O ufo do Tesla e outras coisas curiosas

No post de hoje vou falar sobre um suposto disco voador atribuído a ninguém menos que Nikola Tesla. Mas antes, acho interessante falar um pouco sobre um curioso radio, chamado “espírito de Tesla”. Esse radio curioso tem em seu nome uma homenagem ao famoso inventor (que é o verdadeiro inventor do rádio, aliás).

O espírito de Tesla

O radio tem este nome, porque segundo dizem, ele seria capaz de efetuar diferentes leituras de frequências, realizando verdadeiras proezas, como detectar relâmpagos, receber emissões de vozes misteriosas, criar musicas e efeitos sonoros, ler uma tela de computador além de captar pulsos de radiofrequência e funcionar como microfone. Bizarro não?

Provavelmente foi por tudo isso, que o “espírito de Tesla ganhou o prêmio  “gadget Anormal” pela Design News, uma revista de engenharia.

espiritotesla

Efetivamente, me parece muito mais uma antena de alto ganho que um circuito de radio com cristal, propriamente dito. Mas somente pelas imagens, não da pra dizer se a parte de circuito captador está em outro lugar. Pessoalmente eu não vi nada muito extraordinário. O treco tem uma aparência bizarra que evoca realmente as criações do Tesla e acho que isso ajuda muito no impacto psicológico do dispositivo, até porque, o Nikola Tesla costumava acreditar que conseguia fazer contato com aliens usando um tipo de radio que ele mesmo fabricou.

A saída de audio do “Espirito de Tesla” é na forma de um plug que é conectado na entrada de um computador, onde o som é filtrado por um programa de amplificação. Assim, é fato que uma boa antena deve captar toda sorte de frequências bizarras.

Mas confesso que vendo isso me deu muita vontade de levar essa joça para alguma casa mal assombrada e ver se pego alguma coisa “do além” com ele.  Aqui estão alguns experimentos com esse curioso dispositivo:

São experiências divertidas, mas até que ponto isso poderia ser considerado um “contato”? É difícil dizer.

A ideia de que recursos eletrônicos possam ajudar no estudo de fenômenos paranormais, ou seja, que não são considerados normais pela ciência acadêmica e, em alguns casos, nem mesmo aceitos, é amplamente difundida em nossos dias.

De fato, se levarmos em conta que o que existe é a manifestação de fenômenos que devem ser percebidos pelos nossos sentidos e que nossos sentidos são bastante limitados, a utilização de extensões desses sentidos na forma eletrônica é algo que pode levar a resultados positivos.

Experiências desse tipo ocorrem há décadas. Frank Sumption criou um dispositivo que mais tarde foi chamado “caixa de fantasma” e usado por muitos investigadores paranormais em todo o mundo. O rádio de Frank foi originalmente concebido para comunicação com Aliens. Posteriormente usado para tentativa de comunicação com espíritos. Há quem diga que esses dispositivos baseados em antenas de grande sensibilidade captem variações frequenciais diversas e gerem um ruído variável que seria interpretado como sendo uma comunicação,sem de fato o ser. Será a pareidolia de áudio? Essa é uma possibilidade concreta, mas até termos certeza disso, os investigadores seguem gravando e tentando decifrar essas supostas comunicações, dando passos no desconhecido.

Aqui temos o Espirito de tesla tentando uma comunicação com um possível espirito:

Dá calafrios, não?
Seja como for, eu curto muito esses trecos. Não sei porque mas isso me atrai brutalmente. De vez em quando eu fico com meu radio de ondas curtas em plena madrugada apenas varrendo a estática nas frequências mais altas. Já ouvi muita coisa realmente estranha naquilo, mas não posso dizer que seja alien ou espirito. Provavelmente era algum sinal harmônico de radio gringa… Mesmo sabendo disso o cagaço é significativo quando você pega uma risada ou sussurros capazes de congelar seu sangue…
Seja como for, entenda esse equipamento como uma simples antena de ganho para baixíssimas frequências. Se isso pode mesmo captar alguma coisa do “além” não tenho o menor gabarito para dizer. Se você se interessou e quer dar uma “fuçada”, uma dica é seguir a partir dessas instruções. Talvez complementando algo assim com a “brincadeira do copo”… Sei lá. Vai que dá alguma coisa, né?

Talvez eu fabrique um treco desses pra mim. Caso alguém tenha interesse em formar um grupo para desenvolver um teco nessa linha podemos formar uma equipe.

Uma coisa curiosa é o nome do Tesla nisso. Hoje virou quase uma mania homenagear esse incrível inventor que foi o Nikola Tesla. Há quem diga inclusive que ele criou um DISCO VOADOR. O que nos leva ao tema desse post, finalmente.

O DISCO VOADOR DE NIKOLA TESLA

ship1

“… Você não deve ficar surpreso, se algum dia você me ver voar de Nova Iorque para Colorado Springs em um artifício que vai se assemelhar e pesar como um fogão a gás… e poderia, se necessário, entrar e sair através de uma janela.”

Assim Nikola Tesla escreveu a um gerente de Westinghouse Electric Company em 1912. Isso indica fortemente que em algum momento de sua prolifica e absolutamente Gump vida, o Nikola Tesla chegou a pesquisar uma maneira de fazer um levitador que sua descrição faz lembrar muito o levitador do cientista Viktor Gerbennikov que eu postei aqui. 

Em alguns livros sobre Tesla e suas mais de 700 invenções, essa descrição de seu levitador “em forma de caixa” é sugerido se tratar de algum tipo de “helicóptero” eletromecânico.

Entretanto, há quem sustente que seu “fogão voador” Utiliza um sistema de eletro-propulsão, e que era alimentado por estações de alimentação externas e através de sua ‘transmissão sem fio de energia “, ou com um gerador de energia acoplado dentro da nave.

Em um artigo de 1911, o The Sun descreve sua máquina voadora:

“Dr. Nikola Tesla recostou-se na cadeira do Waldorf na noite passada e falou calmamente de aeronaves incríveis,  sem ser aviões, maquinas movidas a hélices ou qualquer uma das outras artes da aviação agora familiares, viajando através do espaço em velocidades tremendas ou dirigindo mais devagar, transportando grandes cargas, e em ambos os casos sempre tão segura quanto o mais prosaico dos veículos com rodas “.

“… E como seria o controle?” Dr. Tesla foi perguntado.

Ele pensou por um momento ou dois e, em seguida, respondeu com grande ponderação:

“A aplicação deste princípio vai dar ao mundo uma máquina voadora diferente de tudo que já surgiu antes. Ele não terá asas, sem hélices ou dispositivos de qualquer espécie utilizados até agora.

“Ele será pequeno e compacto, excessivamente rápido, e, acima de tudo, perfeitamente seguro na maior das tempestades. Ele pode ser construído de qualquer tamanho e pode transportar qualquer peso que quiser “- The Sun, New York – ‘Tesla promete grandes coisas’

Em um artigo de 1911 New York Herald Tesla explica especificamente que a sua máquina voadora não é um avião convencional, nem um “dirigível mais leve que o ar’- (um tipo Zeppelin).

Ele também nos diz que a sua máquina voadora não é afetada por ventos ou “buracos no ar”, e que pode inclusive ser realizada uma manobra específica “…ficar absolutamente parado no ar, mesmo em um forte vento, por grande período de tempo.” A partir de seção : Dez cavalos de potência à libra

Qualquer pessoa familiarizada com os princípios de funcionamento do chamado “avião convencional” entende que máquina voadora de Nikola Tesla descrito nestas citações 1911 só poderia se tratar de um engenho de “anti-gravidade”, curiosamente similar ao que seria esperado de um verdadeiro “disco voador”.

De acordo com William Lyne, o autor dos livros “Aliens no Pentágono”e “Occult Ether Physics:  O sistema de propulsão espacial oculto de Tesla e a conspiração para escondê-lo” , Werner von Braun estava em Los Alamos, Novo México em torno de 1937 testando o que seria nada menos que o “disco” de Tesla – A tecnologia que depois evoluiu para um Programa da “arma maravilha” da Alemanha nazista.

Após a Segunda Guerra Mundial este segredo teria retornado para as mãos dos Estados Unidos quando justamente von Braun começou a trabalhar sobre os programas de foguetes dos EUA.

Pode parecer uma simples viagem na maionese, mas não é o que registros históricos apontam.

Arma fumegante: Um relatório do FBI sobre o “disco do Tesla”

A prova de em algum momento foi fabricado um disco voador alemão via electro-propulsão anti-gravidade vem de relatórios do FBI.

Em 1957, um imigrante polonês apareceu oferecendo sua ajuda ao FBI para explicar os “Avistamentos de ovnis que paravam motores de carro” da década de 1950. Ele então compartilhou sua experiência como prisioneiro na Segunda Guerra Mundial,  trabalhando em um campo de prisioneiros na Gut Alt Golssen, perto de Berlim.

No relatório, ele diz que, enquanto seguia para o trabalho numa área próxima, em 1944, eles começaram a ouvir um ruído agudo semelhante a um grande gerador elétrico e seu motor de trator simplesmente morreu e não ligou mais. Eles não viram qualquer tipo de equipamento nas proximidades, mas quando o barulho parou, curiosamente eles já podiam ligar o motor novamente.

Algumas horas mais tarde, quando trabalhava na mesma área, o homem viu um veículo subindo lentamente na vertical atrás de uma parede, com cerca de 50 pés de altura, em torno de uma área circular de 100-150 jardas de diâmetro…

“O Veículo […] de forma circular, de 75 a 100 jardas de diâmetro, e cerca de 14 pés de altura, era constituído por um material escuro na parte superior estacionária e cinza no fundo… A seção do meio de aproximadamente três pés parecia ser uma que se movia rapidamente […] produzindo um borrão contínuo semelhante a uma hélice de avião, mas que se estendia da circunferência do veículo. O ruído que emanava daquele veículo foi semelhante ao ruído ouvido anteriormente. O motor do trator novamente parou […] o ruído parou, após o que o motor normalmente ligou. Uma serie de cabos com isolamento de metal, possivelmente, de cobre,  com uma e meia polegada a duas polegadas de diâmetro, foram observados sob a superfície do solo… ”

Uma fotocópia deste relatório FBI pode ser encontrado em “Discos Voadores de Hitler: Um guia para o voo alemão com Discos na Segunda Guerra Mundial”, um livro de Henry Stevens.

01 Tesla flying saucer

Muitas pessoas acreditam que o motivo pelo qual os ufos terrestres criados com a tecnologia inventada por Nikola Tesla esteja sendo escondido todo este tempo pelas grandes potências resida no fato de que sua tecnologia afeta diretamente o acesso à “energia livre”, centro das grandes conspirações mundiais.

Tesla teria explicado muitas vezes sobre como extrair energia a partir do “Éter*”, mas uma vez que a maioria das notas e documentos de Tesla foram confiscados pelas autoridades americanas após a sua morte, em 1943, estas unidade-geradoras são hoje tratadas como um “mito” ou como a ciência falsa, porque:

“… Há um consenso científico indiscutível que o moto perpétuo violaria tanto a primeira lei da termodinâmica, quanto a segunda lei da termodinâmica, ou ambas.” (Wikipedia).

* Sobre o Éter: No século 19 a maioria dos físicos acreditava que todo o espaço foi preenchido com um meio de chamada de ” Luminiferous éter ” (ou “éter”), uma substância hipotética que se pensou necessária para a transmissão de ondas electromagnéticas e à propagação da luz, que se acreditava ser impossível no espaço “vazio”. Em 1887, um experimento foi realizado por Albert A. Michelson e Edward Morley a tentativa para confirmar a existência do éter. O experimento, chamado de experiência de Michelson-Morley, chocou a comunidade científica, dando resultados que sugeriam a não-existência do éter. Este resultado foi mais tarde utilizado por Albert Einstein para refutar a existência do éter, e desenvolver a relatividade especial .

Um desses geradores energéticos é mencionado por Tesla como seu dispositivo chamado “raio” de partículas. Ele nos diz que este equipamento eletrostático “poderia ser feito com conexões adequadas de auto-existência.” O termo “Auto existente”, indica que  este gerador produzia toda a energia que precisava para operar por si.

William Lyne explica o funcionamento deste tipo de gerador na página x. (prefácio) em seu livro Pentágono Aliens .

Tudo que o gerador precisava era de uma fonte de energia externa para iniciá-lo.  Tesla menciona em sua correspondência com Sava Kosanovic, 01 de março de 1941:

“Devo acrescentar que, na estação é preciso ter um pequeno gerador ou bateria de 30 volts para a ativação”

Em 1928 Tesla registrado patente número 1.655.144 para sua incrível máquina voadora.  Seu projeto final, era alimentado por energia que se encontra em torno de nós.

Antes de sua morte, Tesla tinha desenvolvido os planos para o sistema de propulsão de sua aeronave. Ele o chamou de “espaço em disco” ou o sistema de campo de propulsão anti-eletromagnética.

Tesla tinha grandes idéias, e ao que parece, avançou rapidamente com as suas teorias. Em 1938, ele falou sobre duas descobertas incríveis.

1. A teoria dinâmica da gravidade – que assumiu um campo de força que representa os movimentos dos corpos no espaço; pressuposto deste campo de força dispensa o conceito de curvatura do espaço ( Einstein); do éter tem uma função indispensável nos fenômenos (da gravidade universal, inércia, impulso e movimento dos corpos celestes, assim como toda a matéria atômica e molecular); e,

2. Energia Ambiental – A descoberta de um novo postulado da Física: não há energia na matéria que não seja recebida do meio ambiente. O que contradiz a formula mais famosa do mundo:  E = mc².

Em um artigo, “a maior conquista do homem”, Tesla esboçou sua teoria dinâmica da gravidade em forma poética

  • Que o éter luminoso preenche todo o espaço
  • Que o éter é posto em ação pela força criativa que dá vida
  • Que o éter produz “giras infinitesimais” ( “micro hélices”) perto da velocidade da luz, tornando-se matéria ponderável
  • Que quando a força diminui e movimento cessa, a matéria será revertido para o éter (uma forma de “decaimento atômico”)

A tecnologia anti-gravidade de Tesla teria permitido ao cientista criar o  primeiro disco voador efetivo, tirando proveito dos campos electromagnéticos, o que permitiria a sua invenção a viajar a partir do solo para o céu com extrema rapidez e facilidade.

Ao que parece, Tesla esteve extremamente perto de alcançar seu objetivo: Foram realizados inúmeros testes e experiências através da aplicação de alta tensão, em frequência de oposição. Em um de seus testes, quando aplicada de alta tensão de corrente alternada de alta frequência para um par de placas metálicas paralelas, ele percebeu que o ‘espaço’ localizado entre as placas se transformou no que ele chamou de “estado-sólido”. Isto significa que a área localizada entre as placas exibiu atributos de massa, inércia e momento, transformando a área em um estado onde um impulso mecânico poderia ser exercida.

Melhor ainda, Tesla descobriu que as ondas electromagnéticas poderosas poderiam ser usado para empurrá-la  e puxá-la contra o. que parece ser o “espaço vazio”. O princípio de unidade é baseado no efeito de Hall, hoje utilizados em sensores magnéticos semicondutores, que é chamado de efeito magneto ( “MHD”).

“Eu tenho trabalhado em todos os detalhes que espero dar ao mundo muito em breve. Ele explica as causas desta força e os movimentos dos corpos celestes sob sua influência de forma satisfatória que irá pôr fim a marcha lenta especulação e falsas concepções, como a do espaço curvo. Apenas a existência de uma solda de força pode explicar os movimentos dos corpos, como observado, e seu pressuposto dispensa curvatura do espaço. Toda a literatura sobre o assunto é fútil e destinado ao esquecimento. Assim são todas as tentativas para explicar o funcionamento do universo sem reconhecer a existência do éter e a função indispensável que desempenha nos fenômenos. ” -ele escreveu.

Um Venusiano na Terra

Wilburt B. Smith, foi diretor do Projeto Magnet, do Comité Científico para investigações de UFO do governo canadense.

smith

No início de 1950, o governo canadense estabeleceu esse tal Projeto MAGNET para investigar OVNIs. O diretor desse projeto, Wilburt B. Smith, escreveu publicamente que um alto funcionário do Pentágono disse a ele que os OVNIs eram o maior segredo que eles tinham, ainda maior do que a bomba H (a derradeira arma).

Esta pesquisa foi tão surpreendente que ele possivelmente poderia ter sido assassinado por abrir o bico, por isso ninguém nem imaginou que essa pesquisa estivesse rolando até o momento em que ele morreu.

O Projeto Magnet teria envolvido cientistas canadenses para dar continuidade ao trabalho nas invenções de Nikola Tesla. Uma curiosidade sobre essas pesquisas do Tesla e que nos liga ao dispositivo que eu mencionei no inicio deste post, é que ele tinha dito a alguns colegas e amigos que tinha inventado um dispositivo de comunicação interplanetária. Assim, não seria surpreendente que seu dispoistivo levitador estivesse sendo fabricado com idéias dadas a ele por seres que ele acreditava serem “venusianos”.

 

O relatório também detalha várias invenções sugeridas pelos venusianos. Esses dados foram fornecidos ao Projeto Magnet através do Dr. Matthews, que foram testados e funcionaram perfeitamente. Os venusianos também estariam seriamente preocupados com a nossa crescente destruição ambiental e do grave perigo de nossa matriz energética baseada em combustíveis fósseis, sem falar nos teste e nucleares.  Eles então teriam advertido o governo para tentar impedir estas práticas, e ofereceram alternativas não poluentes e sistemas de energia praticamente infinitas que foi um grande choque. O “pacote” venusiano poderia colocar a perder todo o investimento de séculos em petróleo, gás e carvão. Os dispositivos também complicariam gravemente o balanço bélico do mundo, afetando diretamente as indústrias de guerra e produzindo um “caos econômico” no status quo.
Segundo contam os relatos, a coisa descambou de vez quando do nada, uma nave espacial interplanetária desceu sobre o laboratório científico. O alarme de detecção soou, e em meio aos olhares estupefatos dos cientistas, o desembarque ocorreu.
Arthur Matthews saiu para olhar para essa incrível nave espacial. Dois seres saíram do aparelho, e caminharam calmamente até o cientista. Ele observou que tinham cerca de 1,80m. Os dois eram louros de olhos azuis e emanavam perfeita saúde e felicidade.

O cientista conta que  sentiu uma vibração enorme de boa vontade dos venusianos. Os seres então, disseram a Matthews que eles tinham vindo verificar a máquina de raios cósmicos de Tesla, que vinha sendo desenvolvida na instalação.  Após uma breve troca de diálogo científico, o cientista foi levado em uma excursão na nave espacial, que tinha um anel metálico com aproximadamente 20 pés e não estava ligado ao corpo da nave por qualquer dispositivo visível, mas sim por magnetismo.

Este UFO tinha de cerca de 700 pés de diâmetro e cerca de 300 pés de altura. Não possuía controles visíveis na sala de controle. No centro, havia uma grande plataforma circular com uma área de estar levantada sobre ela. Quatro venusianos sentavam-se ali com as costas de frente para o centro, cada um sentado numa direção, sendo norte, sul, leste e oeste.

Estes pilotos foram especialmente escolhidos por suas faculdades mentais sobre a matéria, e que controlavam a nave através do pensamento, o que teoricamente pode ser realizado através da projeção ondas cerebrais em um computador preparado para captá-las.

Dois dos pilotos eram mulheres, e ele conheceu uma garota lindíssima, que tinha cabelo longo e dourado, pele bronzeada, e um indescritivelmente belo rosto refletindo profunda paz interior. Foi com ela que Smith aprendeu sobre a vida em Vênus.

Este cientista proeminente era extremamente respeitado, creditado para inúmeras invenções tecnológicas, teve uma excelente reputação pública, e realizou prestigiadas formações, ganhou prêmios e reivindicou patentes. Smith foi sem dúvida o maior cientista canadense de seu tempo.

Em resumo, fala-se muito sobre Nikola tesla hoje em dia e eu acredito realmente que Tesla vem gradualmente se tornando mais um personagem de ficção do que uma figura histórica propriamente dita. Suas invenções incríveis e sua curiosa história de vida contribuem bastante para alimentar uma série de crenças sobre ele e seu legado.

Um bom exemplo disso pode ser visto sob a questão de como morreu o Tesla. Dizem que ele morreu pobre, velhinho, alimentando pombos numa praça de Nova York. Devido ao fato de que Tesla era praticamente um homem recluso, absolutamente focado em seu trabalho, ao ponto de desmaiar de exaustão diversas vezes, quase tudo que se publica sobre ele provém dos primeiros livros sobre sua vida que foram compilados a partir de relatos e de poucas coisas escritas por ele, acerca de sua vida.

No entanto, o Tesla teve um amigo (que algumas pessoas acreditam que na verdade era seu FILHO) e que depois se mudou para o Canadá, e com o qual passou a se corresponder com grande frequência no final da vida. Tesla conheceu Arthur Matthews quando ainda era um menino e ele se tornou seu aluno. Arthur foi o último parceiro de trabalho de Tesla, e juntos escreveram um livro (curiosamente deixado de fora das biografias) onde, veja que coisa: Tesla se declara um alien na Terra. Eu fiquei impressionado com o que ele conta nesse livro.

 

wall-of-light-01

Me impressionou porque… É praticamente o roteiro de Super-Homem! Segundo conta, ele nasceu numa nave venusiana que vinha para a terra. A nave desceu numa cidade do interior e ele foi entregue ao casal de humanos para ser criado como um filho.  O livro é uma autobiografia, mas o pessoal sugere que se trate de uma obra de ficção que o tesla escreveu. A única e última de sua vida, aliás.

Seja como for, Mattews diz que Tesla não morreu na miséria. Disse que ele era muito feliz no fim da vida e acima de tudo, era um homem muito rico.

O livro foi escrito nos anos 40. A primeira parte foi escrita por Tesla e a segunda parte por Arthur. Tesla escreve sobre as experiências de infância, seus sentimentos, suas pesquisas e estranha vida entre os seres humanos. Matthews completa ‘The Wall of Light “(uma referência a um dispositivo de campo de força ) com a sua incrível história que inclui visitas de extraterrestres a sua propriedade no Canadá.

Segundo Arthur Matthews “… Tesla tinha idéias estranhas. Ele sempre pensou que ele veio do planeta Vênus. Ele disse isso para mim, e a tripulação de uma nave espacial Venusiana disse em uma de suas primeiras mensagens, que uma criança do sexo masculino ‘nasceu’ a bordo de seu veículo durante a sua viagem a partir de Vênus à Terra em julho de 1856 … ‘

Ele chegou em Smiljan, perto de Gospic em Lika, Croácia. em ‘The Wall of Light “, Matthews informou que venusianos desembarcaram em sua propriedade no Canadá e disseram-lhe que Tesla era um deles, de Vênus.

De acordo com Arthur, Tesla comunicava-se com venusianos com o seu ‘Tesla Scope “, que ele construiu em 1898 . Então, com Matthews, os dois reconstruiram o dispositivo em 1938. Aperfeiçoaram o projeto, reduzindo suas dimensões e otimizando o mesmo.

O ‘Scope’ emitia um som de zumbido alto quando os venusianos resolviam fazer contato. (Há desenhos do projeto no livro).

Um outro livro sobre a possível origem extraterrestre de Nikola Tesla é “The Return of the Dove” de Margaret Storm. Em um capítulo intitulado “A história de Arthur Matthews”, escreveu ela: ‘Então, para Arthur Matthews, ele (Tesla) deu um projeto para uma rede de comunicações interplanetárias. Ele deixou a Matthews a tarefa de conseguir o público interessado em se comunicar com os habitantes de outros planetas “.

De uma entrevista com Margaret Storm em 1959, ela declarou:” Mais uma vez foi um estranho … relacionamento porque quando … Sr. Tesla em primeiro lugar, a pedido de Lord Kelvin … foi para a Inglaterra … para consultar com Lord Kelvin sobre o que eles chamaram de wireless, nesse momento, rádio. Lá ele conheceu o Sr. Matthews… Pai e filho. Agora, Arthur H. Matthews é acho que um homem de setenta anos no Canadá. Mas nesse momento … apenas um menino … e seu pai era um engenheiro elétrico … trabalhar com Lord Kelvin. Tesla … tomou tal interesse neste menino … que ele ensinou Arthur tudo o que ele sabe … sobre engenharia elétrica. Agora Arthur Matthews … hoje … é um engenheiro eletricista profissional. Mas, ele teve … nenhum treinamento … ‘

Enquanto a genialidade de Tesla é indiscutível, algumas pessoas questionam se sua mente se tornou delirante em algum momento. Essa é uma possibilidade real, até porque se ele acreditava ser um Venusiano, ele nunca deu uma boa uma razão para um venusiano parecer com um humano, afinal, Vênus é um planeta absolutamente diferente da Terra com atmosfera corrosiva, à temperatura cotidiana superior a 400 graus Celsius. Assim, é muito óbvio que esses “venusianos bonitões” da década de 40 e 50 nunca foram de fato provenientes de Vênus. A lenda dos venusianos remonta uma época em que não se sabia muito sobre o planeta Vênus, pensava-se inclusive que possuía um trópico florestal cheio de vida exótica.

Lembra do Phil Schneider, aquele ufólogo ex-militar que foi “suicidado” como ele previu que um dia seria? veja meu post sobre o caso aqui. 

Ele contou que durante anos, um alienígena trabalhou no governo americano, mais precisamente, na área 51! Seria, segundo Schneider, um “venusiano”. Olha o cara aí:

6ddd0f15e285dbfb5c41dab1bb4dee982ddd00ed

Seu nome é Valiant Thor; e eu sei, ele parece humano. Mas segundo Phil Schneider, ele tem algumas diferenças fisiológicas que o diferem de uma pessoa terrena. Phil conta que Valiant trabalhou para o governo dos EUA por algum tempo na década de 50 antes de ir embora em sua nave espacial. Schneider era um geólogo e engenheiro que tinha certificado de segurança nivel 1 em projetos secretos do governo. Ele ajudou a construir bases militares subterrâneas e trabalhou na famosa base de área 51.
Schneider disse que se reuniu com Thor, e ele não é o único a fazer tal afirmação.  O Dr. Frank Stranges escreveu um livro intitulado  “Alien no Pentágono”, sobre sua suposta reunião com Thor.
Schneider mostrou uma foto de Thor, durante uma palestra em 1995. A foto foi tirada em 1943. Schneider disse que o alienígena tinha vindo a trabalhar para os militares dos EUA em 1937. Thor tinha seis dedos em cada mão, um coração enorme, um pulmão gigante, e que seu sangue parecia o de um polvo, além de possuir um QI fora da escala (estimado em 1200). Thor ainda conseguia falar 100 línguas fluentemente (incluindo algumas línguas aliens). Ele também disse que sua vida útil é de 490 anos.

De acordo com Dr. Stranges, Thor 1,82 metro, cabelos ondulados e olhos castanhos. Dr. Stranges disse que o presidente Dwight Eisenhower e Richard Nixon simultaneamente se reuniram com Thor.
Timothy Good, um ex-consultor do governo norte-americano que tem sido palestrante sobre seu conhecimento de aliens, também
 disse que Eisenhower encontrou aliens
Thor deixou a Terra, na manhã de 16 de Março de 1960, de acordo com Dr. Stranges. Ele saiu em uma nave espacial a partir de Alexandria. Uma hipótese considerável é que os aliens venusianos nunca foram venusianos de fato mas sim de outro lugar (quem pode nos garantir que não sejam da própria Terra?) e que a história venusiana é apenas um disfarce?

Eu sinceramente tenho uma grande dificuldade de acreditar em certas coisas e entre elas estão os “aliens venusianos”. Mas quem realmente pode dizer algo concreto sobre isso? Eu que não sou.

Vou ficar por aqui já que este post esta ficando muito maior do que eu gostaria.

Related Post

24 comentários em “O ufo do Tesla e outras coisas curiosas”

  1. Nao sei se foi timing, sacada ou coincidência este post, mas recentemente apareceu isso na web.
    http://hypescience.com/as-evidencias-se-amontoam-de-que-venus-foi-habitavel/
    Se o planeta foi habitável e os habitantes chegaram no nível dos seres do post é justo pensar que eles abandonaram o planeta e ainda estao por ai. Talvez a bilhões de anos.

    • Talvez vivendo em naves monstruosas no lado escuro da lua ou nas profundezas dos oceanos de Europa… Ou na Terra, comendo no McDonald´s ao nosso lado… Acredite se puder, existe uma “teorioa da conspiração” que defende que a Uma Thurman descende de venusianos. (sem brinca!)

  2. Impressão minha ou ali na foto onde você circulou o “venusiano” em vermelho, logo à direita está o Jeremy Renner (Gavião Arqueiro dos Vingadores) 😕

  3. Cara que post lindo!
    Tanta coisa que da vontade de passar o dia inteiro lendo referencias e construindo maquinas Tesla. rs.

    Uma coisa que me surgiu a mente nessa ideia de Vênuzianos é que talvez eles realmente sejam de Vênus, mas numa realidade paralela onde Vênus seja menos inóspito. Assim eles não são só são extraterrestres, mas são de outra dimensão também!

    • Isso é algo se pensar realmente. Outra coisa que poderíamos imaginar é que talvez os Venusianos se pareçam tanto com humanos porque eles são no fundo, Humanos retirados daqui e “transplantados” para algum tipo de sociedade subterrânea e Venus. Por quem ? Por outros aliens. Talvez os mesmos que nos semearam aqui…

  4. Acho que no passado chamar extraterrestre de venusiano era mais um hábito do que taxar verdadeiramente desse ou daquele lugar. Era muito comum no imaginário das pessoas, principalmente escritores e roteiristas. Lembro-me de ter assistido por várias vezes filmes falando de venusianos. Um desses exemplos era o “viagem ao fundo do mar”, que por mais de uma ocasião exibiu um episódio com os tais seres.
    Isso mudou algum tempo depois quando começaram a se intensificar os estudos fora da terra e de outros planetas nossos vizinhos.

  5. ?Olá Philipe,
    Falando em comunicação com “além” por meios técnicos, você já ouviu falar em transcomunicação instrumental (TCI)? Os pesquisadores de TCI acreditam se comunicar, através de aparelhos eletrônicos, com seres/entidades/espíritos que também utilizam tecnologia “do lado de lá”. Apesar da “hipótese espírita” ser apenas uma das hipóteses que tentam explicar esses fenômenos, acho difícil simplesmente ignorar, pois estas coisas estão acontecendo por aí. Afinal, tem muita coisa gump rolando nesse mundo.
    E sobre o Tesla e a invenção do rádio, lembrei que o rádio é também atribuído a outro cientista além de Marconi, o padre Landell de Moura. O sacerdote gaúcho teria transmitido a voz humana em 1900. A bizarrice do padre inventor não para por aí, a ele também são atribuídos estudos sobre espiritualidade e a invenção de um equipamento para capitação da aura (que ele chamava perianto, se não me engano). Mais tarde essa tecnologia foi “redescoberta” por um casal de cientistas soviéticos – você com certeza já ouviu falar da foto Kirlian. Infelizmente o pe. Landell não obteu reconhecimento durante sua vida (e até depois dela) e ainda foi reprimido pela igreja.
    Por último, fiquei com muita vontade de ver esse rádio do Tesla funcionando ao vivo! O pessoal da TCI ia gostar desse negócio. Infelizmente, não tenho conhecimento técnico algum. Divulgue caso você for criar esse rádio!

  6. Philipe, ótimo texto como sempre! Permita-me discordar apenas da tradução usada para “smoking gun”, que não é de forma alguma “arma de fumaça” e eu sei que você sabe disso… Fica minha sugestão (se permitires) de traduzir isso de outra forma da próxima vez, algo como “arma fumegante” ou coisa do tipo, sei lá.. você é mais criativo que eu, obviamente, que vai pensar num termo melhor! Até porque “arma de fumaça” me passa a impressão de ser algo falso, mero adereço, exatamente oposto ao “smoking gun”, que é a prova concreta de que um tiro de verdade acabou de ser disparado e significa, nesse contexto, prova definitiva da existência de alguma coisa.
    Desculpe-me e abraço!

  7. Post muito interessante e rico em informações.
    Eu realmente sou EXTREMAMENTE cético quanto a assuntos “anormais”.
    Eu realmente não sei o que eu vi um dia na fazenda abandonada onde meu pai morava próximo.
    Um dia de noite (não me recordo a hora) eu acordei e fui no banheiro.Como fazia de costume,
    ia no quintal dar uma olhada nas estrelas.Se você mora em algum local que não tem nenhuma NENHUMA luz nem de postes nem de prédios e casas lojas você vai ver o céu completamente cheio de estrelas que é uma coisa maravilhosa de se ver,coisa que nós não vemos na cidade como no RJ onde eu moro.enfim,fui no quintal da casa olhar pras estrelas e fiquei lá por uns 4 minutos olhando deitado na rede que ficava próximo a casa.
    Quando eu vi uma coisa luminosa branca passar extremamente alto como uma estrela se mexendo muito rápido(não lembro sentido).Eu não sei fazer medições como o Uyrangê Hollanda, mas aquela coisa tava extremamente alto , na altura de um boeing talvez.Como eu sei que não era um meteorito ou coisa do tipo se desfragmentando na atmosfera ?Por que aquela coisa continuou voando em sentido reto pra uma direção como se fosse um avião e não pra baixo se desfazendo até sumir de vista com uma rocha faz.Eu via muitos aviões passando por aquela região e a diferença entre o brilho do avião e aquela luz é simples de comparar, o avião geralmente pisca vermelho eu acho não sei se todos,aquela coisa tava 100% iluminada sem piscar.
    Quando eu vi a entrevista do coronel Hollanda da FAB sobre a operação prato (um dos únicos casos que tenho confiança e acredito que aconteceu mesmo)sobre as luzes que ele viu passando no céu a grande altura, foi EXATAMENTE a mesma coisa que eu vi aquela noite.
    Bom se aquilo não era uma nave ou qualquer coisa do tipo então eu vi algo anormal haha.
    Bom acho que ficou um pouco grande mais é isso ae rs.

    o local que eu avistei essa luz foi em Porciúncula-rj.

  8. Diante de tantas suposições, uma que acredito ser plausível e bem realista é a de haver vida no subsolo dos planetas. As possibilidades tecnológicas atuais já permitem que se acredite nessa possibilidade, inclusive na possibilidade da conversão em oxigênio, ou outros gases, que, segundo a ciência tem especulado seriam capazes de sustentar a vida.
    A questão de se ter uma civilização vivendo de forma autônoma, no interior de planetas pode ser um simples questão de domínio de tecnologias, inclusive de fusão para gerar energia em grande escala. Acredito que nós tendamos a refutar tais possibilidades por termos tantas meios naturais que facilitam a nossa, ainda, incapacidade de encontrar soluções desse tipo. Mas a medida que os nossos recursos forem escasseando e a necessidade de sobrevivência se sobrepor poderemos nos ver obrigados a encontrar soluções, que a nossa vista atual possa parecer extrema.

  9. Philipe, eu tenho um vídeo salvo de um disco voador em cd de muitos anos que achei revirando algumas coisas minhas e queria saber como faço pra enviar pra você esse material para dar uma analisada se é fake.

  10. Massa Philipe, curto muito este tema!
    Uma dúvida, e, talvez uma dica de matéria:
    você já leu o livro “Rinkmakers of Saturn” do dr. Norman Bergrun?
    Tentei encontrar aqui no blog, mas não fui feliz.

  11. Sobre propulsão de discos. Existe um livro da década de 1950, “Contato com discos voadores”, de Dino Kraspedon, pseudônimo de autor brasileiro nascido em 1905. O autor narra encontros pessoais com um capitão de disco. Nestes encontros faz diversas perguntas de caráter técnico científico, relativos a energia, éter, teoria da relatividade (provando suas bases equivocadas) , etc, etc. Uma das forma de propulsão dos discos é obtida pela emissão de raios catódicos para a atmosfera. Os gazes atmosféricos saem do estado de carga neutra ficando extremamente ionizados e assim são retirados da periferia do disco (absorvidos pelo restante da atmosfera). Como o “peso” da atmosfera é de +- 1 kg por m2 um disco de 20 metros de diâmetro teria o potencial de levantar 3 milhões de kg. Fazem semi vácuo acima para apenas flutuar e vácuo na direção que desejam se dirigir. A velocidade pode ser imensa pois não há atrito com o ar. Infelizmente mais tarde o autor se filiou ao espiritismo e mais de uma pessoa alega ser o mesmo, a partir do pseudônimo, associando disparates que pretendem para fazer valer pontos de vistas que apoiem suas crenças . Porém a versão original deste livro, em seu caráter científico , matemático e filosófico, permanece como um interessante relato de quão equivocada está a ciência atual.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares