteceu mesmo)sobre as luzes que ele viu passando no céu a grande altura, foi EXATAMENTE a mesma coisa que eu vi aquela noite.
    Bom se aquilo não era uma nave ou qualquer coisa do tipo então eu vi algo anormal haha.
    Bom acho que ficou um pouco grande mais é isso ae rs.

    o local que eu avistei essa luz foi em Porciúncula-rj.

    Responder
  9. Julio Cesar

    Diante de tantas suposições, uma que acredito ser plausível e bem realista é a de haver vida no subsolo dos planetas. As possibilidades tecnológicas atuais já permitem que se acredite nessa possibilidade, inclusive na possibilidade da conversão em oxigênio, ou outros gases, que, segundo a ciência tem especulado seriam capazes de sustentar a vida.
    A questão de se ter uma civilização vivendo de forma autônoma, no interior de planetas pode ser um simples questão de domínio de tecnologias, inclusive de fusão para gerar energia em grande escala. Acredito que nós tendamos a refutar tais possibilidades por termos tantas meios naturais que facilitam a nossa, ainda, incapacidade de encontrar soluções desse tipo. Mas a medida que os nossos recursos forem escasseando e a necessidade de sobrevivência se sobrepor poderemos nos ver obrigados a encontrar soluções, que a nossa vista atual possa parecer extrema.

    Responder
    1. Philipe3d

      Concordo, Julio. Inclusive nossa propria história de civilização ja mostrou que humanos viveram no subsolo por diversos motivos. Um bom exemplo é uma cidade inteira feita no subsolo da turquia.

      Responder
  10. Eduardo

    Philipe, eu tenho um vídeo salvo de um disco voador em cd de muitos anos que achei revirando algumas coisas minhas e queria saber como faço pra enviar pra você esse material para dar uma analisada se é fake.

    Responder
  11. Kawai

    Massa Philipe, curto muito este tema!
    Uma dúvida, e, talvez uma dica de matéria:
    você já leu o livro “Rinkmakers of Saturn” do dr. Norman Bergrun?
    Tentei encontrar aqui no blog, mas não fui feliz.

    Responder
  12. Valentino

    Sobre propulsão de discos. Existe um livro da década de 1950, “Contato com discos voadores”, de Dino Kraspedon, pseudônimo de autor brasileiro nascido em 1905. O autor narra encontros pessoais com um capitão de disco. Nestes encontros faz diversas perguntas de caráter técnico científico, relativos a energia, éter, teoria da relatividade (provando suas bases equivocadas) , etc, etc. Uma das forma de propulsão dos discos é obtida pela emissão de raios catódicos para a atmosfera. Os gazes atmosféricos saem do estado de carga neutra ficando extremamente ionizados e assim são retirados da periferia do disco (absorvidos pelo restante da atmosfera). Como o “peso” da atmosfera é de +- 1 kg por m2 um disco de 20 metros de diâmetro teria o potencial de levantar 3 milhões de kg. Fazem semi vácuo acima para apenas flutuar e vácuo na direção que desejam se dirigir. A velocidade pode ser imensa pois não há atrito com o ar. Infelizmente mais tarde o autor se filiou ao espiritismo e mais de uma pessoa alega ser o mesmo, a partir do pseudônimo, associando disparates que pretendem para fazer valer pontos de vistas que apoiem suas crenças . Porém a versão original deste livro, em seu caráter científico , matemático e filosófico, permanece como um interessante relato de quão equivocada está a ciência atual.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *