O relato de um MIB parte 5

Compartilhe

Philipe,

Desculpe a demora em responder suas mensagens. Eu estive viajando. Os últimos meses tem sido movimentados com respeito ao tráfego hotel. Vi suas várias mensagens aqui na minha caixa. Preciso pedir desculpas, pois nossos últimos emails tem sido sempre corridos e com poucas informações. Eu pretendo sanar isso com as próximas mensagens, onde darei mais informações e tentarei responder às suas perguntas da melhor maneira, indo até o limite de segurança para nós dois.

Eu fiquei sabendo da tal “ameaça” que você recebeu no telefone. Não se preocupe quanto a isso.

Philipe, tivemos que mudar o Juca de cativeiro. As atividades de sondas nas imediações da chácara aumentaram muito. Estamos sob um risco real de retaliação e isso me preocupa. Esta atividade crescente está se tornando um grande problema pra nós, porque pode despertar algum tipo de curiosidade nas esferas superiores. Movimentar o Juca sem despertar suspeitas é muito difícil.

Não podemos criar um problema maior do que já temos. Tivemos que mudar o cativeiro do Juca para o porão. Ele está bem quieto lá agora. Minha idéia é manter o Juca ali até conseguir confirmar uma autorização de guardá-lo num local mais protegido. Estive conversando com umas pessoas e o melhor lugar é no interior de uma base do exército pouco usada. Tenho amigos confiáveis lá que poderão nos ajudar. Não vou dar maiores detalhes do local aqui por motivos óbvios, mas o mais provável é que até a data de autorização da publicação desse email, o Juca já esteja fora da área de risco. Ele vai estar em seu novo cativeiro, que é bem isolado do mundo exterior e garantidamente fora do alcance das sondas. O lugar é um bunker bem escondido, conhecido de muito poucos e com acesso absolutamente restrito.

Ficamos sabendo que algumas pessoas andaram pela região fazendo perguntas. O movimento de entra e sai na chácara está começando a chamar a atenção e não duvido que os vizinhos estejam desconfiando que o local é um tipo de cativeiro. É por esses motivos que iremos mudar a criatura de local. Entenda, a coisa precisa ser assim ou perderemos a criatura.
É um fato. A atividade das sondas nas imediações da chácara já ultrapassaram o limite do aceitável.

Nós temos certeza que os alienígenas vão atacar mais cedo ou mais tarde para obter o Juca de volta. Semana passada, uma cápsula desceu eles até forçaram a fechadura da casa principal. Os seguranças reagiram a tiros e espantamos as criaturas por um tempo. Nós até registramos a alta atividade das sondas do lado de fora da casa no circuito interno de Tv.

Nós começamos a compreender a razão para o aparato de defesa aeroespacial nas bases de armazenagem no exterior. E isso também explica porque 100% das operações que envolvem ufos são feitas em subsolo ou no interior de montanhas e jazidas de ferro. É para conter tentativas de resgate.

Sobre a questão da fala, suas perguntas foram boas. Eu não sei responder com certeza nenhuma delas. Eu acredito que eles tenham um sistema fonador baseado em pregas vocais como o nosso, mas de alguma forma isso é pouco usado, de modo que é muito difícil arrancar alguma palavra dele. No início eram apenas sussurros fracos. Talvez ele estivesse tentando evitar a vocalização por alguma razão. Talvez por medo.

E foi por isso que usamos métodos mais agressivos para obter uma fala. No início eram apenas sussurros e grunhidos roucos, mas quando começamos a pegar pesado ele finalmente começou a demonstrar que queria cooperar. Quando ele falou ao ver a foto do dois, foi uma surpresa, porque vimos que havia realmente uma estruturação lingüística. Mas o que é aquilo que ele falou, ainda é um mistério completo.

Muita gente do nosso grupo precisou rever seus conceitos quando ficou claro que nós encontramos uma criatura de tipologia alpha que pronunciava sons. Havia um tipo de senso comum que esta tipologia alienígena não era capaz de falar. Ao mesmo tempo que ele nos surpreendeu com esta capacidade, ficamos bem frustrados ao descobrir que as alegadas capacidades telepáticas dos alpha não estavam ali. Nossas conclusões são que ele não é um alpha comum. Pode ser algum tipo de híbrido ou raça diferente que partilha similaridades morfológicas com a classe gray. Aliás, isso é o que salta os olhos logo de cara. Ele não é cinza. Ele é pálido, com uma cor meio estranha que parece a de um índio anêmico.

O comportamento dele ainda é arredio com a maioria de nós. Melhorou muito desde o primeiro video, quando levamos um dia inteiro tentando fazer ele falar batendo com uma garrafa de refrigerante vazia na parede perto dele. O coitado morre de medo da “garrafada” basta pegar a garrafa que ele já dá o tremelique de sempre. Aliás, ele dá o tremelique sempre que vê muitas pessoas juntas. Talvez algum tipo de trauma do dia da operação em Tasso. Outra coisa que notamos é que ele sabe exatamente que armas são coisas perigosas. Ele fica alarmado sempre que nota alguém armado no cativeiro.

Descobrimos que água demais causou uma forte diarréia nele. Há um mês mais ou menos, ele perdeu peso e nós tivemos medo que estivesse desidratado. Como ele tomava água em quantidades pequenas, começamos a colocar mel na água e ele passou a beber como louco. Então aconteceu um desarranjo intestinal sério. Tivemos que suspender a água por uma semana devido a isso. Ele me pareceu desidratado, mas não apresentou seqüelas comportamentais ou evidências físicas de que está debilitado. O peso voltou lentamente a se estabilizar. Antes de mudarmos o cativeiro, num dos videos de registro, notamos que o Juca estava bem curioso sobre os jornais, colocados lá para servir de banheiro pra ele. Ele esteve durante vários minutos olhando o jornal cuidadosamente. Olhava principalmente as fotos.

Foi aí que nós pegamos um livro de zoologia comprado num sebo e deixamos no quarto dele. Juca imediatamente pegou o livro e após algum tempo mexendo nas páginas, começou a observar com enorme curiosidade cada um dos animais ali. Agora ele vê o livro pelo menos umas três vezes ao dia. Do início ao fim, detendo-se demoradamente em cada uma das fotos, como se estivesse memorizando-as. Não sabemos ainda o que isso indica, mas é interessante. E ele tem uma relação quase afetiva com o livro, guardando-o com cuidado sempre na mesma posição no cantinho dele.

Sobre a visita, vamos marcar sim. Eu vou tentar definir uma janela de datas possíveis e te passo no próximo email pra você definir a mais conveniente. Vou ter que arrumar uma credencial pra você entrar na base, mas acho que isso é fácil, já que tenho uma relação muito boa com o responsável pela base. Ele é alguém de alta patente que sabe o que nós estamos passando. Ele está do nosso lado. Só vou pedir que você faça um hemograma completo antes. Após receber o resultado, me envie por email. Vou assegurar que você possa fotografar e filmar sem problemas. Nós te orientaremos sobre como proceder os registros. Mas não pode tocar nele e nem trazer aquele seu amigo. Você mesmo filma. Por via das dúvidas, vamos manter isso só entre nós. O ideal acho que seria num fim de semana, porque as bases ficam mais vazias e é mais fácil conseguir uma visita discreta ao local.

Estou tentando obter mais fotos da cápsula de Tasso como você pediu. Não é fácil, porque quem que está com o grosso do material tem medo que pegue pra ele. Eu consegui na base da camaradagem, convencer o coronel a fazer umas imagens de algumas das fotos na tela do computador dele. Não é todo mundo que é como a gente, que manda os materiais na cara de pau pra você publicar aí no seu blog. Eu não participei do desembarque da cápsula, então não tenho muitos detalhes. Vou me limitar a repassar uns dados que o Bob me deu. Bom, eu tentei pegar uma série que mostrasse um pouco do que nós chamamos de “central de distribuição” ou como a gente chama, CD.

O CD não é a nossa base de operações, que é mais parecido com um escritório de contabilidade. Já o CD é tipo um grande laboratório acoplado a um hangar com equipamentos diversos. Resumindo, é um complexo de instalações científicas para onde são levados todos os objetos obtidos aqui para uma análise preliminar antes de seguir para seu destino final, nos EUA. O Cd fica nas imediações de uma cidade satélite de Brasília, por muitos motivos, entre os quais a facilidade de acesso e por ser um ponto relativamente central no país e ao mesmo tempo, um lugar longe de tudo.

O material vai de lá para o exterior, disfarçado de encomendas diversas. A entrada do material quase sempre se dá por Memphis, no Tennessee e de lá, segue para dois estados, onde existem centros de recepção parecidos com o nosso CD, só que dezenas de vezes maiores e com equipamentos de última geração. Esses centros operam sob disfarce como companhias de alta tecnologia. Eu sei que um desses centros, é totalmente subterrâneo e até tem até um pequeno lugarejo com escola, casinhas, igreja, cemitério e pub em cima. O objetivo disso é ocultar o local de varreduras de satélite. Muitas bases hoje são assim, pensadas para parecerem cidades pequenas quando vistas do alto e isso nem é segredo pra ninguém.

Esqueça Groom Lake. Sobre isso eu não posso falar muito por dois motivos. Um é que eu não sei o suficiente, já que eles são bem chatos com a questão do controle de informações. O outro motivo é que existem coisas que todo mundo sabe e coisas que só eu e mais uns dois sabem aqui no Brasil. Se eu conto pra você, mesmo não publicando no seu blog, fica fácil rastrear de onde veio a informação. As pessoas sempre querem saber sobre o destino final, as atividades dos norte-americanos e etc. Acho que por causa dos filmes e da mitologia envolvida, como Roswell, área 51, Independence day, etc. Mas vamos focar no Brasil, que é onde nós estamos e onde as coisas estão mesmo acontecendo.

Isso aí que você vê na foto 1 é o descarregamento da cápsula. Ela chegou num caminhão coberta com lona. Em seguida, foi içada com um guindaste de ponte rolante até o chão do hangar e ali nós fizemos os procedimentos básicos iniciais antes de preparar a remessa para os Estados Unidos. Em geral, o material vem sempre num caminhão lonado. Quando é destroço ou fragmento, pode até vir num bauzinho. Mas 90% dos casos é carreta. Dependendo da dimensão do objeto, varia o tamanho do semi-reboque. Mas vai sempre lonado. Os objetos grandes são raríssimos, até em destroços. A nave inteira, seja de que tamanho for, é mais rara que ganhar na loteria.

O Bob ficou de confirmar corretamente a questão das dimensões precisas, peso, etc. Mas no dia da ação deu pra ver que é uma cápsula de três lugares. Eu poderia dizer que é como se fosse um carro. A cápsula é um pouco maior que um automóvel na altura e bem apertada por dentro. Ela é mais alta e é de um metal brilhante, mas não totalmente cromado. Não tem painel, nem tela nem botões. É lisa e simples. No meio há um tipo de coluna com umas placas onde dá pra ver o relevo das mãos das criaturas.

O Bob disse que através de microscopia detectaram pequenos buracos, como colisões microscópicas de partículas em grande parte do objeto. No dia da ação, ela estava aberta e as criaturas do lado de fora, mexendo na terra. Acredito que recolhiam amostras de solo. A capsula de Tasso foi embarcada no caminhão ainda aberta. Mas quem cuidou do desembaraço da cápsula não fui eu. Foram outras pessoas. Naquela noite, eu e minha equipe estávamos focados nos EBEs e vi a cápsula muito de relance após o contato. Até a chegada do helicóptero mantivemos a distância de segurança mas deu pra ver alguma coisa. Agimos com muita pressa no campo aberto. Esta cápsula abre de um modo interessante. Abre como um cogumelo. Da mesma forma que todos os outros objetos, ela tem uma coluna central que faz parte do sistema de funcionamento. O objeto é todo construído em praticamente dois volumes, moldada como se fosse em massa de modelar, mas é tudo de metal. O interior da mesma no dia da captura estava muito frio e iluminado. A parte externa brilhava de um jeito estranho. Enquanto estávamos de campana no mato, deu pra ver o comportamento dela. A nave desceu verticalmente, com uma luminosidade forte e emitindo um barulho que parecia um compressor e uma catraca. Tem um zumbidinho bem fino, parecido com barulho de abelha. Nós acreditamos que este barulho tenha a ver com o sistema de navegação. Ela emite uma luminosidade azul quando está em operação.

Como você pode ver, esta não tem nenhuma inscrição na fuselagem. Mas já vi outras com símbolos. Isso não é incomum.

O Bob disse que aposta que esta cápsula de Tasso seja apenas um veículo leve de transporte. Algo com menor alcance do que seria um carro. Está mais para um tipo de “elevador”. Ele pensa que a baixa capacidade volumétrica do veículo e a ausência de provisões são fortes indícios que se trata realmente de um tipo de nave de apoio, que leva e traz entidades biológicas para uma nave maior, que seria um ufo standard. O Bob não sabe explicar por que esta nave desceu tantas vezes no mesmo lugar em um período contínuo de tempo, se este tipo de atividade é incomum. Eu imagino que eles estivessem estudando algo no solo precisaram fazer um acompanhamento. Não haviam marcas nem registros no local do contato que dessem qualquer pista sobre o que os aliens faziam lá naquele pasto. Bob supõe que eles estavam procurando alguma coisa. Talvez tenham perdido algum tipo de equipamento importante e voltaram para buscar. Ainda estamos investigando o que levou essas criaturas a fazerem sucessivas descidas um mesmo local.

O Bob se recusou a me deixar ver as fotos do interior da cápsula feitas na CD. Ele está com medo disso pegar pra ele. Eu não quero ficar na onça com o Bob por causa desta situação. Mas eu vou convencer ele, só peço que me dê mais algum tempo. Publique essas aqui primeiro que eu vou mostrar que isso não dá nada. Quando ele se convencer, vai liberar as fotos da parte interna pra nós.

Praticamente todas estas fotos em anexo não são oficiais. Isso significa que não são as imagens incorporadas ao memorial descritivo e sim registros individuais das operações que são usadas para documentação interna. Apenas as imagens do EBE são oriundas do material anexo ao memorial. Além dessas, eu consegui tirar duas fotos do CD que vão em anexo.

Após o contato, quando atacamos as criaturas, mandamos o radio para o pessoal do resgate dando o local e condições gerais da missão. Poucas horas depois, veio o caminhão e o helicóptero, se não me engano, um modelo Puma com pintura do exército, trazendo os dois técnicos. Neste momento já havíamos retirado o Juca e enviado para um lugar seguro.

Colocamos os corpos dos EBEs abatidos em sacos e esses sacos foram colocados no helicóptero. Posteriormente, os corpos foram desembarcados no CD e colocados num freezer horizontal comum antes de serem preparadas para o envio.

Os exames locais que foram feitos nessa cápsula são os padrões. Ainda em campo, dois técnicos usando trajes de pressão positiva fazem as leituras de radiação e emissão térmica. Estando ok, o resto do pessoal se aproxima. Após isso, o próximo passo é içar o objeto usando o munck, cobrir com a lona e mandar para o CD. O material vai sempre com uma nota de serviço de transporte da FAB com descrição de peça de avião para fins de fiscalização, mas nunca dá galho, porque na escolta vão dois carros na frente e dois atrás. Além disso, nota federal passa batida. Os homens do carro de escolta da frente vão com a papelada de desembaraço rodoviário. Os técnicos retornam ao CD de helicóptero e logo que chegam, preparam tudo para a recepção do material. Eventualmente, podemos até requerer escolta armada da PRF ou mesmo do exército.

Quando chega na CD, a cápsula é então medida e pesada, uma nova varredura de radiação é feita, além da varredura eletromagnética, UV, de gás e térmica, que são feitas também. Usando um equipamento de ultrassom, a espessura do material é analisado e os laudos são anexados na pasta com o memorial descritivo da operação, que acompanha o objeto o tempo todo. Quando existem fragmentos eles são avaliados e estudados. Quando o objeto está intacto não podemos tirar amostras, apenas usar a microscopia e estudos não-invasivos. Nesta fase, ela é fotografada e documentada em mínimos detalhes. Depois, em caso de destroços, há uma perícia preliminar que tenta determinar a causa do acidente e o estado geral dos destroços. Não temos autorização para tentar fazer o negócio funcionar.

Todos estes dados vão direto para o memorial. Uma cópia do memorial fica no Brasil, a outra segue com o objeto. Não há desmonte completo aqui no Brasil. Ninguém está capacitado para realizar operações de desmontagens, que envolve altíssimo risco e nossa parte no acordo de cooperação é claro em determinar que apenas os EUA efetuem este tipo de ação. Nós fazemos apenas uma série de ações preliminares de redução de risco antes de aprovarmos o envio para os EUA.

O envio varia de caso a caso e em geral é feito de três maneiras. Eles buscam o material com um avião, geralmente militar. Isso acontece quando é caso grave, emergência mesmo. Na maior parte das vezes, nós enviamos o material com um avião civil identificado com as cores da FedEx para não despertar nenhuma suspeita. O material (quase sempre nos casos dos destroços) vão em containeres marítimos lacrados, por navio. Casos graves, que envolvem prioridade máxima, com criaturas vivas ou alto risco de contaminação -como naquele caso dos EBEs mineiros – são removidos em avião cargueiro militar equipado com uma área isolada para risco de contaminação biológica. Os mortos seguem em urnas lacradas e preenchidas com um gás inerte para conservação.

O Brasil envia tudo para os EUA e em contrapartida, eles devolvem um laudo bem completo, com informações mais detalhadas da natureza do objeto. O laudo da cápsula de Tasso Fragoso ainda não veio, já que isso costuma demorar. Ainda mais quando a nave está inteira. Pode chegar a qualquer momento, mas eu acredito que deve levar ainda uns dois anos para chegar o laudo definitivo dos EUA. Eles são bem minuciosos e técnicos. Não preciso repetir que o que eles nos repassam deve ser uns 10% do que realmente sabem.

Baseado em dados anteriores, nós já temos alguma noção dos tipos de ufos mais comuns e seu sistema de funcionamento, embora muitos dados estejam ainda no campo das hipóteses e conjecturas. Com este conhecimento, classificamos antes de fazer o envio. São três tipos de classificação, que recebem códigos predefinidos.

Classificação quanto à origem

Classificação quanto à tecnologia

Classificação morfológica

Os maiores avanços que obtivemos foram na questão da tecnologia metalúrgica envolvida no processo de construção das naves. São ligas complexas que já investigamos desde os anos 50 e só agora começamos a desvendar. Como raramente se repetem, é um eterno recomeçar. Atualmente, nós humanos conseguimos mapear 21 ligas específicas já usadas nos artefatos. Algumas delas compartilham muitas características em comum. Existem também alguns polímeros desconhecidos e um tipo de resina cristalina de origem sintética.

O processo de construção das ligas é bem complexo e envolve a deposição atômica organizada. Isso significa que a tecnologia de construção dos objetos está bem à frente das nossas capacidades. Hoje já conseguimos realizar em alguns centros de pesquisa no exterior a deposição organizada do ferro, ouro, silício, e outros materiais, mas não há nada tão sofisticado quanto as amostras obtidas dos artefatos. O processo deles com certeza não é de fundição. Além disso, o grau de pureza e integridade geométrica atinge 99,9% em todos os casos. Mas isso não significa que o material seja perfeito. A prova disso, é que os artefatos sofrem acidentes e podem ser abatidos. Nossa hipótese é que essas naves são “impressas” átomo a átomo, por algum tipo de tecnologia.

Estou me alongando demais. Para não ficar chato, vamos logo aos dados das fotos:

1- Descarregamento da cápsula (o Bob achou melhor apagar uma pessoa que poderia ser identificada nesta imagem)

Imagem045 O relato de um MIB parte 5

2- Preparação da cápsula para efetuar medição e registros

Imagem046 O relato de um MIB parte 5

3- Ultrassom e análises da estrutura

Imagem041 O relato de um MIB parte 5

Imagem038 O relato de um MIB parte 5

4- Capsula e equipamentos

Imagem043 O relato de um MIB parte 5

Imagem044 O relato de um MIB parte 5

5-Laboratório 2 -Análise metalúrgica

Imagem039 O relato de um MIB parte 5

6-Laboratório 3- Análise biológica

Imagem040 O relato de um MIB parte 5

7- EBE 2

Imagem037 O relato de um MIB parte 5

8- EBE 2

Imagem047 O relato de um MIB parte 5

9-EBE 2 -Bob explicando o procedimento de lavagem do corpo antes de colocar na urna lacrada para o transporte.

Imagem042 O relato de um MIB parte 5

Aguarde novo contato em breve.

Fique com Deus

Vortex

ESTE MATERIAL É UMA OBRA FICCIONAL

TRANSLATED

Philipe,

Excuse the delay in answering your messages. I was traveling. The recent months have been busy with “traffic  hotel” (traffic hotel is like ufo plots in radar contacts are called in Brazil Air Force). I saw its various messages here in my box. I need to apologize because our last email has always been run and with little information. I want to remedy that with the next messages, which give more details and try to answer their questions the best way, going up to the limit of safety for both of us.

I was aware of this “threat” you received on the phone. Do not worry about it.

Philipe, we had to change the Juca of captivity. The activities of probes in the vicinity of the house increased greatly. We’re under a real risk of retaliation and this worries me. This activity is increasingly becoming a major problem get us because we can awaken some kind of curiosity in the higher spheres. Getting the Juca without awakening suspicions it is very difficult.

We can not create a bigger problem than we already have. We had to change the captivity of Juca to the basement. He is very quiet there now. My idea is to keep the Juca there to confirm until a permit to save it in a more secure place. I was talking to some people and the best place is inside an army base just used. I trusted friends there that can help us. I will not give details of place here for obvious reasons, but the more likely it is that until the date of authorising the publication of this email, the Juca is already outside the area of risk. He will be in his new captive, which is well insulated from the outside world and guaranteed outside the scope of the probes. The place is a bunker and hidden, known to very few and with access strictly limited.

We learned that some people walked by the region asking questions. The movement of entering and leaving the house is starting to draw the attention and I have no doubt that the neighbours are desconfiando that the place is a type of captivity. It is for these reasons that we will change the creature of place. Understand, the thing to be so or lose the creature.
It is a fact. The activity of probes in the vicinity of the house already exceeded the limits of acceptable.

We are sure that the aliens will attack sooner or later to get the Juca back. Last week, a shell fell until they forced the lock of the main house. The security guards responded with gunfire and we fought the creatures for a while. We even recorded the high activity of probes outside the home circuit in the internal Tv.

We started to understand the reason for the apparatus of defence aerospace base for storage abroad. And that also explains why 100% of transactions involving ufos are made in underground or inside mountains and deposits of iron. It is to contain attempts at redemption.

On the issue of speech, their questions were good. I do not know for sure none of them respond. I believe they have a system based on vocal folds like ours, but in some way that is little used, so it is very difficult to start a word of it. In the beginning were only whispers weak. Maybe he was trying to avoid calling for some reason. Perhaps because of fear.

And that is why we use more aggressive methods to get a speech. In the beginning were only whispers and grunts roucos, but when you pick up heavy he finally began to show that wanted to cooperate. When he spoke to see a picture of two, was a surprise, because we saw that there was really a linguistic structure. But that is what he said, is still a complete mystery.

Many of our group needed to revise its concepts when it became clear that we find a creature of that type alpha could speech sounds. There was a kind of common sense that this type alien was unable to speak. While it surprised us with this capability, and we are frustrated to find that the alphas Alfs alleged capacity of telepatic communication were not there. Our conclusions are that he is not a common alpha. It may be some sort of hybrid or different race which shares similarities with the morphological class gray. Indeed, this is what jumps eyes soon to face. He is not gray. He is pale, with a color means that seems strange to an Indian Anaemicus.

The behaviour of it is still strange with most of us. Improved much since the first video, when we take a whole day trying to talk him beating with an empty bottle of soda on the wall near him. The sorry dies of fear of “garrafada” just pick up the bottle he already gave the afraid  vibration body  ever. Moreover, he gives the “tremelique” (how they call this panic behavior)  see where many people together. Perhaps some sort of trauma on the day of operation in Tasso. Another thing I noticed is that he knows exactly what weapons are dangerous things. He is alarmed when someone armed note in captivity.

We found that water too strong diarrhea caused it. A month ago more or less, he lost weight and we fear that had been dehydrated. As he took water in small quantities, we started to put honey in the water and he started to drink like crazy. So did a serious intestinal disarray. We had to suspend the water by one week because of that. He seemed dehydrated, but did not provide behavioral sequelae or physical evidence that he is weak. The weight slowly came back to stabilise. Before the change captivity, one of the videos to record, we noticed that the well Juca was curious about the newspapers, placed there to serve as a bathroom for him. He was for several minutes looking at the newspaper carefully. With lot of attention to all pictures.

It was there that we take a book of zoology bought a tallow and left him in fourth. Juca immediately picked up the book and after a while stirring in the pages, started to observe with great curiosity each of the animals there. Now he sees the book at least one three times a day. From start to finish, holding up a length in each of the photos, as if saving them. We do not know yet what this means, but it is interesting. And he has an almost affective relationship with the book, saving it with care always in the same position in his corner.

About the visit, we will mark yes. I’m going to try to define a window of possible dates and you step in the next email to you define the most appropriate. I will have to get a credential to you enter the base, but I think this is easy, since I have a very good relationship with the person responsible for the base. He is someone of high patent you know what we are going. He is on our side. Only I will ask you to do a complete blood count before. After receiving the result, send me by email. I will ensure that you can shoot and shoot without problems. We guide you on how to proceed records. But can not touch it and not bring that your friend. You even filmed. Through the doubts, we will keep this just between us. Ideally I think it would be a weekend, because the bases are empty and is more easier to achieve a discreet visit to the site.

I’m trying to get more photos of the capsule of Tasso as you asked. It is not easy, because anyone who is with the bulk of the material is afraid to get for him. I managed on the basis of camaraderie, convince the colonel to make some pictures of some of the photos on the computer screen it. Not everyone is as people, who in the face of the materials stick to you publish it on your blog. I have not attended the landing of the capsule, then I do not have many details. I will confine myself to pass on some data that Bob gave me. Well, I tried to catch a series that showed a little of what we call the “central distribution” or as we called, CD.

The CD is not our base of operations, which is very similar to an office of accounting. Already the CD is such a great laboratory attached to a hangar with various equipment. In short, is a complex scientific facilities to which all objects are taken from here to a preliminary analysis before heading out to their final destination in the U.S.. The CD is in the immediate vicinity of a satellite city of Brasilia, for many reasons, including ease of access and being a relatively central point in the country and at the same time, a place far from everything.

The material vai from there to the outside world, disguised in various orders. The entry of the material almost always occurs in Memphis, in Tennessee and from there, then for two states, where there are centres of receipt similar to our CD, but tens of times larger and with the latest generation equipment. These centres operate under disguise as high-tech companies. I know that one of these centres, is completely underground and even has a small lugarejo up with school, houses, church, cemetery and pub on top. The purpose of this is the place to hide sweeps satellite. Many bases are well today, designed to appear like small towns when viewed from above and that is secret or get anyone.

Forget Groom Lake. About this I can not speak much for two reasons. One is that I do not know enough, since they are quite boring with the issue of control of information. The other reason is that there are things that everybody knows and things that only me and two more us know here in Brazil. If I give to you, not even publishing in your blog, it is easy to trace where the information came. People always want to know about the final destination, the activities of U.S. and so on. I think because of movies and the mythology involved, as Roswell, Area 51, Independence day, and so on. But let’s focus in Brazil, which is where we are and where things are even happening.

That’s where you see the picture 1 is the unloading of the capsule. She arrived in a truck covered with canvas. It was then hoisted with a crane to bridge rolling to the ground the hangar and there we have the basic procedures before preparing the initial shipment to the United States. Generally, the material is always in a truck lonado. When wreckage or fragment, may even come a bauzinho. But 90% of cases is carts. Depending on the size of the object, vary the size of the semi-trailer. But vai always lonado. The large objects are rare, even in wreckage. The entire ship, whatever its size is, is more rare than winning the lottery.

Bob was to confirm correctly the question of precise dimensions, weight, etc.. But on the day of action has to See which is a capsule of three seats. I could say that is like a car. The capsule is a little bigger than a car at the time and well tight inside. It is higher and is a shiny metal, but not fully chromed. It has panel, or screen or buttons. It is plain and simple. In the middle there are a type of column with a few boards where can tell see the emphasis of the hands of creatures.

Bob said that through microscopy detected small holes, like collisions of microscopic particles in much of the object. On the day of action, it was open and the creatures from the outside, stirring in the land. I believe that collected samples of soil. The capsule of Tasso was loaded in the truck still open. But who looked after the clearance of the capsule was not me. There were other people. That night, me and my team were focused on EBEs and saw much of the capsule relaunch after the contact. Until the arrival of the helicopter had the distance but gave security to See something. We act with great haste in the open field. This capsule opens a way interesting. It opens like a mushroom. Just as all other objects, it has a central column that is part of the operating system. The whole object is built into virtually two volumes, shaped as if it were a mass of shape, but is all of metal. The interior of the same on the catching was very cold and illuminated. The outside brilhava a strange way. While we were in the bush campaign, gave to See the conduct of it. The ship fell vertically, with a strong and light emitting a noise that seemed a compressor and a turnstile. It has a zumbidinho and thin, similar to noise of bee. We believe that this noise has to do with the navigation system. It emits a light blue when it is in operation.

As you can see, this has no entry in the fuselage. But I have seen with other symbols. This is not unusual.

Bob said he bet that the capsule of Tasso is only a light transport vehicle. Something with less power than would a car. It is more to a kind of “lift”. He believes that the low volume capacity of the vehicle and the absence of provisions are strong indications that this is actually a type of ship support, which leads and brings biological entities to a larger ship, which would be a ufo standard. Bob knows not explain why the ship went down so many times in the same place in a continuous period of time, if this type of activity is unusual. I imagine that they were studying something in the soil needed to make a note. There had marks or records in the local contact to give any clue about what the aliens were there in that pasture. Bob assumes that they were looking for something. It may have lost some kind of major equipment and returned to fetch. We are still investigating what led these creatures to make successive falls one place.

Bob refused to let me see the photos from inside the capsule made on the CD. He is afraid to take it for him. I do not want to stay in oz with Bob because of this situation. But I will convince him, I ask only that gives me more time. Publish these here first that I’ll show that this does not give anything. When he convince, vai release photos of the inside get us.

Virtually all these photos attached are not official. This means that the images are not built into the memorial descriptive, but individual records of transactions that are used for internal documentation. Only the images of SBS are from the material attached to the memorial. Besides these, I could take two photos of the CD going attached.

After contact, when atacamos the creatures, sending the radio for personal redemption by giving the local and general conditions of the mission. A few hours later, came the truck and helicopter, if I am not mistaken, a Puma model painting with the army, bringing the two technicians. Today we had already withdrawn its Juca and sent to a safe place.

We EBEs the bodies of those killed in sacks and bags were placed on the helicopter. Later, the bodies were landed on the CD and placed in a common horizontal freezer before being prepared for submission.

The local examinations that were made in this dish are the standards. Even in the field, two technicians using costumes of positive pressure are the readings of radiation and thermal emission. In ok, the rest of the staff approaches. After that, the next step is içar the object using munck, with a canvas cover and mandar to CD. The material vai always with a note of the transport service with the FAB description of the piece of airplane for surveillance, but never gives branch, because they will escort the two cars in front and two behind. Moreover, note passing federal beat. The men of the car will escort the front with the paperwork of road clearance. The technical return to the CD of helicopter and once they arrive, prepare everything for receipt of the material. Eventually, we may even require armed escorts of PRF or even the army.

When the CD, the capsule is then measured and weighed, a new scanning of radiation is made, in addition to scanning electromagnetic, UV, gas and heat, which are also made. Using an ultrasound equipment, the thickness of the material is analyzed and the reports are attached in the folder with the memorial description of the operation, which follows the object all the time. When there are fragments they are evaluated and studied. When the subject is intact we can not take samples, use only the microscopy studies and non-invasive. At this stage, she is photographed and documented in minimum details. Then, in case of wreckage, there is a skill that preliminary attempts to determine the cause of the accident and the general state of the wreckage. We do not have permission to try to make the deal work.

All these data are going directly to the memorial. A copy of the memorial is in Brazil, the other follows with the object. There is no complete removal here in Brazil. No one is trained for carrying out removals, which involves high risk and our part in the cooperation agreement is to determine clear that only the U.S. efetuem this type of action. We make only a preliminary series of actions to reduce risk before approving the shipment to the U.S..

Sending varies from case to case and is usually done in three ways. They look for material with an airplane, generally military. This happens when serious cases, even emergency. Most of the time, we’ll send the material with a civilian plane identified with the colors of FedEx not to arouse any suspicion. The material (almost always in cases of debris) are in sealed shipping containers, by ship. Serious cases, involving top priority, with living creatures or high risk of contamination, as in case of EBEs miners – are removed by military cargo plane equipped with an isolated area for risk of biological contamination. The dead following a ballot box sealed and filled with an inert gas for conservation.

Brazil sends everything to the U.S. and in return, they return and complete a report with more detailed information of the nature of the object. The report of the capsule of Tasso Fragoso not yet come, as it usually take. Even more when the ship is full. It may come at any time, but I believe that we should still take us two years to reach the final of the U.S. report. They are quite detailed and technical. I need not repeat what they should be repassam in some 10% of what really know.

Based on previous data, we already have some notion of the most common types of ufos and its system of operation, although many details are still in the field of assumptions and conjecture. With this knowledge, classified before making the referral. There are three types of classification, they receive predefined codes.

Classification as to the origin

Classification as the technology

Classification morphological

The major advances that have been the issue of metallurgical technology involved in the construction of ships. They are complex leagues that already investigated since the years 50 and only now beginning to unravel. How often are repeated, is an eternal again. Currently, we succeeded in mapping human 21 leagues already used in specific artifacts. Some of them share many characteristics in common. There are also some polymers and an unknown type of crystalline resin, synthetic origin.

The process of building the leagues is quite complex and involves the deposition atomic organised. This means that the technology for construction of objects is well ahead of our capabilities. Today already achieved in some centres of research abroad organised the deposition of iron, gold, silicon and other materials, but nothing as sophisticated as those obtained samples of the artifacts. The process of them for sure is not the foundry. Moreover, the degree of purity and integrity geometric reaches 99.9% in all cases. But that does not mean that the material is perfect. The proof is that the artifacts suffer casualties and can be slaughtered. Our hypothesis is that these ships are “printed” atom by atom, for some type of technology.

I am alongando others. Not to be boring, we will soon to data of the photos:

1 – Discharge of the capsule (the Bob felt better erase a person who could be identified in this picture)

2 – Preparation of the capsule to make measurement and records

3 – Ultrassom and analysis of the structure

4 – Capsula and equipment

5-Analysis Laboratory 2-metal

6-Lab 3 – biological analysis

7 – SBS 2

8 – SBS 2

9-SBS 2-Bob explaining the procedure for washing the body before placing in the ballot box sealed for transport.

Wait new contact soon.

Stay with God

Vortex

Artigos relacionados

58 comentários em “O relato de um MIB parte 5”

  1. Ulha!!!!

    Tá bom… Agora o Philipe vai dizer que fez isso tudo no seu computador, né?
    Engana outro mané! Olha no zoom do olho do bicho o reflexo do papelzinho. Olha o cara refletido ali na nave. Eu reconheço uma foto quando vejo uma.

    Conta a verdade que essa de desenho aí não colou.

  2. Hehe.

    muito legal.

    e o melhor é que sempre fica aquela “duvidazinha” com relação a se isso é real ou não. Mas mesmo se não for é otimo ler esses relatos (mesmo que demorem mil anos para sair)

  3. Vc bem que podia escrever um livro, vc tem uma otima imaginação e foi boa a ideia de bater fotos do seu nonitor pra mostrar as imagens feitas no photoshop pois com isso se perdem os detalhes e não da pra perceber os erros Parabens!!!

  4. Rapaz, vc que fez as montagens?
    é comum ter água de campos do jordão em niterói?
    haha

    vai, pode falar que a foto foi tirada em varginha lol

  5. Muito bom… Se precisar de algumas dicas sobre processos de deposição atômica… Só falar. Aliás, tem um negócio muito estranho na rede chamado ALADYGMA. Se tiver tempo e saco, dá uma olhada. Abração.

  6. Cara moro em Manaus-Am, e aqui na decada de 80 tinha uma lenda chamada do chupa-chupa, onde pessoas apareciam totalmente brancas sem uma gota de sangue.Isso ocorreu durante uma decada e depois parou. Em relaçao a essas fotos e a essa pessoa que diz ter um alien em nosso pais, me desculpe mas acho que tudo isso e FAKE, vc sabe que com fotoshop tudo e possivel amigo, por isso fico com um pe atras nessa historia.

  7. A nave tem uma cara danada de “Mental Ray Production Shader”… Com mirror ball e tudo mais… O que me chama à atenção são pequenos detalhes, por exemplo: Se eu tivesse a chance de fotografar uma sonda alien, deixaria a nave NO CENTRO da fotografia. Enão me preocuparia com os peões da usina que ficam como coadjuvantes. Outra, se eu fosse tirar uma fotografia do monitor, tiraria com o monitor DE FRENTE, e não inclinado. Mas tenho de dar o braço á torcer, está uma ótima farsa. Se não fosse um detalhezinho aqui e outro ali, seria perfeito.
    parabéns pelo trabalho, bem bacana. 😆

    Esqueci de outra coisa: Se alguém tivesse um alien preso em cativeiro, deixaria um JORNAL pra ele cagar??? tem gente que é sequestrada que tem mais mordomia que isso, quanto mais um ET. rsssssssssss

  8. Não li tudo por preguiça. 😛

    Mas até onde li,… está muito bom o texto, sem contaras fotos. Assim que a preguiça passar ou o tédio ficar latente, continuo minha leitura. ;]

    Pelo visto depois de um período de abstinência,… Vostaste a escrever com tudo em Philipe.

  9. [quote post="1820"]A nave tem uma cara danada de “Mental Ray Production Shader”… Com mirror ball e tudo mais… [/quote]

    Não acho muito parecido não.

    [quote post="1820"]O que me chama à atenção são pequenos detalhes, por exemplo: Se eu tivesse a chance de fotografar uma sonda alien, deixaria a nave NO CENTRO da fotografia.[/quote]

    Tipo na terceira foto?

    [quote post="1820"]Enão me preocuparia com os peões da usina que ficam como coadjuvantes. [/quote]

    Lembre-se desse trecho do texto: ” Praticamente todas estas fotos em anexo não são oficiais. Isso significa que não são as imagens incorporadas ao memorial descritivo e sim registros individuais das operações que são usadas para documentação interna.”. Você colocaria o objeto bizarro no centro das atenções porque pra você isso é a coisa incomum. Mas para um relatório de campo que pretende registrar os procedimentos, o foco é o peão mesmo. 😀

    [quote post="1820"]Outra, se eu fosse tirar uma fotografia do monitor, tiraria com o monitor DE FRENTE, e não inclinado.[/quote]
    Acho que a foto está inclinada pq o cara dono do monitor estava sentado na frente dele. (imagino isso por causa da mão apontando lá.) Ou talvez ele usou uma foto inclinada pq a luminosidade poderia estourar quando vista de frente. Isso parece que aconteceu um pouco na foto 2. Nela, a tela está um pouco mais de frente. Deve ser por isso.

    [quote post="1820"]Esqueci de outra coisa: Se alguém tivesse um alien preso em cativeiro, deixaria um JORNAL pra ele cagar??? tem gente que é seqüestrada que tem mais mordomia que isso, quanto mais um ET. rsssssssssss[/quote]

    Num dos emails anteriores, Vortex falou que o alien excreta de tempos em tempos uma gosma incolor com cheiro de amônia. Acho que o jornal estava lá para absorver isso. :B

  10. [quote post="1820"]Pelo visto depois de um período de abstinência,… Vostaste a escrever com tudo em Philipe.[/quote]

    Eu tenho escrito direto aqui, cara. Não parei não. É que às vezes o serviço aumenta, eu acabo precisando viajar, sabe como é. Aí sobra pouco tempo…

  11. [quote post="1820"]Rapaz, vc que fez as montagens?
    é comum ter água de campos do jordão em niterói?[/quote]

    Foi, ué.

    Cara… Ummmm. Não sei. Acho que sim. Tenho quase certeza que tem.Essa água vende no Brasil todo.

  12. [quote post="1820"]Vc bem que podia escrever um livro, vc tem uma otima imaginação e foi boa a ideia de bater fotos do seu nonitor pra mostrar as imagens feitas no photoshop pois com isso se perdem os detalhes e não da pra perceber os erros Parabens!!![/quote]

    Como diz Chapolim Colorado: “Não contavam com minha astúcia!”

  13. [quote post="1820"]e o melhor é que sempre fica aquela “duvidazinha” com relação a se isso é real ou não. Mas mesmo se não for é otimo ler esses relatos (mesmo que demorem mil anos para sair)[/quote]

    Cheetara, não tenha dúvida. É ficção. Nada disso é real. (tirando a ligação anônima com tom ameaçador)

  14. [quote post="1820"]Ulha!!!!

    Tá bom… Agora o Philipe vai dizer que fez isso tudo no seu computador, né?
    Engana outro mané! Olha no zoom do olho do bicho o reflexo do papelzinho. Olha o cara refletido ali na nave. Eu reconheço uma foto quando vejo uma.

    Conta a verdade que essa de desenho aí não colou.[/quote]

    Ué… Cara eu digo que é real. se você não acredita, tudo bem. Essas coisas do reflexo, bem isso pode ser feito no Photoshop sim, basta fazer o cara lá posar em duas fotos e usar uma para sobrepor na estrutura da nave. A mesma coisa no olho do Et.

  15. Eu não acredito nisso não. Pra mim isso não é feito em computador nada.
    Dá pra ver no comentario do Philpe que ele nem sabe se vende essa água onde ele mora. E não me convenceui a explicação do reflexo aí no cometario anterior. Eu mecho com Photoshop e não é tão facil assim não.
    As fotos podem até não ser reais, mas aquela nave pode ser alguma peça de usina. Não foi o Philipe que fez as fotos.

  16. Muita paciencia do cara que tirou as fotos do monitor…

    Se o monitor atualiza a tela 60 vezes em um segundo, é dificil conseguir uma foto do monitor sem uma tarja preta horizontal em algum lugar na tela…

    Tem que tirar várias fotos pra conseguir 1 ou 2 sem a tarja.

    E a capsula só reflete as estruturas amarelas de metal?
    nao tem reflexo do peao, nem do cara que tirou a foto.

    E serrilhado na imagem “dentro” do monitor… no tamanho normal da foto nao é perceptivel, mas se reduzir a imagem, fica cerrilhado o que mostra que a foto de dentro tem uma resoluçao maior que a a foto do monitor.

    A seta do mouse só aparece em uma foto… pode ser que quem tirou as fotos tenha lembrado de esconder a seta, mas acho muito dificil.

    Fora isso, tudo muito bem executado…
    Otimo post! Mais do mesmo sem perder a qualidade.
    Sou fã desse blog, desde quase os primordios… eu acho.

  17. [quote post="1820"]Foi, ué.

    Cara… Ummmm. Não sei. Acho que sim. Tenho quase certeza que tem.Essa água vende no Brasil todo.[/quote]

    olha, parabéns então, pq nem ampliando consegui achar erros muito graves 🙂

    []’s

  18. philipe, realmente o mais hilario sao os caras q querem acreditar q isso eh real hehehe :ohhyeahh:
    mas as fotos sao mto boas tambem, temos q dar um desconto rsrs
    foi uma honra ter visto isso antes de ser postado aqui…
    comecei a ler os relatos anteriores pra nao ficar boiando rsrs
    e desde ja to esperando a parte 6!
    abraços

  19. Cara são fotos de imagens no monitor mesmo. Eu acho que monitores de LCD não funcionam assim. Isso que vc falou me parece que só ocorre nos monitores de CRT. E essas fotos do monitor aí foram mesmo feitas de celular. A nave está refletindo sim. Olha a imagem no tamanho real que você vai ver. Se vc olhar a foto 4 e comparar a nave com a foto 2 vai notar que a reflexão está diferente. Como há uma perda de definição com a distância apenas os objetos mais iluminados e distantes estão aparecendo mais nítidos. Isso pode ser percebido pelo reflexo da grade de proteção na foto 4. Note que à medida em que ela se afasta, fica menos nítida no reflexo. Na segubda imagem, o cara perto da nave reflete mais claramente que o outro, que está mais afastado, em primeiro plano.
    Eu suponho que a foto original tenha sido obtida com zoom, o que faz um certo sentido, já que só a equipe de chão deveria ter acesso ao perímetro da nave. Como são fotos de registros de procedimento, elas foram feitas de longe. Por isso que o cara que bateu a foto não está refletido na nave.
    :$
    Bom, pelo menos eu acho. :B

  20. Ok, não quero entrar no mérito da questão se é real ou não. Você esmo diz que não é, então eu acredito.

    Mas tenho que dizer uma coisa: Parabéns. Nos dias de hoje, alguém se dar ao trabalho de inventar uma história tão complexa, com tantos detalhes, tanta informação, fazer videos, imagens… Tudo isso dá muito trabalho e custa muito dinheiro.
    E eu pergunto: Pra que?
    Quem paga por isso?
    Eu acho que ninguém. A menos que você seja financiado por alguém, eu quero dar um caloroso abraço e dizer que sou seu fã. O Mundo Gump é o único blog do mundo em que o dono tem este trabalho todo só pra nos divertir. É o melhor do Brasil, sem dúvida.
    Você merece um troféu, Philipe. Continue assim.
    Julio

  21. Bicho.. achei seu blog por acaso e AMEI.. hilário… mas as vezes acho as histórias meio GUMP sabe?!?! Comecei a ler o melhores contos e ri demais com o do verme.kkkkkkkuahauahuha… mesmo que não seja verdade você é muito criativo:lol2: :ohhyeahh:

  22. [quote post="1820"]Nos dias de hoje, alguém se dar ao trabalho de inventar uma história tão complexa, com tantos detalhes, tanta informação, fazer videos, imagens… Tudo isso dá muito trabalho e custa muito dinheiro.
    E eu pergunto: Pra que?
    Quem paga por isso?
    Eu acho que ninguém. [/quote]

    Você está certo. Eu faço tudo por diversão.
    Infelizmente eu não sou financiado por ninguém. Mas estou aberto a patrocínios, hehehe.
    Obrigado pelas palavras gentis cara.

  23. da hora!
    depois do primeiro render fotografado com o cel vc curtiu a idéia mesmo né?

    mas fica muito legal mesmo.

    o loco é ver as pessoas QUERENDO acreditar..hhahaha
    foda..isso mostra como a vida ta uma mesmice e as pessoas presisam desesperadamente de ‘algo novo’.

  24. Aff!!!

    Olha os dedos do Et. Tem apenas 4.
    Na minha teoria, os ets, somos nós visitando a Terra no passado para nos alertarmos das nossas ações e o quanto elas estão destruindo o passado. Só que no futuro, a Terra já está destruida em sua superficie, por isso da pele branca (falta de raios solares) e os olhos negros (pupilas dilatadas por viverem na escuridão).
    Mas como disse. Olhem o dedo. Apenas 4. Quem é a pessoa que possui 4 dedos? Lula.
    Será que o Presidente é a evolução da nossa humanidade.
    AHKJFAHFJHAÇFH. Quero morrer!!!!!!

    Muito bom seu artigo.

  25. Só para aumentar ainda mais os burburinhos…. Na foto nº7, não aparece a garrafa de agua do lado do monitor!!!!!!!!! Em todas as outras fotos do monitor, ela está lá… firme e forte…

    Isso aí tá muito bom… muito gump!!!
    E não teve alguem que disse que a melhor forma de soltar uma mentira é colocar no meio de uma verdade (ou teria sido o contrario.. a verdade no meio da mentira????)

    Grande abraço Philipe.

  26. Só para aumentar o burburinho… na foto nº7, não aparece a garrafa de água, em todas as outras fotos do monitor ela está ali… firme e forte.

    Isso aí está muito bom… muito GUMP!!!!!

    Não teve alguém que disse que a melhor maneira de difundir uma mentira é colocá-la no meio de uma verdade? (ou teria sido ao contrário, uma verdade no meio de uma mentira?).

    Grande abraço Philipe.

  27. [quote post="1820"]Fala LIPE, muito bom !
    o mais engraçado desses comentários, são os pela-sacos que tentam achar os defeitos nas imagens e não conseguem acreditar que são reais, sem truques… Bem, a nave eu já fui lá conferir pessoalmente… é realmente impressionante.
    Agora quero conhecer o Juca ao vivo antes que ele se vá !
    Continue assim, deixando os céticos loucos, mas não entregue tudo na badeja, como aquela foto que mostra o vidro com o material “X”, foi um mole.
    Um abraço. x_x[/quote]

    Caralho, maluco! Pirou? Tu escreveu o próprio nome neste post. Deu a maior bandeira. Os caras rastreiam seu Ip! Não era pra contar que tu foi lá. Agora ferrou. Deletei sua mensagem, mas se os caras pegaram antes, aí já era. Quando for comentar, faz aquele esquema do tunnel que o vortex recomendou.
    Falando nisso, eu preciso falar com você, porque a data da visita já tá marcada e tu tá dentro. Enchi o saco dele até ele te liberar. Vou te ligar.

  28. Ainda bem que você é muuuiito mais esperto,inteligente e de mente aberta, que não perde tempo lendo nem fazendo comentários idiotas,preconceituosos e sem nenhuma educação, não é mesmo?

  29. ou ngm se deu ao trabalho de olhar aquele trecho em vermelho abaixo das fotos “ESTE MATERIAL É UMA OBRA FICCIONAL”??? Mas convenhamos q foi mt bem feito 😀

  30. Legal seu trabalho, mas todo mundo sabe que esta peça é a ponta de uma bobina eletromagnética (aquelas que em miniatura deixam nossos cabelos arrepiados), usada em centrais de transmissão de eletricidade (tipo furnas por exemplo), até o buraco do encaixe apareceu na primeira foto, inclusive este lugar parece bastante uma fábrica que usa esse equipamento, já esses trabalhadores que aparecem nas fotos tem até os uniformes similares, (vc esqueceu de apagar a inscrição NGK do uniforme do peão, vc sabe né, a NGK que fabrica velas automotivas),tá certo que vc aproveitou e colocou umas fotos de ET de borracha e tudo mais pra dar mais veracidade, ficou legal a história também, mas a “nave” vc podia ter escolhido uma coisa um pouco mais desconhecida né?

  31. [quote comment="18821"]O dono desse blog deve ser paralitico, e fica trancado o tempo todo em casa, pois somente um deficiente físico vagabundo, teria tanto tempo para escrever tanta merda.[/quote]

    Claro. E vc anda muito ocupado, suponho.

  32. [quote post="1820"] O dono desse blog deve ser paralitico, e fica trancado o tempo todo em casa, pois somente um deficiente físico vagabundo, teria tanto tempo para escrever tanta merda.

    Claro. E vc anda muito ocupado, suponho.[/quote]

    Galera, nem vale a pena perder tempo com este cara. Ele é um guri que não deve ter nem barba na cara que só entra aqui pra encher o saco. Eu poderia facilmente bloquear ele, mas sempre torço para que a evolução das espécies se encarregue de resolver isso pra mim. Eu deletei o comentário dele sem querer quando ia colocar em modo moderado. Então fica aqui o registro das merdas que ele diz.

  33. [quote post="1820"]Legal seu trabalho, mas todo mundo sabe que esta peça é a ponta de uma bobina eletromagnética (aquelas que em miniatura deixam nossos cabelos arrepiados), usada em centrais de transmissão de eletricidade (tipo furnas por exemplo), até o buraco do encaixe apareceu na primeira foto, inclusive este lugar parece bastante uma fábrica que usa esse equipamento, já esses trabalhadores que aparecem nas fotos tem até os uniformes similares, (vc esqueceu de apagar a inscrição NGK do uniforme do peão, vc sabe né, a NGK que fabrica velas automotivas),tá certo que vc aproveitou e colocou umas fotos de ET de borracha e tudo mais pra dar mais veracidade, ficou legal a história também, mas a “nave” vc podia ter escolhido uma coisa um pouco mais desconhecida né?[/quote]

    Pois é… Hehehehehe. 😀 Mas calma aí. Essas peças não são esféricas?

    E o lance da NGK tava lá mesmo, mas eu não fazia a menor idéia do que era. Tá aí uma boa questão para perguntar o que alguém da NGK estava fazendo neste local. Eu tenho uma hipótese, que talvez seja apenas alguém vestindo um uniforme da NGK que opera um veículo com a pintura deles, que transporta materiais “não ortodoxos”. Assim, se a polícia eventualmente manda parar, qualquer um que olhar vai saber que aquilo é apenas, uma peça automotiva, evidentemente. :B

  34. Não necessariamente esféricas, dê uma busca no google imagens com o nome “bobina de tesla” e vc verá que a maioria tem o formato dessa aí que vc usou, mas continuo afirmando, ficou muito interessante a estória, só capricha mais nas imagens da próxima vez, uma boa estória com boas imagens para dar suporte, vc cria uma polêmica mundial, conselho de um designer profissional, beleza?

  35. Pô cara, não consegui achar nenhuma bobina tesla com esta forma. Cê tem uma imagem pra me mostrar? E me mostra seu trabalho também. Fiquei curioso sobre suas habilidades. Como eu tenho uma empresa disso, eventualmente preciso conhecer bons trabalhos de design para passar freelas.

  36. Olá, Philipe!

    Meu nome á Toni (Inajar) e faço análise de imagens como colaborador da Revista UFO e, trocando mensagens em nossa lista (Revista_UFO_Análises – do yahoo grupos)me disse que você é um colaborador também!
    Como, para bem analisar as imagens é preciso conhecer como “fazê-las”, peço-lhe a enorme gentileza, respondendo-me em particular, de me informar alguns detalhes de como as imagens foram feitas.
    Somente para confirmar, antes de me contatar, peço que contate diretamente o Gevaerd, ou mesmo o Petit. Não tenho o menor interesse em me tornar ilustrador ou coisa que o valha. Meu interesse realmente, é aumentear minha habilidade e capacidade de análise e a de outros analisadores de imagens da nossa lista como Claudeir Covo, Cláudio Brasil, Ricardo Varela, Milton Frank e outros.
    Se for possível nos repassar estas informações, antecipadamente agradeço e, sendo ou não possível repassar, devido ao teu conhecimento de como fazer, tenho certeza que você saberia reconhecer uma imagem montada/manipulada de outro artista; assim, aproveito este espaço para lhe convidar a fazer parte de nosso grupo, do qual eu e o Cláudio Brasil somos os moderadores.
    Fica um abraço
    Toni (Inajar)

  37. Philipe, conte a verdade para estas pessoas. Não engane os trouxas com este papo de “obra ficcional”. A verdade já foi exposta. http://www.youtube.com/watch?v=hvtXeoi9QdM
    Cai nesse papo de 3d quem quer.
    Pode deletar quantas vezes quiser meus comentários, seu otário! Eu vou continuar postando.

  38. [quote comment="43666"]Philipe, conte a verdade para estas pessoas. Não engane os trouxas com este papo de “obra ficcional”. A verdade já foi exposta. http://www.youtube.com/watch?v=hvtXeoi9QdM
    Cai nesse papo de 3d quem quer.
    Pode deletar quantas vezes quiser meus comentários, seu otário! Eu vou continuar postando.[/quote]

    Ok,ok, todo mundo já viu que você acha que é real. Não precisa fazer spam aqui no blog! Se continuar assim eu vou te moderar. Isso é atitude de criança.

  39. Caramba iusso me irrita a tamanha submissão nossa ao governo norte americano. Por que é que tudo tem que ira para os EUA? Se foi encontrado em nosso solo pórtanto é nosso. Que fique aki e só mande 10% para eles.

  40. Quale opinione non fate i furbi! ! ! Queste cose sono arrivate all’attenzione pubblica-cosa credete? Che gli Alieni siano meno forti di voi? Dove volete arrivare col vostro esibizionismo? Avete la faccia tosta di scrivere Dio pure-vi vorrei dare una bella lezione!!!

  41. Kralho, curtí a parada ae!
    Manero mano veio!

    Tem um vídeo show pra galera ver ae curtir… ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS e DOOMSDAY 2012. Baixem quando puderem!

  42. Estes documentos de fotos e a descrição do Vortex é tudo verdade, ou quase tudo!
    Ele manda o querido jovem Philip dizer que tudo FICCIONAL, para evitar histeria, expectativas várias e estranhas no povão, e que a NOW aperte eles!
    Espero que um dia tudo isso venha a luz, muitos possam ver experimentar de fato e seja esclarecidos os todos estes e outros fatos!
    Disse Jesus: Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. Lucas 12:2 

  43. O Brasil envia tudo para os EUA e em contrapartida, eles devolvem um laudo bem completo, com informações mais detalhadas da natureza do objeto.

    O Brasil envia tudo para os EUA e em contrapartida, eles devolvem um laudo bem completo, com informações mais detalhadas da natureza do objeto.

    PELO AMOR DE DEUS, PHILLIPE!
    Voce não acha que está dando muita moral para os americanos?
    A fiinal desmantelar naves alienígenas e “autopsiar” ets, não é tão difícil assim!
    Veja a Russia, a Alemanha, a China e até o Japão, todos eles tem outra seus centros de pesquisa nesta área.
    V. não acha que já está na hora do Brasil também ter o seu?
    Chega de ficar pedindo “pinico” para os “GRINGOS”!
    Afinal, quem manda no jogo sempre é o “dono da bola”, não concorda?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.